Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Pensador...um observador ou simplesmente um teórico distanciado da realidade

Pensar todos os seres humanos pensam, porém existem Homens que desenvolvem e aprimoram mais o pensamento a cerca do mundo que os rodeia, tornando-o mais elaborado, com maior consistência, tentando transformá-los em termos concretos, lógicos e organizados, estes são chamados pensadores.
Os pensadores surgem em vários ramos do conhecimento e do saber, uns são filósofos, outros são cientistas de diferentes áreas da ciência.

Uns pensadores partem das observações que captam do exterior e processam-na no seu interior e devolvem o seu produto final ao exterior para que possa ser debatida em termos de viabilidade e depois comprovada através da experimentação, a isto chama-se conhecimento científico, parte-se do empirismo para a ciência.

Outros partem de observações do seu interior elaboram teorias e tentam comprová-las na prática para que se torne um postulado ou uma lei científica ou ainda que sirva de substrato para para desenvolvimento de estudos científicos. Tentam passar do abstrato (intuição ou sensibilidade) para o concreto.

Porém existem outros iludidos que se acham observadores do exterior, mas que na verdade, escondem-se por detrás de um muro, mas sem se aperceberem, alienados e distanciados da realidade, através da construção de pensamentos lógicos e racionais, muitas vezes partindo de premissas falsas, por estarem partindo dos seus próprios conceitos e teorias e não da observação real do exterior. Estes por serem excessivamente teóricos, são solitários e mesmo inadaptados ou desinseridos socialmente, são contestadores de tudo que vem do exterior que não vá de encontro aos seus pensamentos, acreditarem que são os "sabichões" ou os "donos da verdade", acham-se incompreendidos e injustiçados, por vezes até são mesmo, por isso estão sempre "brigando" com o exterior.

Este 3 grupos podem coexistir dentro de um mesmo ser humano e se destacar de acordo com o momento, com a situação, com a motivação e a inclinação ou aptidão de cada um. Contudo pode acontecer de que um deles sobressaia, se for o primeiro grupo, vamos encontrar os cientistas, se for o 2º grupo a sobressair, vamos encontrar os filósofos, os gênios da humanidade, se for o 3º grupo, vamos encontrar muitos professores, alguns catedráticos, mas também vamos encontrar, infelizmente, pessoas com distúrbios psicológicos, rebeldes, reacionários, fanáticos e até mesmo terroristas.

Um pensamento será uma teoria ou postulado se puder ser validado, aplicado ou reproduzido na prática.

4 comentários:

Pedro disse...

Olá Céu! Bem disposta?
Antes de mais, quero pedir-lhe desculpas pela minha ausência de comentários no seu blog, mas o meu interesse pela leitura, em sentido geral, nos últimos tempos, foi desmotivada sem qualquer motivo.
Retomando a mesma (gradualmente), consultei o seu blog, e este seu artigo despertou-me a atenção.
Concordo consigo quando defende que «… existem Homens que desenvolvem e aprimoram mais o pensamento acerca do mundo que os rodeia, tornando-o mais elaborado, com a mesma consistência, tentando transformá-los em termos concretos, lógicos e organizados…».
Penso que se tratam de seres humanos que, por algum motivo, sentem necessidade de sustentar argumentos mais sólidos, mais firmes, que possam justificar as várias ciências em que o homem, como ser humano, se manifesta. Procuram, na intimidade das suas consciências, perceber alguns possíveis “porquês” ainda não justificados das sociedades em que se inserem (isto é, a forma como se evoluí na sociedade entre os seus semelhantes). E penso que é na “malha”/“tecido” dos argumentos (verdadeiros e/ou falsos) discursados pelas respectivas consciências que os pensamentos se ajuízam de valor moral, lógico e/ou racional, e que o Homem se interpreta e aprova (ou não) como um ser digno de ser-se humano, moldando-se, alegoricamente, de um “livro humano” idóneo de se discernir dos demais seres, no eixo da lógica e da razão.

Beijinhos.

Pedro

Céu disse...

Obrigada Pedro pelo seu comentário! Espero que já esteja novamente motivado para a leitura e para continuar a fazer comentários, pois como você mesmo diz no seu comentário :"... penso que é na malha”/“tecido” dos argumentos (verdadeiros e/ou falsos) discursados pelas respectivas consciências que os pensamentos se ajuízam de valor moral, lógico e/ou racional...". Em seu comentário não ficou claro a sua opinião a cerca do pensador ser um observador ou um teórico distanciado da realidade.
Um abraço

Pedro disse...

Ainda não estou completamente motivado para a leitura, mas aos poucos, penso fazer renascer essa motivação.
De facto, a minha opinião não ficou elucidada. Assim sendo, assumo as suas 3 distintas designações, destacando maior ênfase às duas primeiras, visto que qualquer doutrina/ pensamento deve ser credível / “certificada” depois de “processada” (da observação exterior), analisada e ser aprovada pelo consenso dos respectivos pensadores/ observadores/ … (eruditos?).

Pedro

Céu disse...

Obrigada pelo seu comentário esclarecedor, Pedro!os dois primeiros grupos define na minha opinião o pensador como sendo observador e o último não um pensador, mas apenas um teórico distanciado da realidade.
Um abraço e que seu gosto pela leitura retorne breve, porque significa que superou a causa da desmotivação-
Um abraço