Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Sentimento...Um estado de espírito




Os sentimentos. segundo a Wikipédia, de forma genérica, são informações que seres biológicos são capazes de sentir nas situações que vivenciam. Por exemplo, medo é uma informação de que há risco, ameaça ou perigo direto para o próprio ser ou para interesses correlatos.
Contudo, talvez possam ser um estado de espírito, pois assim justificaria a alternância que existe no sentir de acordo com o momento:
No momento ama-se alguém, noutro momento deixa-se de amar esse alguém
Num momento sentímo-nos livre, noutro acorrentados.
Num momento somos companheiros, noutro não ligamos
Num momento somos atenciosos, noutro somos desatento
Num dado momento temos compaixão por aquele que sofre, noutros somos indiferentes a dor e sofrimento do outro.
Num momento estamos num estado de êxtase, nos sentindo plenos, noutro sentímo-nos vazio
Num momento estamos alegres, noutro triste e cabisbaixo
Num dado momento estamos sorrindo para logo a segui chorarmos
Num momento sentimos que temos tudo, noutro momento nos sentimos desprovido de tudo
Num momento somos compreensivos, tolerantes e pacientes, noutro somos críticos, intolerantes, incompreensivos e impacientes.
Num momento sentimos medo, noutro somos destemido
Num dado momento sentímo-nos belo, noutro feio
Num momento sentímo-nos impotentes para resolver a situação, noutro sentimos o "salvador da pátria"
Num momento estamos próximos noutro nos distanciamos
Num momento somos equilibrados, noutro perdemos a "estribeira" o auto domínio
Num momento somos protetores, noutro somos indefesos
Num momento sentimos um forte impulso sexual ou atração física, noutro nada sentimos
Num momento estamos eufóricos para no momento seguinte estarmos deprimidos
Num momento sentímo-nos rodeados pelos amigos, noutro sentimos solidão
Num dado momento sentimos uma sintonia mágica, noutro deixamos de sentir
O ser humano é um eterno inconstante, insatisfeito e insaciável, uns em termos do conhecimento técnico científico, outros em termos do amor, uns em termos de religião, alguns em relação ao sexo, uns poucos em termos esotéricos, outros ainda em relação a si mesmo, daí a alternância alternâncias no sentir.

2 comentários:

Pedro disse...

Olá Céu!

Ao ler este artigo, surgiu-me dúvida (por muita básica e/ou primitiva que seja) a mim mesmo: ao tentarmos descrever um sentimento por palavras, ou descreve-lo como uma “onda” de energia que percorre o nosso corpo momentaneamente (ou permanentemente), ou até mesmo ao comunica-lo a alguém, não estaremos a racionaliza o sentimento?
Ou, por outro lado, será que ao aplicar o verbo «racionalizar» estarei a ser exagerado, visto que ao descrever o sentimento, estarei a “interpretá-lo” correctamente, o que não é considerado “racionaliza-lo”? (Ficou um pouco confuso esta minha dúvida, não foi?).

Beijinhos.

Pedro

Céu disse...

Obrigada Pedro por seu comentário.
Você formulou uma boa pergunta. Penso que você descrever o seu estado de espírito, não implica que esteja racionalizando o seu sentir...é como se você fosse um narrador de uma estória, apenas detendo-se nos factos sem interpretá-los, diferente se você fosse interpretar a estória. Por exemplo, se você diz a alguém, "eu gosto de você", você está descrevendo o seu sentir, porém se você diz "eu gosto de você porque você é..." você está interpretando e racionalizando o seu sentir.Neste caso eu coloco uma frase de um amigo querido "gosto de você e pronto" esta frase demonstra ou descreve o estado de espírito do momento, sem que esteja racionalizando.
Espero ter contribuído para a resposta ao seu questioamento.
Um abraço