Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

sábado, 17 de outubro de 2009

Coração...esse baú de emoções!

Coração… esse baú de emoções que cada pessoa carrega, um baú de emoções guardadas através do tempo. Por vezes algo faz com que esse baú abra-se espontaneamente e liberte algumas dessas emoções armazenadas, até mesmo esquecidas. Outras vezes somos nós próprios que sentimos necessidade de abrirmos esse baú deixando que as emoções, sejam libertadas e nos envolvam, modificando o momento que atravessamos. Há momentos em que esse baú encontra-se tão abarrotado de emoções que fica a ponto de explodir o que nos leva a buscarmos válvulas de escape que pode ser as lágrimas rolarem pelo rosto, recordar o momento passado, escrever sobre elas, bater papo (tomar um “porre” sem álcool, isto é falar o que se passa na mente, sem censura ou limitações) para aliviar essa pressão, mudando as emoções, criando novas e transferindo as velhas para outro compartimento, para uma espécie de arquivo morto.
No coração, baú das emoções, encontram-se as positivas, como as ditadas pelo amor, que nos fazem sorrir, chorar de felicidade e sonhar ou fantasiar, que nos impulsionam e causam motivação para viver, mas também encontram-se as negativas, ditadas pelas injustiças, revolta, mágoas, culpas que fazem as lágrimas rolarem de tristeza, dor, sofrimento, tirando a motivação e entusiasmo pela vida., no momento em que voltam a ser libertadas.

Existem emoções despertadas por acontecimentos fascinantes que nos fazem flutuar nas nuvens, como saber que alguém, passados muitos anos de distância, não só se lembra de nós, como revela que na altura em que se distanciaram nos amava. Saber que alguém, especialmente maravilhoso, não se esqueceu de nós é muito gratificante e já por si só nos faz flutuar, mas saber que alguém nos amou nos eleva de tal forma que, temos a sensação de flutuar ao invés de caminhar todas as vezes que recordamos o momento em que isso foi revelado, voltamos a ficar atónito, perplexos e novamente cresce dentro de nós, a sensação maravilhosa de sermos especial e abençoados por Deus.

Lembrar dessas emoções maravilhosas, quando estamos rodeados de emoções negativas, nos momentos em que nos sentimos tão "em baixo de forma", sufocados pela dor de uma injusta, da revolta, da tristeza profunda ou porque novos acontecimentos trazem à tona culpas que assumimos, que até possam não ter razão de existir na realidade, mas que nos fazem sentir um zero a esquerda, nos devolve a serenidade e nos faz sentir que pelo menos em algum momento nós fomos importantes e tivemos valor para alguém, mesmo que no fundo saibamos que esse alguém nos atribuiu um valor exagerado ditado pelo coração e não pela realidade.

Seria fantástico, uma preciosidade, se conseguíssemos encher o nosso "baú de emoções" somente com o amor e dele extrair só compreensão, justiça, respeito, tolerância, paciência, perdão e emoção positiva que nos faz flutuar sobre os problemas, os obstáculos, assim sendo os conflitos, as desigualdades, as injustiças sociais ou laborais e as guerras deixariam de existir sobre Terra.

Nenhum comentário: