Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

quinta-feira, 4 de outubro de 2007

Vida=Amor!



A imagem de Cristo nos ensina qual o caminho a seguir, a "trilha" do coração, através do seu mandamento maior, o AMOR, tão divulgado, tão comentado, tão falado em verso, em prosa ou em poesia, mas tão pouco vivido ou praticado, em sua essência por aqueles que têm a obrigação de o fazer, o ser humano. Se os seres humanos praticassem mais o amor, ou melhor deixassem fluir o amor das entranhas do próprio ser, em tudo que realizasse, não haveria lugar para o ódio, extremo do amor distorcido. Também não haveria violência, pois o amor traduz paz de espírito e paz entre os seres que os rodeiam. Também não haveria tanta miséria, pois o amor implica partilha. Não existiria tantas injustiças, pois o amor é o mestre da justiça.

Enfim se houvesse amor por si mesmo e pelo próximo, não haveria guerra, nem luta desenfreada pelo poder, haveria sim união, fraternidade, justiça, harmonia, compreensão, paz e liberdade, pois os seres humanos seriam tratados com todo o respeito pela sua integridade física e moral, pelos seus ideais, seus direitos. Pois o AMOR é a liberdade de opção, de expressar a verdade, de buscar o que lhe pertence e dar ao outro o que é de direito.

O AMOR é a sensação de ser feliz e de fazer feliz outro alguém.

O AMOR é ser um raio de sol no dia nebuloso de alguém que sofre, que se angustia por não ter o que comer ou não ter a solução para o seu problema.

A VIDA sem AMOR é como um dia cinzento de inverno sem SOL!
Céu 26/6/97

terça-feira, 2 de outubro de 2007

Amor e Saber a Amar!



Fala-se muito sobre o amor e sobre saber amar. Como é que se ama alguém, se ao invés de lhe transmitir conforto, compreensão, alegria, companherismo, só se pensa em si mesmo, egoísticamente só se pensa nos próprios problemas? e transmite-se má compreensão, agressividade, quando o outro faz alguma em proveito próprio, se não estiver de acordo com o nosso egoísmo, começamos a agredir, sermos mesquinhos, não paramos para refletir que aquilo que nos aborrece tanto, porque saiu daquilo que pensamos, possa fazer feliz aqueles que amamos.
Amar quando o outro nos faz feliz, ou quando o outro age de acordo como queremos, isto é fácil, o difícil é sairmos de dentro de nós mesmos do nosso egoísmo, para irmos ao encontro daqueles que amamos, ás vezes até se for necessário sacrificar nossos desejos ou vontades, desde que façamos felizes aqueles que amamos e que nos amam até mais do que nós os amamos, como os nossos pais, que vivem sacrificando os próprios sonhos e desejos e até os planos por nós, filhos, e nós muitas das vezes respondemos com agressividade, arrogância, como eles devessem fazer tudo por nós, como se eles não tivessem sonhos, desejos, só nos preocupando com os nossos problemas e preocupações, como se só nós importássemos, isto tudo fruto de um egoísmo, um egocentrismo que não nos permite enxergar um palmo a frente do nariz ou que só nos deixa olhar para o "próprio umbigo". Como se tudo girasse em torno de nós. Deveríamos sim ser o centro das atenções por sabermos amar os outros, pois nossas atitudes seriam ditadas pela compreensão, harmonia, paz interior, que nos levariam a pensar nos outros e nas suas necessidades, em primeiro lugar, na tentativa de ajudar a construir o sonho, a felicidade daqueles que amamos.
Céu (3/6/97)