Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Ferias momentos de relaxamento...ou sera que nao?

As férias representam o encontro com o nosso eu interior distanciado pelo corre-corre da vida com suas preocupações, suas tensões, pela rotina enfadonha que cada dia encerra, cimentando dia após dia as frustrações, os problemas que não foram solucionados, as decepções sofridas, os fracassos, derrotas e o tropeço que tivemos.
Contudo nem sempre as ferias proporcionam o relaxamento, a descontraçao e as condições favoráveis para que possamos nos reencontrar, reequilibrar a nossa energia vital ou recarregar a nossa bateria para voltarmos ao nosso dia-a-dia, ou quando proporciona, por vezes um dia e suficiente para por por terra tudo que alcançamos no período de ferias, como aconteceu no penúltimo dia das ferias planejadas (parte delas): uma queda absurda, (sem haver tropeço, estando com os pés na areia mas sobre uma superfície lisa e solida, sem escorregar, sem ter sentido tontura ou vertigem, sem que houvesse pressas ou distraçao) ao encostar numa pedra a beira-mar, que estava fixa na areia, seca, sem nenhum obstáculo (foto assinalada com um circulo), no momento a sensação de ter sido empurrada por mãos invisíveis e ao mesmo tempo amparada por outras mãos invisíveis que amortizaram a queda (apesar de cair com o abdome e tórax sobre outra pedra menor que estava ao lado, os únicos ferimentos cingiram-se a uma abrasão na região palmar de 3 dedos e na extremidade inferior da perna oposta), algumas horas depois, num grande shopping ao chegar na caixa de uma loja para pagar a mercadoria, a carteira contendo o dinheiro e todos os documentos, incluindo o cartão multibanco, desapareceu da bolsa, impossibilitando não só de efetuar a compra, como causando o transtorno de ter que pedir para trocar o cheque, num sábado, para poder fazer o check-out do hotel.

Esses dois fatos e as consequencias decorrentes deles, por mais que houvesse descontraçao e relaxamento obtidos em cenários maravilhosos de beleza ímpar recheados de muita emoção, nos dias anteriores, estes tenderiam a desaparecer, dando lugar a perplexidade, preocupação, revolta, enfim, a perda da serenidade e paz interior alcançada. Isso poria em causa as ferias, mas graças a Deus, não aconteceu, porque, Ele sempre nos abre uma janela quando a porta se fecha, esse dia (para esquecer) aconteceu no meio das ferias, como tal ainda restam alguns dias para recuperar o que foi perdido:
*Em termos materiais (tirando novos documentos, providenciando novo cartão de debito)
* Em termos de serenidade, de paz interior (junto ao mar, mesmo com clima menos propicio com dias cinzentos e menos quentes, porque assim há menos pessoas, menos barulho e confusão), criando condições propicias para o encontro com o nosso eu interior distanciado, confirmando que as ferias, apesar dos pesares, foram momentos de lazer, prazer, beleza, relaxamento e de reequilíbrio energético para poder enfrentar novamente o dia-a-dia desgastante ate as próximas férias.

2 comentários:

Valdemir Reis disse...

Olá Céu.

Volto aqui para matar a saudade. Sempre que o tempo permite aproveito para visitar e me atualizar. Confesso que estou ausente face às atividades, mas como diz o poeta; “amigo é coisa para se guardar debaixo de sete chaves, assim falava a canção...” Aproveito para compartilhar o poema a seguir;
"Viva a Vida"...
“Por que Viver é Exalar Pura Energia!
É Devolver Sorrisos.
É Acreditar que o Bem Sempre Vence o Mal.
É Conquistar Amigos.
É Ser Sempre Leal e Fiel.
É Transformar a Dor em Alegria.
É Ter Amor no Coração.
É Correr Atrás dos Sonhos, da Inspiração, e dos Projetos
Buscando Sempre o Entendimento das Coisas.
Viver é Ser Sempre da Paz.
É Orar em Agradecimento pelas Dádivas Recebidas.
É Buscar o que Te Faz Bem, e aos Outros Também.
Viver é Lembrar que o Sorriso é o Idioma Universal.
É Lembrar que o Final não Existe.
É Saber que Tudo é um Eterno Recomeço.
E Ver a Vida Sempre com o Amor no Coração.” A. d.
Votos de um ótimo fim de semana. Muita paz, saúde e proteção. Brilhe sempre! Fique com Deus. Sucesso...

Valdemir Reis

Céu disse...

Obrigada Valdemir Reis por reservar alguns momentos do seu tempo para compartilhar este bonito poema.
Um abraço