Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Luz ou trevas ?


Luz ou trevas é apenas uma questão de virar o "interruptor" neste ou naquele sentido. Esse "interruptor" existe dentro de cada um, porém nem todos se apercebem da sua existência ou mesmo da sua localização, já que é indeterminada. Os "sensores internos" sabem aonde fica localizado, porém aguardam sempre uma ordem para girá-lo, essa ordem parte de nós mesmos de forma consciente, de acordo com o momento que atravessamos: Se vivemos o amor, a amizade, momentos de satisfação ou prazer o interruptor fica ligado no sentido da luz, mas se vivemos momento de solidão, depressão, sofrimento, preocupação, culpas ou dor, acabamos por ligar o interruptor no sentido das trevas.
Curiosamente a amizade ou o amor atingem o interruptor mas no sentido da luz, daí ser como um raio de sol que penetra na vida da pessoa tornando-a radiante e permanentemente num dia ensolarado, mesmo que o relógio diga que já anoiteceu, externamente, sim ... mas internamente o sol continua brilhando ou o céu está estrelado, cintilante com milhares de luzinhas iluminando o breu do horizonte. Contudo isso acontece enquanto a sintonia mantiver-se com a presença física ou quando distante fisicamente, conservando-a no espírito.
Existem pessoas que têm um brilho próprio, uma energia positiva tão maravilhosa que é o suficiente para iluminar a vida de uma pessoa, afastar as trevas, ligando automaticamente o interruptor desta no sentido da luz, mesmo que fisicamente estejam distantes, chegando por vezes a deixar essa pessoa "viciada" e mau acostumada, de tal forma que na ausência daquelas por um período, mesmo que curto, o interruptor é automaticamente acionado no sentido das trevas, porém, basta uma lembrança ou então "ver" ou "sentir" nem que seja a sombra delas para automaticamente o interruptor virar-se para a luz novamente.
Um brinde a essas pessoas, magníficas, que conseguem acionar o interruptor da luz, sendo raios de sol no horizonte de outras pessoas que não possuem brilho próprio ou aprisionaram-no pelos acontecimentos menos bons da vida que foram acumulando ao longo da jornada.

Nenhum comentário: