Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Ser humano...esse ser emocionalmente instável!

O ser humano é um ser inconstante em termos de humor, porém tem seres que apresentam uma alternância tão acentuada que num dia estão flutuando no paraíso no outro dia estão mergulhados no inferno.
Há situações em que dentro de nós mesmos existia uma tempestade que é substituída pela bonança, nessa altura vê que o inferno em que estava, foi criado pela própria pessoa. Após conseguir detectar isso, traçam-se metas a atingir através da mudança de atitude e comportamento, as forças aumentam, a serenidade retorna, até surgir outra tempestade e o inferno voltar a surgir, em consequência tudo que ficou determinado anteriormente parece nunca ter existido.
Esta flutuação entre os extremos causa um desgaste espiritual acentuado, principalmente quando as atitudes são contrárias àquela que gostaria de alcançar. A expressão que passa pela cabeça é “quanto mais eu rezo mais assombração me aparece”, quando pedimos e desejamos …
…a paz, mas vivemos em guerra;
…o equilíbrio mas, constantemente, é em desequilíbrio que estamos;
…a serenidade, mas vivemos num turbilhão de emoções, principalmente negativas;
... a compreensão, mas é a incompreensão que vigora;
... a capacidade, mas constatamos a ausência dela;
... ser um porto seguro para alguém, mas na verdade transmitimos inconstância e pouca solidez;
... a luz, mas vivemos nas trevas;
... a concórdia e a harmonia, mas semeamos a discórdia, ainda que involuntariamente;
... a ponderação e reflexão antes de agir ou dizer algo, mas somos "pavio curto", ou "fervemos em pouca água"


Essa luta interior entre o que se idealiza e o que se realiza por vezes é tão desgastante que o estado do humor passa a ser constantemente depressivo, tendo como companheiros o desânimo e a frustração, embora uma força extra se interponha quando a situação atinge o limite do suportável, contra balançando, de forma a que, haja uma recuperação da esperança de conseguirmos retornar ao caminho, dando seguimento na luta pela realização das metas, estabelecidas anteriormente. Como nas ondas do mar ou numa montanha russa, uma sucessão de picos (paraíso) e depressões (inferno).

Nenhum comentário: