Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Um Livro..um mar de emoções!

Escrever um livro nada mais é do que o extravasar das emoções contidas no nosso interior quer vividas na realidade, quer sentidas na nossa imaginação. É muito gratificante receber a apreciação crítica sobre o que escrevemos, especialmente se for feita por alguém de quem gostamos muito, ou que gosta de nós, isso nos eleva e desperta um mar ou vulcão de emoções..
Cada texto, cada frase ou cada livro que escrevemos marca o nosso momento interior:

Ora de reflexão sobre os acontecimentos do nosso dia a dia, do mundo que nos rodeia;

Ora sobre recordações dos acontecimentos que marcaram a nossa existência, mas que ficaram esquecidos no tempo;

Ora sobre os sonhos que se transformaram em realidade ou os que ainda esperam se tornar reais;

Ora sobre as observações que fazemos da natureza, do comportamento das pessoas, do nosso próprio comportamento em cada situação ou forma de estar na vida;

Ora sobre as emoções que vivemos, as sensações e os sintomas que sentimos;

Ora sobre o conhecimento que adquirimos, desenvolvemos ou procuramos;

Ora sobre os problemas surgidos na tentativa de encontrar as soluções para resolvê-los;

Ora sobre resultados de experiências realizadas;

Ora sobre as nossas dúvidas e inquietações ou frustrações e decepções.

Escrever é tão fascinante...por vezes uma válvula de escape para as tensões e frustrações do dia a dia, por vezes é a oportunidade de contar ou criar e recriar a história, de registrar um sonho e a sua realização ou de fazer companhia a alguém que esteja em solidão. As lembranças vão surgindo originando uma retrospectiva em relação a (minha)escrita:

O gosto pela escrita surgiu pela necessidade de querer "recortar" o tempo e guardar os momentos ("recortes do tempo" ) para sempre, a forma disso acontecer, ou melhor, de eternizar os momentos, é através da escrita ou da fotografia. Os pensamentos se não forem escritos desaparecem no tempo em questão de segundos, porque nosso cérebro concebe uma quantidade imensurável de pensamentos com uma velocidade estonteante.

No começo o escrever era apenas um "diário" dos acontecimentos marcantes, depois passou a ser o registro das emoções sentidas, para depois dar lugar as reflexões, porém de acesso restrito, apenas pessoal, uma forma de estar preservada, porém, alguns acontecimentos que abalaram a estrutura interna, fizeram com que mudasse e permitisse o acesso mais alargado, surgindo o primeiro livro, um misto de homenagem, registro de um sofrimento, descrição da evolução de uma doença, auto punição mas ao mesmo tempo o pedido de ajuda para ser julgada e definir se fora ou não culpada dos acontecimentos. Como essa dúvida, culpada ou inocente estava presente o tempo todo, acompanhando o pesado momento de luto, surgiu uma nova fase na escrita, o de fazer reflexões não para as guardar no "cofre" e sim para partilhar com o mundo, na esperança de que houvesse troca de opiniões, para isso foi criado o Blog, mas tentativa frustrada, foram poucos os comentários, tudo permanecia como antes, sem retorno, embora já não estivesse guardado num cofre privado e sim num público.

Em dado momento um leitor assíduo, que gostara do que lera, sugeriu que escrevesse um livro, surgindo assim o 2º livro, basicamente a reunião das reflexões feitas no Blog com a descrição de algumas emoções vividas. O leitor aprovou, o que deu origem ao 3º livro, basicamente sobre a prática do volley com enxertos de outras reflexões feitas no Blog, mas que não tivera a mesma aprovação do leitor. Por fim por ser tratar de um momento de balanço de vida, surge o 4º livro, a retrospectiva de uma existência, o leitor deu os parabéns! sinal de que gostara e o demonstrou de tal forma que fora um momento emocionante!

Contudo, apesar dos livros editados, falta muito para conseguir ser um escritor, falta por exemplo um estilo literário, falta a interação com o leitor , que desperte o seu interesse, prenda a sua atenção, lhe acrescente algo, o faça ser transportado para outra dimensão enquanto estiver lendo, que estimule a sua imaginação ou lhe seja útil de alguma forma. Por agora, nada disso se encontra nesses 4 livros, mas quem sabe um dia deixe de ser um "monólogo" de autor e passe a ser um "diálogo" autor-leitor que possa ser enquadrado num estilo literário, então nesse dia nada faltará para ser um(a) escritor (a)!

Nenhum comentário: