Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Genoma...alfabeto da vida!

Na natureza, com raras exceções, o que distingue as formas vivas das inanimadas, é a sua capacidade de transmitir as características da espécie à geração seguinte.Todos os seres vivos são caracterizados pela informação contida num número constante de cromossomos para cada espécie, exemplificando:

Bactérias =1
Esquilo = 46
Rato = 38
Chimpanzé = 48
Homem = 46


Cada cromossoma está subdividido em genes. Cada gene é constituído por um fragmento de DNA. O DNA é composto por uma sequência de nucleotidos. Cada nucleotido contem uma base específica. A sucessão exacta destas bases é o código de onde se traduz a diversidade das espécies.

Os genes traduzem informação química herdada dos nossos pais no momento da concepção. Determinam a nossa constituição biológica. São eles que nos tornam similares aos nossos pais, controlam o nosso crescimento e a nossa aparência. Também determinam a nossa resistência a determinadas doenças ou predisposição a outras.
Cada indivíduo é portador de genes defeituosos. São vários mecanismos pelos quais os defeitos genéticos serão transmitidos de geração em geração:
1-Um único gene está alterado:
*Herança autossómica dominante, em que a característica é transmitida por um progenitor e da geração anterior;
*Herança recessiva, quando ambos os progenitores não foram afectados;
*Herança de ligação sexual ou ligado ao cromossoma X, em que o gene em causa é tido por relacionado com o cromossoma X.
2-Uma herança de padrão multifactorial. Vários genes ou vários cromossomas interagem entre si. Influências desconhecidas do meio envolvente poderão contribuir para a expressão ou características físicas do gene.
3-Reagrupamento de cromossomas, supressão ou duplicação.

Cada um de nós tem 46 cromossomas organizados em 23 pares, numerados de 1 a 22. O vigésimo terceiro par distingue homens e mulheres. O sexo feminino tem dois cromossomas X, e o sexo masculino tem um cromossoma X e um cromossoma Y.

Cada célula somática humana tem cerca de 6x109 pares de bases de DNA, o equivalente a cerca de 2 metros de DNA linear. A dupla hélice de DNA é enrolada em torno de histonas (proteínas básicas), formando nucleossomas

A estrutura principal é constituída por repetidos açúcares (desoxiribose no ADN e ribose no ARN) ligados a grupos fosfato. No ADN a parte variável determinante da informação genética, é constituída por uma sequência de 4 bases nitrogenadas azotadas:

*Adenina (A)

* Guanina (G)

*Citosina ( C)

*Timina (T).

No ARN (ácido ribonucleico) estas bases mantêm-se à excepção da Timina que é substituída pelo Uracilo (U).

As proteínas sao os compostos cuja síntese está directamente dependente da informação genética. A informação inscrita no ADN não é directamente utilizada para a síntese proteica, deve ser previamente transcrita em ARN mensageiro (ARNm), que comanda a incorporação ordenada dos aminoácidos das proteínas.


Cada grupo de 3 nucleótidos (codon) dá origem a um aminoácido especifico

Cada gene codifica para uma cadeia polipeptídica específica, (dogma central da genética):

*Replicação: ou duplicação do ADN em ADN, necessária à conservação da informação genética. Ocorre antes da divisão, de forma a que as duas células filhas possam herdar esta informação (qualitativa e quantitativamente).
*Transcrição: permite a passagem da informação de ADN para ARN, por emparelhamento de bases complementares.

*Tradução: Permite a síntese de proteínas especificas, segundo a informação contida no ARNm.



A especificidade genética do indivíduo e da espécie reside na sequência de nucleotidos das cadeias de ácidos nucleicos, ao nível do genotipo e ao nível do fenotipo, na sequência dos aminoácidos das cadeias polipeptidicas que formam as proteínas. São as moléculas proteicas que condicionam as formas e as funções do organismo.

Outrora os cientistas revelaram a sequência do genoma humano.

O GENOMA (totalidade do DNA) é o conjunto de instruções que permite a "construção" de uma pessoa. O genoma humano é constituído por mais de 3 milhões de pares de bases nitrogenadas azotadas (alfabeto do DNA: C -G A -T/U)

Cada célula de um ser humano tem no seu núcleo um conjunto de moléculas de DNA que, de cada vez que a célula se divide, são copiadas e passadas para as células filhas. Isto significa que todas as células do nosso corpo têm um DNA idêntico, organizado fisicamente em 46 cromossomas; 23 herdados do pai e 23 da mãe.

Conhecem-se as letras do livro de instruções para fazer um ser humano. Agora, temos de aprender a ler as palavras, ou seja, encontrar os genes que codificam o fabrico das mais de 100 mil proteínas de que somos feitos.

A descoberta do genoma humano é a ponta de um iceberg, o que se vê é a menor parte do seu real tamanho que não se consegue visualizar na totalidade. Para muitos pesquisadores todas as doenças têm origem genética direta (as doenças genéticas propriamente ditas que ocorrem por predisposição para determinada doença e por erros ao nível da síntese proteica, mutação, deleção, duplicação ou ausência dos genes )ou indiretamente (resposta do organismo à agressão exterior , vírus, toxinas conjugada à predisposição interna), como é o caso de algumas doenças como diabetes, esquizofrenia, doença bipolar, que supostamente, alguns pesquisadores conseguiram identificar possíveis genes que estariam na sua origem.

Sendo o DNA a identificação do indivíduo a nível celular e o genoma o conjunto total do DNA, parece impossível que se consiga determinar com exatidão e confiança que determinado gene seja responsável por esta ou aquela doença e não apenas uma evidência de uma característica pessoal, um achado casual sem nenhuma implicação em termos de doença, isto é um falso positivo, induzindo ao erro, culpando um inocente, neste caso o gene diferente e deixando de encontrar o verdadeiro "criminoso".


Parece que em termos de ser humano quanto mais perto pensamos estar em termos de descobrí-lo, mais distante e desconhecido ele se revela, exatamente como quando somos analfabetos e aprendemos a ler, conhecemos as letras isoladamente, mas não conseguimos formar palavras, depois agrupamos conseguimos formar palavras, descobrimos que são milhares as palavras que se pode formar através do agrupamento das letras, mas não conseguimos saber o seu significado, aos poucos vamos conhecendo o seu significado, porém depois descobrimos que a palavra além de ter vários significados ainda depende do contexto na frase onde está inserida ou no tom com que é expressa na comunicação oral e que na realidade não conseguimos saber o significado de todas as palavras existentes, assim como não conseguimos compreender o significado daquilo que por vezes encontramos no ser humano, justamente pela sua ampla diversidade e variabilidade genética.

domingo, 28 de junho de 2009

Indústria farmacêutica e a Saúde

A indústria farmacêutica está sempre lançando novos fármacos. Os laboratórios proliferam, são tantos, principalmente genéricos, que nos leva a pensar que a população humana está doente. Tanto dinheiro é gasto em marketing para "catequizar" aos médicos a prescreverem o produto e ao público para adquirirem-no.
As pesquisas, os estudos de investigação feitos para a produção de um fármaco visam única e exclusivamente tratar uma doença e restaurar a saúde da população, os lucros seriam decorrentes do consumo, ou será que cada molécula estudada visa de imediato qual o lucro que daí resultará? Seria lirismo ou mercantilismo?

O consumo de fármacos está cada vez mais elevado, parte dessa responsabilidade cabe aos médicos que os prescrevem, alguns de acordo com a real necessidade apresentada pelo utente, outros porque estão "comprometidos" ou são pressionados pelos doentes que se não levam uma receita de um comprimido (porque necessitam de outro tipo de tratamento, pois existem várias modalidades de tratamento para além dos fármacos) acham que o médico não será um bom médico (embora alguns se lhe forem receitados muitos fármacos acham que o médico não sabe e está fazendo experiência, receitando mais do que um para ver se acerta ), porém a outra responsabilidade cabe à população que se auto medica com a cumplicidade dos atendentes das farmácias.

Algo não vai bem, quando temos drogarias que colocam à disposição em bancadas, os medicamentos de venda livre, como no mercado ou na feira aonde as pessoas enchem a mão e coloca no saco e dirige-se para pagar no caixa. Igualmente algo não está bem quando algumas farmácias ou drogarias vendem antibiótico sem receita médica ( o uso indiscriminado de antibióticos vai condicionando estirpes de microrganismos resistentes aos antibióticos e quando surgirem infecções mais graves o arsenal terapêutico ficará reduzido, como no caso do microrganismo staphylococos aureus: MRSA= Methicillin-resistant Staphylococcus aureus e mais recente VRSA=Vancomycin-resistant Staphylococcus aureus).

Está certo que "nós somos os médicos de nós mesmos" porque conhecemos o nosso organismo e sabemos quando algo não está bem e como diz o ditado popular:"de médico e de louco cada um tem um pouco", mas isso não dá o direito da pessoa achar que sabe, ou porque pesquisou na Internet de sair pela vida fora ingerindo este ou aquele medicamento sem ser observado por um médico, este é o único que detém (ou deveria ter) a habilitação necessária para a prescrição de medicamentos ao doente. O farmacêutico (aquele que cursou a faculdade de Farmácia e não o atendente na farmácia ou drogaria) tem habilitações necessárias para indicar um fármaco para determinada doença, porém não detém o conhecimento do historial do doente em relação às doenças que possuem e a medicação que toma, por vezes têm alguma patologia ou toma alguma medicação que não pode ser associado a determinados fármacos, por exemplo, se o doente tem Hipertensão Arterial não deve usar frequentemente AINE's, pois estes podem provocar aumento na tensão arterial, assim como os doentes hipocoagulados também não o devem fazer, porque há o risco de provocar hemorragias, principalmente digestivas.

Hoje em dia quando alguém se queixa de dor no estômago tem sempre alguém para aconselhar: "toma um comprimido de (...)" da mesma forma que nos meios de comunicação social existem anúncios comerciais de fármacos exatamente como os que são apresentados, por exemplo, para um shampoo, ou então incentivam a manter hábitos errados de alimentação e para prevenir suas consequências aconselham andar sempre com a "carteirinha de (...)" no bolso.

O consumo de medicamentos já está tão arraigado que passou a ser banalizado, só que as pessoas parecem esquecer que os fármacos são substâncias químicas que interagem e interferem com o normal funcionamento do organismo, que vão fazer bem aquela doença ou sintoma, mas vão prejudicar outra parte do organismo e que isso leva à poli medicação (por necessidade de associação quando há mais de um alvo a ser combatido, mas muitas vezes para combater o efeito colateral de uma medicação e depois outra e mais outra gerando uma cascata: um fármaco para uma doença, outro fármaco para combater o efeito indesejável daquele e depois outro para combater o deste e assim sucessivamente, por exemplo, determinado fármaco utilizado para a tosse causa "prisão de ventre" o que leva a tomar posteriormente um fármaco laxante e/ou regulador do intestino).

A super valorização do artificial em detrimento do natural tem que diminuir, as pessoas deverão se conscientizar que

* Prevenir é o melhor remédio;

* Uma alimentação equilibrada é a maior fonte de saúde. "Nós somos aquilo que comemos";

*A atividade física é o complemento da alimentação equilibrada para manter um organismo saudável;

* Uma simples vitamina é alimento (fornece os nutrientes necessários ao bom desenvolvimento e funcionamento do organismo), remédio (quando o organismo está carente dela) ou veneno/tóxico para o organismo (quando está em excesso no organismo, no caso de ter uma alimentação equilibrada, rica em frutas, verduras e legumes, que fornece as vitaminas necessárias ao organismo e ainda assim tomar vitaminas compradas na farmácia).

* Várias doenças têm sintomas em comum, porém cada uma delas requer tratamento diferentes, quem tem (ou deveria ter) o conhecimento para saber qual o tratamento específico para cada uma delas, é o médico;

* Cada organismo é diferente e tem reação diferente à agressão sofrida quer pela doença, quer pelo tratamento instituído, o medicamento que é bom para um pode não o ser para o outro, por exemplo um fármaco tranquilizante, pode em determinadas pessoas deixá-la mais excitada ao invés de tranquila;

* Todo o medicamento é uma substância química que interfere com o normal funcionamento do organismo.

Se houver essa tomada de consciência a cerca do consumo de medicamento , este passe a ser produzido de forma racional atendendo às reais necessidades relativas à saúde e não relativas à obtenção de lucros.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Livro...registro de uma emoção

Um livro por vezes é o registro de uma ou várias emoções sentidas, nele seu autor eterniza um momento particular de emoção vivida através de suas fantasias, seus sonhos ou da realidade vivida nem sempre sonhada ou imaginada.
Tem livros em que o autor discorre livremente sobre o que lhe vai na alma e no seu coração, sobre momentos fantásticos de encontros repletos de sintonia, magia, que deixam perplexa a sua razão por serem incrivelmente surpreendentes, precisos e inexplicável, como se fossem um conto de fadas criados por sua fantasia ou imaginação. Esses autores devem ter se beliscado várias vezes para ver se não estariam sonhando quando esses momentos aconteceram ou quando estavam a descrevê-los.

Viver um relacionamento onde existe uma forte ligação, uma sintonia perfeita que ultrapassa a dimensão física e a razão é no mínimo fascinante! São emoções ao rubro. Daí a necessidade de deixá-lo registrado num livro para que não se perca no vasto mundo do pensamento e do tempo, onde possa ser revivido sempre que o desejar, se bem que seja inesquecível, ficando para sempre gravado no coração e no espírito; como forma de homenagear e agradecer à pessoa que proporcionou essa sintonia ou simplesmente extravasar as emoções que parecem querer explodir dentro do peito.

Viver um momento de perfeita sintonia com alguém é maravilhoso, se for através da distância causa uma sensação de mistério, de algo que transcende a razão e escapa a compreensão lógica, a percepção da interação harmoniosa, porém invisível, com o Universo, consequentemente originará um estado sublime de êxtase e a necessidade de perpetuar esse momento tentando descrevê-lo nas páginas de um livro, ou no post de um Blog, que tornar-se-á o reflexo d'alma através da razão pela emoção.

Disse-me-disse... uma praga nas relações humanas

O disse-me-disse é como uma bola de neve vai vai crescendo a medida que vai rodando, por vezes assume uma magnitude de tal ordem que é capaz de derrubar ou destruir muitas pessoas, criar inimizades, por fim a uma amizade, desestruturar famílias, levar a separação e isolamento de elementos de uma família.

O disse-me-disse só prolifera porque as pessoas não usam de sinceridade, não são verdadeiras nas suas relações com os outros, não dizem o que pensam e não pensam antes de dizer, outras vezes porque não querem incomodar ou atrapalhar e por isso tomam decisões erradas, porém bem intencionadas e o outro pouco compreensivo e às vezes até egocêntrico, que só "olha para o seu umbigo" nem pensa que a tal atitude fora pensando no melhor para ele vai logo criticando, sentindo-se excluído, sentindo-se "coitadinho" a família deste "toma as sua dores" julga e condena aquele, que se sente magoado, ofendido por tamanha incompreensão, ingratidão, injustiça que recebeu quando na realidade, agiu por amor, pensando no outro e não em si mesmo como é acusado. Gerando revolta, esta provocará atrito nas relações, conflitos que vão se acumulando podendo mesmo chegar ao rompimento das relações entre os intervenientes.


Como evitar disse-me-disse:


1- dizer o que pensa no momento em que a situação está ocorrendo


2- Não tomar decisões pelo outro


3- Expor o problema com clareza e de forma concreta sem estar pensando em "poupar o outro", facilitar a sua decisão. Deixar que o outro decida mediante o problema apresentado


4- Se tem alguma dúvida a cerca do procedimento do outro expô-la com clareza, sem "dourar a pílula"


5-Se não concorda com uma atitude que alguém tenha deverá expressá-la no momento.


6- Se conhece bem a pessoa e tem um relacionamento muito próximo e se esta pessoa tem uma atitude que não condiz com o que se conhece dela, deve-se esclarecer no momento. Não tem que pensar "não quero melindrar".


7- Situações conflituosas tem que ser resolvida entre os que estão envolvido diretamente, cortando o "fulano disse que tu fizeste ou disseste isso..." por exemplo se surge um impasse a cerca de um convite e pede-se para deixar o recado com alguém, mas esse alguém não está e o recado é dado a outrem, este vem tomar satisfação com quem deixou o recado, gerando desentendimento, para evitar isso é que o recado deve ser dado diretamente, se não o for, não se deve aceitar que terceiros "entrem", deve ser logo cortado de imediato: "você não tem nada a ver com a história isso é comigo e com a pessoa, se quer participar, será com os 3 ao mesmo tempo.


8- Os recados devem ser dados diretamente a quem se destina, porque "quem conta um conto aumenta um ponto" e cada pessoa vai dando a sua interpretação e muitas vezes o recado chega ao destinatário deturpado gerando confusão, atritos, injustiças, mágoas, totalmente inevitáveis, o pior que muita vezes ficam por esclarecer, o emissor pensa que o receptor é o culpado e o receptor pensa que o emissor é o culpado. De primeiro existia uma brincadeira de gupo que se chamava "telefone sem fio" que consistia nas pessoas ficarem sentadas em círculo e alguém conta um segredo ao ouvido do outro, de forma rápida, que passa para quem está ao lado e assim até chegar ao ouvido de quem emitiu, só que chega totalmente deturpado, por vezes completamente diferente do original.


9- Checar sempre as impressões e interpretações, porque muitas vezes a nossa interpretação não corresponde à realidade ou a intenção com que foi realizada. Existiu outrora uma peça teatral, interpretada pelo Ari Fontoura e José Wilker, que se chamava "assim é se lhe parece" onde ocorre um crime e as personagens dão sua versão e o impressionante é que o público que acompanhou a cada versão aceita-a como verdadeira, porque todas acrescentam detalhes que faltava nas outras. Isso mostra que devemos checar todas as hipóteses antes de emitirmos um julgamento ou condenarmos alguém ou uma atitude.


10- Deve-se dizer a verdade mesmo que isso acarrete consequências, como tristeza, frustração, decepção,"é preferível uma verdade sincera do que uma mentira piedosa ". Com a verdade a pessoa pode se defender e se proteger, com uma mentira a pessoa fica vulnerável, indefesa, exposta aos "ataques" e envolvida em conflito sem que nem se quer saiba do porque. Uma vez que, infelizmente, existem pessoas que:


... São autênticas marionetes nas mãos de outras pessoas, principalmente das mais próximas e não se apercebem disso;


... São muito ardilosas conseguem influenciar e manipular os outros, principalmente aqueles que lhe devotam afeto ou um sentimento profundo, de tal forma que estes tomam atitudes, muitas vezes erradas, achando que foi por decisão própria, quando na verdade fora uma idéia "plantada".


... São mais de "pôr lenha na fogueira" do que de "por água na fervura", gostam de ver o "circo pegar fogo", são os "amigos da onça".


... São cínicas, falsas, sonsas, traiçoeiras que armam intrigas para ferir alguém, de forma indireta, sem que seja apontada como a responsável, aproveitando-se de que o outro, ligado afetivamente a elas e a quem pretendem ferir, "ferve em pouca água" e como tal não para para refletir e pensar, vai logo reagindo, tomando atitudes ou proferindo palavras que magoarão justamente aquele que a pessoa queria ferir ou atingir.


Devem existir mais formas de combater o disse-me-disse, de interromper o "telefone sem fio", mas estas dez serão as mais eficazes

domingo, 21 de junho de 2009

Festa Junina ...um marco da infância

Vésperas dos santos populares, já passou Santo Antônio casamenteiro, as vésperas de São João, festeiro e São Pedro, pescador. Surge a lembrança dos tempos de criança, quando dançava quadrilha, parte integrante da festa Junina realizada no Rio de Janeiro, não sei se semelhante por todo o país, bate uma saudade desses tempos idos, desse marco da infância de alegria, descontração, animação em grupo: Das ruas enfeitadas com bandeirinhas de papel colorido, lanterninhas de São João com velas acesas, iluminando as noites, por vezes com o céu iluminado pelos balões com os mais variados formatos e dizeres, das brincadeiras:

* "pescaria";

*"Torpedos";

* Lança argolas";

* "Derruba latas";

* Venda das rifas para ser coroado reis, rainhas, príncipes e princesas da festa e o principal:

*" Casamento na roça" seguido da "quadrilha" (caminho da roça, dança dos namorados, túnel do amor, caracol, são apenas os passos que ficaram na lembrança) e "pular a fogueira";

Das comidas: Cachorro quente com aquele molho que cheirava á distância assim como o salsichão e o churrasquinho na brasa com a farofinha, milho cozido, pé de moleque, amendoim torrado, passoca, canjica, bolo de aipim, quindim, maçã do amor.

Das músicas:

*"o balão vai subindo vai descendo a garoa, a noite é tão linda e a broa também, são João, São João acende a fogueira do meu coração";

*"com a filha de João, Antônio ia se casar, mas Pedro fugiu com a noiva na hora de ir para o altar, a fogueira já está queimando, o balão já está subindo... João consolava Antônio que caiu na bebedeira.

*" Cai cai balão, cai cai balão, aqui na minha mão não vou lá não vou lá tenho medo de apanhar"

Curiosamente revendo a festa Junina (caipira) onde os meninos usavam um chapéu de palha, a face pintada de negro imitando a barba, o bigode, as "costeletas", com calças com remendo, blusão quadriculado e a s meninas com a face com ruge e pintas pretas por cima e lábios pintados de vermelho, usando vestido quadriculado, chapéu com trancinhas, calça branca até a colcha por baixo do vestido ambos com renda ao fundo e recentemente observando a atuação de um rancho folclórico português, as semelhanças foram surgindo:

*É um grupo composto por pares

* Há um traje, embora na festa junina represente os "caipiras" e daí calça "pescando siri" ou corretamente falando "corsários", com remendos, porque trabalham na roça. No folclore português estão representado não só os camponeses com seus trajes de trabalho, como os trajes de festa ricamente adornados e com colares de ouro ao pescoço, mas tanto homens como mulheres usam chapéu, embora as mulheres usem mais lenço característico (tipicamente português) na cabeça (por vezes sob o chapéu) ou colocado sobre os ombros como se fosse um xale além de usarem "7 saias" e por baixo calças brancas , semelhantes as das meninas na quadrilha, até a 1/2 da coxa com rendas. a única diferença é que nas primeiras vêm-se com o rodar das "saias em balão " e nestas vêm-se porque os vestidos são curtos.

* Expressam alegria, libertam as tensões.

* Desenvolvem passos/tem coreografia

A diferença é que a festa junina é mais uma brincadeira de São João e o folclore é uma manifestação cultural de um povo ou de uma região

Proteção ou agresão?

As notícias se repetem a cada instante :

..."criança retirada dos pais por maus-tratos é violada dentro da instituição para onde foi levada", ..."um padre foi constituído arguido por pedofilia";


... "crime de abusos contra menores em instituições sócio-religiosas".

... "professor e membro da comissão de proteção de menores foi preso por abusar sexualmente de adolescente"


Como é possível acontecer esses lamentáveis, inaceitáveis acontecimentos, principalmente numa instituição religiosa ou de solidariedade? supostamente são instituições que têm como base o amor ao próximo, então, como é possível os funcionários, que nelas trabalham, por vezes com filhos, terem esse comportamento repudíavel com crianças, ainda mais indefesas e já muito traumatizadas?


Como religiosos que se dizem tementes a Deus, que pregam as virtudes, que ensinam a Doutrina de Deus com os seus mandamentos, cometem ou permitem que outros cometam essas barbaridades contra um ser humano, principalmente com uma criança? Talvez sigam o lema "olha para o que eu digo, não olhes para o que eu faço" que por si só já é contrário aos ensinamentos de Jesus: "as palavras devem ser seguida de atos para não caírem no vazio"

Então as crianças são retiradas aos seus familiares para sua proteção, por eles lhe causam maus tratos e são colocadas em instituições onde são mal tratadas, abusadas, mas por estranhos?

É triste e doloroso constatar como o Homem está se tornando cada vez mais pervertido sobre vários aspectos, sem valores, sem princípios éticos e morais, afastando-se da Luz Divina e aproximando-se das trevas, perdendo a sua dignidade humana libertando o seu instinto primitivo animalesco, irracional, o que de pior possa existir dentro de si.

Tomara que na batalha entre a luz e as trevas, a luz triunfe sobre as trevas, que a dignidade humana prevaleça, que o amor seja o único vitorioso porque assim teremos esperança de que a sociedade ofereça proteção e não agressão ao seu cidadão, principalmente as crianças.

sábado, 20 de junho de 2009

Prazer ...sensação de bem estar!

A busca do prazer é a mola impulsionadora do Homem. Por vezes até se torna fatal como no caso da hipoxifilia, recentemente divulgada, com a morte em condições suspeitas, na Tailândia , do ator David Carradine (que interpretou o kung Fu),trata-se de uma situação rara e que consiste na indução, pelo próprio, de um estado de asfixia cerebral enquanto pratica sexo solitário ( o fluxo sanguíneo cerebral é restringido parcialmente, resultando em falta de oxigénio, o que diminui a inibição cortical normal. Isso resulta num orgasmo mais intenso, mas também num risco de morte acidental). A hipoxifilia é uma parafilia (do grego παρά, para, "fora de",e φιλία, filía, "amor") é um padrão de comportamento sexual no qual a fonte predominante de prazer não se encontra na cópula, mas em alguma outra atividade.
De A a Z existe uma lista de parafilia, desvios do comportamento sexual catalogados, desde os fetiches, passando pelo sadomasoquismo e terminando na zoofilia. Impressionante como esses desvios têm aumentado, ou será que sempre existiram, mas eram pouco divulgados?

Existem outros comportamento que parecem estar relacionado com a busca do prazer, mas não através do sexo, que são

*Os distúrbios alimentares relacionado com a imagem que a pessoa tem de si mesma, que tem como padrão de beleza a magreza: anorexia e alcoorexia (esta é recente, a pessoa utiliza a bebida alcoólica, de preferência os destilados, para suprimir o apetite e substituir as refeições, acreditando que assim não ganhará peso e nao engordará;

*O desenvolvimento dos músculos:

1-Uso dos esteróides androgênicos anabólicos (EAA ou AAS - do inglês Anabolic Androgenic Steroids), também conhecidos simplesmente como anabolizantes, são uma classe de hormônios esteróides naturais e sintéticos que promovem o crescimento celular e a sua divisão, resultando no desenvolvimento de diversos tipos de tecidos, especialmente o muscular e ósseo

2- Uso de óleos minerais, um dos óleos mais utilizados, no Brasil, por jovens que desejam um músculo mais avantajado é o ADE, um conjunto de substâncias utilizado para bois, cavalos, carneiros, porcos, que servem para suprir a deficiência de vitaminas no corpo do animal. Como um combustível, os jovens fazem um coquetel de substâncias e injetam nos músculos para um rápido crescimento, sem se preocuparem com os riscos que essa injeção pode trazer.” (Tribuna do Norte)

*Os tratamentos estéticos, principalmente os que envolvem cirurgia


Que prazer é esse que....

... traz consigo dor e sofrimento físico, psíquico e até moral , associado?

... pode causar danos ao organismo?

... pode ser fatal?

Essas pessoas que buscam desenfreadamente o prazer, simplesmente não o encontram, porque prazer é uma sensação de bem estar físico, psíquico ou moral, tendo como base a vivência do amor e respeito por si mesmo e pelo outros, portanto, incompatível com sofrimento ou dor causada por uma agressão quer ao próprio organismo como ao organismo de outrem.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Verdade da mentira...uma mácula na saúde mental

Verdade da mentira parece ser um paradoxo, mas é apenas a tentativa de entender a mentira. Quem usa buscar a verdade, estranha que a sua volta o que mais encontre sejam pessoas que faltam com a verdade, que parecem agir como se a verdade não tivesse importância ou não existisse, por vezes até eles próprios acreditam que sejam verdades.As razões para mentira são variáveis:

*Receio das consequências (quando tememos que a verdade traga consequência negativas);

* Insegurança ou baixa de auto-estima (quando pretendemos fazer passar uma imagem de nós próprios melhor do que a que verdadeiramente acreditamos);

* Por razões externas (quando o exterior nos pressiona ou por motivos de autoridade superior ou por co-acção);

* Por ganhos e regalias (de acordo com a tragédia dos comuns, se mentir trás ganhos vale a pena mentir já que ficamos em vantagem em relação aos que dizem a verdade);

*Por razões patológicas.

Hoje em dia há uma certa tendência em banalizar e rotular de mentira ligeira considerada como uma forma de facilitar a integração na sociedade e muitas vezes os que não a utilizam são catalogados como ingénuos , mas há que não esquecer que durante toda a história da humanidade a mentira causou muitos sofrimentos e fez derramar muitas lágrimas sobretudo quando projectada sob a forma de calúnia.


Swift e o seu amigo John Arbuthnot, no início do século XVIII, estão entre os primeiros a detectar na linguagem política dos Estados a sua fundamental constituição de embuste para consumo das massas civilizadas. De então para cá, os pregressos neste domínio - os maiores de todos- são colossais. O nosso é já o século da era tecnológica da mentira, aquele em que a impostura veio a ser industrialmente produzida numa dimensão sem precedentes. Agora «a obsolescência instantânea é uma das grandes maravilhas da nova arte da mentira política».
http://www.almedina.net/catalog/product_info.php?products_id=7459


A saúde mental só é compatível com a verdade, de nada adianta querer acreditar que nosso ente querido não faleceu, quando na realidade essa não é a verdade, se não temos asas de que adianta acreditarmos que somos capazes de voar (literalmente falando)? Nos estados neuróticos a mentira pode surgir com base numa incapacidade da consciência aceder a factos recalcados e que se encontram no nosso inconsciente, ou por problemas de auto-estima e auto-imagem que despoletam a necessidade de fazer passar uma auto-imagem melhor do que a que acreditamos ter.

Nos estados limítrofes, a mentira aparece frequentemente devido à falta de barreiras externas que balizem o comportamento. Esta situação surge frequentemente em filhos de pais muito repressivos ou demasiadamente permissivos.

Nas psicoses, a mentira surge na forma de delírio, uma descrição que as próprias pessoas admitem como verdadeira, apesar do seu aspecto frequentemente bizarro, devido a uma quebra de contacto com a realidade.
Pode ser uma dependência, mentira dita de forma compulsiva, em que a pessoa sabe que é mentira, mas não consegue controlar, semelhante ao vício do jogo ou ao consumo de drogas pelos dependentes.
Na infância mentimos para nos isentarmos das culpas. Muitas vezes os adolescentes descobrem que a mentira pode ser aceite em certas ocasiões e até ilibá-los de responsabilidade e ajudar a sua aceitação pelos colegas.

Durante os primeiros anos as crianças não distinguem a realidade da fantasia, mas cedo começam a utilizar a mentira por proveito próprio. Sensivelmente por volta dos 7 anos as crianças já têm capacidade para distinguir claramente o verdadeiro do falso, e os adolescentes passam a conseguir discernir com relativa facilidade quem está a mentir ou a ser sincero. http://www.psicologia.com.pt/artigos/ver_artigo.php?codigo=A0220


Swift diz: «Quem conta uma mentira raramente se apercebe do pesado fardo que toma sobre si; é que, para manter uma mentira, tem de inventar outras vinte».


A. Aleixo disse «Para a mentira ser segura, E atingir profundidadeTem que trazer à misturaQualquer coisa de verdade».
http://citador.weblog.com.pt/arquivo/231347.html

Três situações nefastas que ocorrem na sociedade e estão implicadas ou intimamente relacionadas com a mentira (Afirmar coisa que sabe ser contrária à verdade)O velho pecado da mentira está muito atuante entre os aqueles que se professam crentes em Deus. O diabo tem plantado a idéia que é muito mais fácil falar inverdades, a fazer uso da palavra reta. A sociedade atual tem a mentira como uma necessidade no dia-a-dia, nós como servos jamais devemos compactuar com esta visão distorcida implantada pelo diabo. Nossa palavra deve ser sempre verdadeira, esta condição se aplica em todos os aspectos da vida; seja profissional, pessoal e ou religioso. Há um conceito errôneo que a mentira tem tamanho, mas, para o povo de Deus seja qual for o tamanho, constitui-se em pecado, passível, portanto de condenação:

*Fofoca / Mexerico => intriga, bisbilhotice

*Calúnia (Falsa imputação (a alguém) de um fato definido como crime. Mentira, falsidade, invenção

*Difamar (Tirar a boa fama ou o crédito a; desacreditar publicamente; infamar, de trair; Imputar a (alguém) um fato concreto e circunstanciado, ofensivo de sua reputação, conquanto não definido como crime).


Tudo isso revela que na verdade a mentira é:

* uma mácula na saúde mental

* uma escoriação no amor

*um arranhão no relacionamento com Deus

*uma laceração na dignidade humana

*Uma chaga na sociedade.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

A vida é um ofício difícil de aprender...

A vida é um ofício difícil de se aprender, quando se consegue está se perto de morrer, quanta sabedoria existe nesta frase proferida pelo meu querido pai, ao longo da vida.

A vida é de uma simplicidade e naturalidade desconcertante, mas que os Homens conseguem torná-la complexa e complicada.


Um exemplo dessa simplicidade foi uma notícia apresentada num noticiário, sobre uma mulher que ligou para o serviço de bombeiros pedindo ajuda que tinha acabado de ter um bebê, sem saber que estava grávida. Inacreditável que isso possa ter acontecido, mas não é improvável que isso aconteça. As fêmeas de todas as espécies, férteis, acasalam, ficam grávidas e na altura certa "dão à luz" às suas crias, sem auxílio, daí poder acontecer isso com a espécie humana, principalmente se não houver o sinal de probabilidade, a ausência de menstruação.


Tudo na vida acontece por ciclos, a própria vida já é em si mesmo um ciclo: Nascimento, crescimento, desenvolvimento, reprodução e morte.


Porém tudo é relativo, os Homens estabelecem regras, ditam normas ou princípios, elaboram leis, mas para cada um destes existe uma ou várias exceções, além do que muitas vezes não são cumpridos ou respeitados. Daí a complexidade e a complicação que encontramos na vida. Outrora não existiam advogados, mas também não havia necessidade de serem criadas as leis para garantir a todos os direitos que possuem e cobrar os deveres que lhe competem, embora algumas vezes as leis sejam invocadas para respaldar uma ação errada ocorrida, como no caso de um aluno que quebrou a chapa (matrícula) do carro de um professor e quando ele pediu ao pai do aluno que pagasse o prejuízo, este alega que não pagará porque o carro estava estacionado dentro da escola o que não é permitido por lei. Nesta situação o pai do aluno que cometeu tal ato deveria pagar o estrago causado pelo filho e que deveria ser descontado da mesada caso dê ao filho, como forma de ensinamento sobre os direitos e deveres que todos devemos ter para se viver em sociedade, impedindo que venha a ser mais um dos marginais e vândalos que danificam propriedade alheia, bens de utilidade pública e espalham a violência. Embora pudesse exigir que a lei fosse cumprida não permitindo que os carros pudessem ser estacionados dentro do recinto da escola, se é o que diz a lei.


Por esses e muitos outros exemplos a conclusão que se pode tirar é : viver é simples e não custa até aos animais vivem, saber viver é que custa, (adaptado de uma frase que o meu pai dissera diversas vezes: "Ganhar dinheiro não é difícil até um burro ganha, saber gastá-lo é que é o difícil", isso a propósito de gastar o dinheiro mal gasto), diante do que vamos observando ao longo da jornada pela vida:


*Algumas leis ou regras que são feitas para atender não as necessidades de todos na sociedade e sim em função de interesses pessoais de um grupo;


* Propriedades e bens materiais que são destruídos por vandalismo, terrorismo ou marginalidade;


* Falta de princípios e respeito nas atitudes e comportamentos que ferem a dignidade humana;


*As injustiças sociais, onde crianças passam fome, num canto da sociedade e noutro canto grande soma de dinheiro movimenta um desporto profissional, como o futebol.
* Os desperdícios e os crimes contra a natureza (poluição, desmatamentos, etc...)

*Aqueles que procuram seguir as regras, cumprirem as leis são difamados, caluniados, castigados e os infratores ficam impunes.


quinta-feira, 11 de junho de 2009

Amizade...uma energia poderosa

Muito se fala sobre a amizade, mas esse é um tema inesgotável, ainda bem, porque a amizade é fundamental na vida do ser humano, chegando mesmo a ultrapassar a própria sobrevivência, como mostra uma mensagem recebida por mail, cujo autor é desconhecido:

O poder da amizade
Como a força da amizade ultrapassa a própria necessidade de sobrevivência.Numa aldeia vietnamita, um orfanato dirigido por um grupo de missionários foi atingido por um bombardeamento. Os missionários e duas crianças tiveram morte imediata e as restantes ficaram gravemente feridas. Entre elas, uma menina de oito anos, considerada em pior estado. Era necessário chamar ajuda por um rádio e, ao fim de algum tempo, um médico e uma enfermeira da Marinha dos EUA chegaram ao local. Teriam que agir rapidamente, senão a menina morreria, devido aos traumatismos e à perda de sangue. Era urgente fazer uma transfusão, mas como? Reuniram as crianças e, entre gesticulações, arranhadas no idioma, tentavam explicar o que se estava a passar e que precisariam de um voluntário para doar sangue. Depois de um silêncio sepulcral, viu-se um braço magrinho levantar-se timidamente. Era um menino chamado Heng. Ele foi preparado às pressas, ao lado da menina agonizante, e espetaram-lhe uma agulha na veia. Ele mantinha-se quietinho e com o olhar fixo no tecto. Passado algum momento, deixou escapar um soluço e tapou o rosto com a mão que estava livre. O médico perguntou-lhe se estava a doer, e ele disse que não, mas não demorou muito a soluçar de novo, contendo as lágrimas. O médico ficou preocupado e voltou-lhe a perguntar e novamente o menino negou. Os soluços ocasionais deram lugar a um choro silencioso, mas ininterrupto. Era evidente que alguma coisa estava errada. Foi então que apareceu uma enfermeira vietnamita de outra aldeia. O médico pediu-lhe que ela procurasse saber o que se estava a passar com Heng. Com voz meiga e doce, a enfermeira foi conversando com ele e explicando-lhe algumas coisas. E o rostinho do menino foi se aliviando. Minutos depois ele estava novamente tranquilo. A enfermeira então explicou aos americanos:- Ele pensou que ia morrer, não tinha entendido o que vocês lhe disseram e pensava que ia dar todo o seu sangue para a menina não morrer. O médico aproximou-se dele e, com a ajuda da enfermeira, perguntou:- Mas, se era assim, porque se ofereceu para dar sangue?E o menino respondeu, simplesmente:- Ela é minha amiga...


O próprio Jesus mostrou o valor e a importância da amizade, quando ressuscitou, Lázaro, seu amigo.


No Livro o Poder da amizade de Tom Rath , o autor descreve oito Papéis Vitais que os amigos desempenham em nossas vidas e nós, nas deles:
*Incentivadores - são grandes motivadores, que sempre impelem você em direção à linha de chegada. Investem no seu desenvolvimento e possuem um interesse genuíno no seu sucesso - mesmo que isso signifique correr riscos por você.
*Campeões - são amigos leais, que ficam do seu lado e das coisas em que você acredita. Eles não só elogiam você na sua presença, como também "cobrem sua retaguarda", saindo em sua defesa quando você não está por perto.
*Colaboradores - são aquelas pessoas com quem você tem interesses em comum. Podem compartilhar com você uma paixão por esportes, hobbies, religião, trabalho, política, comida, música, filmes ou livros.
*Companheiros - estão sempre do seu lado, sejam quais forem as circunstâncias. Têm um vínculo praticamente indestrutível com você. Quando alguma coisa boa ou ruim acontece na sua vida, essa é a primeira pessoa para quem você vai ligar.
*Comunicadores - são aqueles com quem você se socializa com freqüência. Sempre o convidam para eventos onde é possível conhecer outras pessoas, o que aumenta sua rede de contatos e lhe dá acesso a recursos inexplorados.
*Energizadores - são os "amigos divertidos" que sempre levantam seu astral. Eles fazem de tudo para animá-lo quando você está deprimido - e transformam um dia bom em um dia ótimo.
*Instigadores - expandem seus horizontes e o incentivam a acolher novas idéias, oportunidades e culturas. Eles o ajudam a fazer mudanças positivas, ampliando sua perspectiva em relação à vida e fazendo de você uma pessoa melhor.
*Guias - dão conselhos e mantêm você na direção certa. São os amigos perfeitos para compartilhar seus objetivos e sonhos. Eles o ajudam a vislumbrar um futuro positivo, mantendo ao mesmo tempo os pés no chão.


Tem amigos que além de possuírem uma energia maravilhosa que nos atrai, nos faz sentir à vontade, sem máscaras, sem receios, como se estivéssemos a sós connosco mesmo e opera uma transformação na nossa própria energia, como se mágica fosse, também possuem uma energia poderosa, capaz de tornar realidade todos os seus desejos, como por exemplo desejar que o sol surja para um amigo seu e como num passe de mágica antes o dia anterior nublado, depois do desejo feito, o dia seguinte apresenta-se com o céu azul radiante, iluminado pelo sol, sem nenhum vestígio das nuvens ou chuva de outrora.

Obrigada amigo! Não só por desempenhar na vida os oito papéis descritos anteriormente, mas porque o sol brilhou conforme assim o desejou!

terça-feira, 9 de junho de 2009

Tarefa realizada...missão cumprida!

Alguns seres humanos acreditam que cada um tem uma missão a cumprir nesta dimensão terrena e quando esta termina acaba o "prazo de validade" e o crepúsculo da vida chega.

O percurso da vida de uma pessoa é uma estrada cheias de curvas que forma um circuito fechado começando na Aurora da vida ( nascimento) e encerrando no seu Crepúsculo (morte) a estrada em si é a "missão" que tem destinada para cumprir e que poucos conseguem entender qual será. As curvas representam as tarefas ou pequenas "missões" do dia a dia em cada dia : Escrever um livro, por exemplo, fazer uma arrumação, elaborar um projeto, realizar um projeto, até mesmo um divertimento é uma tarefa e sempre que a concluímos uma missão foi cumprida, ultrapassamos mais uma curva da estrada. Por vezes "derrapamos" numa curva, porque surgiram obstáculos, estávamos desatentos, aceleramos demais, não agimos corretamente, não utilizamos os procedimentos corretos ou adequados, ou simplesmente tivemos uma ilusão de óptica, acreditamos que haveria uma curva, quando na verdade não existira.

Quantas vezes passamos pela vida em busca de saber qual é a nossa missão aqui na terra, que nem nos apercebemos que a missão é justamente o somatório das pequenas tarefas que vamos concluindo em cada dia no nosso dia a dia e que em cada tarefa concluída, nem paramos para nos felicitar porque concluímos aquela tarefa, por menor e mais simples que fosse.

Por vezes quando surge um contra tempo ou um obstáculo, ficamos parados lamentando o fato sem nada fazermos, sem "irmos à luta" ou ficamos reclamando ou criticando o ocorrido, quer uma ou outra atitude de nada servirá, ambas só dificultam ou atrasam o cumprimento da missão. Por exemplo, num estacionamento cheio, você avista uma vaga, o carro que está na sua frente não a utiliza, você gentilmente dá passagem a um carro que está numa passagem lateral, presumindo que queira se dirigir para a saída, só que ele vai e coloca o carro na vaga, não vai adiantar você ficar discutindo ou remoendo que não deveria ter feito a gentileza, a atitude a tomar deveria ser seguir em frente e procurar outra vaga, com certeza logo outra surgirá.

A dificuldade em realizar as tarefas é saber se é mesmo para ser realizada, se faz parte do circuito da vida, muitas vezes desperdiçamos tempo e energia para realizar tarefas que não são para serem realizadas, estão fora do circuito, ou então queremos realizá-la mais depressa e utilizamos atalhos, esquecendo o que diz o ditado popular: Quem se mete em atalhos mete-se em trabalhos ou "depressa e bem não há quem".

Sempre que concluírmos uma tarefa e dissermos para nós mesmos que a cumprimos, estaremos valorizando e até mesmo elevando a nossa auto estima, isso faz com que nos sintamos felizes gerando uma nova força e energia, que nos incentiva a seguir para a outra curva, que ás vezes ainda não avistamos, mas que se aproxima, a não ser que a nossa missão esteja cumprida e não existirão mais curvas na estrada da vida terrena.

domingo, 7 de junho de 2009

Mensagem de Deus...uma comunicação codificada!

A Internet é veiculadora de informações, mas também de mensagens lindas que tocam o nosso coração, por vezes nos fazem refletir como esta mensagem recebida por mail em apresentação PPT, cujo autor não foi mencionado:

Você acredita no que ouve?
Eram aproximadamente 10 horas quando um jovem começou a dirigir-se para casa.Sentado no seu carro, ele começou a pedir:
- " Deus! Se ainda falas com as pessoas, fale comigo. Eu irei ouvi-lo. Farei tudo para obedecê-lo".
Enquanto dirigia pela rua principal da cidade, ele teve um pensamento muito estranho:
"Pare e compre um galão de leite".
Ele balançou a cabeça e falou alto:
"Deus? É o Senhor?"
Ele não obteve resposta e continuou dirigindo-se para casa. Porém, novamente, surgiu o pensamento:
"Compre um galão de leite".
O jovem pensou em Samuel e como ele não reconheceu a voz de Deus, e como Samuel correu para Eli. Isso não parece ser um teste de obediência muito difícil...Ele poderia também usar o leite. O jovem parou, comprou o leite e reiniciou o caminho de casa. Quando ele passava pela sétima rua, novamente ele sentiu um pedido:
"Vire naquela rua".
"Isso é loucura..." - pensou - e, passou direto pelo retorno.
Novamente ele sentiu que deveria ter virado na sétima rua. No retorno seguinte, ele virou e dirigiu-se pela sétima rua. Meio brincalhão, ele falou alto :
"Muito bem, Deus. Eu farei".
Ele passou por algumas quadras quando de repente sentiu que devia parar. Ele brecou e olhou em volta. Era uma área mista de comércio e residência. Não era a melhor área, mas também não era a pior da vizinhança. Os estabelecimentos estavam fechados e a maioria das casas estavam escuras, como se as pessoas já tivessem ido dormir, exceto uma do outro lado que estava iluminada. Novamente, ele sentiu algo:
"Vá e dê o leite para as pessoas que estão naquela casa do outro lado da rua".
O jovem olhou a casa. Ele começou a abrira porta, mas voltou a sentar-se.
"Senhor, isso é loucura. Como posso ir para uma casa estranha no meio da noite?".
Mais uma vez, ele sentiu que deveria ir e dar o leite. Inicialmente, ele abriu a porta... "Muito Bem, Deus, se é o Senhor, eu irei e entregarei o leite àquelas pessoas. Se o Senhor quer que eu pareça uma pessoa louca, muito bem. Eu quero ser obediente. Acho que isso vai contar para alguma coisa, contudo, se eles não responderem imediatamente, eu vou embora daqui".
Ele atravessou a rua e tocou a campainha. Ele pôde ouvir um barulho vindo de dentro, parecido com o choro de uma criança. A voz de um homem soou alto:
"Quem está aí? O que você quer?"
A porta abriu-se, em pé, estava um homem vestido de jeans e camiseta. Ele desconhecido em pé na sua soleira.
"O que é?"
O jovem entregou-lhe o galão de leite. - "Comprei isto para vocês".
O homem pegou o leite e correu para dentro falando alto. A mulher pegou o leite e foi para a cozinha. O homem a seguia segurando nos braços uma criança que chorava. Lágrimas corriam pela face do homem e, ele começou a falar, meio soluçando:
"Nós oramos. Tínhamos muitas contas para pagar este mês e o nosso dinheiro havia acabado. Não tínhamos mais leite para o nosso bebê. Apenas orei e pedi a Deus que me mostrasse uma maneira de conseguir leite"
Sua esposa gritou lá da cozinha:
"Pedi a Deus para mandar um anjo com um pouco... Você é um anjo?"
O jovem pegou a sua carteira e tirou todo o dinheiro que havia ela e colocou-o na mão do homem. Ele voltou-se e foi para o carro, enquanto as lágrimas corriam pela sua face.Ele experimentou que Deus ainda responde os pedidos.

Quantas vezes nos surpreendemos connosco mesmo ao tomarmos determinadas atitudes ou dizermos determinadas frases em determinado momento, ouvimos em resposta: "foi Deus que o enviou". Isso já aconteceu algumas vezes e o mais surpreendente é que não conseguimos perceber o que se passou realmente, no conto anterior, o jovem "ouviu" e seguiu as instruções, mesmo achando ser um absurdo, mas na maioria das vezes não é assim, é uma comunicação codificada, como no caso das pessoas que não embarcaram no voo 447 da Air France, o mais comum é ouvir que foi coincidência, provavelmente não o será. Por outro lado questiona-se, se Deus agiu de forma a impedir que uns não embarcassem, porque não teria impedido os outros?

Mas quem sou eu para levantar essa questão? A nossa visão é muito limitada comparada a ampla visão de Deus, devemos aceitar que o momento de partir chegou para aquelas 228 pessoas que estavam a bordo do Airbus, que cumpriram a missão deles aqui na terra. Podemos desejar que elas não tenham tido uma passagem com muito sofrimento e desespero, embora para o piloto e a tripulação deva ter sido terrível, muito angustiante, além de estar vendo o desenrolar da situação, de saber que não só a sua hora estava chegando como de todos que estavam a bordo e nada podiam fazer para evitar ou modificar o rumo dos acontecimentos.

Desejo:


Que todos descansem em Paz e alcancem a Luz Divina! como é dito no refrão do Hino 447 (nascer de novo)

"...Se o caminho é estreito, a porta é também,
Tudo está feito, não demores, vem!
No portal da vida Cristo acharás,
Ao findar a lida lá no céu tu estarás...".

Que as equipes de resgate possam encontrar e entregar os corpos das vítimas, com maior brevidade, aos seus familiares e amigos para que estes possam prestar a devida e merecida última homenagem.

Que todos saibamos descodificar as mensagens que Deus nos envia a todo o momento, mesmo nas tragédias como esta!


quarta-feira, 3 de junho de 2009

Injustiça ...um punhal invisível cravado no coração.


Uma injustiça fere mais do que um punhal afiado.


Quando somos alvos de uma injustiça sentimos como se nos cravassem um punhal no coração, ainda mais se somos "perseguidos" não porque supostamente tivéssemos cometido um crime, infringido uma lei, praticado negligência ou imperícia e sim porque pessoas sem caráter, falta de cultura, de educação e formação, apresentam comportamentos inadequados, inaceitáveis ou reprováveis socialmente e quando são confrontados com seus atos, atiram culpas, difamam, caluniam, levam a que outras pessoas, "Maria vai com as outras", "tomem os seus partidos", montam um espetáculo de tal ordem que até a comunicação social é envolvida para denegrirem a imagem pública da pessoa que é o "alvo" desse "bombardeio". Como é que essas pessoas, às vezes até praticantes de uma religião, conseguem colocar a cabeça no travesseiro e dormir tranquilamente?

Pergunta estúpida, ora se não possuem caráter, também não possuem consciência, ou melhor não ficam com peso na consciência.

Parece que os princípios éticos, os valores morais, na realidade não existem ...que grande descoberta! descoberta da pólvora sem fazer barulho... isso merecia uma condecoração...inacreditável como se pode viver no mundo sem perceber que a realidade circundante é totalmente diferente daquilo que pensamos ou da nossa realidade interior... a nossa volta parece não existir honra... "honra??? mas o que é isso?"

Honra é virtude, regra de conduta, segundo os princípios morais mais elevados, companheira inseparável da verdade.
Honrar é demonstrar profundo respeito pelo semelhante. É a forma de tratamento que devotamos as pessoas que respeitamos. É não fraudar, mentir ou subornar. O substantivo honra expressa o resultado da maneira como vivemos.
Da pessoa honrada se diz acreditada, íntegra e confiável, tida no mais alto conceito em tudo que é considerado certo.

Vivemos com honra quando nos mantemos fiéis ao que acreditamos ser certo. Honramos nossa família, nosso país, nossa empresa, quando somos fiéis àquilo que mais representam. Favorecemos nossa honra quando aceitamos e assumimos responsabilidade pessoal pelas nossas ações. http://www.algosobre.com.br/administracao/honra-virtude-dos-integros.html


A pessoa que pratica uma injustiça com toda a certeza desconhece o que seja honra e como tal se encontra pela frente alguém, que procura em suas ações agir com justiça, verdade, de forma correta, no mínimo tentará "derrubar" essa pessoa, porque quem vive na escuridão a luz o incomoda e a única forma que tem de conseguir isso é covardemente caluniar, mentir, distorcer a realidade dos fatos, cravando um punhal invisível no coração desse alguém, pois com essa injustiça sua honra é posta em causa.