Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

sábado, 5 de janeiro de 2008

Qual o Sentido da Vida?


Qual o sentido da Vida? Nascer, crescer, estudar, acasalar, procriar, amealhar os tostões, envelhecer e morrer?
Não... deve existir algo mais....do que uma simples ilusão ou uma miragem para além do horizonte que nossos olhos conseguem alcançar ou que a nossa razão pode atingir ou compreender. Porque se formos pensar mais demoradamente sobre a nossa vida, acabamos por chegar à conclusão que tudo na vida é fugaz, como a própria vida o é, tudo é relativo, não há nada de concreto ou imutável, a não ser a morte. O Homem tenta controlar a natureza, reproduzir os seus fenômenos, considera-se poderoso porque constrói arranha-céus, máquinas potentes, muitas vezes de guerra, desenvolveu uma tecnologia fabulosa, porém é um ser frágil e vulnerável diante do poder da natureza, prova disso são as catástrofes que têm assolado o planeta: tufões, furacões, maremotos, terremotos, enchentes numa parte do planeta que derrubam num segundo, tudo aquilo que o "poderoso Homem" levou anos a construir. Aonde está esse poder?
A medicina evoluiu muito, há milhões de pesquisas, de estudos, a todo momento saem resultados de novas descobertas de curas, mas também de doenças, cada vez mais vai incutindo na cabeça dos Homens que estes devem realizar análises, exames os mais variados desde muito cedo para se detectar as doenças o mais precoce possível, ao mesmo tempo que vai estimulando a ingestão de vários fármacos que vão ao longo do tempo minando o organismo, tornando o Homem cada vez mais doente, ao invés de conservar o bem mais precioso que existe dentro da vida, a Saúde! O Homem deixou de ter tempo para a saúde: "não posso ir ao médico de família porque não posso faltar ao trabalho, por isso vou ao SACU/SAP/SASU/Atendimento Complementar/Consulta aberta ou então vou na farmácia buscar um antibiótico, um remédio para as dores ou um xarope para a tosse", ..."dieta, comida saudável? como ? tenho que almoçar fora todos os dias e no restaurante não há dietas", ..."caminhar ou fazer actividade física? não dá tenho muito trabalho, não tenho tempo" e outras afirmações mais, esquecendo-se que a doença quando chega, se instala confortavelmente na vida tendo todo o tempo e a agenda só para ela. Por isso que digo sempre "quanto mais tempo dedicar a saúde, menos tempo sobrará para a doença".
Com todo o conhecimento e o saber que ao longo de muitos anos de evolução técnico-científica foram se acumulando, o Homem não consegue impedir que a morte , as catástrofes, os intemperes da natureza ocorram, assim como não conseguiu esclarecer ou responder com convicção as três perguntas básicas que inquietam aos Homens: De onde vim, quem sou eu e para onde vou?
Acabo por voltar ao início, qual o sentido da vida diante de tantas incertezas, dúvidas, inquietações? Diante de tanta violência, tanto ódio, tanta miséria econômica, política, social, mental e espiritual, diante de tanta mentira, tanta injustiça pelo mundo a fora, tanta destruição provocada pela estupidez do Homem, retratada nas grandes guerras mundiais do passado e nas guerras localizadas do presente, onde o terrorismo acontece em nome de uma religião.... mas que religião é essa que destrói a vida do Homem e da natureza, seu habitat, deixando um rastro de sangue, de dor e sofrimento por onde passa?
Será que a vida se resume em nascer, sofrer e morrer? Reluto em aceitar que a vida seja isso? Quero continuar a acreditar no que até algum tempo atrás eu acreditava, mas no momento esse acreditar está meio duvidoso, que nascemos para cumprir uma missão que nos foi destinada por Deus, este é o sentido da vida, porém, poucos de nós descobrem qual é a sua missão nesta vida e, portanto, não conseguem dar um rumo ou sentido à vida, o que é meu caso neste momento, embora, acredito que só morremos depois de cumprirmos a nossa missão.

14 comentários:

Nuno Coelho disse...

De onde vim? a minha mãe deve saber essa...
Quem sou eu? Ora, mas essa pergunta faz-se? SOU EU! O centro do Universo! Se eu não existisse, não existia Universo! (pelo menos para mim!)
Para onde vamos?
Bem, essa é mais gira ainda! Vamos para onde temos que ir, com o tempo que tivermos para lá chegar. Tenhamos ou não tempo de lá chegar, acho que o que é mesmo importante é a viagem até lá, não é??

Céu disse...

Obrigada Nuno: Em poucos segundos respondeu às 3 questões difíceis da humanidade, mostrando o quão simples pode-se tornar um problema, de acordo com a maneira que o encaramos ;)
Já agora lanço outra pergunta "quem nasceu primeiro o ovo ou a galinha?"

Nuno Coelho disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Céu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Céu disse...

Obrigada Nuno, eu sabia que teria uma resposta simples, mas também deixaria alguma pergunta. Em relação a sua resposta, penso que seja realmente por aí, fazendo uma retrospectiva da evolução das espécies, daí chegaríamos a resposta de que o ovo já existia antes mesmo da d galinha, mas essa resposta muda se a pergunta for quem nasceu primeiro o ovo de galinha ou a galinha? e aí aproveitando e pegando carona no que você disse sobre a criação, a resposta seria a galinha, pois Deus criou os animais e estes perpetuaram a espécie.
Quanto ao coelho da Páscoa colocar ovos aí já teremos que nos reportar à sua lenda, que penso que todos a conhecem.
Em relação as omoletes quem teria criado a primeira omelete, não sei, mas imagino como foi criada, no passado como o homem era muito agressivo (qualquer semelhança com o presente não é mera coincidência ;)pegou num ovo e atacou o outro homem que o estava irritando, como fazia um calor grande o ovo logo virou omelete e daí melhoraram as relações com uma boa omelete para acalmar os ânimos ;)

Nuno Coelho disse...

Lamento deixar transparecer a minha ignorância, mas vai ter que contar porque é que o coelho da páscoa anda praí a por ovos pelos cantos, pois pelo pouco que eu percebo de cu de galinha, então tenho pena do coelho!!!

Nuno Coelho disse...

o meu comentário anterior foi apagado, não sei porquê... De qualquer forma, falava em coelhos da páscoa, em coisas como a teoria creacionista e no desenvolvimento do embrião. Também dava a chave do totoloto para a semana que vem e os números da lotaria de páscoa. Agradeçam, por favor, à nossa doutora Céu, por ter eliminado a minha boa acção colectiva do século!

Céu disse...

Nuno me desculpe acabei por eliminar o seu comentário por engano , comentário este em que levantava a questão do coelho por "ovos da páscoa" e assim como esclarecia que na teoria da evolução os peixinhos já colocavam ovinhos e mencionava também a criação feita por Deus desde Adão e Eva... e por Fim perguntava quem teria feito a primeira omelete
Depois deste esclarecimento passo a narrar de forma rápida a lenda do coelho e dos ovos da páscoa. Que seria mais ou menos assim: "No tempo de Jesus na terra, uma coruja havia posto os ovos e desapareceram,nenhum animal se compadeceu, excepto, o coelhinho que sentiu tanta pena que se propôs ajudar a encontrar os ovos, acabou por encontrar, embora com sacrifício, causando uma enorme alegria. Daí Jesus disse que sempre nessa altura (momentos antes de ocorrer a Páscoa)ele, coelhinho, ficaria encarregado de distribuir ovos coloridos que levassem alegria como recompensa do sacrifício".Já não me recordo muito bem de toda a lenda (faz muito anos que a li)por isso se houver erros, que fazer? Se o tempo não perdoa e deixa sua marca ;)

Céu disse...

Nuno não sabia que tinha dons advinhatórios, ou então que a sua profissão fosse pescador, advogado ou político ;) quer dizer que no seu comentário apagado, por, engano, tinha a chave do totoloto para a semana que vem e da lotaria da Páscoa? não me recorda disso será efeito do tempo? ;)
Só saberemos quando sair o resultado e apontá-lo como vencedor!;)

Céu disse...

Nuno só hoje fiz a ligação do seu interesse na lenda do coelho, afinal como Coelho que é, precisas estar bem informado ;)
Não consegui encontrar a lenda que descrevi para ver se não cometi algum engano, mas encontrei outras 3 lendas: a mais conhecida vem da Alemanha que conta que uma senhora pobre não tinha como dar presentes aos filhos (uma tradição que existia de na Páscoa dar um presente)pintou uns ovos de galinha e escondeu-os, quando os filhos encontraram os ovos do local saiu um coelho, daí eles pensarem que tivesse sido o coelho que os pôs lá, assim, todos os anos os pais ou padrinhos escondem os ovos da páscoa (passaram a ser de chocolate), para os filhos ou afilhados irem encontrar, dizendo que foi o coelhinho que trouxe.
No Brasil até tem uma música que diz "coelhinho da Páscoa que trazes para mim...1 ovo, 2 ovos...."
Para não ser muito longa vou desmembrar as lendas em 3 comentários.
a 2ª versão virá logo a seguir...

Céu disse...

2ª versão da lenda do coelhinho da Páscoa, transcrevo conforme a encontrei: "O COELHO DA PÁSCOA
Um grupo de animais resolveu comemorar a Páscoa como era feito no tempo de Jesus, uma confraternização para a qual cada um contribuía com o que tivesse produzido durante o ano.
Cada qual levou o que tinha. A vaca levou leite, a galinha, ovos e as abelhas favos de mel.

Havia, porém, um coelhinho que queria muito ir à festa, mas não tinha nada para levar.

Estava andando por uma estrada, tristonho, quando de repente viu a beira da mesma, um ovo.

Não era um ovo comum. Era enorme, colorido e muito pesado. Devia ser de algum pássaro exótico que ele não conhecia.

O coelho não teve dúvida. Pegou o ovo encaminhou-se para s festa. Agora podia participar, pois tinha algo para oferecer.

Aconteceu, porém, que pouco adiante ele viu um garotinho chorando, muito triste.

- Por que está chorando?

-Porque é dia da Páscoa e eu não ganhei nenhum presente.

O coelho, penalizado, desistiu da idéia de ir à festa e ofereceu o seu ovo ao menino.

Mas, quando este o pegou, deixou cair, ele partiu-se e uma quantidade enorme de bombons esparramou-se a sua volta.

O menino deliciou-se e o coelhinho ficou muito contente.

A notícia espalhou-se. Todo mundo comentava a história do coelho que dava ovos cheios de chocolate às crianças e, no ano seguinte, todas queriam ganhar no dia da Páscoa o ovo delicioso trazido pelo Coelhinho.

Os pais ficaram apreensivos. Onde encontrar esse coelho fabuloso com seus ovos de chocolate?

Mas, os fabricantes que não são bobos, lançaram no mercado uma quantidade enorme de ovos de chocolate, de todas as cores, tamanhos e preços e reforçaram a lenda de que o Coelho os levaria às crianças no dia da Páscoa, lenda esta que eles mesmos tinham inventado."


Maith
Publicado no Recanto das Letras em 26/03/2007
Código do texto: T426684

Céu disse...

Mais uma lenda do coelhinho da Páscoa...que para mim, embora longa, traduz o espírito e o significado da Páscoa, por isso transcrevo conforme a encontrei "Era uma vez um coelhinho, que vivia triste pelos cantos de sua casa. Vivia isolado, atemorizado pelos caçadores, sem qualquer estímulo em sua vida. Na verdade, estava cansado de não fazer nada de importância para ninguém. Acordava, comia fugia e dormia. Sem companhia, amigos para dividir seus momentos, nada o alegrava.

Um dia, enquanto dormia, teve um sonho, bem diferente de todos que já tinha tido antes. Ele se encontrava num jardim muito bonito, multicolorido e no céu cor de anil sem nuvens, um arco íris iluminava seu andar. Ao seu redor, haviam muitas pessoas tristonhas como ele, sem sorrisos e sem luz em seus olhares.

Onde ele estava? Que lugar era esse, tão belo? - se perguntava. Porque as crianças não brincavam, não corriam? Porque as pessoas estavam tão quietas? O que as impedia de serem felizes, serem crianças e pessoas normais? Porque o silêncio tão grande?

Eram tantas as perguntas que passavam em seu pensamento, sem nenhuma resposta a ser dada.

De repente à sua frente, surgiu um velhinho bem fofo, cabelos branquinhos, sedosos e com um grande sorriso brilhando em seu rosto.

Ele parou curioso e perguntou pro velhinho quem era ele e o que fazia naquele lugar?

O velhinho sorrindo sempre, lhe respondeu: - Calma coelhinho, venha cá! me acompanhe. E sentando-se numa pedra coberta de musgo, disse ao coelhinho: - Acomode-se, tenho uma história para lhe contar.

Sabe - começando sua história -, quando criei o mundo, os seres humanos e os animais, pensei que eles pudessem viver felizes, amigos, coabitando num mesmo espaço.

Nenhum animal é feroz, desde que não seja importunado ou se sinta ameaçado. Cada qual tem uma razão de existência, servindo para fazer alguma coisa, diferente dos demais.

Só, que como estou bem velho, me esqueci da razão de vida que foi dada para você coelhinho. Por isso trouxe você novamente ao meu mundo, precisamos conversar!

Resolvi mudar sua história e colocar mais colorido em seus momentos, dando mais importância ao seu caminhar. Cansei de te ver triste pelos cantos, fugindo de caçadores para não ser morto, sem nenhum objetivo real em sua vida.

Está vendo todos que aqui se encontram? Quero que você mude seus semblantes, que sua aura volte a brilhar. Quero muito sorriso e amor estampado em cada olhar.

Pois quando criei os homens, as crianças e os animais, pensei que fossem viver num mundo sem egoísmo, dividindo seus espaços.

Só que, nem tudo ocorreu como eu queria. Como tudo que é criado, algo saiu errado em alguns espécimes, e sentimentos ruins surgiram para prejudicar o bom andamento da vida.

Eu queria um mundo bem diferente cercado de muito amor, fé, paz, harmonia, esperança, compreensão, amizade, respeito, sinceridade, solidariedade, liberdade, humildade, perdão, arrependimento e cumplicidade banhados pela alegria.

Mas, surgiram o ódio, o egoísmo, a descrença, o preconceito, a individualidade, a inveja, a cobiça, o desentendimento e o rancor aumentando o desamor entre os seres humanos.

Quando mandei meu único filho certa vez à Terra, pensei que suas palavras pudessem fazer nascer uma luz em todos os corações. No entanto, muitos não acreditaram em sua pureza interior e o criticaram, o agrediram, o traíram e até o crucificaram em nome de todos.

Para provar sua franqueza, sua sabedoria divina, seu verdadeiro valor e significado, ele ressuscitou dos mortos, mostrando ao povo que o renascer é importante e que a fé remove montanhas, bastando para isso acreditar.

Por isso te chamei aqui e estou te contando essa história.

Quero você como o símbolo da ressurreição, do renascimento interior entre os homens. Quero que faça ressurgir o sorriso e a esperança no coração, não só das crianças, mas do ser humano em geral. Quero que apague completamente a sombra da tristeza existente em cada olhar, e que a fé retorne com força a brilhar entre os homens em todo e qualquer lugar.

Você entendeu agora qual é a sua missão?

- Claro!, respondeu o coelhinho, pode deixar comigo que a cumprirei certinho, sem qualquer erro ou desvio.

Saiu o coelhinho saltitante em sua nova missão, feliz por enfim, estar com um novo sentido real em sua vida.

E o nosso coelhinho acordou!...

Lembrando do seu sonho tão real, sentou-se na cama e pôs-se a meditar. Pensou, como poderei fazer isso? Como poderei levar o maior símbolo da fé ao coração dos homens?

De repente teve uma idéia, quem sabe ela daria certo?

Que tal adoçar o coração dos homens através da boca, com algo muito saboroso e de aparência multicolorida, demonstrando a felicidade de um renascimento, de um acreditar novamente uns nos outros?

Existe coisa melhor que o ovo para ser o símbolo da fé? Claro que não, pois é do ovo que nascem todas as aves que diariamente com seus cantos maviosos despertam os homens no seu cotidiano. E com muita força de vontade começou o seu trabalho.

Pegou uma cestinha e começou a catar todos os ovos que encontrava em seu caminho. Foram muitos e muitos ninhos rebuscados e ovos de todos os tamanhos encontrados e guardados dentro da sua cestinha

Chegando em sua casa, pensou novamente, como fazer para eles ficarem doces e multicoloridos? Para isso teria que ser um mágico, já que eles no máximo apresentavam somente variações do branco.

E o milagre aconteceu! O milagre pela sua fé na missão tão importante.

Ao tocar em seus ovos guardados, sua fé era tão grande, que eles rapidamente se transformaram em chocolate e inteiramente cobertos de um papel de seda lindíssimo, nas cores do arco íris.

Batia palmas e pulava de muita felicidade. Agora, pensou, mãos à obra! Vou logo sair pelo mundo bem rápido, distribuindo a fé e o amor através de meus ovinhos entre todos que encontrar.

E saiu, saltitante de alegria, levando sua cestinha colorida, cheinha de amor para dar.

E a cada criança encontrada, cada homem, cada mulher, ele entregava um ovo de chocolate com um sorriso bem grande e um amor imenso em seu olhar.

As pessoas que o recebiam, antes tristonhas, logo mudavam sua fisionomia com a gentileza do gesto, agradecendo ao coelhinho o presente recebido, cheias de muita felicidade.

E por onde passava, por cada caminho percorrido, o coelhinho ia deixando um facho de luz à sua volta, representado pela cristalina aura existente ao redor das pessoas presenteadas, que tinham o seu coração preenchidos pelo renascer da fé e da felicidade.

E ele, continuando a andar, imensamente contente e esperançoso pela nova missão encontrada.

Enfim, ele renasceu outra vez! Era útil a todos os seres humanos, o que sempre havia desejado.

Sua vida passou a ter um novo sentido que lhe foi presenteado por Deus.

E foi assim que o Coelhinho da Páscoa surgiu!

Neli Neto
02.04.04
14:50hs-RJ"

Nuno Coelho disse...

Ah não, Céu! Esta última lenda merece nota -10! Vou ser mauzinho, só para ter tema de conversa, mas aqui vai...
Cristo veio a terra, curou os doentes, deu voz aos mudos, protegeu os indefesos, mais importante de tudo... deu vinho aos aguados... foi apedrejado, corrido e pendurado...
Tudo isto porque tentou fazer o bem e beber umas vinhaças à custa do fontanário local...
Mas então veio o Supercoelho, que roubou os ovinhos de toda a bicharada - foi vc que escreveu (publicou, vá) "o ovo é esperança, pois simboliza a vida de todas as avezinhas... ou coisa do género...", onde é que eu ia? ah! vem o su-per-co-e-lho e pimbas, vai de afanar, desviar, tomar posse, zás-trás-pás e foi-se! e lá vão os ovinhos, a criação, as criancinhas dos piriquitos, dos mochinhos,dos canários, patos, galinhas, eteceteraetal, e pimbas, temos canário de chocolate pra sobremesa! Vai daí e toda a gente fica feliz com os ovinhos e tal...
Cristo veio, padeceu, transformou, curou, levou umas palmadas e foi embora... vem um coelho dar chocolate ao pessoal e fica tudo bem e feliz e tal...
Se eu fosse Deus, acho que transformava tudo o que tem duas pernas em alpista e pronto, fim de dor de cabeça!
Espero que não goste do comentário e refile comigo, pois assim o blog vai crescendo! Só espero arranjar alguns apoiantes pelo caminho, que isto de discordar de si é cansativo!
Abraço
Pra próxima ofereço-lhe um canário de chocolate, deve ser mais facil de encontrar que uma lagosta de borracha.
:)
Abraço
Nuno

Céu disse...

Nuno não sei porque é cansativo discordar de mim....a não ser que meus pontos de vista estejam tão absurdos que discordar se torna tão automático que acaba por ser monótono ou cansativo... Mas vamos lá a tua defesa dos ovos porque do que falou sobre o "Chefe" não vou comentar, não nesse momento e nem nesse tom.
Realmente eu gostei dessa última lenda porque de certo modo até se enquadrava no tema que deu origem a estes comentários todos (um recorde principalmente porque virou um "ping-pong") ou seja "o sentido da vida" é claro no que tange aos ovos não discordo do que disse, muito pelo contrário, na altura em que li, também não me "soou bem", mas encarei como se os ovos encontrados pelo coelhinho tivessem sido abandonados ou rejeitados pelos progenitores, e assim, de um ovo rejeitado, injeitado ou esquecido passou a ser motivo de alegria para as crianças que o recebessem, dando "sentido à vida" do ovo e do próprio coelho.