Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

domingo, 21 de setembro de 2008

Amizade...Energia renovadora!

A amizade é uma fonte renovadora de energia.

Tudo na natureza é energia, emite ou transforma-se em energia.Alguns pesquisadores afirmam que o espaço sideral, incluindo a Terra, surgiu por uma explosão do sol, daí alguns dizerem que "somos filhos do sol"

Talvez este seja o fundamento de algumas terapias holísticas que manuseiam a energia, nomeadamente o Reiki (Rei= Energia Cósmica+Ki=Energia Vital), resumidamente, é uma técnica oriental que visa reequilibrar a energia vital, quando esta está alterada. pois, segundo alguns acreditam, a doença é um desequilíbrio energético de algum órgão, logo promovendo o reequilíbrio energético haverá o restabelecimento da saúde.

Uma outra técnica, que corrobora a técnica anterior, é a radiestesia, que acredita que tudo na natureza gera campo energético..."Este campo energético emitido por tudo possui graus diferentes, a energia emitida pela água por exemplo é diferente da energia emitida pelo chumbo, e ainda seguindo este raciocínio podemos dizer que um órgão são possui uma emissão energética diferente do mesmo órgão enfermo. Querendo ou não o homem está constantemente cercado de energias eletromagnéticas, planetárias, telúricas etc..., sejam estas derivadas de instalações elétricas, satélites, micro ondas, redes de alta tensão entre outras fontes. O problema é que não conseguimos perceber seus efeitos ou a sua presença, até que estas venham a nos prejudicar."(Wikipédia). Um dos instrumentos, muito conhecido, empregue nesta técnica é o pêndulo. Ele consegue captar onde há desequílibrio energético, daí ser empregue, por exemplo, como meio de diagnosticar um órgão afetado, pelos terapeutas holísticos.

O "meu amigo" mar é um poderoso captador e emissor de energia, um autêntico e natural "recarregador energético", ele capta a energia negativa e a converte em positiva. As pessoas que possuem desequilíbrio energético em termos de saúde mental, nomeadamente depressão ou ansiedade e stress acentuados, deveriam estar mais em sintonia com o mar e interagir com ele, principalmente os com stress, como as crianças: "pegar onda" (jogar-se na frente da onda e deixar que ela empurre até a areia) ou "brincar de pique" (correr na frente da onda, antes dela se desmanchar na areia, como se estivesse fugindo para não se molhar), de preferência com a praia deserta ou com poucas pessoas, isto transmite liberdade que gera uma sensação de bem estar.

Um amigo, principalmente se transmitir uma energia maravilhosa, também é um "recarregador energético", quando sentimos "baixa de energia" basta que a lembrança desse amigo surja em nossa mente, para que a nossa energia aumente, porém se "rolar um bate-papo", então a energia se transforma totalmente numa energia positiva, numa sensação maravilhosa de bem estar.

4 comentários:

Pedro disse...

Olá Céu! Bem disposta!

Antes de mais, devo dar-lhe os PARABÉNS pelos assuntos que tem vindo a “publicar” neste seu blog. Para além dos textos em si, notei que ouve uma evolução da utilização das palavras com um léxico cuidado, bem aplicado e convidativo à leitura. Portanto, mais uma razão para eu não deixar passar mais de 48 horas sem visitar esta sua página.
Quanto a este seu artigo, vou fazer alguns comentários:
1. De facto o cosmos processou-se, segundo alguns cientistas, devido a uma explosão. Contudo, segundo estou informado, essa explosão ocorreu do contacto entre 4 partículas sub-atómicas (duas partícula de matéria e outras duas de anti-matéria), gerando forças de expansão do chamado espaço sideral, criando nos primeiros milionésimos do segundo, os primeiros (e passo a expressão) “calhãos”/ planetas e órbitas. Curiosamente, está a decorrer desde o princípio deste mês a designada experiência do século que é a tentativa de recriar o Big Bang no CERN (Conseil Européen pour la Recherche Nucléaire).
2. Aproveitando a oportunidade que falo no CERN, refiro que é também nesta experiência megalómana que se tenta provar (ou não), a teoria de um senhor chamado Higgs, ou teoria da Partícula de Deus, onde se tenta descobrir no universo mais reservado que é o das partículas sub-atómicas, onde é que termina o domínio da energia e campos electromagnéticos e começa a parte sólida do universo. Ou seja, que teoria /partícula será (eventualmente) a existir, que confira parte física e tangível ao mundo, ainda que a uma escala muito mais inferior do que a nanoscópica. Ou seja, e tomando o exemplo da Céu, existirá mesmo essa partícula que dá formação ao H2O da água de forma a que esta emita energia?
Sabe-se que o mar é muitas vezes tido como “conselheiro” íntimo para quem o consiga “ouvir”. Sabe-se que o oxigénio que inalamos junto dele, é terapia para a calma, o relaxamento e equilíbrio interior. É nesta nossa “dimensão” interna de equilíbrio, que analisamos também os nossos sentimentos. E aqui recoloco uma velha questão. Se os sentimentos (afeições, simpatia, mal-estar, enfermidades, etc) advém (de certa forma) dos nossos órgão mor (cérebro e coração), e considerando a analogia de que os sentimentos são energias (electromagnéticas????) orbitadas daqueles, poderão os sentimentos um dia (num futuro longínquo) assumir dimenssões sub-atómicas? (para todos os efeitos, sou defensor do contra a dimensão física dos sentimentos, visto que uma das consequências a advir seria a destruição do mundo).

(Peço desculpa, por os meus comentários, fugirem um pouco ao fulcro temático do seu texto).

Beijinhos!

Pedro

Céu disse...

Obrigada Pedro pelo seu comentário, como sempre muito enriquece.
Obrigada pelos seus parabéns,e por saber que gosta de visitar este cantinho de reflexão, a troca de opinião é muito gratificante e faz com que nos desenvolvemos e muitas vezes esclarecemos algumas dúvidas.
Parece que o tema "energia", "cosmos" é do seu agrado.
Sua explanação parece ser bem fundamentada. Quando referi explosão do sol como originadora do espaço sideral, apenas centrei nesse fragmento postulado por pensadores que seguem uma corrente, supostamente diferente, mas que faz parte de um conjunto, apenas interpretado de forma diferente, porque tenho sol e o mar como "meus amigos confidentes, orientadores e "recarregadores de energia, diante deles acabo por ter um encontro comigo mesma, daí tudo que se relaciona com eles é logo ressaltado e o resto acaba sendo secundário ou deixado de lado :)
Por acaso quando escrevi não tinha presente essa mega experiência que está a decorrer e que foi divulgada recentemente na comunicação social, mas já que falou nela, aproveito para colocar uma breve reflexão: Se só agora estão fazendo a experiência para descobrir a origem do espaço sideral, incluindo a Terra, então todos os postulados a cerca do "big bang" que você e eu fizemos alusão, suspostamente como conhecimento científico, não passa de empirismo ou especulação de alguns pensadores, ou então de alguns visionários, o que acha?
Esse seu questionamento a cerca da partícula que faz com que a água emita energia é interessante, contudo não há dúvidas de que a água emite energia, pelo menos elétrica, porém isso não é suficiente para responder à sua questão e o meu conhecimento de física das partículas é muito reduzido, quem sabe os nossos amigos engenheiros não nos poderia esclarecer?
Sei por experiência pessoal que o mar é um "conselheiro" íntimo e tudo que você menciona já diversas vezes tive oportunidade de experimentar esse equílibrio e relaxamento obtido junto ao mar, que leva a uma profunda análise dos nossos sentimentos, contudo não tenho como responder a este seu questionamento dos sentimentos no futuro assumirem dimensões sub-atômicas, mas penso que é uma pergunta difícil de responder porque é olhar para o sentimento com o pensamento lógico e racional e os sentimentos não podem ser explicados por esse enfoque e sim pela emoção e a emoção "tem razões que a própria razão desconhece". Também supostamente o mundo, como o conhecemos, poderá ser destruído, concordo com você e acrescento: Quando os sentimentos nobres do ser humano (amor, amizade, lealdade, fidelidade, altruísmo, confiança,compaixão, etc)deixaren de existir, o mundo também deixará de existir.
Mais uma vez obrigada por seu comentário que abriu espaço para novos questionamentos.Não se preocupe em estar dentro do contexto, que por acaso até estava, o importante é que você deixe fluir seus pensamentos,o que vai no seu interior, para que dessa troca haja um crescimento pessoal seu e de quem os ler.
Um abraço

Pedro disse...

Olá Céu!

Respondendo à sua proposta de reflexão sobre os postulados de conhecimento acerca da formação do universo: de facto, talvez o mega projecto que o LHC (do inglês, Large Hadron Colider), também conhecido como acelerador de partículas, poderá vir a responder a uma série de questões à ciência das partículas sub-atómicas. Antes demais, deve-se ter presente que este projecto levou cerca de 15 anos a ser concebido. Quanto às eventuais respostas que nos permitir, poderão confirmar o dito empirismo em que se conjecturou e equacionou muitas das teses dos senhores da ciência como é o caso de Albert Einstein, Peter Higgs, Stenphen Hawking, entre outros, até o nosso conterrâneo João Maqueijo, radicado em Inglaterra.
Até agora, não é que só se tivesse abordado o assunto por “ses” e hipóteses. Os cientistas tem tentado procurar respostas nas estrelas “esticando” a visão através de potentíssimos telescópios, sondas, satélites, e toda a espécie de “espiões” electrónicos com o objectivo de perceber e conhecer o “berço” estranho que alberga o nosso estimado planeta azul bem como a nossa galáxia e sistemas afins.
O que acontece ao proceder-se com o projecto desta envergadura, como é o caso do Colidor de Partículas (no C.E.R.N.), é tentar solucionar possíveis respostas (comprovando e/ou refutando empirismos, teorias e teses, até agora, apenas defendidas com a precisão da matemática) recorrendo à recriação da formação do universo só que, em laboratório.
Uma vez que sou um mero curioso da temática, não me poderei alongar mais.
Aguardo um novo artigo no seu blog!

Beijinhos!

Pedro

Céu disse...

Obrigada Pedro, mais uma vez, por seu comentário e pela transmissão de conhecimento que dele se extrai, tornando interessante essa troca de conhecimento e de opinião.
Deixo a sugestão para que você comente alguns dos "post" anteriores, enquanto não surge um novo "post" ;)
Um abraço