Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

domingo, 17 de janeiro de 2010

Homem um yocto grão de poeira no Universo

Olhando vária imagens do espaço e dependendo do ponto de referência da observação vimos que o nosso Planeta Terra que é gigante aos nossos olhos, torna-se um ponto em relação ao Planeta Saturno. Dentro dessa escala, nós os habitantes da Terra então não passaremos de yocto (10-24) grãos de poeira no Universo. Recordando que o yoctômetro é :ym=> 1 ym= 100^-24m (1.000.000.000.000.000.000.000.000 ym em 1 m).
Entretanto somos egocêntricos e egoístas, como se tudo girasse em torno de nós, queremos sempre ser o centro das atenções, achamos que só nós temos problemas ou que nossos problemas são maiores do que os dos outros; Que só nós sofremos ou ainda que só nós estamos doentes. Por vezes chegamos a ficar indiferentes à fome, à miséria, à dor e sofrimento daqueles que nos rodeiam. Felizmente nem todos somos assim, existem muitos que dedicam sua vida á ajudar os mais carenciados, como Madre Teresa de Calcutá, como a AMI, como os voluntários da Cruz Vermelha e outras instituições de ajuda humanitária, nas campanhas não só na recolha de donativos, como atuando no terreno, colocando seus conhecimentos profissionais ao serviço dos outros sem auferirem remuneração.
Voltando a observar a nossa pequenez em relação ao Universo e dando asas a imaginação surge um questionamento, aliás não é novo, há milhares de anos atrás, já foi formulado: Sendo o Planeta Terra um ponto no Universo, existindo outros planetas de maiores dimensões, será que não encontraremos habitantes noutros planetas? (daí as sondas, as naves espaciais lançadas para o espaço, os filmes de ficção científica que exploram justamente esse tema). Alargando mais o questionamento, será que os habitantes não estarão numa forma diferente de desenvolvimento de acordo com as condições de cada planeta, ou melhor, será que cada planeta não é um degrau ou estádio do desenvolvimento do Homem e de acordo com esse desenvolvimento, o próprio Homem acaba por causar danos que levam à destruição ou desintegração do próprio planeta, como estamos presenciando com essas alterações climáticas que fazem com que num extremo do Planeta hajam temperaturas de 50º positivos onde antes não passavam dos 40º e no outro temperaturas de 45º negativos, cujos valores não ultrapassavam os 30º negativos? ampliando mais um pouco, correndo o risco de ultrapassar a fronteira da normalidade e ser apontada como loucura, será que o espírito, sendo imortal, não seria conduzido para outros planetas para continuar o grau de evolução, saltando de um planeta a outro, de acordo com o estádio em que estivesse, até atingir a perfeição, onde se encontraria Deus? supondo que essa teoria/hipótese sem base racional plausível fosse verdadeira, então jamais iríamos encontrar os habitantes desses planetas, pelo menos não da forma que esperamos, isto é iguais aos habitantes do Planeta Terra, nem mesmo a vida como a conhecemos, a não ser que atingíssemos a mesma frequência de desenvolvimento espiritual desse planeta.
Upis! é melhor parar por aqui. Quando se está num terreno desconhecido, onde a fronteira entre o limiar da realidade e da fantasia por vezes pode ser facilmente transposto de forma unilateral e chegar ao limiar da loucura, não sabemos até que ponto nossas amarras da razão são bem sólidas e presas á realidade, de forma a podermos inverter esse sentido da fronteira que transpomos e permitir o nosso regresso à normalidade ou sanidade mental.

4 comentários:

Rick Vieira disse...

Realmente podemos ter a percepção de que o homem não é nada em relação ao espaço no qual se encontra, entretanto, creio que apesar de nosso tamanho não representar absolutamente nada diante do universo, nossas ações podem ser consideradas gigantes e tem um efeito significativo nessa imensidão espacial na qual vivemos.

Céu disse...

Obrigada pelo seu comentário Rick!
Bonito o que disse a cerca de nossas ações, concordo que através delas possamos ser gigantes e deixarmos nossa marca nessa dimensão em que vivemos.
Um abraço

Vinícius Oliveira disse...

É tão incrível, mesmo sendo tão pequenos, é incrível como o humano conseguiu tanta observação diante de um espaço tão grande, e ao mesmo tempo tão minúsculo!

Quero compartilhar com vocês este site incrível, que mostra, comparando, a matéria mais pequena até a maior conhecida pelo homem!

http://www.primaxstudio.com/stuff/scale_of_universe/scale-of-universe-v1.swf

Céu disse...

Obrigada Vinícius Oliveira, pelo seu comentário e pela partilha, realmente este site que você indicou é incrível, fascinante.
Namastê!