Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Adolecência e Meia Idade, crise ou momento de reflexão?

O ser humano passa por diversas crises durante as várias fases da vida, as mais referidas são:
1- Crise da adolescência
Até a 2ª infância, a criança vai descobrindo o mundo pela experimentação, através dos sentidos, nomeadamente do tato e do paladar, para ela o mundo gira em torno dela, tudo existe para servi-la, como se fosse o rei e o seu reinado. Quando entra para a escola, continua reinando, porém seu reino começa a ter limites, regras, seu mundo já não é o único, começa a ver que existe outros Reis com os seus reinados.
A adolescência é a fase de transição da infância para a vida adulta, é o passar de um horizonte amplo, sem limites para um horizonte restrito pelos limites imposto pelo mundo que outrora era seu. Por isso mesmo um momento de crise, existencial, porque ocorre mudanças no corpo, há um desequilíbrio hormonal que gerará alterações no seu organismo, a o despertar do sexo, da atracão física, por vezes a descoberta do amor, seu reino de outrora deixa de existir, começa o peso das responsabilidades sobre os ombros, antes era o centro das atenções, agora parece que é invisível, principalmente se houver irmãos menores. Antes brincava livremente, as interrupções eram para tomar banho, comer e dormir, depois foi acrescentada os estudos. Outrora não haviam dúvidas, questionamentos, agora nada faz sentido, aquilo em que acreditava como real na verdade era pura fantasia ou ilusão, o mundo deixou de ser um lugar mágico para ser uma selva cheia de armadilhas e perigos. Tudo isso gera um emaranhado de emoções, pensamentos e sentimentos, que resulta no comportamento característico: Rebeldia sem causa (rebelar-se contra todo o tipo de autoridade, agir sempre de forma contrária aquela imposta, a começar pelos pais), agressividade (culpa os pais, o mundo por estar privado da liberdade de outrora), formação de grupos, todos “estão no mesmo barco”, como se fossem órfãos passando as mesmas carências, onde existem “códigos”, vestuário peculiar, que permitem a seleção ou exclusão dos elementos, alguns grupos enveredam pela marginalidade (roubos, assaltos, drogas, vandalismo) muitos dos elementos fazem coisas que contrariam a formação que receberam e violentam o próprio ser, para fazer parte do grupo, para não se sentir excluído, como fumar, beber ou outros hábitos nocivos.
Apesar de ser um período de crise, também é o período de preparo do futuro, é o presente do amanhã, a ponte de ligação do passado ao futuro, na escala do tempo, pois é nessa fase que cada um traça o rumo que seguirá: Escolha da profissão, constituição da família, produtividade, ascensão económica, política, social, religiosa e espiritual.
Essa crise dificilmente será evitada, mas será mais fácil de ser superada e sem consequências nefastas para o futuro, se houver uma base familiar sólida de confiança, carinho, respeito, que forneça os elementos necessários para que a personalidade e o caráter sejam moldados por princípios éticos e morais bem estruturados que possibilite discernir entre o bem e o mal e agir com respeito pelo Homem, pela Natureza, pelo Universo e por si mesmo.

2- Crise da Meia Idade
É o período em que o Homem, já adulto, família constituída, profissão definida, ainda em fase produtiva, apercebe-se que a vida passou, começa a olhar para trás e ver que na sua trajetória pela vida, muitos sonhos ficaram por realizar, esquecidos no passado, muito daquilo que lhe dava prazer foi ficando ao longo do caminho, esteve num corre-corre, sem tempo para brincar com os filhos, sem acompanhar o seu desenvolvimento, sem tempo para namorar e dar atenção ao cônjuge, sem tempo de bater papo com os amigos, sem tempo de apoiar aos pais, sem tempo para si mesmo, para fazer aquilo que gosta, apenas correndo atrás dos bens materiais, de ter condições para ter um carro último modelo de causar inveja por onde passa , uma casa imponente e luxuosa, iate de luxo, num consumismo desenfreado, cada vez trabalhando mais para possuir mais, mas que acaba por não desfrutar dos mesmos, servindo apenas como exibição para os outros. Sem contar que começa a ser aperceber que a outra fase, a velhice se aproxima numa velocidade galopante e com ela o crepúsculo da vida.
É a nova crise existencial, onde se questiona sobre o real sentido da sua existência pela vida na dimensão terrena, onde há uma maior aproximação à espiritualidade, há um ouvir mais atento de si mesmo, do seu sentir, das suas emoções, há uma maior interiorização, introspecção, questionamentos dos valores e do que realmente é importante na vida. Também é o olhar para trás e pensar que se pudesse voltar no tempo talvez teria escolhido outra opção e tomado outro rumo na vida
É nessa fase também que as relações extra conjugais se evidenciam, pela tentativa de auto afirmação de que a idade não deixou marcas, não diminuiu a performance, daí procurar um parceiro (a) mais jovem, estabelecendo uma relação que dificilmente se tornará duradoura porque não existe interesses em comum de ambas as partes e principalmente, não existe amor unindo-os, de um lado um procura auto afirmar-se ou resgatar aquilo que perdeu com o passar do tempo, o outro procura obter ascensão econômico social, contudo convém lembrar que isso não é regra e mesmo que fosse, toda regra tem exceção.

A diferença maior entre as duas crises existenciais, é que na adolescência tem-se a cabeça povoada de sonhos, incertezas, medos e dúvidas, mas com esperança, força, energia e motivação para ir ao encontro do futuro. Na meia-idade tem-se a cabeça fervilhando de preocupações, frustrações e decepções acumuladas, os ombros vergados pelo peso das responsabilidades adquiridas durante o passar dos anos, sem ânimo, quando a realidade é muito adversa e causa muito stress que rouba a energia e a força de viver, a única motivação é a esperança ou a ilusão de quando estiver aposentado possa fazer tudo aquilo que deixou para trás que gostava ou lhe fazia bem, tentando não lembrar que terá o tempo livre, mas não terá o vigor e nem a saúde de outrora.

2 comentários:

gaby disse...

ola, adorei o seu blog...e gostaria muito q vc tabem me segui-se no meu novo blog... vou falar um pouko da minha adolescencia e gostaria que vc desse uma olhadinha lah.. vou deixar meu endereço caso se enterece → "WWW.GABY-MOMENTOADOLESCENTE.BLOGSPOT.COM" ←
muito obrigada pela atenção, espero respostas"!!!

Céu disse...

Obrigada pelo seu comentário Gaby!
Tentei inscrever para seguí-la, mas não consegui :(
Um abraço