Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

domingo, 26 de abril de 2009

Inteligência emocional resultado da educação do cérebro

Uma pergunta lançada num comentário sobre auto ajuda, ficou martelando, "como educar o cérebro? e a resposta mais próxima é através da inteligência emocional, que acaba sendo o resultado do educar do cérebro, um gera o outro, num circuito reverberativo.

A inteligência emocional, segundo Daniel Goleman, possui cinco áreas de habilidades, (embora numa perspectiva de marketing, possa ser adapatada aos relacionamentos de uma forma geral):
1-Auto-Conhecimento Emocional - reconhecer um sentimento enquanto ele ocorre é a chave da inteligência emocional . A falta de habilidade em reconhecer nossos verdadeiros sentimentos deixa-nos a merce de nossas emoções. Pessoas com esta habilidade são melhores pilotos de suas vidas.
2-Controle Emocional, a habilidade de lidar com seus próprios sentimentos, adequando-os para a situação. Pessoas pobres nesta habilidade afundam constantemente em sentimentos de incerteza, enquanto aquelas com melhor controle emocional tendem a recuperar-se mais rapidamente dos reveses e contratempos da vida.
3-Auto-Motivação. Dirigir emoções a serviço de um objetivo é essencial para manter-se caminhando sempre em busca, para a automotivação, para manter-se sempre no controle e para manter a mente criativa na busca de soluções. Auto-controle emocional, sabendo praticar gratificação prorrogada e contorlando impulsos, favorece aperfeiçoamento de todos os tipos. Pessoas que tem esta habilidade tendem a ser mais produtivas e eficazes, qualquer que seja seu empreendimento.
4-Reconhecimento de emoções em outras pessoas. Empatia, outra habilidade que constrói auto-conhecimento emocional. Esta habilidade permite as pessoas reconhecer necessidades e desejos de outros, permitindo-lhes relacionamentos mais eficazes.
5-Habilidade em relacionamentos inter-pessoais. A arte do relacionamento é, em grande parte, a habilidade de gerenciar sentimentos em outros. Esta habilidade é a base de sustentação de popularidade, liderança e eficiência interpessoal . Pessoas com esta habilidade são mais eficazes em tudo que é baseado na interação entre pessoas. São estrelas sociais.
As três primeiras acima referem-se a Inteligência Intra-Pessoal (É a capacidade de formar um modelo verdadeiro e preciso de si mesmo e usá-lo de forma efetiva e construtiva.. As duas últimas, a Inteligência Inter-Pessoal (é a habilidade de entender outras pessoas: o que as motiva, como trabalham, como trabalhar cooperativamente com elas).

Em síntese, a inteligência emocional é:
*Auto consciência;
*Administração de sentimentos aflitivos;
*Manutenção do otimismo;
*Perseverança, apesar das frustrações;
*Aumento da empatia;
*Cooperação, envolvimento e
*Capacidade de motivar a si mesmo.

As emoções possuem significados próprios:
*Ira - sensação de perigo, de injustiça, de humilhação, de ameaça à autoestima, à dignidade
*Medo - os centros emocionais disparam hormônios, o sangue vai para os músculos do esqueleto, impulsionando-o a correr, fugir
*Felicidade - a pessoa experimenta a tranqüilidade, o repouso, o entusiasmo e mostra disposição para tarefas imediatas, para marchar rumo às metas
*Paixão - uma sensação de descontrole total, não somos donos de nossos atos, entorpecimento.
*Amor - sentimentos afetuosos, de relaxamento, calma e satisfação, facilitando especialmente a cooperação
*Surpresa - que permite ver mais, aumentando a quantidade de luz na retina
*Tristeza - faz fixar a atenção no que se perdeu, mina a energia para começar coisas novas
*Depressão - gera um senso de inutilidade, a ausência de alegria, confusão, falta de memória, incapacidade de dormir, desalento, apatia


As lições aprendidas na infância vão modelar os circuitos emocionais, porém estes podem ser moldadados, através da educação do cérebro, de forma a transformar uma emoção negativa em positiva, ou equilibrá-la, porque a emoção negativa interfere com a atenção, concentração, afeta a capacidade de aprender, afeta a compreensão (pessoas ansiosas, zangadas ou deprimidas não refletem) e baixa o rendimento, como a preocupação faz.
As emoções negativas geram alterações no organismo, segundo alguns pesquisadores:
*O pânico e a ansiedade aumentam a pressão sanguínea
*Tristeza, pessimismo, hostilidade, ceticismo e desconfiança aumentam o risco de doenças como artrite, asma, úlcera, dor de cabeça. *A hostilidade faz aumentar a propensão à doença cardíaca.
Para combater estes danos, por exemplo a hostilidade deve-se aprender a amaciar a atitude, regulando a raiva no começo, a ira através da empatia, o sorriso é o maior e mais barato remédio que existe.(compilado e adaptado de http://www.veiga.net/aulas/emocional.htm)


O cérebro humano é composto por 2 hemisférios:

1- Esquerdo=> Racional, lógico, dá ênfase a Linguagem, a lógica, aos números, a Matemática, sequência, as plalavras.

2- Direito => Emocional, pouco lógico, enfatiza a rima, o ritmo, a pintura, imaginação, modelos
A teoria da dominância dos hemisférios cerebrais pressupõe que umas pessoas desenvolvem mais o esquerdo, outras o direito, mas o ideal é que não haja um predomínio, que ambos os hemisférios sejam estimulados e desenvolvidos, daí a educação emocional, através do reconhecimento dos sentimentos, da empatia, do autocontrole das emoções, da reparação dos danos emocionais (conflito) e da integração emocional e interatividade. a propósito disso há alguns anos atrás a UERJ ministrava um curso de inglês baseado no método de aprendizagem acelerativa, através da motivação, num simpósio internacional que sediou, proporcionou um evento, Maratona de Motivação, onde os interessados tiveram um dia com vários exercícios de relaxamento, alguns tiveram facilidade em entrar em transe (estado modificado da consciência) um dos participantes viveu com tamanho realismo, que no percurso induzido mentalmente, escorregou e quando "regressou" sentiu dor sobre o braço que havia sofrido traumatismo na queda, sendo reconduzido pelo orientador ao percurso, que o orientou para que voltasse até antes da queda e imaginasse que saltou por cima do obstáculo, quando foi "trazido de volta", já não sentia nenhuma dor. Também proporcionou uma sessão de Musicoterapia, onde os participantes apresentavam os respectivos nomes num ritmo musical de sua preferência, que traduzisse instantaneamente suas características, depois o orientador dizia as características de cada nome pronunciado, acertando em todos. Nessa sessão houve relatos de como pessoas haviam combatido doenças, inclusive de câncer, com sessões de musicoterapia.

Foi uma experiência fascinante!

Tudo isso reforça que as emoções tanto podem gerar saúde como doença, da mesma forma que a razão pode gerar saúde quando em comunhão com as emoções, porém igualmente pode gerar doenças se sufocar as emoções. Assim a inteligência emocional é o resultado de uma educação do cérebro, sendo ela fonte geradora dessa mesma educação.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Alterações climáticas ...interferência direta no ciclo da água

Palavra puxa palavra, ao fazer referência ao ciclo da água, o interesse voltou-se justamente para esse fenômeno que ocorre na natureza onde a pesquisa levou ao encontro deste site http://web.educom.pt/pr1305/agua_ciclo.htm (escrito numa linguagem simples para as crianças), onde encontra-se uma apresentação em powerpoint que mostra esse ciclo (http://web.educom.pt/pr1305/agua_ciclo.ppt ), trazendo para o presente recordação do passado, também nele encontra-se um resumo, para "refrescar" a memória de um conhecimento remoto:
"A água circula continuamente na Natureza, podendo passar pelos diferentes estados - sólido líquido e gasoso. Devido ao calor do sol a água dos oceanos mares, rios e lagos passa lentamente do estado gasoso, isto é evapora-se e vai para a atmosfera. O vapor de água ma atmosfera arrefece e condensa-se, isto é, transforma-se em pequenas gotas de água, formando as nuvens. Depois a água volta novamente à superfície terrestre sob a forma de precipitação - chuva, neve ou granizo. Uma parte cai directamente nos oceanos, mares rios e lagos, outra escorre à superfície terrestre e outra infiltra-se no solo, formando lençóis de água subterrâneos. A água absorvida pelo solo passa para as plantas, que a absorvem pelas raízes. Os animais obtêm a água consumindo as plantas ou bebendo nos rios, riachos e fontes. Pela respiração e transpiração dos organismos, a água regressa de novo à atmosfera. Assim, o ciclo repete-se continuamente, mantendo-se mais ou menos contante a quantidade de água no nosso planeta. Existe uma circulação de água da superfície terrestre para a atmosfera e desta para a superfície da Terra. Isto significa que grande parte da água que a Terra perde por evaporação, volta à Terra com a chuva, a neve e o granizo".


O trazer à memória esse conhecimento básico sobre água leva a que se reflita sobre o que está acontecendo no nosso Planeta Terra, este relato encontrado, correlaciona os atos realizados pelo Homem e alteração do ciclo da água, com consequências nefastas para o Planeta.


"Desde o final dos anos 1980, não resta dúvida de que a poluição lançada na atmosfera principalmente pelos países ricos está contribuindo para o aquecimento do planeta. Também já se tem certeza do aumento da frequência de eventos climáticos extremos para as próximas décadas. Outro ponto pacífico é o de que o desmatamento nos países pobres também contribui de forma significativa para as emissões de carbono, um dos principais responsáveis pelo efeito-estufa. Com base nas evidências de que as florestas tropicais também têm papel importante na estabilidade do clima, o governo brasileiro apresentou uma proposta de redução do desmatamento a ser compensada com recursos dos países ricos, durante a 12ª Conferências das Partes sobre a Convenção de Clima, que está acontecendo neste mês de Novembro, no Quênia. É consenso na comunidade internacional de que há indícios suficientes para afirmar que já estaríamos vivendo os efeitos das mudanças climáticas.
Apesar de tudo disso, um dos argumentos usados pelo governo dos Estados Unidos para ficar de fora do Protocolo de Kyoto, tratado internacional sobre o tema, é de que não se tem certeza científica sobre a contribuição do aumento da temperatura da Terra para vários dos desastres “naturais” ocorridos nos últimos anos em locais inesperados, como as seguidas ondas de calor na Europa, a seca prolongada na Amazônia e a sequência de furacões na costa do Caribe, entre outros. O discurso leva em conta que os modelos matemáticos usados pelos meteorologistas são elaborados com base em séries históricas sobre o comportamento médio da atmosfera no passado e não são capazes de prever episódios climáticos específicos. Na verdade, o governo de George W. Bush já chegou a defender em alguns debates que não haveria certeza nem mesmo da contribuição da poluição para as alterações no clima.

Nobre: o clima está em mudança de maneira acelerada. O desmatamento tinha de ser zero pelo menos já há dez anos. De fato, ainda não é possível relacionar diretamente eventos específicos, como inundações e tornados, com as grandes alterações pelas quais passa o clima. Apesar disso, vários especialistas começam a assumir uma postura mais ativa no debate sobre o assunto tendo em vista as possíveis conseqüências catastróficas do aquecimento planetário. No Brasil, o pesquisador Antônio Nobre é um dos que acredita que não há mais tempo para esperar por comprovações inequívocas sobre as causas de certos fenômenos e cobra dos cientistas a obrigação de alertar a sociedade sobre os problemas ambientais. Representante do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Nobre é autor de um trabalho que demonstra que a Amazônia é um sistema auto-regulado capaz de capturar humidade do Oceano Atlântico para manter a estabilidade do clima e do regime de chuvas da América do Sul a leste dos Andes. Doutor em Biogeoquímica, ele acredita que é necessário não apenas suspender o desmatamento na floresta amazônica, mas começar a recuperá-la imediatamente sob pena de incorrermos no que considera um “custo impagável” para as populações do continente
.
Diante deste relato não há mais nada a dizer, apenas refletir sobre os nossos atos em relação ao Planeta em que vivemos.

Auto-ajuda uma forma de ajuda ou de obtenção de lucro?

Uma tema surgido após ler o post no blog dalailam e enquanto escrevia o comentário, isto gerou a necessidade de escrever, jamais como uma crítica e sim como um momento reflexivo, salientando os pontos concordantes e discordantes, que aliás foi deixado sob a forma de comentário ao post.
Os pontos concordantes são relativos aos livros de auto ajuda serem antes de tudo fonte de obtenção de lucros e não propriamente de real interesse pelo bem estar daqueles que muitas vezes buscam, obsessivamente, este tipo de literatura para aliviar um sofrimento profundo, embora não podemos generalizar ou nivelar tudo pela mesma medida, para não sermos injustos, porque nem todos os autores desse tipo de livro o fazem visando o lucro e sim, imbuídos do amor ao próximo, procuram dar o seu contributo para tentar aliviar o sofrimento de quem está precisando de ajuda, como também foi ressaltado nesse mesmo post. Também houve concordância de que há um crescimento quase que exponencial de livros de auto ajuda, bem como do número de antidepressivos vendidos, bem como em relação aos autores que vendem fórmulas mágicas de auto ajuda, mas que não as aplicam a si mesmos.

Existe um ditado popular: "se conselho fosse bom não se dava, vendia-se", pessoalmente alterei-o, se conselho fosse bom não se dava, seguia-se, visto que normalmente quem aconselha nem sempre segue. Portanto sempre que procuro ajudar alguém convido-o a refletirmos juntos ao invés de dar conselhos, para que o próprio interiorize e seja seu próprio conselheiro.

Isso faz recordar outro ditado atribuído aos padres "olha para o que eu digo não olhes para o que eu faço". Passível de contestação, pessoalmente, acredito que as ações devam ser coerentes com as palavras, que força podem ter as palavras, por exemplo, de um médico que diz ao seu paciente para não fumar por causa dos malefícios para a saúde, quando este fuma, o que é inconcebível, mais ainda quando muitas vezes, até na presença do paciente.

Os pontos discordantes são relativos a considerar que a auto ajuda não ajuda, porque existem situações em que ela é fundamental, principalmente, quando a causa do problema reside numa falta de auto estima ou numa baixa da mesma que pode gerar quadros depressivos, não que os livros de auto ajuda tenham um fórmula mágica para que a pessoa resolva essa situação, não porque o que é verdade para uns não o é para outros, mas dão pistas para que através da reflexão em cima do que foi lido possa encontrar a sua fórmula mágica pessoal. Uns conseguem esta fórmula através de meditação, portanto dentro de si mesmos, outros precisam buscar fora através de livros ou meditação orientada ou por hipnose, porque não o conseguem sozinhos.
Contudo, o consumo de antidepressivos passou a ser abusivo, parece que é o sinal dos tempos em que vivemos, a culpa recai maioritariamente sobre aqueles que o prescrevem, porém muitas das vezes isso se dá pela forte pressão do doente que não quer outro tratamento que não o comprimidinho, aliás, hoje em dia as pessoas parecem que se alimentam de "comprimidinhos" ao invés dos nutrientes necessários à manutenção da saúde. Querem vitaminas em comprimidos, por exemplo, mas não as querem através da fruta (é mais pratico ingerir um comprimido, do que descascar e mastigar uma peça de fruta); meditar, refletir? não há tempo, há que ter fórmulas mágicas pronta a seguir "ter a papinha feita" sem muito trabalho, daí a busca nos livros de auto ajuda, mas esquecem de que os "comprimidinhos" e os livros, são acessórios, o fundamental depende de cada um, do trabalho e empenho pessoal, porque, segundo penso, sem esforço, só a chuva que cai do céu, mas mesmo assim precisa das nuvens, do mar e todo o fenômeno físico envolvido no chamado ciclo da água.

terça-feira, 21 de abril de 2009

Perfeição...uma escalada para o infinito!

Refletindo sobre um comentário deixado pela Lola no post "comentários no blog...", onde mencionou a perfeição ser "algo ilusório", surgiu a recordação sobre a reflexão relativa à perfeição:
A perfeição pode ser comparada como uma escada infinita, quando estamos num degrau visualizamos aquilo que seria o patamar ou o fim da escada, traçamos metas e definimos objetivos, superamos os obstáculos e quando atingimos esse patamar, mas ao alcançá-lo, vislumbramos mais uma série de degraus degrau e outro patamar a ser alcançado e assim sucessivamente. Exatamente quando avistamos um monte, pico ou cume elevado, temos a falsa noção de que se o escalarmos até o seu pico máximo conseguiríamos ver todo o horizonte ao redor, "ter o mundo aos pés", porém não é assim, porque logo avistamos um outro pico mais elevado que não nos deixa ver através dele. Poderemos ir de um em um escalando um pico que ao atingirmos seu cume visualizamos outro e mais outro e assim sucessivamente.
Tudo isso demonstra que a perfeição não é algo atingível, porque é um equilíbrio dinâmico, quando conseguimos nos aproximar, logo afasta-se para mais longe de nós, fazendo com que retomemos o caminho para tentar alcançá-la, quanto mais nos aproximamos, mais percebemos a distância que nos separa dela.
Exatamente como o auto-conhecimento, quando mais nos conhecemos, mais nos distanciamos de nós próprios, menos nos reconhecemos, por vezes isso pode traduzir que estamos subindo os degraus e nos aproximando da perfeição ou pode significar que estamos descendo os degraus para nos tornamrmos mais imperfeitos ainda.
Contudo, não significa que devemos deixar de buscar a perfeição naquilo que fazemos, pelo contrário devemos tentar o mais próximos possível, tendo-a sempre na linha do nosso horizonte, se não a tivermos no nosso ângulo de visão, significa que não demos o nosso melhor, ficamos aquém daquilo que poderíamos ter realizado ou ter sido.

Por do Sol...momento de mágica beleza

Há dias comentando sobre o Por do Sol, com surpresa reparei que nunca havia escrito sobre esse fenômeno que sempre me atraiu, desde o inicio da adolescência, talvez por ser difícil de traduzir por palavras aquilo que se sente no mais fundo de nós.
O Por do Sol é um espetáculo único que reúne beleza, cor, magia, magnetismo, poder, inspiração, romantismo, quando parece confundir-se com o mar na linha do horizonte.
Até algum tempo atrás, as férias eram passadas onde houvesse mar, sol, calor, extensão de areia em praias pouco frequentadas, (por ter passado a época alta) para poder interagir com esses entes da natureza, ouvindo os seus sons no silêncio e assim poder ouvir o som do próprio interior.
Em cada lugar visitado: Ilha de Paquetá (Rio de Janeiro), Ilha de Itaparica (Bahia), Costa da Caparica (Portugal, imagem apresentada) Palma de Maiorca, Ibiza, Tenerife, Gran Canária, Lanzarote, Fuerte Ventura (ilhas balneares de Espanha) o Por do Sol revelou-se único, porém muitas vezes desperdiçado na tentativa de o reter para sempre através da fotografia, que tolo engano, a fotografia só revela a parte da beleza pela tonalidade que adquire e os contrastes que apresentam, porém não consegue transmitir aquilo que se sente, ficamos como que hipnotizados, encantados, fascinados, que nem a nossa razão consegue objetivar, sensação semelhante aquela que o amor proporciona.
O Por do Sol seja ele no mar ou por detrás de um monte empresta um tom dourado a tudo que está sob seu domínio, como se tudo fosse coberto de ouro, sendo inspirador para traçar planos e desenhar sonhos, com a convicção de que não existem limites ou barreiras, tal é o poder e a energia positiva emanadas em tão magnífico espetáculo, como se o Universo apontasse o rumo.

domingo, 19 de abril de 2009

Comentários no Blog expressão da interação leitor-autor

Um comentário é a expressão de uma interpretação pessoal da realidade apresentada, seja ela por imagens ou palavras.
No caso do comentário a um post num blog é a expressão da interação do leitor com o autor do mesmo, às vezes para:
...expor uma opinião contrária àquela emitida e assim fomentar ao debate de ideias e opiniões, ou
...mostrar concordância com o que foi exposto;

... reconhecimento do mérito do autor pela forma de transmitir ideias diferentes ou iguais a que já existia, só que de uma forma muito própria;

...expor o resultado da reflexão que o tema ou conteúdo desencadeou dentro do leitor;

... pedir esclarecimento, quando suscitou alguma dúvida ou porque o tema vem de encontro as suas dúvidas pessoais e esse interagir seja facilitador de encontrar as respostas, supostamente porque o autor parece deter um conhecimento mais aprofundado;

... corrigir alguma incorreção em termos de conceitos ou postulados, se foi detectado, alertando ao autor para o fato, porque, ele, autor pode desconhecer ou ter se enganado, dando hipótese dele o corrigir;

...para agradecer a visita, o comentário deixado ou a ajuda alcançada.

Em muitos blogs os comentários são submetidos a avaliação prévia do administrador do mesmo, até certo ponto é compreensível, para filtrar comentários que possam ferir sensibilidades, não serem socialmente aceites, pelo uso de termos inapropriados, até mesmo de baixo calão, porém, quando isso acontecer o administrador deveria informar ao autor do comentário o motivo porque o mesmo foi rejeitado, até por uma questão de educar e formar, a não ser que o motivo de não aceitação seja apenas porque é o "dono" e se não lhe agrada não aceita, se for isso significa que o administrador do blog não está aberto ao diálogo, fecha-se em si mesmo não trocando experiências e se assim for, pode ser até um ser muito evoluído ou detentor de um conhecimento profundo, mas se não houver troca, este acabará por estagnar ou ficar perdido no tempo.

O post por si veicula informações e possibilita intercâmbio das mesmas, através dos comentários, que são deixados a seguir a sua leitura, fornecendo um feedback ao autor ou contribuindo para que o mesmo reformule seus pontos de vistas, uma vez que possa ter surgido uma perspectiva diferente e assim o conhecimento vai sendo aprofundado e difundido, graças a essa interação leitor-autor, que não é encontrada quando lemos um livro.

Esporte promove a saúde, mas pode provocar a doença

O esporte é promotor da saúde e bem estar físico e psíquico, mas também pode ser gerador de lesões e consequentemente de doenças.
Promotor da saúde, desde que bem praticado, ou melhor praticado corretamente, porque...

...ativa a circulação;

...fortalece e tonifica a musculatura;

...alivia o stress e as preocupações do dia a dia

...possibilita integração social

...desenvolve a auto estima

...incentiva à competitividade, mas de forma saudável

...estimula a ultrapassar os próprios limites.
...é fonte de prazer

Porém torna-se gerador de doenças, quando...

...praticado de forma incorreta, negligente ou displicente, que abre caminho para o acometimento de lesões de vários tipos, desde um ferimento ligeiro na pele (abrasão, escoriação) até lesões mais profundas: tendinites, entorses, luxações, fraturas. Como por exemplo quando se inicia a modalidade sem o devido aquecimento das articulações e da musculatura, estando a temperatura ambiente fria ou aquecida.

...ultrapassa o limite, não por aumento da performance, pelo treino gradativo e persistência e sim por exaustão quando o organismo, principalmente, a musculatura já estiver em fadiga e ainda asim exigir-se dela.

...exclui os menos bons, ao impedir de se desenvolverem, justamente porque de imediato não mostrou ser um "as" naquela modalidade.

...a performance ou desempenho é conseguido através de químicos (drogas lícitas ou ilícitas) que dão a falsa ilusão de que quem as utiliza ser o melhor, porém nada mais está fazendo do que enganar-se a si próprio e causando danos por vezes irreversíveis ao próprio organismo. Como dos anabolizantes ou estimulantes do sistema nervoso. Em relação a enganar-se é igual ao toureiro, armado frente a um touro desarmado. O que provou ao matar o touro nessas circunstâncias? que sabe manejar uma arma contra um ser indefeso? Provaria ser o melhor se usando sua força, sua inteligência, estando desarmado conseguisse vencer o touro. Da mesma forma que diante de um teste ou de uma prova (embora questionável enquanto forma única de avaliação), que suspostamente seria aferição de um conhecimento ensinado e aprendido ou apreendido, o aluno, principalmente um universitário, "cole" do colega, dos apontamentos, do livro ou utilize "cábulas", conseguindo obter notas altas. Isso provaria que é capacitado? não parece que seja por aí, teria sim notas brilhantes que lhe abririam as portas, onde o requisito seria ter notas altas em detrimento do conhecimento ou capacidade que possua.

... o querer ser o melhor tornasse uma obessão e não pelo espírito de desenvolver sua performance e ultrapassar seus limites, como brio pessoal de vencer os desafios, levando a que empregue meios menos lícitos para o conseguir ao invés de esforço, disciplina e dedicação.

... numa equipe a pessoa se considera a "estrela" "o tal", (até pode ter habilidade técnica para o ser), não dando oportunidade aos demais membros de se aperfeiçoarem, inclusive anulando-os quando em jogo. Mostrando-se superior, quando na verdade talvez tenha tido mais oportunidades, gerando assim um clima desagradável na equipe, um desesistímulo aos demais participantes , inclusive podendo ocasionar uma baixa da auto estima que leve ao isolamento e a desistência destes , embora "apaixonados" pela modalidade em questão, caso estejam mais vulneráveis.
A pratica do esporte ou desporto que gostamos, faz com que a frase quem corre por gosto não cansa faça sentido e seja aplicada em outras situações que não o desporto, mostando que é necessário gostar e depois treinar com afinco e perserverança para ultrapassar os limites, inclusive os próprios limites, aumentar a performance, sem olhar obstáculos, como chuva, frio, vento, sol, se tem vível técnico inferior, inclusive vencendo o cansaço como se ele não existe, porque estamos envolvidos de tal forma, temos "garra"e vontade de ter bom desempempenho aplicando corretamente a técnica ou os fundamentos pertinentes à modalidade, que vai além do ganhar ou perder uma medalha no fim do torneio ou campeonato. Por exemplo num jogo de volley onde os " craques" dão os 3 toques permitidos e finalizam com uma cortada espetacular em termos de força e velocidade e o adversário está bem posicionado e consegue defender, com uma manchete correcta levando a um contra ataque igualmente espetacular, não desistem da bola, nem que esta vá para muito longe praticamente fora de alcance e assim sucessivamente até que a bola acabe por cair, isso sim é super estimulante e gratificante para quem está jogando e proporcionando um espetáculo maravilhoso de performance individual e de equipe, que prende a atenção daqueles que estão assistindo.

sábado, 18 de abril de 2009

Auto-estima...mola propulsora do sucesso!

A auto-estima é a visão ou o conceito que a pessoa tem de si mesmo, que começa a ser formada na infância, de acordo com os relacionamentos firmados, de como somos tratados, sofrendo influências várias, principalmente pela atitude tomadas diante das frustrações e decepções que vão ocorrendo na vida, mas também dos valores e conceitos que a pessoa abraça, ou dos objectivos que estipula.

A auto-estima está intimamente ligada ao sucesso ou insucesso que a pessoa tem na vida: se tem uma auto-estima baixa dificilmente alcançará o sucesso e ou êxito que deseja, porque em tudo que se propuser a fazer, estará carregado de energia negativa e esta conduzirá ao fracasso, digo antes insucesso, porque aquela é uma palavra muito carregada negativamente, da mesma forma que a palavra azar deve ser substituída por falta de sorte,que possui menos carga negativa. Se a pessoa tem uma auto estima elevada todas as portas se abrem, porque caminha com segurança, passos fortes e decididos, sem hesitação rumo ao sucesso e ao êxito em tudo que se propuser a realizar.

Um exemplo, fruto de uma simples observação ao caminhar sobre as pedras irregulares de um "pontão" que separam algumas praias, como existiam outrora na Costa da Caparica (muitos deles foram invadidos e destruídos pelo mar revolto, outros foram tornados regulares e não servem como referência), quando se caminha com confiança, olhos postos no horizonte, sem ficar pensando muito por onde seguir ou qual o que oferece menor perigo, apenas seguir como se fosse um caminho reto sem obstáculos e nem atalhos, chegamos com rapidez de um extremo ao outro, porém quando caminhamos, pé ante pé, escolhendo as pedras, vacilando com receio de escorregar, é quando mais depressa escorregamos e demoramos a chegar no ponto aonde desejamos.

Assim como neste exemplo se a auto estima estiver elevada nós caminharemos com os olhos posto no horizonte (meta a ser alcançada) andar confiante sobre um caminho reto, numa única direção, sem vacilarmos ou duvidarmos de que alcançaremos a meta ou o objectivo traçado, termos sucesso. Já a baixa da auto estima faz com que caminhemos curvados, olhos postos no chão, titubeantes como se pedíssemos licença ao mundo para caminhar.

Há tendência de achar que auto estima está intimamente ligada à vaidade, aquela pode conter esta, mas não é uma relação obrigatória, se uma mulher não gosta de jóias, maquiagem ou usar sapato com salto alto não significa que tenha baixa da auto estima, assim como uma mulher que usa muitas jóias, não saia de casa sem se maquiar ou só usa sapato de salto alto não significa que tenha uma auto estima elevada, tudo vai depender da sua atitude, de que adianta estar muito elegante externamente se internamente não se sente elegante, esta será uma elegância sem brilho porque não espelha o interior.

Há pessoas que fazem de tudo para modificar o seu exterior, desde roupas caras, jóias, até cirurgias plásticas para ficarem parecidas com alguém que acham bonitas, em nome de elevar a auto-estima, mas muitas vezes não o conseguem porque o importante não é parecer externamente e sim ser internamente.

Algumas citações sobre a auto-estima
Encantarmo-nos connosco próprios não é só normal como desejável. Mas ter fantasias de grandeza e omnipotência revela que, no fundo, há em nós uma grande falta de amor.
Autor: Costa Félix , Maria José

As pessoas só reconhecem as suas qualidades quando alguém lhas desvenda e esclarece, e só confiam nelas quando há quem, antes, tenha confiado.
Autor: Sá , Eduardo

O homem que perdeu... a estima por si mesmo, deixa de ser bom para algo de grande ou magnânimo
Autor: Leopardi , Giacomo
Um grande erro: crer-se mais importante do que se é e estimar-se menos do que se vale
Autor: Goethe , Johann
Ninguém conhece as suas próprias capacidades enquanto não as colocar à prova
Autor: Siro , Públio
Todo homem é seu valor dividido pela sua auto-estimativa
Autor: Fernandes , Millôr
Um texto para dar o primeiro passo para elevar a auto estima, convencermos-nos de que somos especiais:
Você é Especial Um famoso palestrante começou um seminário segurando uma nota de 100 reais. Numa sala, com 200 pessoas ele perguntou: "Quem quer esta nota de 100 reais?" Mãos começaram a se erguer. Ele disse: "Eu darei esta nota a um de vocês, mas primeiro, deixem me fazer isto!" - Então ele amassou a nota. E perguntou, outra vez: "Quem ainda quer esta nota?" As mãos continuaram erguidas. "Bom" - ele disse - "e se eu fizer isto?" E ele deixou a nota cair no chão e começou a pisà-la e esfregá-la. Depois pegou a nota, agora imunda e amassada, e perguntou: "E agora? Quem ainda quer esta nota?" Todas as mãos continuaram erguidas. "Meus amigos, vocês todos devem aprender esta lição: Não importa o que eu faça com o dinheiro, vocês ainda irão querer esta nota, porque ela não perde o valor. Ela ainda valerá 100 reais. Essa situação também se da connosco.Muitas vezes, em nossas vidas, somos amassados, pisoteados e ficamos sujos, por decisões que tomamos e/ou pelas circunstâncias que vêm em nossos caminhos. E assim, ficamos nos sentindo desvalorizados, sem importância. Porém, creiam, não importa o que aconteceu ou o que acontecerá, jamais perderemos nosso valor perante o Universo. Quer estejamos sujos, quer estejamos limpos, quer amassados ou inteiros, nada disso altera a importância que temos. A nossa valia. O preço de nossas vidas não é pelo que fazemos ou que sabemos, mas pelo que Somos! Somos especiais! Você é especial. Muito especial ! Jamais se esqueça disso! (mail recebido, autor desconhecido)
É bom recordar: "Mantenha sempre a auto estima independente dos aplausos, pois as estrelas brilham na escuridão" (autor desconhecido)

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Iluminado...alguém que descobriu a sua essência divina

Após ler o post "iluminação"no blog "Palavras de Osho" e enquanto fazia o comentário do mesmo, surgiu uma visão particular do que seria um ser iluminado: Seria alguém que descobriu a sua essência divina no âmago do seu ser, através da interiorização pela busca de si mesmo, em outras palavras, pela meditação e também pela reflexão associada a intuição que estáligada ao Universo.
Por ser um tema fascinante e tentando aprofundar o conhecimento alguns "sites" pesquisado mostram uma perspectivas Universal em que descreve a hierarquia dos iluminado (que seriam em sua concepção Mestres Ascencionados que oferecem sua sabedoria e nos guiam no plano da experiência):
Senhor do Mundo – é o Regente Maior da Hierarquia e é uma cargo exercido por Lord Gautama. Tem domínio sobre todos os assuntos relacionados ao Planeta e é responsável pela geração de Luz suficiente para manter a Terra no Sistema Solar.
Buda da Evolução – alimenta e mantém a Chama Divina no coração dos seres humanos e dirige os assuntos religiosos da Terra. Cargo exercido pelo Lord Divino ou Lord Maitreya, que acumula também o cargo de Cristo Cósmico.
Instrutores do Mundo – Planejam e exercitam as questões religiosas e a força da Realização, por um período de 14.000 anos, sob a direção do Buda da Evolução. Cargos exercidos pelos Mestres Jesus e Kuthumi.
Maha Chohan - Representa o Espírito Santo para a Terra, a Inteligência Criadora em ação. Cargo exercido pelo Mestre Paulo, o Venesiano. (Chohan = Senhor)
Chohans dos Sete Raios – atuam em diversos planos de trabalho nos Planos superiores e domundo exterior.
Arcanjos dos sete raios – representam a sensibilidade da vida e cada um serve num dos raios.
Elohim - São os Construtores de Formas mais elevadas.Desempenharam um papel muito importante na Construção deste Sistema Solar e na preparação da Terra para a habitação.
Manus - Cada Manu é responsável por uma das Raças-Raízes. Trabalham sempre em conjunto com os Instrutores do Mundo e com o Maha Cohan.O GRANDE DIRETOR DIVINO é o Manu ou Diretor da Sétima Raça, que está destinada, dentre todos os países do Planeta, a encarnar na América do Sul durante a Era de Aquario. http://www.caminhosdeluz.org/
Em outro site outros iluminados são descritos:
Apolônio de TianaApolônio é uma misteriosa figura que apareceu no século I. Documentos antigos afirmam que Ele, certo dia, surgiu na terra sem ascendentes.
Hermes Trismegisto Segundo Platão foi Hermes (Thoth) o pai da geometria, revelador do uso dos números, da geometria, astronomia e as letras.
Lao TséLao Tsé, sem dúvidas, foi um dos mais elevados seres entre os que viveram na terra, tendo legado à humanidade uma obra imortal o Tao Te Ching.
MelquisedecOs orientais falam muito do REI DO MUNDO, um ser enigmático, e por eles considerado a mais alta forma de Consciência Divina na terra vivendo num lugar oculto denominado Shambhala.
Pitágoras Foi ele pensador místico, filósofo, matemático, geômetra e reformador religioso. Seus ensinamentos e aspectos gerais de sua vida.
Salomão Uma visão de quem teria sido de fato o Rei Salomão. Na verdade um ser iluminado que ao longo do tempo foi denegrido pela história.
Zarathustra
http://www.joselaerciodoegito.com.br/site_iluminados.htm

Além de individualisados, existiram algumas "ordens" ou congregações onde são ministradas as doutrinas ou onde se reunião para debatê-las:

1- Os Iluminados da Baviera - Primeiro de Maio de 1776, na Alemanha, foi fundada uma sociedade que passaria a representar a síntese dos anseios e ideais compartilhados por Maçons e Rosacruzes: Os Iluminados. (ou Iluministas. Hoje, eles também são conhecidos como os Illuminati - Seu mentor, Adam Weishaupt (1748-1830), era um Maçom de ascendência judia, que havia tido educação católica e jesuíta. Essa singular mistura daria a Weishaupt uma grande versatilidade de pensamento, bem como independência de opiniões.
Professor titular de Direito Canônico, além de ser decano da Faculdade de Direto.

Nos seus "aprendizados paralelos", Adam Weishaupt muito absorveu dos antigos costumes, dando especial ênfase aos Mistérios de Elêusis e aos ensinamentos de Pitágoras. Fundou a "Sociedade dos Mais Perfeitos" (Perfekbilisten),
Os Iluminados da Baviera - como também eram conhecidos os Iluminados - A estrutura básica dos Iluminados era composta de três graus, a saber: I* - Aprendiz (ou A Sementeira); II* - Maçonaria Simbólica; e o III* - Grau dos Mistérios. Os dois primeiros graus, por sua vez se subdividiam em outros três graus intermediários, enquanto que o III* era divido em Mistérios Menores e Maiores, que, por sua vez, também se subdividiam em graus intermediários. O total de Graus perfazia 12 estágios: começando em Noviço (o primeiro estágio do I*), até o Grau XII*, sob o título de Rex, ou Rei da Ordem. (Do sistema de graduação dos Iluminados veio a estrutura básica de algumas Ordens que hoje existem. Por exemplo, não chega a ser uma novidade o fato de uma bem famosa organização Rosacruz atual ter 12 Graus de Templo. Da mesma forma, uma das mais conhecidas Ordens Templárias de nossos dias, possui o grau de Rex, para a sua liderança.)
(os Iluminados - assim é afirmado -atuaram decisivamente na revolução francesa)
A visão política dos Iluminados era algo próximo de um Estado onde reinaria o bem comum, sendo abolidos a propriedade, autoridade social e as fronteiras. Uma espécie de anarquismo superior, saudável e utópico, onde o ser humano viveria em harmonia, numa Fraternidade Universal, baseada na sabedoria espiritual, em franca Igualdade, Liberdade e Fraternidade.
Weishaupt chegou a constituir toda uma eficiente rede de espionagem, na forma de agentes espalhados pelas principais cortes da Europa. A função básica dessa rede era se infiltrar entre o clero e os regentes, conseguindo informações políticas que permitissem a elaboração de uma estratégia de ação Illuminati, no sentido de se permitir a criação do Estado Ideal.
Após muitas tentativas de se estabelecer uma nação segundo seus princípios, os Iluminados foram politicamente extintos, em decreto instituído pelo Eleitor da Baviera, ao final do século XVIII.
A velha história, de perseguição, calúnias e, por fim, ostracismo, novamente se repetia, pondo um fim nos ideais defendidos por Adam Weishaupt e os Illuminati, os Iluminados da Baviera
.
http://www.acasicos.com.br/html/illuminati.htm

2- Ordem dos Cavaleiros do TemploTemplários

Por ser servir de inspiração para alguns filmes é compilada com maiores detalhes (talvez um pouco extensa)
A Ordem dos Cavaleiros do Templo de Jerusalém - TEMPLÁRIOS - nasceu da ideia de cruzada, que justificou e legitimou uma instituição ao mesmo tempo religiosa e militar, votada à "guerra santa".Fazer a "guerra santa" encontra a sua legitimidade num dos maiores Doutores da Igreja, Santo Agostinho (345-430), o qual distingue a "guerra injusta", que condena, da "guerra justa" que é lícita e na qual qualquer cristão deve participar.A "guerra santa" não é um fim em si, mas o meio legítimo e necessário conferido por Deus e o seu vigário, o Papa, aos crentes para alargarem o reino da religião.Empresa de salvação e redenção, a "guerra santa" implica um valor específico do combate contra os infiéis acompanhada de diversas recompensas espirituais.O triunfo da Igreja não pode passar senão pela união da espada e da fé. Para S.Bernardo de Claraval, tornado monge, que concebeu a Ordem como uma "Milícia de Deus" via-a como uma religião armada e militante.Apoiados em textos de S.Agostinho sobre o direito de guerra lícita, os papas que lhe seguiram, deram aos cristãos o direito e o dever de usar a cruz e combater para proteger a Igreja e libertar os lugares injustamente ocupados pelos infiéis visando tomar pela força os lugares cristãos caídos na servidão ou ameaçados pelo Islão.É no fim do Séc.XI (1095) que, com o apelo lançado pelo papa Urbano II dirigindo-se à multidão de clérigos e cavaleiros, os exortam a tomarem armas para libertarem o Santo Sepulcro em Jerusalém e os cristãos do Oriente. Apelo também escutado por um monge eremita Pedro o Eremita.
Dava-se o início às Cruzadas do Oriente.

O serviço militar feudal era muito limitado no tempo. A sua tarefa era vigiar as estradas e escoltar os peregrinos. Ràpidamente se convenceu o rei - Luís VII de França - da utilidade de uma milícia permanente, composta por homens simultaneamente de oração e guerra.Tomaram o nome de Pobres Cavaleiros de Cristo e do Templo de Salomão (1118 ou 1119 data da sua fundação) por terem construído o seu castelo sobre as ruínas do antigo Templo de Salomão em Jerusalém . De dimensão modesta em 1123 desde então chamada Ordem do Templo de Jerusalém com ideias espirituais de paz e de caridade em proveito dos mais fracos, e defendidos, se necessário, pelas armas.Pretendia-se um reconhecimento oficial jurídico e espiritual, sobretudo do papado.
O Papa Honório II, em 1128 (Séc. XII), concedeu à Ordem a legitimidade da sua fundação.Embora tenha sido criada para a defesa da Terra Santa é na Península Ibérica que os Templários em 1128 fazem os seus primeiros combates, quando D.Teresa, viúva do Conde D.Henrique - mãe de D.Afonso Henriques - lhes confiou a tarefa de conter o avanço do Islão e guardar as fronteiras do Sul do Condado Portucalense.Supõe-se que foi em 1126 que apareceu um núcleo de cavaleiros da milícia em Portugal.
É durante o governo de D.Teresa que os Templários fundam a sua sede no castelo de Soures no rio Mondego, construindo o castelo de Tomar no reinado de D. Afonso Henriques, para onde se haviam de instalar definitivamente com a sua sede, distinguindo-se nas conquistas dos castelos a norte e a sul do Tejo.
Ao longo da sua existência muitos privilégios lhe foram concedidos, a tal ponto de serem a causa de numerosos diferendos com as autoridades religiosas e laicas, suscitaram críticas no povo e serviram de base a muitas censuras, por vezes graves, quando a Ordem adquiriu uma importância militar, política e económica.
A sua história é um contraste de confusões.Estes monges guerreiros possuíam muitos tesouros religiosos fabulosos incluindo, assim se dizia, a coroa de espinhos desgastados por Jesus enquanto padecia na Cruz.
Pensava-se também que eram os detentores daquele que para a maioria seria a maior e mais estimada relíquia Cristã, o Santo Graal - o cálice que Jesus Cristo usou na última ceia.

Os Templários são acusados de orgulho, independência em relação ao papado e de querer dominar o poder temporal pelo dinheiro.Tinham má reputação junto do povo que lhe denunciava o orgulho, os privilégios indevidos, a riqueza suspeita e os maus costumes.Com tão graves acusações a sua existência acaba por ser posta em causa. Segundo parece fizeram desaparecer os documentos mais importantes e secretos da Ordem os quais nunca mais foram descobertos dando origem a que não haja um conhecimento totalmente exacto sobre a mesma.
Ao fim de quase dois séculos de existência é consumada a sua abolição.
Foram condenados a prisão perpetua pelo Tribunal da Santa Inquisição e os dignitários ao suplício do fogo em 1314.
Algures na Europa, onde muitos Templários escaparam da supressão, a Ordem ajustou as suas posições.Os Templários Portugueses mudaram simplesmente o seu nome - como um negócio moderno muda o nome a fim de evitar débitos precedentes.
Os bens dos Templários foram atribuídos à Ordem de São João do Hospital (a mais antiga de todas as Ordens) ou Hospitalários "por terem a sua sede num hospital por eles construído em Jerusalém, hoje, porque ainda existe, é designada por Ordem de Malta, por ter a sua sede nesta ilha do Mediterrâneo" que em Portugal tinham as suas sedes no mosteiro de Leça do Balio e em Flor da Rosa - no Crato - excepto os bens que em Portugal ficam à ordem do Vaticano, que deverão ser consagrados ao combate contra os Mouros, pela criação duma nova Ordem, e em 1319, por iniciativa do rei D.Dinis, é aprovada pelo papa João XXII.
Ordem de Cristo:
Tornaram-se nos Cavaleiros da Ordem de Cristo, (Ordem dos Cavaleiros de Nosso Senhor Jesus Cristo) verdadeira herdeira dos Templários, que ficou sediada no mesmo convento em Tomar a partir de 1357, depois de ter passado por Castro Marim. Os seus membros desempenharam um papel muito importante nos Descobrimentos, - quer em África ou nas Índias Ocidentais - nas conquistas e evangelização de novas terras, altura em que o Infante D.Henrique se tornou o seu Grande Mestre e exploradores como Dom Vasco da Gama eram seus membros. O sogro de Cristóvão Colombo também foi seu Grande Mestre, e Colombo navegou através do Atlântico com a cruz dos Templários brasonada nas velas.A Ordem de Cristo ficou dependente da coroa em 1484 no reinado de D. João II.
Secularizada em 1780, por decreto de D.Maria I aquando das reformas das insígnias das antigas Ordens Militares . Restabelecida em 1918, a CONDECORAÇÃO da ORDEM de CRISTO - é concedida com o objectivo de premiar serviços prestados ao País no exercício das funções dos cargos que exprimam a actividade dos órgãos de Soberania ou na Administração Pública, em geral, e na Magistratura e Diplomacia, em particular, que mereçam ser especialmente distinguidas.
As Insígnias compõem-se por:Laço da Banda da Grã-Cruz .Placa de Comendador . e Insígnia de Cavaleiro.
"O Presidente da República Portuguesa é o Grão Mestre das três Ordens, usando, no seu retrato oficial uma faixa tricolor representando os três mestrados (verde para a Ordem de Avis, vermelho para a Ordem de Cristo e violeta para a Ordem de Sant'Iago

Se gundo alguns um iluminado é um Avatar ( aquele que possui a singular capacidade (além de uma tarefa auto-determinada e um destino predestinado) de transmitir energia ou poderes divinosIsto constitui, logicamente, um profundo mistério que foi demonstrado, em forma peculiar, pelo Cristo, e está relacionado com a energia cósmica. Ele, pela primeira vez na história planetária, até onde temos conhecimento, transmitiu a energia divina do amor, diretamente ao nosso planeta e, em um sentido muito definido, à humanidade) e surgem em todas as épocas:
A Vinda do Avatar
Em todas as épocas, durante muitos ciclos mundiais, na maioria dos países, e hoje em todos, houve grandes momentos de tensão, que se caracterizaram por um sentimento de plena e esperançosa expectativa. Espera-se Alguém e Sua vinda é pressentida. No passado, foram sempre os instrutores religiosos da época, os que fomentaram e proclamaram esta expectativa, e o fizeram nos momentos de caos e dificuldades, ao se aproximar o fim de uma civilização ou cultura, e quando os recursos das antigas religiões pareciam ser inadequados para solucionar as dificuldades ou resolver os problemas dos homens.
A vinda do Avatar, o advento dAquele que Vem ou, em termos atuais, o reaparecimento do Cristo, constituem a nota-chave da predominante expectativa. Quando os tempos estão maduros, quando a invocação das massas é suficientemente intensa e a fé daqueles que sabem é assaz veemente, então Ele sempre veio, e os tempos atuais não constituirão, por certo, uma exceção a esta antiga regra ou Lei universal. Durante décadas, o reaparecimento do Cristo, o Avatar, tem sido previsto pelos fiéis de ambos os hemisférios, não somente pelos cristãos, como também por aqueles que esperam por Maitreya e pelo Boddhisattva, assim como pelo Iman Mahdi e outros.Quando os homens sentem que se esgotaram todos os seus recursos, que chegaram ao termo de todas as suas possibilidades inatas e que não podem resolver nem manejar os problemas nem controlar as condições que enfrentam, então costumam buscar um divino intermediário ou Mediador que defenda sua causa perante Deus e lhes traga a Salvação. Buscam, assim, um Salvador. Esta doutrina de Mediadores, Messias, Cristos e Avatares, avulta em toda parte como um dourado fio que atravessa todas as crenças e Escrituras mundiais, relacionando-as com alguma fonte de emanação, considerando-se, inclusive, a alma humana como um intermediário entre o homem e Deus. .
Todo o sistema de revelação espiritual está baseado (como sempre o foi) nesta doutrina de interdependência, de vinculação planificada e conscientemente ordenada, bem assim de transmissão de energia, de um aspecto a outro da manifestação divina, desde o Deus que se acha no "Lugar secreto do Altíssimo" até o mais humilde ser humano que vive, luta e padece na terra. . . . Por isso, um Avatar ou um Cristo aparece por duas razões: uma, a Causa incógnita e inescrutável que O impele a fazê-lo, e a outra, a demanda ou invocação da própria humanidade. Um Avatar é, por conseguinte, um acontecimento espiritual, que ocorre para produzir grandes mudanças e restaurações, a fim de inaugurar uma nova civilização ou restabelecer "antigas demarcações" e aproximar o homem de Deus. Têm sido Eles descritos como "homens extraordinários, que aparecem de vez em quando, para mudar a face do mundo e inaugurar uma nova era, nos destinos da humanidade". Vêm em momentos de crise; freqüentemente criam crises, a fim de pôr termo ao antigo e indesejável, Aparecem, unicamente, quando o mal predomina; Assim sendo, o Cristo foi duas vezes Avatar, não somente porque deu a chave da nova era, há mais de dois mil anos, como também porque, em forma misteriosa e incompreensível, personificou em Si Mesmo o divino Princípio do Amor, sendo o primeiro que revelou aos homens a verdadeira natureza de Deus.
Em todas as épocas e em cada grande crise humana, precisamente nas horas de necessidade, seja na criação de uma nova raça ou no despertar de uma humanidade preparada para receber uma nova e mais ampla visão, o Coração de Deus, impulsionado pela Lei de Compaixão, envia um Instrutor, um Salvador do Mundo, um Iluminador, um Avatar, um Intermediário Transmissor, um Cristo. Traz a mensagem que curará, que indicará o próximo passo que a raça humana deverá dar e que iluminará um obscuro problema mundial, bem como ministrará ao homem o conhecimento de um aspecto da divindade até agora não compreendido. http://www.eusouluz.iet.pro.br/avidaavatar.htm

Em resumo, depois de percorrer a História, vasculhar o passado, através da perspectiva de muitos pesquisadores, curiosos ou até quem sabe iluminados, penso que não seja absurdo ou incoerente, dizer que um iluminado seria alguém que descobriu a sua essência divina no âmago do seu ser, através da interiorização pela busca de si mesmo, em outras palavras, pela meditação e também pela reflexão associada a intuição que está ligada ao Universo.

Uma surpresa ...uma emoção

Uma surpresa acarreta sempre uma emoção podendo esta ...:

... ser acompanhada de energia positiva ou negativa;

... ser exteriorizada ou não;

...ser perceptível ou não;
...Gerar sensações maravilhosas ou gerar lutas internas que entram em conflito com a razão, esta imprescindível , porém carcereiro mor que está sempre vigilante, impedindo a sua livre expressão e com isso gerar culpas por ter desperdiçado o momento.
...originar uma reação de paralisia ou de anestesia quando já interiormente se havia chegado a conclusão de que não aconteceria, levando a que as palavras saiam com dificuldade, até sem nexo ou parecerem forçadas.


Há momentos em que a surpresa, por exemplo a vinda inesperada, porém desejada, de um amigo que está afastado, quando acontece depois que, a pessoa interiormente esgota todas as hipóteses de resolver a terrível dúvida "virá ou não virá? se vier como será depois de tanto tempo? e chegar a conclusão de que tudo aponta para que não possa vir, no mínimo deixa a pessoa "estática" como que paralisada, o corpo treme em resposta á emoção, mas o agir fica bloqueado, quase emudecida e quando consegue dizer alguma coisa, é de forma desconexa, pouco apropriada para a emoção que sente nas entranhas do seu ser. Com isso desperdiça o momento, que era tão desejado, mas que racionalmente já não era esperado. Gerando um turbilhão de sentimentos, alguns contraditórios, inclusive de culpa por não estar com ele como sempre esteve e na mesma proporção da intensidade das emoções,i mpedindo de sentir e saborear o estado de êxtase que provoca a sua chegada , como outrora aconteceu diversas vezes no passado, quando este surgia inesperadamente ou não.


Tudo isso fruto de uma intelectualização e tentativa de racionalizar o sentimento ou a emoção, aí é que reside o maior erro, porque uma emoção, um sentimento vive-se, sente-se com o coração e não com a cabeça.


Portanto a lição a tirar é que cada momento deve ser vivido e expresso com as emoções e sentimentos que ele encerra, numa total entrega, sem tentar aplicar ao momento as teorias pensadas ou refletidas antes e sem deixar que a preocupação com as possíveis consequências impeçam esse deixar fluir das emoções e sensações despertadas e acarrete o desperdiçar de um momento único, porque esse jamais se repetirá.

domingo, 12 de abril de 2009

O essencial da vida

Inicialmente foi colocado o vídeo, retirado de http://video.google.com/videoplay?docid=1245021028549030187, porém parece tornar lenta a abertura do blog, por isso foi retirado, mas fica o link para poder visualisá-lo.

O essencial da vida pode ser resumido numa palavra: Amor

sexta-feira, 10 de abril de 2009

Páscoa...remissão dos pecados, triunfo da Luz sobre as trevas

A Semana Santa, para os católicos começa no Domingo de Ramos, onde se relembra a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, em que o povo cortara ramos de árvores, ramagens e folhas de palmeiras para cobrir o chão onde Jesus passaria montado num jumento e com folhas de palmeiras nas mãos, o povo o aclamava “Rei dos Judeus”, “Hosana ao Filho de Davi”, “Salve o Messias”... despertando nos sacerdotes e doutores da lei muita inveja, desconfiança, medo de perder o poder, gerando, então uma trama para condenar Jesus à morte na cruz.

A morte de Cristo na cruz abriu-nos a porta para a reconciliação. A morte de Cristo ("isto é o meu corpo e o meu sangue que é dado e derramado por vós") produziu e produz vida.

A Páscoa encerra a Semana santa, é uma passagem (das trevas para a luz, da morte para a vida eterna, é o renascer para uma vida nova) é a celebração da ressurreição de Jesus Cristo , vitória sobre a morte. A morte de Cristo na cruz abriu-nos a porta para a reconciliação. Por isso o recomendado aos cristãos é que se confessem pelo menos 1 vez por ano, na Páscoa, libertando-se do pecado e reconciliando-se com Deus.

Mas o que é o pecado? seria desobediência aos mandamentos da lei de Deus. Eram sete pecados mortais(orgulho, preguiça, gula, avareza, inveja, ira, luxúria), mas a modernidade obrigou a Igreja a actualizar os pecados mortais e a renovar a lista de situações que, sem arrependimento ou confissão, condenam a alma humana ao fogo eterno do inferno. Por isso, a partir de agora, o consumo de drogas, a poluição ou a desigualdade social passam a constar da lista de novos pecados que podem custar o descanso eterno.

Talvez pecado seja tudo aquilo que contraria a nossa consciência e nos causa a sensação de termos ferido a nossa alma.

Será mesmo que as pessoas quando se confessam estão realmente arrependidas? ou será que estão apenas atemorizadas e receiosas de virem a ser castigadas e por isso se mostram arrependidas justamente para não o serem? Da mesma forma será que as pessoas tentam não cometer nenhum pecado para obterem a recompensa de vida eterna no paraíso que foi incutida durante o ensinamento recebido na Doutrina Católica, ou será porque vivem segundo a lei do amor e portanto afastam de suas vidas tudo que possa manchar e alterar esse amor ferindo a alma?

Existe uma música cantada na Igreja Católica que faz uma pergunta: "...eu que deixei tudo por Ti, então qual será a minha recompensa..?" o que leva a refletir:

Fazemos o bem porque esperamos uma recompensa?

Os apóstolos seguiram a Jesus esperando uma recompensa?

Porque criamos e seguimos princípios éticos ou morais?

Porque cometemos boas ações?
Esta última pergunta levou a que fizesse uma busca interior mais aprofundada para poder constatar que ao fazer uma boa ação ou ajudar alguém, até hoje, nunca fui apologista do "toma lá dá cá", do tipo "faço isto para que me dês isso em troca" ou "faço isso para quando eu precisar alguém me faça a mim", ou ainda em "prol dos meus pecados, para ir para o céu. Não viso nenhuma recompensa, reconhecimento, algo em troca ou benefício, simplesmente faço porque me dá uma sensação de bem estar e felicidade no momento e que amanhã, por vezes, nem me lembrarei mais do ocorrido.

Sigo, ou procuro seguir, os princípios éticos, morais e religiosos ditados pela minha consciência, para estar em paz e de bem comigo mesmo, no caminho da luz, evitando as trevas, porque assim poderei estar em união com Deus e em harmonia com o Universo.

sábado, 4 de abril de 2009

Mentira, difamação, calúnia ...que mundo é este?

Mentira, difamação, calúnia...que mundo é este em que vivemos? Como é possível que um ser humano dirija-se a um profissional para pedir a sua colaboração, mas querendo direcionar a sua atuação e quando não consegue que o profissional abdique do que é correto em favor do que pretende, apresenta uma reclamação contra esse mesmo profissional com dados falsos inclusive acusando-o de a ter expulsado do gabinete.
É lamentável qualquer tipo de roubo, mas é inadmissível que um ser humano roube a moral do outro, através do uso da mentira, calúnia, injúria, difamação nas palavras que profere. Mais cedo ou mais tarde a verdade surge, mas e até surgir como fica aquele que foi dardejado pela língua venenosa de alguém sem escrúpulos, sem caráter, sem princípios éticos, morais ou religiosos?

Contudo, causa repugnância que muitas vezes não haja punição para esse tipo de crime, porém se fosse punir de forma drástica, por exemplo, com prisão, estas ficariam abarrotadas, como numa antiga música diz "se gritar pega ladrão não fica um meu irmão", embora esta se refira mais à corrupção, porque parece que hoje em dia a liberdade de expressão, foi confundida com falta de responsabilidade no falar e como tal as pessoas saem por aí expressando mentiras como se verdades fossem, caluniando, difamando os outros e ficam impunes, dando margem para que cada vez mais esse número aumente.

Causa uma certa confusão como as pessoas que roubam, principalmente a moral dos outros, conseguem dormir, frequentarem à missa e comungarem tranquilamente, se forem católicos, enquanto que as pessoas honestas, sinceras, justas, perdem o sono se têm dívidas para pagar ou se forem injustas com alguém?

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Vale a pena correr atrás de um sonho?

O sonho alimenta a vida, criando um sentido para ela, quando tentamos realizá-lo.
Não se deve deixar morrer um sonho diante das dificuldades encontradas. Porém não devemos tornar esse sonho, o único objetivo da nossa vida, porque corre-se o risco de perseguir um sonho, mal estruturado, durante uma vida inteira e quando alcançamos a realização desse sonho, nos damos conta que a vida também passou e nós não a desfrutamos, não nos desenvolvemos ou aperfeiçoamos, justamente porque só tínhamos um único objectivo a realização desse único sonho.
Vale a pena correr atrás da realização de um sonho, desde que esse sonho seja:
*Bem estruturado e equacionado de forma a traçar a meta a seguir.
* Bem delineado tendo presente quais os entraves que serão fatores impeditivos da sua realização, para poder lutar para retirá-los e poder realizar o sonho
* Elaborado com bases sólidas, levando em consideração o contexto em que está inserido, e o contexto em que será realizado
* Fundamentado nas suas reais aptidões e não apenas nos seus desejos ou "delírios" criados pela sua fantasia e não pela sua própria realidade, por exemplo, de que adianta sonhar com a carreira militar, se não consegue obedecer cegamente a uma ordem superior? Esse seria o primeiro passo rumo à frustração, mesmo que realizasse o sonho.
* Um sonho que não impeça de viver e aproveitar a vida.
Um sonho tornado realidade por insistência, teimosia ou obsessão, mas que não obedeceu aos critérios referidos, conduz a uma frustração acentuada, uma sensação de perda de tempo na vida e que esta passou rápida de mais e que muitas oportunidades de ser feliz foram perdidas. Neste caso não valeu a pena correr atrás desse sonho.
Contudo, a materialização de um sonho em que lutamos contra todas as adversidades, superamos todos os obstáculos e contratempos, dentro do contexto esperado, inserido na vida como acréscimo e não como único objetivo ou meta a ser alcançada traz uma sensação de felicidade plena, um alento impulsionador para continuar sonhando e perseguindo a materialização do sonho, renova a energia, torna-se um alento numa realidade por vezes menos favorável.
Vale a pena correr atrás da realização de um sonho, desde que, este não seja a única meta a ser alcançada na vida e que se tenha sonhado o depois do sonho realizado.


A força interior

O ser humano tem uma força interior capaz de levá-lo a transpor os obstáculos mais difíceis e complicados. Contudo nem sempre conseguimos utilizá-la porque deixamos-nos esmorecer e às vezes deixamos que enfraqueça, diante de contratempos que achamos ser de grandes dimensões.
Se formos pesquisar encontraremos inúmeros casos que exemplificam de como essa força interior é capaz de grandes e proezas. Inclusive a nível de ficção o filme "Hulk"mostra isso, numa versão mais antiga, penso que foi a primeira e que deu origem a uma séria televisiva, "um cientista visava justamente encontrar o que fazia com que as pessoas em situação de perigo extremo, conseguiam desenvolver uma força superior ao normal e ele não, no momento em que a família estava preso num carro e ele não conseguiu libertá-los antes do carro explodir, nas suas pesquisas, acidentalmente ficou exposto à radiação gama e a partir daí o seu DNA modificou-se, de tal forma quando ficava enraivecido ou irado ele transformava-se num ser verde com uma força brutal, capaz de suspender um ônibus e arremessá-lo sem grandes dificuldades".

Ficção à parte, existe uma força interior dentro de nós, que é desconhecida por muitos, mas que em determinadas situações se apresenta de forma surpreendente até para a própria pessoa.

Alguns exemplos de situações aonde a força interior é fundamental:

1-Um fumador para deixar de fumar só o consegue primeiro se realmente quiser ( a maior parte do insucesso nesse sentido reside no fato de que para muitos o cigarro é uma fonte de prazer e geralmente aquilo que dá prazer o organismo reluta em deixar), depois usando a sua força interior e por fim com a ajuda da substituição da nicotina do cigarro por nicotina em pastilhas ou "selos" transdérmicos;
2-Uma pessoa que está com depressão, se não usar a sua força interior para superar, ficará dependente de medicação anti depressiva por um longo período e se isso acontecer, vai fazendo com que haja consequências para o organismo e vai enfraquecendo cada vez mais essa força interior;
3- Uma pessoa que sofre um acidente vascular cerebral e fica com um membro paralisado se não usar a sua força interior para não se entregar ao papel de "vítima", de ficar "lambendo ferida" ou de ser " coitado" (não esquecendo que "coitado é filho de rato que nasce pelado") e sim lutar para superar essa limitação, com empenho, dedicação e esforço, acaba por recuperar, nem que seja parcialmente, aquilo que perdeu.
4- Na situação de perda, em especial de luto pela morte de um ente querido, precisa da força interior para ajudar a superar a dor da perda, da saudade, muitas vezes do remorso e das culpas, sendo reais ou imputadas pelo próprio sem que na verdade tenham existido.
Exemplos não faltam, mas tornar-se-ia cansativo descrevê-los, mesmo porque cada pessoa tem seu próprio exemplo de como a força interior realiza autênticos milagres, como no caso de vítimas soterradas, mas que não foram atingidas fisicamente em órgãos vitais, por terremotos que são resgatadas com vida após algumas horas sob os escombros. Pessoas que se tornam invisuais depois de adultos e conseguem progredir na carreira que tinham outrora, como o caso de um arquiteto, que continuou fazendo seus projetos, além de continuar ministrando aulas na universidade, em Lisboa.
Por vezes a força interior está relacionada com o instinto de sobrevivência, outras vezes está relacionada com a forma que a pessoa lida com o stress do dia a dia, com a auto estima, com os valores e princípios que tem dentro de si, com os seus objectivos na vida, com os seus sonhos e metas a serem alcançadas, contudo, nem sempre as pessoas se voltam para buscar a sua força interior, fazem antes uma romaria exterior (farmácias, médicos, remédios, psicólogos, consumo de drogas, etc) é claro que tudo pode ser necessário, exceto o consumo de drogas ilícitas), mas como coadjuvante, porque o fundamental reside dentro de nós mesmos. Um doente fica curado de sua doença quando decide ficar bom, não é porque simplesmente tomou um comprimido, este faz seu efeito, mas não será eficaz em sua totalidade se o doente não quiser ficar curado. Um analgésico (remédio para tirar a dor) atua num componente da dor, mas uma dor tem vários componentes o físico, mas também o psíquico, daí a dor ser subjectiva, para muitos uma dor de dente é insuportável, mas para outros uma dor de cabeça pode ser mais insuportável do que uma dor de dente. Existe uma escala para tentar aferir a dor, mas uma coisa é certa quando tiramos o pensamento da dor que sentimos, esta diminui e chega a passar só com o desviar da atenção. Quem é que já não teve a experiência de ter uma dor de cabeça por exemplo, mas de repente surgir algo que exigisse a sua concentração imediata e depois percebe que a dor de cabeça já não existe mais, mas daí a alguns segundos de ter feito essa constatação, a dor volta? isso acontece porque tiramos o foco da nossa atenção da dor, porque algo mais importante assim o ditou (por exemplo a preocupação com um ente querido) e a nossa força interior nos fez concentrar naquilo que era fundamental no momento, superar a nossa dor em prol de algo ou alguém importante para nós.
A força interior existe dentro de cada um a espera de ser libertada para entrar em ação e ajudar a superar os obstáculos que a vida for colocando ao longo do caminho.

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Consuta médica ou mercearia?

A evolução do conhecimento é tão grande que agora os Homens já se dirigem a um consultório médico não para falar dos seus sintomas ou de sua saúde abalada e sim como quem vai à mercearia: "eu quero isto, eu quero aquilo, esse não quero, quero aquele produto". Caso não seja atendido em suas pretensões, ofende, insulta, ameaça e/ou pede o livro de reclamações.
Hoje em dia parece que todos sabem de tudo e por isso acham-se no direito de direcionar o trabalho do profissional, não só médico, como outros.
Passamos de um extremo ao outro,em termos de consulta médica, antes só em último caso, agora procura-se demasiadas vezes sem esperar efeito do tratamento instituído e muitas vezes depois de se dirigirem à farmácia é que vão ao médico para que este lhes passe a receita do medicamento que comprou na farmácia sem receita médica, para não pagar ou ter descontos.
O Médico de Família, na concepção dos usuários e o que é pior dos próprios colegas, não é um médico que tirou a especialidade em Medicina Familiar e sim um secretário ou um administrativo qualificado, que tem o selo para por nos papéis, ou seja um burocrata em que só está ali para:
... transcrever os pedidos de exames que o "especialista" passou, sem ao menos ter o trabalho de os prescrever por escrito: "vá ao seu médico de família para que ele lhe passe um p1 para...", ...passar a receita dos medicamentos que até nem foi passado por nenhum médico e sim porque ouviu o vizinho dizer que fazia bem.
...Passar relatórios clínicos para a segurança social de situação que é seguida por outro especialista
...Passar certificados de incapacidade temporária de intervenções cirúrgicas iniciais, quando neste caso deveria ser passado por quem realizou a intervenção fazendo-se acompanhara por uma informação para que o Médico de Família pudesse renová-lo até quando fosse necessário.
...Passar credenciais para serem consultados no hospital, quando foram observados no serviço de urgência do hospital e, ao invés de ser devidamente encaminhado automaticamente para a consulta externa da especialidade indicada são orientados, verbalmente na maioria das vezes, para se dirigirem ao Médico de Família e este os encaminhar para a consulta externa desse mesmo hospital.
Que frustração deve sentir um médico ao saber que é consultado não em termos dos seus conhecimentos técnico científicos (caso os tenha), mas sim por causa do seu selo, para que tenham descontos ou porque não pagam nada para fazer análises laboratoriais e exames que pretenderem ou ainda para que o tratamento "seja de graça", esquecendo-se que sai do bolso de todos aquilo que ele não paga ou recebe desconto e que portanto deveria ser usado criteriosamente de acordo com a necessidade e não para satisfação de vontades, como de querer fazer análises "para ver se estou bem" e continuar com hábitos pouco saudáveis ou não recomendáveis para a manutenção da saúde, como por exemplo auto medicar-se, fumar, beber, ingerir excesso de gorduras, etc.

Riqueza e êxito companheiros inseparáveis do Amor

Uma mensagem recebida como anexo, num mail recebido, infelizmente não trazia o nome do autor, que será transcrita, por se tratar do Amor e este ser o combustível que deveria mover o Homem, mas que hoje em dia parece ser tão raro, não por ser precioso, diga-se de passagem é extremamente precioso, mas por ser escasso, parece que o ser humano arranjou outro combustível para se movimentar, de forma que a sua produção está se tornando cada vez mais restrita no coração do Homem.
Quem sabe este texto não faça com que o Homem, reflita e incremente a produção do Amor, fazendo com que cresça de forma exponencial, de forma que o mundo tenha reservas ilimitadas desse combustível e se transforme no mundo idealizado pelo Criador:

"Uma mulher regava o jardim da sua casa e viu três idosos com os seus anos de experiência em frente ao teu jardim. Ela não os conhecia e disse-lhes:Penso que não vos conheço, mas devem ter fome.Por favor entrem na minha casa para que comam algo.

Eles perguntaram: O homem da casa está ?

-Não, respondeu ela, não está.

-Então não podemos entrar, disseram eles. Ao entardecer, quando o marido chegou, ela contou-lhe o sucedido.

-Então diz-lhes que já cheguei e convida-os a entrar. A mulher saiu e convidou os homens a entrar na sua casa.

-Não podemos entrar numa casa os três juntos, explicaram os velhos.

-Porquê?, quis saber ela. Um dos homens apontou para outro dos seus amigos e explicou: O nome dele é Riqueza. Depois apontou para o outro. O nome dele é Êxito e eu chamo-me Amor.Agora vai para dentro e decide com o teu marido qual de nós três desejam convidar para a vossa casa. A mulher entrou em casa e contou ao seu marido o que eles lhe disseram.

O homem ficou muito feliz: Que bom ! Já que é assim então convidemos a Riqueza, que entre e encha a nossa casa. A sua esposa não estava de acordo: Querido, porque não convidamos o Êxito ? A filha do casal estava a escutar da outra esquina da casa e veio a correr.Não seria melhor convidar o Amor ? O nosso lar ficaria então cheio de amor. Escutemos o conselho da nossa filha, disse o esposo à sua mulher.Vai lá fora e convida o Amor para que seja nosso hóspede. A esposa saiu e perguntou-lhes: Qual de vocês é o Amor ?Por favor entre e seja o nosso convidado.

O Amor levantou-se da sua cadeira e começou a avançar para a casa.Os outros 2 também se levantaram e seguiram-no. Surpreendida, a mulher perguntou à Riqueza e ao Êxito: Eu só convidei o Amor, porque vêm vocês também ? Os homens responderam juntos:

-Se tivesses convidado a Riqueza ou o Êxito os outros 2 permaneceriam cá fora,mas já que convidaste o Amor, aonde ele vá, nós vamos com ele. Onde houver amor, há também riqueza e êxito".

Reforço o desejo que nele foi encontrado:

"O MEU DESEJO PARA TI É...

Onde haja dor, desejo-te Paz e Felicidade.

Onde haja falta de fé em ti mesmo, desejo-te uma confiança renovada na tua capacidade para superá-la.

Onde haja medo, desejo-te amor e valor"