Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

sexta-feira, 10 de abril de 2009

Páscoa...remissão dos pecados, triunfo da Luz sobre as trevas

A Semana Santa, para os católicos começa no Domingo de Ramos, onde se relembra a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, em que o povo cortara ramos de árvores, ramagens e folhas de palmeiras para cobrir o chão onde Jesus passaria montado num jumento e com folhas de palmeiras nas mãos, o povo o aclamava “Rei dos Judeus”, “Hosana ao Filho de Davi”, “Salve o Messias”... despertando nos sacerdotes e doutores da lei muita inveja, desconfiança, medo de perder o poder, gerando, então uma trama para condenar Jesus à morte na cruz.

A morte de Cristo na cruz abriu-nos a porta para a reconciliação. A morte de Cristo ("isto é o meu corpo e o meu sangue que é dado e derramado por vós") produziu e produz vida.

A Páscoa encerra a Semana santa, é uma passagem (das trevas para a luz, da morte para a vida eterna, é o renascer para uma vida nova) é a celebração da ressurreição de Jesus Cristo , vitória sobre a morte. A morte de Cristo na cruz abriu-nos a porta para a reconciliação. Por isso o recomendado aos cristãos é que se confessem pelo menos 1 vez por ano, na Páscoa, libertando-se do pecado e reconciliando-se com Deus.

Mas o que é o pecado? seria desobediência aos mandamentos da lei de Deus. Eram sete pecados mortais(orgulho, preguiça, gula, avareza, inveja, ira, luxúria), mas a modernidade obrigou a Igreja a actualizar os pecados mortais e a renovar a lista de situações que, sem arrependimento ou confissão, condenam a alma humana ao fogo eterno do inferno. Por isso, a partir de agora, o consumo de drogas, a poluição ou a desigualdade social passam a constar da lista de novos pecados que podem custar o descanso eterno.

Talvez pecado seja tudo aquilo que contraria a nossa consciência e nos causa a sensação de termos ferido a nossa alma.

Será mesmo que as pessoas quando se confessam estão realmente arrependidas? ou será que estão apenas atemorizadas e receiosas de virem a ser castigadas e por isso se mostram arrependidas justamente para não o serem? Da mesma forma será que as pessoas tentam não cometer nenhum pecado para obterem a recompensa de vida eterna no paraíso que foi incutida durante o ensinamento recebido na Doutrina Católica, ou será porque vivem segundo a lei do amor e portanto afastam de suas vidas tudo que possa manchar e alterar esse amor ferindo a alma?

Existe uma música cantada na Igreja Católica que faz uma pergunta: "...eu que deixei tudo por Ti, então qual será a minha recompensa..?" o que leva a refletir:

Fazemos o bem porque esperamos uma recompensa?

Os apóstolos seguiram a Jesus esperando uma recompensa?

Porque criamos e seguimos princípios éticos ou morais?

Porque cometemos boas ações?
Esta última pergunta levou a que fizesse uma busca interior mais aprofundada para poder constatar que ao fazer uma boa ação ou ajudar alguém, até hoje, nunca fui apologista do "toma lá dá cá", do tipo "faço isto para que me dês isso em troca" ou "faço isso para quando eu precisar alguém me faça a mim", ou ainda em "prol dos meus pecados, para ir para o céu. Não viso nenhuma recompensa, reconhecimento, algo em troca ou benefício, simplesmente faço porque me dá uma sensação de bem estar e felicidade no momento e que amanhã, por vezes, nem me lembrarei mais do ocorrido.

Sigo, ou procuro seguir, os princípios éticos, morais e religiosos ditados pela minha consciência, para estar em paz e de bem comigo mesmo, no caminho da luz, evitando as trevas, porque assim poderei estar em união com Deus e em harmonia com o Universo.

2 comentários:

Palavras de Osho disse...

Céu,

Para que fique mais claro o que Osho quer dizer com renascimento (iluminação), vou postar neste domingo (12/04/09) um texto dele sobre isso.

Abração e muito obrigado por visitar o Palavras de Osho!

Céu disse...

Obrigada Palavras de Oslo! Pelo seu comentário aqui e no seu blog, por ter esclarecido sobre a iluminação e pela dica do blog relativo ao autoconhecimento,deste voltei a um livro de Oslo "MEDITAÇÃO - A PRIMEIRA E ÚLTIMA LIBERDADE" e tudo vai se encadeando, umas dúvidas vão sendo esclarecidas ao mesmo tempo que novas dúvidas vão surgindo.
Um abraço