Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Adeus 2008!


Aproxima-se o final de 2008, um ano que teve alguns momentos difíceis, muitas lágrimas, algumas catástrofes naturais como ciclones, furacões, tufões, enchentes que devastaram cidades, como Santa Catarina, crise econômico-financeira mundial, onde houve muitas indústrias que fecharam as portas colocando no desemprego milhares de pessoas. Alguns crimes hediondos como o de atirar pela janela uma criança de 6 anos; Alguns erros policiais como aquele ocorrido na tentativa de dispersão dos adeptos de um time de futebol, onde o policial deu uma coronhada num dos líderes, e a arma que estava destravada atingiu a cabeça do adepto. Novamente a estupidez dos homens reveladas através das diversas guerras, a mais recente (que é antiga) entre Israel e a Palestina.

Particularmente foi um ano com saúde, repleto de emoções:

*Reencontro fantástico, através da Internet, do amigo maravilhoso da infância/adolescência, que havia ficado no passado, durante muitos anos, sem nenhum contacto, mas que tanto procurou e que conseguiu resgatar uma amizade de longa data;
*Encontro do "príncipe encantado", com que todas as mulheres sonham encontrar, que possibilitou viver um autêntico conto de fadas, com direito à vários "voos" até ao paraíso e durante algum tempo flutuar ao invés de andar, ao viver o amor em toda a sua plenitude, numa entrega total, onde por momentos as duas almas gêmeas se uniram e se complementaram harmoniosamente, numa sintonia perfeita;
*Vários torneios de volley, onde num deles, torneio de duplas de voleibol de praia, a dupla foi campeã pela segunda vez.
* Edição de um livro que foi escrito em 2007, com um tema pouco interessante e sem valor literário, apenas uma homenagem póstuma a um ente muito querido que teve seu crepúsculo de vida nesse ano.
* Redação de um outro livro, apenas reflexões, uma homenagem ao amigo querido que havia ficado no passado, mas que Deus permitiu o reencontro este ano, que leu as reflexões e sugeriu que escrevesse o livro.
O momento é propício para erguer a taça de champagne e fazer 3 brindes:
=> A você querido amigo, que você seja feliz sempre! que essa energia maravilhosa que transmite nunca se acabe e atraia para a sua vida tudo de bom que existe no Universo.
=> A você meu príncipe, que a felicidade te acompanhe em todos os caminhos da vida até a eternidade! Que o Universo te recompense por toda emoção que você despertou e desencadeou
=>Para o ano que se vai embora e o ano que está chegando: Adeus 2008, obrigada! bem vindo 2009, que traga para todos: Paz, Saúde, Amor e prosperidade.




segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Universitário um ser humano diferenciado?



O "canudo"obtido após cursar uma faculdade nem sempre confere um "status" de pessoa diferenciada. Durante os anos na faculdade, o recém-saído da adolescência, agora universitário, passa a pertencer a um dos grandes grupos:


* "Marrões" que só visam a nota, sem se preocupar em aprender, apenas em "decorar" para os exames, são brilhantes enquanto alunos (em termos de nota), mas nem sempre o são enquanto profissional;

* "Ratinhos de biblioteca" ou "ratinhos de laboratório" que se preocupam em aprender, obter conhecimento, em detrimento da nota que possam tirar nos exames, são os tidos pouco brilhantes (em termos de nota) enquanto alunos, mas que muitas vezes são brilhantes profissionais;
* "Medíocres" que têm pouca expressão enquanto alunos por não terem maior capacidade e/ou por terem que trabalhar e estudar ao mesmo tempo e, consequentemente, serão profissionais igualmente medíocres;
* "Farristas"enquanto alunos são pouco brilhantes e como profissionais muitas vezes também o são ou nem chegam a ser profissionais por não concluírem o curso ou porque enveredam por maus caminhos que não têm retorno.
Em relação a este 4º grupo, recentemente surgiu uma reportagem sobre a morte de uma universitária de 20 anos, da faculdade de direito, em São Paulo, que ocorreu a bordo de um cruzeiro de universitários, neste cruzeiro "rola" excesso de consumo de álcool, consumo de droga e excessos em relação a sexo, como na reportagem dizia "não há limites". Uma notícia chocante! Mas muito reveladora do comportamento da juventude nos tempos que correm e que nos leva a questionar:
*Que profissionais serão, no futuro, os jovens que apresentam esse tipo de comportamento sem limites morais, se auto destruindo pelo consumo abusivo do álcool, das drogas?
* Que tipo de famílias irão constituir?
* Que formação darão aos seus filhos?
* Para onde caminha a Humanidade? Seguirá o mesmo caminho que outras civilizações tomaram, ou seja, rumo a sua destruição ou extinção?
Esta visão é preocupante...porque mostra um futuro tenebroso, envolvido pelas trevas, caso a juventude não modifique esse comportamento amoral, ou mesmo imoral, fruto da ausência de princípios ou valores humanos: morais, éticos e religiosos.

sábado, 27 de dezembro de 2008

Coincidência ou Providência?



Na vida há situações que a razão ou a lógica nos dizem "é pura coincidência ou mero acaso", mas será? essa pergunta vem a propósito de uma lembrança de um facto ocorrido há muitos anos atrás, a cerca de um recanto que era o "muro das lamentações", onde na transição da infância para a adolescência, quando as coisas não corriam bem era lá que as lágrimas rolavam solta, sem que ninguém visse... mas porque especificamente lá? é a pergunta que surge. Na altura não saberia dizer, talvez respondesse que "foi ocasionalmente, foi lá como poderia ter sido em outro lugar". Hoje a resposta seria bem diferente, foi lá porque o coração sabia que lá existia uma força muito grande, uma energia mágica, acolhedora que transmitia alento, carinho e conforto, porque emanava de um ser maravilhoso que por lá andava.

Incrível como as cenas ficam gravadas na nossa memória e passados muitos anos surgem de repente, do nada, na nossa mente e vemos que foi importante e marcante, embora na altura não tenhamos nos apercebido disso ou dos detalhes, mas que no presente são reveladoras e confirmam que na vida nada acontece por acaso ou por coincidência, tudo tem o seu porquê, a sua razão de existir, são Providências Divinas, acontecem na hora que têm que acontecer, no local certo de acontecer, sem que muitas das vezes tenhamos essa percepção e que talvez nunca venhamos a ter, como no exemplificado anteriormente.

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Natal é a manifestação do Amor



A vida é cheia de contrastes e contradições, demora-se muito tempo para se preparar algo, mas pouco tempo desfrutamos do que preparamos.
Vivemos como se a vida fosse longa, desperdiçamos o tempo, quando na realidade ela é breve, efémera.

Levamos muitos minutos para confeccionarmos uma refeição, porém em poucos minutos a ingerimos.


Passamos dias a preparar o Natal, entre comprar prendas, montar a árvore de natal, o presépio, preparar os pratos de comida e doces, para a família se reunir, mandamos mensagens para os amigos ou para quem gostamos, num clima de festa, embora muitas vezes dentro de nós não exista esse clima, fazemos tudo quase que rotineiramente ou como se ligássemos o "piloto automático". Nos dias que se seguem a família retorna para a sua rotina, por vezes longe, a magia outrora existente dá lugar ao lixo mais volumoso pelos papéis e caixas dos presentes trocados, os restos dos bolos, doces e pratos de comida que causam fastio só de olhar.


Natal é o renascer de nós mesmos e do amor e por isso manifestamos esse amor através dos presentes que damos, nas mensagens que enviamos, nos preparativos para receber quem gostamos.

Esse deveria ser o espírito do Natal, contudo, o que se observa, muitas vezes, não é a manifestação do amor, e sim manifestação do consumismo, materialismo e ostentação de riqueza que muitos apresentam ou aparentam, mas que no fundo encobrem a falsidade e hipocrisia existente, ou a intenção de humilhar, além da manifestação da estupidez do Homem reveladas pelas notícias de guerras, atentados terroristas, matando inocentes, entre eles crianças (justamente na região onde nasceu o menino Deus, colocado numa manjedoura, entre seus pais terrenos, aquecido pelo bafo da vaquinha e onde surgiu a Estrela do Oriente, guiando pastores e os Reis magos, figuras máximas do Natal, que são reproduzidas mundialmente através da construção do presépio, os mais variados) atitudes e manifestações que são contrárias ao amor, este sim é o verdadeiro e único significado do Natal.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Despedida...um pedacinho de nós que se vai...



Toda a despedida é um momento de fortes emoções...um pedacinho de nós que alguém leva consigo e deixa em nós um pedacinho seu, para que possamos recordar quando as saudades apertarem

Na despedida geralmente choramos por dentro, mas tentamos não demonstrar para que o outro não fique triste, porém, por vezes, não conseguimos e "desabamos" demonstramos toda a nossa tristeza, através das lágrimas incontidas, que rolam livremente pelo nosso rosto, traduzindo um misto emoções:


Um mudo pedido para que o outro não se vá embora da nossa vida;

Uma revelação da importância do outro para nós;

Uma manifestação do nosso carinho e da nossa saudade antecipada;

Uma angústia de sentir que poderá não haver retorno;

Uma esperança de que o sentimento que nos une seja forte, como na valsa da despedida:


Valsa da despedida -João de Barro e Composição: Robert burns (retirado do vagalume)


Adeus amor
Eu vou partir
Ouço ao longe um clarim
Mas onde eu for irei sentir
Os teus passos junto a mim
Estando em luta
Estando a sós
Ouvirei a tua voz.
A noite brilha em teu olhar
A certeza me deu
De que ninguém pode afastar
O meu coração
Do seu.
Então na terra
Onde for
Viverá o nosso amor.



Na despedida uma oração muda surge em nossa mente:



"Que a estrada se abra à sua frente,


Que o vento sopre levemente às suas costas,


Que o sol brilhe morno e suave em sua face,


Que a chuva caia de mansinho em seus campos.


E até que nos encontremos de novo,


que Deus lhe guarde na palma de suas mãos."

Oração Irlandesa (http://caucatarina.multiply.com/journal/item/115/115)

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Pinheiro iluminado....A magia do Natal chegou!


Natal ! Época onde toda a magia do amor resplandece e o maior dos milagres acontece: Renovação da vida! Surge uma nova vida, com o nascimento, mas também surge uma vida nova naquela já existente, através da transformação interior.

Para além das mudanças internas, o Natal é cercado de várias mudanças externas, através da decoração com luzes, fitas coloridas, presentes e dois símbolos major universal: O pinheiro e o presépio (este na tradição do cristianismo/catolicismo).

Algumas famílias passam dificuldades, estão cheias de problemas os mais variados: carências financeiras, afetivas e de saúde, muitos até fome passam, porém nessa noite mágica, tudo isso parece deixar de existir, pelo sorriso e alegria contagiante das crianças, que ainda não se apercebem das dificuldades que muitas das vezes as cercam, ou quando miram o pinheiro iluminado, colorido, que parece ter um magnetismo que atrai e momentaneamente, assim como o menino Deus deitado numa manjedoura, cujo os lençol é um monte de palha, algo se modifica dentro de nós, os problemas parecem não existir, surge a chama da esperança no amanhã.

A origem do pinheiro/árvore do Natal vem de muitos séculos atrás. "Os relatos mais antigos que se conhecem acerca da Árvore de Natal datam de meados do século XVII, e são provenientes da Alsácia, encantadora província francesa.
Descrições de florescimentos de árvores no dia do nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo levaram os cristãos da antiga Europa a ornamentar suas casas com pinheiros no dia do Natal, única árvore que nas imensidões da neve permanece verde.
A “Árvore de Natal” é um símbolo natalino que representa agradecimento pela vinda de nosso Senhor Jesus Cristo".
(http://www.lepanto.com.br/ArvoreNat.html )

Alguns anos atrás, circulou na Internet a seguinte Árvore de Natal diferente (autor desconhecido), uma espécie de hino de amor/amizade e gratidão, que toca o coração; contribui para a reflexão e quem sabe até promova o surgimento de uma vida nova dentro de nós, ao recordar a bênção que recebemos por termos amigos que tanto nos deram, nos ajudaram na nossa caminhada, nos fizeram felizes e que nós, muitas vezes pouco ou nada demos em troca.




Que
será,
Senhor,
neste Natal
armar uma ár-
vore dentro do
meu coração e nela
pendurar, em vez de
presentes, os nomes de
todos os meus amigos. Os
amigos de longe e de perto. Os
antigos e os mais recentes. Os que
vejo todo dia e os que raramente encon-
tro. Os sempre lembrados e os que, às vezes,
ficam esquecidos. Os constantes e os intermi-
tentes. Os das horas difíceis e os das horas alegres.
Os que, sem querer, eu magoei ou, sem querer, me ma-
goaram. Aqueles a quem conheço profundamente e aqueles
de quem não me são conhecidos a não ser as aparências.
Os que pouco me devem e aqueles a quem muito devo. Meus
amigos humildes e meus amigos importantes. Os nomes de todos os
que já passaram pela minha
vida. Uma árvore de raízes
muito profundas, e de ramos
muito extensos, e para que
seus nomes, nunca sejam,
arrancados do meu coração.
Para que novos nomes, vindos de todas as partes,
venham juntar-se aos existentes. De sombra muito
agradável para que nossa amizade seja um mo-
mento de repouso nas lutas da vida. “Que os mo-
mentos alegres de Natal ilumine todos os dias do
ANO que se inicia”. São os meus sinceros votos!!!!


Obrigada meu amigo! Seu brilho tornou a minha árvore iluminada!

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Amar e ser amado...felicidade plena!



A presença do amor na nossa vida faz com que tenhamos uma energia positiva, uma motivação para sonhar, criar, realizar projetos; dá vida à vida; Nos torna serenos, compreensivos, tolerantes, pacientes, harmoniosos e em equilíbrio dinâmico. O que gera felicidade dentro de nós. Quando amamos e somos correspondidos atingimos a felicidade plena, nosso olhar irradia uma luminosidade de tal ordem que parecem 2 brilhantes; estamos envoltos numa energia positiva, que funciona como imã atraindo mais dessa energia, os problemas parecem apenas contratempos, pequenas contrariedades ou pedrinhas no caminho que não possuem dimensões suficientemente grandes que nos façam desviar a nossa trajetória. Sentimos que fomos abençoados, estamos em equilíbrio connosco, com a natureza e com o Universo e com uma sensação de gratidão, que nos faz :


* Tentar fazer de tudo que possa deixar o outro feliz;


* Aliviar seu stress;


* Tirar as ruguinhas de preocupação que surgirem em seu rosto;


* Tirar todas as pedrinhas que existirem em seu caminho, para impedir que tropece ou tenha que desviar a sua trajetória na vida;


* Querer "carregá-lo no colo" e acarinhá-lo;


* Tentar protegê-lo de tudo que possa feri-lo ou magoá-lo.


Contudo apesar das boas intenções das nossas ações, corremos o risco, caso nos anulemos ou vivermos em função do outro, de o sufocar, de nos tornarmos uma pessoa entediante e aborrecida, que cause no outro a sensação de invasão da privacidade e de liberdade restringida ou condicional que culmine no seu afastamento consciente ou inconsciente, voluntário ou involuntário apoiado ou fortalecido pela rotina, cansaço, estress da luta do dia-a-dia e da realidade em que vive.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Um amigo...Um Raio de Sol que desponta no Horizonte



Um amigo...um raio de sol que desponta no horizonte!


Que maravilhosa sensação testemunhar a transformação mágica que ocorre com a presença de um amigo, quando no nosso horizonte só existem nuvens negras, carregadas e nossa energia está baixa associada a uma falta de ânimo e vontade para realizar o que quer que seja e quando um amigo chega, desponta no horizonte um raio de sol que atravessa as nuvens carregadas, pouco a pouco dispersando-as:


*O nosso céu interior começa a ficar radiante, inundado de luz;


*A energia retorna gradualmente;


*A vida pulsa dentro de nós, impulsionando a desenvolver e realizar as tarefas ou o nosso trabalho com força, motivação e ânimo;


* Sem que nos apercebamos estamos sorrindo de pequenas coisas, as pessoas a nossa volta que antes estavam "carregadas" negativamente, modificam-se de tal forma que sente-se uma onda de energia positiva, um clima agradável no ar;


* Inclusive sentimos que nosso rosto fica descontraído, nossos músculos outrora tensos, tornam-se relaxados;


*Uma vaga de serenidade e paz nos invade.


O Mais fascinante é que essa transformação começa a ocorrer quando o amigo chega, mas, muitas vezes, só percebemos as mudanças que ele operou em nós, quando ele já não está.


Há pessoas que transmitem uma energia tão maravilhosa, porque possuem uma maneira especial de estar na vida, são generosas, possuem uma riqueza interior e uma nobreza de espírito, enfim são fascinantes, que por onde passam vão dissipando as nuvens carregadas no horizonte daqueles que as cercam, sendo autênticos raios de sol e em alguns casos, uma tábua de salvação para aqueles que vivem mergulhados num mar de infortúnios, tristezas e sofrimento.


Abençoado seja, aquele que espalha raios de sol por onde passa! Abençoado seja você meu fascinante amigo com sua energia maravilhosa.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Elogio ...um enaltecimento ou um instrumento?



Elogio "ao pé da letra" significa o enaltecimento de uma qualidade ou virtude de algo ou de alguém. Mas nem sempre um elogio é verdadeiro, depende de quem o proclama e intenções com que o faz, depende também do alvo a que se destina e do momento.

Há muitas pessoas que utilizam o elogio como um instrumento para alcançar um objectivo ou determinado fim, este não é verdadeiro, por exemplo, o "puxa-saco" do patrão, que usa elogios para obter uma promoção no emprego.

Há elogios em que a pessoa é sincera, acredita que reconheceu no outro uma qualidade ou virtude, mas que na realidade esta não existe, simplesmente a pessoa não olhou com a objectiva da razão e sim com a lente da ilusão ou deixou-se levar por uma fantasia criada por si mesmo.

Há casos em que a pessoa que é alvo do elogio não reconhece em si tal qualidade e virtude e por isso contesta o elogio, acabando por tornar-se uma pessoa desagradável, embora não intencionalmente.

No primeiro caso o elogio falso só dará frutos se o alvo dele for uma pessoa vaidosa, narcisista e egocêntrica, fútil e superficial para se "deixar levar" por esse elogio.

No segundo caso a pessoa que está iludida a cerca da outra, mais cedo ou mais tarde, infelizmente, sofrerá uma desilusão, decepção ou frustração.

No terceiro caso o alvo do elogio que considera imerecido, contesta justamente para que a pessoa que o enalteceu não venha a sofrer uma desilusão ou decepção a seu respeito, embora tal virtude ou qualidade possa existir e seja detectado pelo outro, porém a própria pessoa, por baixa da auto-estima, falta de confiança em si mesmo, insegurança ou desconhecimento de si própria, não consiga ver, admitir ou valorizar.

Contudo um elogio quando verdadeiro demonstra a atenção e apreciação que o outro tem para connosco ou que temos para com o outro, demonstrando a admiração dos outros por nós e de nós pelos os outros.

Quando recebemos um elogio ficamos elevados, o nosso coração fica aquecido, nem que seja por breves minutos, caso a realidade nos chame a razão novamente, ou serve de estímulo para sermos ainda melhores, caso aceitemos que merecemos tal elogio.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Uma recordação ...um novo estado de espírito!



Que fascinante é a mente humana! que poderosa aliada, quando conseguimos estar na mesma frequência e interagimos com ela, mas que abominável inimiga, quando não estamos na mesma frequência... No momento em que estamos com "baixa de energia", eis que nossa aliada mente manda-nos uma recordação de um momento feliz e emocionante, fazendo com que na telinha de nossa mente sejamos transportado para esse momento e as mesmas sensações são revividas, automaticamente, sem que nos apercebamos nosso estado de espírito, nossa disposição se modifica, a energia fica novamente em alta. Passamos a "flutuar" sobre os acontecimentos menos agradáveis, como se fôssemos invulneráveis e nada nos pudesse atingir. Mas depois vem um "raio", vindo da realidade, que nos atinge em cheio e ficamos petrificados, paralisado, sem reação, porque não acreditamos que fomos injustamente atingidos, nos deixando entristecidos, desiludidos, dando origem a que fiquemos vulneráveis e permitimos que pensamentos negativos surjam e com isso a nossa mente aliada até então passa a terrível inimiga, reverberando os pensamentos negativos, até ficarmos esgotados e a nossa energia baixar, quando esta está no limiar, novamente a nossa mente volta a ser nossa poderosa aliada fazendo com que recordações felizes surjam, nos elevando, até que sejamos atingidos por outro "raio" proveniente da realidade que nos cerca.

Essa alternância entre poderosa aliada e abominável inimiga é que torna a nossa mente fascinante e nos desafia a tentar encontrar o caminho que a torne sempre uma poderosa aliada, quando isso se der, não haverá limites para o que conseguiremos realizar e alcançar nesta dimensão terrena.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Sonho & Fantasia...uma pausa na Realidade!



O sonho de olhos abertos ou a fantasia que construímos com a ajuda da nossa imaginação, será uma pausa na realidade? será o ponto de partida para transformar a realidade? Será o "chute inicial"ou a meta a ser alcançada, impulsionando a construção da realidade na caminhada pela vida?

Os sonhos ou as fantasias por vezes dão rumo e sentido à vida, alargam os nossos horizontes, mas, por vezes, são limitadores e frenadores, podendo mesmo levar a que fiquemos sem rumo na própria vida, por exemplo:


*Quando custamos a alcançar um sonho, não desistimos dele e à custa disso vamos limitando a progressão na vida, não nos desenvolvemos mais, perdemos oportunidades, deixamos de fazer planos ou projectos porque pensamos"não vou poder dar continuidade a este projecto se eu conseguir realizar o sonho que almejo". Se esse for relacionado com uma actividade profissional e passa a ser o sonho de uma vida, quando o realizamos já muito tarde, ficamos perdidos, porque estivemos tentando alcançá-lo, mas esquecemos de sonhar o depois do sonho e aí tomamos consciência de que a vida passou, deixamos de fazer muitos planos de alcançar metas, por um sonho que talvez até nem estivéssemos preparados ou vocacionados para ele, ou que ele aconteça fora do contexto ou local que fora sonhado, acabamos por ficar sem rumo na vida e por vezes até nos questionamos "valeu a pena ter corrido atrás deste sonho? e agora que o sonho tornou-se realidade, mas com alguns anos de atraso, o que fazer?


* Quando vivemos um sonho ou uma fantasia, que nos pega de surpresa por não o termos sonhado ou fantasiado, apenas pegamos "carona" no sonho ou fantasia de alguém, que nos envolve totalmente, inserindo-se na nossa realidade e momentaneamente modificando-a, também ficamos perdidos, caso esse sonho ou fantasia deixe de existir, porque na verdade, já se tornou realidade para o seu autor, mas para nós como foi tão lindo, tão fascinante, nos fez viver momentos de intenso prazer, nos mostrou um novo mundo, ampliou os nossos horizontes, nos fez ultrapassar nossos limites, ficamos sem saber como voltar para a nossa realidade de antes. Uma alternativa, talvez, seria reconstruir esse sonho ou fantasia, tornando-o de nossa autoria, isto se não for um sonho ou fantasia proibida, caso contrário, o que se pode fazer é guardar esse tesouro que a vida nos emprestou, no cofre do coração e quando a realidade estiver nos sufocando, poderemos abrir o cofre e recordar tão precioso empréstimo.