Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Amizade...um raio de sol que desponta no Horizonte

A amizade é um raio de sol que desponta no horizonte da vida, muitas vezes no exato momento em que o céu está carregado de nuvens negras, em que a chama da esperança no amanhã está apagada.
Muitas vezes o amigo chega sem avisar, de surpresa, no exato momento em que estamos precisando, como se tivéssemos enviado um " pedido de S.O.S"e ele tivesse ouvido e vem em nosso socorro.
Quantas vezes estamos "em baixo de forma" e quando o amigo chega nosso "astral" se modifica, elevando-se, mesmo que ele não faça nada nesse sentido, apenas com a sua presença, a sua companhia, a energia gostosa que transmite seja fisicamente, pessoalmente ou pelo som da voz no telefone ou à distância, seja através de um mail, de um "papo on line", de um "torpedo" no telemóvel, ou ainda através de um pensamento isolado, mútuo, em simultâneo, este quando existe uma mágica sintonia.
Quantas vezes as lágrimas escorrem pelo rosto, surge a lembrança do amigo, de repente tem-se a sensação de que elas são enxugadas por uma mão invisível. O mais fantástico disso tudo é que muitas vezes se pudéssemos conferir, comprovaríamos que nesse exato momento o amigo de alguma forma estava pensando em nós e por isso faz-se presente.
Incrível! porém não causa nenhuma surpresa, porque se um amigo é um anjo na terra enviado por Deus, ele tem o poder de se "tele transportar", mesmo que conscientemente não se aperceba disso.
Contudo, há uma fase na vida do Homem propícia ao desenvolvimento e construção da amizade a partir de bases sólidas, que é na transição da infância para a adolescência e na própria adolescência. Os amigos que se conquistam ou são descobertos nessa fase são aqueles que nos acompanham pela vida fora, que ficam guardados para sempre num cantinho do coração, mesmo que estejam separados por contingências da vida, porém quando se reencontram, não importando se passou um dia, um mês ou trinta anos, ou que rumo tomaram na vida, uma onda de felicidade os envolvem, como se o tempo tivesse parado e regressado a época em que a amizade estava em todo o seu apogeu. Essa fase propicia a criação de laços de amizade duradoura porque é uma fase em que olha-se para a vida de "peito aberto", "desarmado", com lirismo, a cabeça cheia de sonhos e ideais, embora seja uma fase conturbada, cheia de dúvidas, de incertezas porque é uma fase de grandes mudanças quer a nível do corpo, das responsabilidades e preocupações com o futuro, onde se escolhe a profissão que desenhará o futuro, para além de ser uma fase de contestação e rebeldia, muitas das vezes sem causa. Tudo isso propicia a uma aproximação maior, uma vez que todos estão passando pelas mesmas dúvidas, incertezas, por problemas semelhantes como por exemplo o conflito de gerações entre os pais e os filhos, acaba por haver uma solidariedade, uma união entre os jovens, dessa aproximação é que surgem as afinidades e daí a consolidação das amizades puras desprovidas de interesses, há confiança, partilha de segredos, troca de idéias, construção de ideais. Há uma "visão cor de rosa" da realidade, pautada num otimismo, para além de um vigor, vitalidade e descontração própria da juventude, fruto de quem ainda não adquiriu o "calo (conhecimento e experiência) da vida", isso faz lembrar a sabedoria que encerra o ditado que meu pai costumava dizer: "se o velho pudesse e o novo soubesse não haveria nada que não se fizesse", isto é o velho sabe mas não tem vigor,não pode, o novo tem vigor, mas não sabe é inexperiente.
A medida que se avança na vida, as chances de se criar laços verdadeiros de amizade vão ficando reduzidas, porque passa a haver jogos de interesse, o "servir-se" do amigo para atingir um fim como uma promoção, um emprego, o "levar vantagem", há um egoísmo e um egocentrismo levando sempre a fazer tudo em prol de si mesmo. Não se criam bases sólidas pautadas na confiança, porque quem nos trai ou nos derruba, não são os os nossos inimigos e sim os nossos ditos amigos.
Na fase adulta aqueles que são "nossos amigos", nada mais são do que colegas mais diferenciados em que mantemos um contato social, uma convivência mais próxima, porém distanciada do eu de cada um. Totalmente o oposto do amigo que se conquistou na fase da pré adolescência e adolescência, onde o eu de cada um está muito próximo, muito íntimo, numa total confiança.
Por isso que o ser humano está cada vez mais desconfiado e isolado dentro de si mesmo, em solidão no meio da multidão.
ahhh! Como é gostoso e relaxante poder estar com os amigos e poder entregar-se ao sabor das emoções revivendo os momentos passados juntos, compartilhando os momentos presentes, de forma despreocupada, desprovida de qualquer interesse a não ser o bem estar do outro.
Um brinde a todos os amigos verdadeiros, com "A", autênticos anjos na terra!
Um brinde especialmente para você, um raio de sol que despontou no meu horizonte.

Nenhum comentário: