Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

sábado, 28 de junho de 2008

Horizonte da Mente


O ser humano possuiu uma complexa unidade, a mente, intocável por nossas mãos, cujo o mecanismo do seu funcionamento ainda é um mistério por desvendar, porém comanda todo o organismo: "mens sana in corpóreo sano", por mais que um corpo seja próximo da perfeição (próximo porque a perfeição não existe, sempre que se atinge o patamar que seria a perfeição, logo vislumbramos no horizonte outro patamar de perfeição) anatômica e funcionalmente falando, saudável, se não tiver uma mente igualmente saudável, este organismo acaba por adoecer.
Quando o horizonte da mente está iluminado por raios de sol, onde a amizade e/ou o amor resplandece, tendo como base sólida a confiança que deixa marcada a linguagem única comum existente, onde os sonhos e a fantasia florescem dando lugar a uma mágica sintonia nesse maravilhoso relacionamento estabelecido.
Porém, uma mente que apresente em seu horizonte nuvens negras, atormentada pelas dúvidas, medos, receios, geram desconfiança, acabando por "minar" e abalar um relacionamento, quebrando a sintonia existente, provocando um distanciamento, mas de tal forma ardilosa que acaba por atribuir ao outro a responsabilidade desse afastamento, quando na verdade foi gerada pela própria.
Qual o mecanismo que faz com que de repente a magia de uma sintonia seja abalada?
Será que foi uma dúvida, não esclarecida, surgida por um gesto, por uma palavra que ficou envenenando o espírito e levou à quebra de sintonia, até mesmo o levantamento de uma barreira no relacionamento?
Ou foi uma sensibilidade em captar a quebra dessa sintonia, sem conseguir entender o que a motivou e daí surgirem interrogações e questionamentos sobre a quem imputar a responsabilidade dessa ruptura, gerando a desconfortável sensação de se estar perdido, sem saber como agir, o que dizer o que fazer, como que "pisando em ovos" e com isso vão surgindo barreiras, pois a cada palavra ou gesto pode desencadear reações no outro, impedindo o restabelecimento da mágica sintonia existente outrora no relacionamento.
Tanto num como no outro caso o passo deve ser dado no sentido de esclarecer a dúvida ou se realmente a sensação está correta, porque às vezes temos sensações que achamos corresponder à verdade, porém, quando confrontamos com a realidade, não passam de erros dos "sensores" que "captaram mal a mensagem", por motivos vários, até um simples cansaço físico pode levar a que os nossos"sensores"captem erradamente uma "mensagem" vinda do outro, mas se não formos conferir, acabamos sendo nós próprios o responsável pela quebra da magia ou afastamento, deixando de falar a mesma linguagem única e comum que gerou a sintonia, porém atribuindo ao outro essa responsabilidade, que acaba por não entender o que de concreto aconteceu.

Nenhum comentário: