Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

sábado, 16 de julho de 2011

Terapia do elogio...um pagamento psicológico!

Recebi um PPT enviado pelo ConReiki, que me fez recordar que outrora, num passado longínquo, durante uma fase da vida pratiquei a "terapia do elogio" tema desta apresentação, só que eu chamava de "pagamento psicológico" uma expressão que adaptei depois de ter lido em algum sítio e ter gostado, onde eu aproveitava sempre a ocasião para elogiar alguém ou algo que eu presenciasse de bom, interessante, belo ou criativo. Lembro também que nessa altura eu sentia uma energia positiva ao meu redor, pelos sorrisos que recebia em troca, mas depois fui me deixando enredar pelas mágoas, decepções, frustrações geradas pelas mentiras, falsidades, veneno e ruidade das pessoas com quem ia contactando e assim passei a só enxergar os defeitos das novas pessoas que foram surgindo durante a caminhada, tecendo críticas, por vezes, implacáveis, sem fazer um mínimo esforço para apreciar suas qualidades, muito menos tecer elogios, estes passaram a ser escassos e assim mesmo só aqueles a quem eu tivesse uma profunda estima, intimidade ou confiança, antes eram feitos até a desconhecidos que acabara de conhecer, mas que de alguma forma despertava automaticamente o desejo de fazer-lhes um elogio, sincero, sem nenhum interesse por trás, a não ser desencadear um sorriso.


Terapia do elogio

Renomados terapeutas que trabalham com famílias, divulgaram uma recente pesquisa onde nota-se que os membros das famílias brasileiras (talvez de outras famílias pelo mundo) estão cada vez mais frios, não existe mais carinho, não valorizam mais as qualidades, só se ouvem críticas.
As pessoas estão cada vez mais intolerantes e se desgastam valorizando... os defeitos dos outros. Por isso, os relacionamentos de hoje não duram.
A ausência de elogio está cada vez mais presente nas famílias de média e alta renda.
Não vemos mais homens elogiando suas mulheres ou vice-versa, não vemos chefes elogiando o trabalho de seus subordinados, não vemos mais pais e filhos se elogiando,
amigos, etc.
Só vemos pessoas fúteis valorizando artistas, cantores, pessoas que usam a imagem para ganhar dinheiro e que, por conseqüência, são pessoas que têm a obrigação de cuidar do corpo e do rosto.
Essa ausência de elogio tem afetado muito as famílias. A falta de diálogo em seus lares,
o excesso de orgulho impede que as pessoas digam o que sentem e levam essa carência para dentro dos consultórios.
Destróem seus casamentos, e acabam procurando em outras pessoas o que não conseguem dentro de casa.
Comecemos a valorizar nossas famílias, amigos, alunos, subordinados.
Vamos elogiar o bom profissional, a boa atitude, a beleza de nossos parceiros ou nossas parceiras,
o comportamento de nossos filhos.
Vamos observar o que as pessoas gostam.
O bom profissional, o bom filho, o bom pai ou a boa mãe, o bom amigo, a boa dona de casa,
A mulher e o homem que se cuidam... enfim vivemos numa sociedade em que um precisa do outro,
é impossível se viver sozinho.
e os elogios são a motivação na vida de qualquer pessoa.
Quantas pessoas você poderá fazer feliz hoje elogiando de alguma forma?
Então elogie alguém hoje!

Eu começo!!!
Você é muito especial e com certeza o mundo é mais bonito... por causa de você!

Arthur Nogueira – Psicólogo
(PPT formatodo por Fernando S Loureiro)

Nenhum comentário: