Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Crepúsculo da vida (=morte)...única certeza na vida!

O crepúsculo da vida (a morte) é a única certeza que temos na vida, porém vivemos como se esse momento jamais acontecerá, mas de nada adianta, ele chegará para muitos mais cedo, para outros mais tarde.
Quando o crepúsculo da vida chega para um ente querido ficamos "sem chão", surge um vazio dentro de nós que nunca será preenchido. O dia/noite em que estamos velando o corpo do nosso ente querido que se foi é um dos dias/noites mais longos que já nos aconteceu e ao mesmo tempo não nos aercebemos do tempo passar, estamos tão absortos na comunicação interior com o ente querido, nas lembranças, na saudade, imersos numa profunda dor que não cede com nenhum analgésico, as lágrimas rolam sem nenhum esforço, parece que estamos alheio a realidade que nos rodeia, como que fazendo parte de um filme, só regressamos à realidade quando alguém de nós se aproxima para dar os pêsames, então voltamos a sentir a dor profunda, porque no momento em que estamos alheios, parece que também ficamos alheios à dor, apesar das lágrimas de antes, novas lágrimas rolam, só que desta vez com consciência do sofrimento.

A dor torna-se menos insuportável quando vemos a expressão serena no rosto do nosso ente querido que se foi, essa expressão acalma o nosso sofrimento e nos fortifica, porque acreditamos que ao partir não sofreu e que chegou a sua hora de partir tendo terminado a sua missão nesta vida, assim como quando fizemos tudo que estava ao nosso alcance para que o sofrimento do nosso ente querido fosse menor. Porém quando vemos uma expressão de terror nos olhos do nosso ente querido, no momento em que faz a passagem, é uma dor lancinante que faz o nosso coração sangrar como se tivesse sido rasgado de cima a baixo, uma dor para qual não existe nada que a faça amainar, assim como a dor se tivermos deixado de fazer alguma coisa para minorar o sofrimento do ente querido.

Com o passar do tempo, a dor reduz-se, por mecanismo de defesa do organismo para continuar a viver, porque não importa o sofrimento que sentimos, a vida segue seu curso e tudo vai ficando para trás, embora nunca termine, haverá sempre algo que fará com que essa dor ressurja, principalmente quando vimos a expressão de terror no momento do crepúsculo da vida.


Que todos tenhamos um crepúsculo de vida sereno e que todos possam ver a expressão de serenidade no rosto do ente querido. quando este partir, para assim obter a força necessária e atravessar esse momento de sofrimento, fortalecendo a esperança de que o nosso ente querido descanse em paz no esplendor da Luz Perpétua e que um dia, quando chegar o nosso crepúsculo voltaremos a encontrar esse ente querido que agora partiu.


Que Deus dê o eterno descanso a todos que tiveram seu crepúsculo da vida, os conduzam para o Esplendor da Luz Perpétua e conforte/console aqueles que choram a perda de um ente querido, em especial ao amigo Pedro que hoje sofre com o crepúsculo do seu ente querido.

2 comentários:

Pedro disse...

Olá Céu!

Obrigado pelo seu texto (pela sua homenagem). A minha nova condição de vida, que vida me impôs, surtiu-me com um fardo pesado. A “factura” é elevada. As palavras transformam-se em silêncio, que por sua vez se condensa em lágrimas. O coração e sentimentos avolumam-se em sombras negras de perda, de dor e saudade (muita saudade)… …



AtE seMpre!

(Obrigado Céu pela sua atenção e pelo seu apoio).

Pedro

Céu disse...

Obrigada pedro pelo seu comentário. O momento que está passando é muito difícil e não há palavras que possam que consigam atenuá-lo.Mais do que ouvir alguma palavra, é você dizer, isto é desabafar e quando o fizer conta comigo para te ouvir.
Um abraço! Força!