Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Fantasia: Fuga ou libertação de si mesmo?


A fantasia é a fuga ou a libertação de si mesmo?
A fantasia tanto pode ser uma fuga, quando a realidade a volta é difícil de ser suportada, daí lança-se mão da fantasia para poder escapar a essa realidade, ou pode ser a libertação do nosso eu aprisionado dentro de nós pela realidade circundante, que impede a sua expressão.
A estória da cinderela/gata borralheira, exemplifica essa dualidade, por um lado a fantasia é uma fuga da realidade dela, onde uma abóbora, por magia, transforma-se numa carruagem transportando-a para um mundo completamente diferente da sua realidade. Por outro lado, nessa fantasia, Cinderela liberta o seu eu, uma princesa que pelas circunstâncias da realidade encontra-se aprisionada no interior de uma criada, contudo ao soar as 12 badaladas, Cinderela foge da fantasia para realidade, porém cria um elo entre a fantasia e a realidade, ao perder seu sapatinho de cristal, possibilitando que a fantasia torne-se realidade, quando o príncipe a encontra, por meio dele, sapatinho, mesmo sendo a última das pessoas que imaginaria que fosse a sua bela princesa, com quem se encontrou, dançou e se apaixonou, visto a realidade em que se encontrava, ao mesmo tempo que a realidade transforma-se numa linda fantasia ou sonho de amor que ambos carregavam dentro si.
Contudo nem sempre a fantasia é uma fuga e nem sempre é uma libertação, porque muitas vezes a própria fantasia é uma prisão, onde o nosso eu se mantém alheio á realidade, daí gerando conflitos existenciais e até manifestando um certo desequílibrio mental que pode mesmo conduzir a um distúrbio mental.
Segundo relatos ..."O mundo interno é composto de fantasias inconscientes... O que determina o caráter da psicologia do indivíduo é a natureza dessas fantasias inconscientes e o modo como se relacionam com a realidade ...Para Klein, a fantasia inconsciente é a expressão mental dos instintos, estes buscam objetos e existe desde o começo da vida ...A formação da fantasia é uma função do ego...Existe desde o nascimento um ego capaz de formar relações de objeto primitivas(na fantasia e na realidade) · A experiência do nascimento leva a criança a lidar com uma realidade gratificante e frustrante, provocando uma influência mútua entre fantasia e realidade ... Além de expressão mental dos instintos, as fantasias tem uma importante função defensiva ...A gratificação derivada da fantasia é uma defesa contra uma realidade externa de privação ...O mecanismo de defesa é o processo usado pelo ego, enquanto a fantasia inconsciente é a representação mental pormenorizada ...Mecanismos de introjeção e projeção contribuem para a formação do ego e de objetos internos com os quais o próprio ego se relaciona(superego)".

Nenhum comentário: