Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

sábado, 28 de janeiro de 2012

Mais uma Tragédia na Cidade Maravilhosa

Três prédios que desabaram como se fosse um castelo de areia? inacreditável isso sem que houvesse alterações climáticas que induzissem, como terremotos ou sismos, tufões ou tornados, chuvas torrenciais.


Que tenho em lembrança de estruturas ruírem na cidade maravilhosa, esta foi a segunda vez que aconteceu:


1- A primeira foi o Elevado Paulo de Frontin (Ao meio-dia do sábado 21/11/1971, 122 metros do Elevado da Avenida Paulo de Frontin desabaram matando 28 pessoas e ferindo outras 30, além de esmagar 17 automóveis, três táxis, um caminhão e um ônibus. A tragédia ocorreu quando um caminhão-betoneira, com oito toneladas de cimento e pedra, passava sobre o elevado em construção na altura do cruzamento com a Rua Haddock Lobo. Foi um dos maiores desastres dos últimos 50 anos no Rio de Janeiro).




2- A segunda foi este desabamento dos 3 prédios (Na noite de quarta-feira, 25 de Janeiro de 2012, cerca de 20h30, três prédios do centro do Rio Janeiro simplesmente desabaram.
O maior, um prédio de 20 andares chamado Liberdade, foi primeiro a cair e se localizava na rua Treze de Maio. Em seguida, um menor, da rua Manoel de Carvalho, com 10 andares, chamado Colombo, e mais um imóvel pequeno, localizado entre os dois edifícios maiores, com quatro ou cinco andares, também desabaram.
Transeuntes que rodavam pelas ruas próximas relataram o acontecimento como “inacreditável”, e disseram que os prédios pareciam “castelos de areia desmoronando
”)
.


São duas tragédias que mancham de negro o coração (centro) da cidade maravilhosa, ambas provocadas por negligência, irresponsabilidade ou incúria do ser humano, o que é lamentável e repudiável, porque são tragédias evitáveis, completamente diferente daquelas provocadas pela natureza (embora dessas algumas pudessem ser evitadas também, como os desabamentos na cidades serranas se não houvesse a irresponsabilidade na construção ilegal).


Às vítimas mortais dessas tragédias que encontrem a Luz Divina e descansem em Paz

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Pra Tonga da Mironga do Cabuletê...

Hoje o dia foi com sucessivos aborrecimentos, cada atendimento uma chateação, alta tensão, aliás os dias tem sido assim ultimamentnte, de tal forma, que a música do passado "...para tonga da mironga do cabuletê...", saiu como uma forma de descarregarrego, quando o nível de tensão ficou alto, insustentável, por ser uma expressão com vocábulos sem significado na língua portuguesa, um palavrão disfarçado, embora a letra da música seja "inocente" e os vocábulos terem significado entre os Africanos


Tonga da Mironga do Cabuletê
Toquinho e Vinicius de Moraes



Eu caio de bossa eu sou quem eu sou



Eu saio da fossa xingando em nagô



Você que ouve e não fala



Você que olha e não vê



Eu vou lhe dar uma pala



Você vai ter que aprender



A tonga da mironga do cabuletê



A tonga da mironga do cabuletê



A tonga da mironga do cabuletê



Você que lê e não sabe



Você que reza e não crê



Você que entra e não cabe



Você vai ter que viver



Na tonga da mironga do cabuletê



Na tonga da mironga do cabuletê



Na tonga da mironga do cabuletê



Você que fuma e não traga



E que não paga pra ver



Vou lhe rogar uma praga



Eu vou é mandar você



Pra tonga da mironga do cabuletê



Pra tonga da mironga do cabuletê



Pra tonga da mironga do cabuletê



Essa música surgiu em 1970, muitos afirmam que foi quando Vinícius e Toquinho voltam da Itália onde haviam acabado de inaugurar a parceria com o disco “A Arca de Noé”. Encontram o Brasil em pleno “milagre econômico”. A censura em alta, a Bossa em baixa. Opositores ao regime pagando com a liberdade e a vida o preço de seus ideais. O poeta é visto como comunista pela cegueira militar e ultrapassado pela intelectualidade militante, que pejorativa e injustamente classifica sua música de easy music.Vinícius está casado com a atriz baiana Gesse Gessy, uma das maiores paixões de sua vida, que o aproximaria do candomblé, apresentando-o à Mãe Menininha do Gantois. Sentindo a angústia do companheiro, Gesse o diverte, ensinando-lhe xingamentos em Nagô, Era a oportunidade de xingar os militares sem que eles compreendessem a ofensa.E o poeta ainda se divertia com tudo isso: “Te garanto que na Escola Superior de Guerra não tem um milico que saiba falar nagô”.



De acordo com o Novo Dicionário Banto do Brasil, de Nei Lopes, estas palavras significam o seguinte: (1) tonga (do Quicongo), "força, poder"; (2) mironga (do Quimbundo), "mistério, segredo" (Houaiss acrescenta: "feitiço"); (3) cabuletê (de origem incerta), "indivíduo desprezível, vagabundo" (também empregado para designar um pequeno tambor que vai preso em um cabo, usado na percussão brasileira).
"Tonga", segundo o Dicionário Aurélio, pode ser uma palavra angolana para "terra a ser lavrada" ou "lavoura". É, ainda samtomensismo depreciativo, a designar descendentes de lusos, ou de serviçais, nascidos nas ilhas.
"Mironga" é, em candomblé e na macumba, "feitiço, sortilégio, bruxedo".
"Cabuleté", no mesmo léxico, é "indivíduo reles, desprezível, vagabundo".
A despeito do significado literal, a expressão foi escolhida pelo poeta Vinícius de Moraes pela sua sonoridade, sem valor semântico mas com alto valor sugestivo.



Wikipédia



As palavras podem ser ditas no seu real sentido ou de acordo com o sentido que o emissor pretende, tudo depende da intenção com que são pronunciadas, mas a responsabilidade da interpretação fica a cargo do receptor da mensagem.



sábado, 21 de janeiro de 2012

A Esperança morreu!

A Esperança, a periquita que chegou na véspera de Natal, morreu! levando com ela a esperança (um dos motivos do seu nome, o outro era por ser numa tonalidade verde degrade com amarelo) de que atrairia de alguma forma o fofinho, [o periquito verde inicialmente, nas ficou azul, que "pediu" alojamento algum tempo atrás, ele próprio optou por entrar na gaiola e no dia seguinte lhe foi aberto a porta para ele regressar de onde viera, só que ele recusou-se, só ficava sereno quando a porta da gaiola era fechada, até que foi ganhando confiança e voava livre pelo salão, mas sempre retornava à sua casinha, até que um dia optou pela liberdade, partiu, deixando saudades, um imenso vazio (porque era um companheiro, muito inteligente e desportista fazíamos um "torneio" ele pegava a bola da palma da minha mão e atirava a bola se eu conseguisse apanhá-la era ponto para mim, se caísse na gaiola era ponto para ele, quando isso acontecia ele soltava gritinhos de satisfação enquanto era aplaudido, chegou a vencer várias vezes, o que obrigou a que fosse criada alguma dificuldade, passou a ser uma bola com um sininho dependurado (facilitava a que eu pudesse pegar) não obstante ele chegava a "fintar" fingia que atirava para um lado e soltava no lado oposto e quando eu não conseguia pegar, ele soltava gritinhos semelhantes ao riso do cão do Dick Vigarista no desenho animado "corrida maluca", todas as vezes que o Dick planejava algo contra os concorrentes e que não dava certo), mas com a sensação de que ele estaria por perto e esperto como ele era conseguiria fugir novamente e vir aqui parar como outrora o fizera], mas sem tristeza porque fora "opção" dele, sem lágrimas, ao contrário da Esperança, apesar de no início a ter recebido (fora um presente das afilhadas) sem grande entusiasmo no momento, como se ela fosse uma "intrusa" ou como se eu estivesse traindo o fofinho, porém, ela logo conquistou pela sua beleza, inclusive tinha no rabo uma pena (que destoava do conjunto das suas cores verde e amarela) da cor do fofinho, como se fosse um "sinal" de que ele viria para ser companheiro dela, no dia de Natal ela efetuara a sua primeira fuga, exatamente por onde havia fugido o fofinho da primeira vez, sem que ninguém se apercebesse e quando fora percebido travou-se esse meio de fuga (mas permitindo que ele saísse livremente pela porta que ficava aberta até ele retornar, depois era fechada, ao contrário da Esperança, ele não dava voos de longo alcance), reforçou-se a "trave", ela parecia ter ficado revoltada, porque todos dias espalhava a comida para fora do comedouro (por onde ela conseguia fugir), ela era muito arisca e parecia ser igualmente inteligente, mas rebelde e parecia não gostar de ficar presa, essas características foram marcando o inicio de uma aproximação, mas sem confiança de que podia deixar em liberdade que regressaria, pois no dia seguinte mal abri a porta para voltar a colocar a comida dentro do comedouro, que ela havia espalhado, ela fugiu e foi difícil encontrá-la e depois de muito custo reconduzí-la para a "prisão", como parecia ficar revoltada, inquieta, 2 dias depois resolvi deixar a porta mal fechada para ver a sua atitude, não deu outra fugiu, só que desta vez ficou na estante junto de umas molduras com retratos da família, como se fosse um bibelô, não ofereceu muita resistência quando a peguei e a coloquei na "prisão" (talvez porque já estava escuro), seguiram-se novas fugas facilitadas, mas que ela passou a regressar espontaneamente para a "prisão", até que três dias antes como não facilitei a fuga, ela conseguiu fugir estando a porta bem fechada, o que causou espanto como ela teria conseguido, mas depois abriu-se a porta da gaiola e ela mais uma vez regressou espontaneamente.

Hoje, que tristeza! Quantas lágrimas rolam pelo rosto, olhar aquele corpo inerte no chão da "prisão", quando 2 dias antes plainava em liberdade numa fuga facilitada, mas que rebeldemente recusara-se a voltar para "prisão" como nas fugas anteriores o fizera espontaneamente, regressando ao final da tarde.

De manhã subia e descia numa velocidade estonteante cheia de vida, de tarde tombada inerte no chão da gaiola,com a patinha presa nas grades da gaiola. Uma cena muito triste! seguida da dor da culpa e do arrependimento, se tivesse facilitado a fuga como ela pretendia, pois fazia os mesmo gestos que faziam com que a porta se abrisse, como nas outras fugas facilitadas, onde a porta ficava mal fechada justamente para que pudesse fugir (para o salão, estando as portas e janelas fechadas) ao invés de repreendê-la pela rebeldia de dois dias atrás, talvez ela ainda estivesse "esticando as asinhas" em liberdade. Devia ter compreendido que ela era como eu, rebelde que não gostava de se sentir presa, queria a liberdade e eu não a dei, antes pelo contrário impus-lhe um "castigo corretivo", fui uma carcereira impiedosa (exatamente como o fui comigo mesmo durante anos), ela deve ter se debatido tanto para alcançar a liberdade que das duas uma, ou bateu com a cabeça e teve traumatismo craneano morrendo de imediato, ou teve uma paragem cardíaca pelo esforço excessivo que poderá ter acarretado uma aceleração dos batimentos cardíaco, entrado em fibrilhação ventricular e consequência falência do coração (uma vez o veterinário disse quando levamos um canário para ser examinado, que os passarinhos podem ter um ataque cardíaco se não são conduzidos pelos próprios donos, porque eles ficam com uma taquicardia) se só o fato de serem segurados por alguém que não seja o dono já tem taquicardia, que fará fazendo um esforço acentuado como ela fazia para alcançar a liberdade, devia ter lembrado disso e ter permitido que ela saísse, mesmo que eu não estivesse em casa. Nessa manhã saímos e a imagem da Esperança subindo e descendo na porta, esvoaçando vigorosamente, vinha constantemente a lembrança, foi por isso que de tarde quando cheguei tinha decidido tirá-la do "castigo", mas foi tarde demais, mal cheguei no salão o canário piava insistentemente, olhei para a gaiola e não vi a Esperança, por momentos fiquei satisfeita, ela conseguira fugir novamente, apesar da porta fechada, mas o piar do canário me fez aproximar da gaiola e foi quando deparei com a cena chocante, aquele serzinho tão cheio de vida antes, agora jazia no cantinho da gaiola, a patinha estava agarrada na grade do chão, tive dificuldade em soltar, ainda tentei massagear o seu coraçãozinho, colocar umas gotinhas de água fria, porque tinha a impressão que acabara de acontecer, apliquei Reiki, mas nada, a Esperança estava morta.


Frases do tipo "não se deve esperar para a manhã para dizer o quanto se gosta de alguém, não devemos nos despedir de alguém zangados, magoados porque poderemos não mais ter oportunidade de reconciliar com esse alguém", "nunca devemos deixar de dizer "eu te amo" ou "me perdoa" quando erramos, quando tivemos uma atitude incorreta, ou magoamos e ferimos alguém, principalmente quando gostamos desse alguém, hoje, como há 4 anos e 8 meses atrás, voltaram a assumir um valor extremo, porque num momento a pessoa está cheia de vida e no momento a seguir poderá estar morta.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

"Torpedo" inesperado no celular ...uma emocionante sensação

Um toque no celular , avisando da chegada de um "torpedo" pode desencadear emoções surpreendentemente maravilhosas, principalmente, quando vemos que foi enviado por alguém de quem gostamos, ainda mais, de forma totalmente inesperada, numa tarde de trabalho onde o nível de stress e preocupação fora aumentando gradativamente ao longo da manhã, cujo início começara no dia anterior, em que toda a nossa energia parece que estava se esvarindo. Funciona como um bálsamo ou uma brisa refrescante no deserto árido e quente. Por momentos tudo parece desaparecer e a nossa volta o cenário parece mudar, como se tivessemos nos transportado para outra dimensão, surgindo a sensação de termos abandonado o nosso corpo para flutuarmos nas asas do vento ou em cima de um tapete mágico voador tipo do Aladim `nos países Árabes, num espaço aberto sem barreiras físicas, envolvidos numa atmosfera de paz, harmonia, equílibrio, sintonia com o Universo, atmosfera semelhante a que conseguimos alcançar, quando estamos sob o domínio do Amor. O mais incrível é que tudo isso se passa em frações de segundo, mas de forma tão intensa e profunda como se tivessem decorridos minutos e até mesmo horas.

A parte mais complicada dessa "aventura mágica" é ter que "despertar", voltar à realidade... que dificuldade conseguir concentrar novamente no trabalho! assumir o semblante profissional, ter que esconder o sorriso que teima em surgir, numa luta árdua, mas por fim a razão domina quase por completo a emoção e recomeçamos de onde paramos, com a diferença que voltamos a ter energia e o nível de stress diminuiu.

Que Deus abençoe o responsável por desencadear esta emocionante "mágica e fascinante sensação" esta inesperada sintonia, num momento de baixa de energia.

domingo, 1 de janeiro de 2012

Ano Novo...renova-se a esperança num futuro melhor

Ano Novo...renova-se a esprança num futuro melhor...é tempo de


...Fazer projetos de vida;


...Elaborar os sonhos;


...Traçar metas.;


... Desejar que todos tenham um Feliz e Próspero 2012, repleto de Amor, Saúde e que a Paz reine em todos os corações para que possa reinar em todas as nações do mundo e no Universo.


Porque a paz começa dentro do nosso coração.




Se temos paz dentro de nós...


...Evitamos a guerra. ( Só promove a guerra a violência, quem não está em Paz consigo mesmo, quem se afastou de Deus, símbolo do amor);


...Espalhamos o amor;


...Dizemos não a violência;


...Sentimos a presença de Deus;


...Estamos em harmonia com o Universo:


...Somos pacientes e tolerantes para com os erros dos outros;


...Conseguimos reconhecer os nossos próprios erros;


... Conseguimos remover ou ultrapssar os obstáculos que surgirem em nosso caminho.


...Somos compreensivos;


... Agimos com serenidade diante das adversidades;


... Agimos objectivamente ao inves de reagirmos impulsivamente;


...Refletimos antes de agirmos;


...Conseguimos ver a real dimensão dos acontecimentos que surgem ao longo da vida:


... Conseguimos ver além do horizonte;


...Somos promotores da paz;


...Somos construtores de um futuro melhor para nós próprios e para os outros.




Feliz 2012!


Que a Paz reine por todo mundo!


Que o Amor brote em todos os corações!


Que a Luz triunfe sobre as trevas!


Que todos tenham condições de viver com dignidade!


Que todos tenham o mínimo para viver: alimento para o corpo e para o espírito, roupa, um teto para se abrigar, uma cama para descansar,


Que os Homens jamais se esqueçam de agradecer e louvar a Deus por todos os amigos que consquistaram, pelas emoções que viveram, pelos sonhos que realizaram, pelas metas e objetivos que alcançaram pelos bens, dons e oportunidades que receberam!

Ano Novo, músicas do passado...fortes emoções no presente

No 1º dia do Ano de 2012 um conjunto de fortes emoções surgiram quando, por acaso ao mudar de canal na televisão surge o show dos 30 anos do Roupa Nova ao vivo, que coincidência no final do ano de 2010, também por acaso, um canal televisivo, o mesmo, passara esse mesmo show, quantas emoções foram despertadas , em ambas as alturas, quando as músicas marcantes começaram a tocar uma atrás das outras, com lembranças especiais, cada uma mais emocionante do que a outra:

1-Dona (Os momentos com o Rô, inclusive ele havia mandado a letra, porque era assim que me via) Dona desses traiçoeiros Sonhos sempre verdadeiros Oh! Dona desses animais Dona dos seus ideais...Pelas ruas onde andas Onde mandas todos nós Somos sempre mensageiros Esperando tua voz...Teus desejos, uma ordem Nada é nunca, nunca é não Porque tens essa certeza Dentro do teu coração...Tan, tan, tan, batem na porta Não precisa ver quem é Pra sentir a impaciência Do teu pulso de mulher...Um olhar me atira à cama Um beijo me faz amar Não levanto, não me escondo Porque sei que és minhaDona!!!...Dona desses traiçoeiros Sonhos sempre verdadeiros Oh! Dona desses animais Dona dos seus ideais...Não há pedra em teu caminho Não há ondas no teu marNão há vento ou tempestade Que te impeçam de voar...Entre a cobra e o passarinho Entre a pomba e o gavião Ou teu ódio ou teu carinho Nos carregam pela mão
É a moça da CantigaA mulher da CriaçãoUmas vezes nossa amigaOutras nossa perdição...O poder que nos levantaA força, que nos faz cair Qual de nós ainda não sabe Que isso tudo te faz Dona! Dona!Dona! Dona! Dona!

2- Whisky A Go Go (lembra o momento com o Rô quando disse "dança comigo")Foi numa festa, gelo e cuba libre E na vitrola Whisky a Go Go À meia luz o som do Johnny Rivers Aquele tempo que você sonhou...Senti na pele a tua energia Quando peguei de leve a tua mão A noite inteira passa num segundo O tempo voa mais do que a canção
Quase no fim da festaNum beijo, então, você se rendeu Na minha fantasia O mundo era você e eu
Eu perguntava, do you wanna dance?E te abraçava, do you wanna dance? Lembrar você Um sonho a mais não faz mal[x2]...Foi numa festa, gelo e cuba libreE na vitrola Whisky a Go GoÀ meia luz o som do Johnny RiversAquele tempo que você sonhou...Senti na pele a tua energiaQuando peguei de leve a tua mãoA noite inteira passa num segundoO tempo voa mais do que a canção...Quase no fim da festaNum beijo, então, você se rendeuNa minha fantasiaO mundo era você e eu...Eu perguntava, do you wanna dance?E te abraçava, do you wanna dance?Lembrar vocêUm sonho a mais não faz mal[x2]...Eu perguntava, do you wanna dance?E te abraçava, do you wanna dance? Lembrar você Um sonho a mais não faz mal Eu perguntava, do you wanna dance?E te abraçava, do you wanna dance?Lembrar vocêUm sonho a mais não faz mal...Lembrar vocêUm sonho a mais não faz mal...Lembrar vocêUm sonho a mais não faz mal


3-Seguindo no Trem Azul (momentos com o Gabriel o nº2 e o Luis o nº5 no volley, quando fomos assistir o show do Roupa Nova no Canecão, o primeiro show ao vivo que assisti depois fomos ver o mar em Copacabana , também primeira vez que fui a beira mar de noite e senti a sua força e o quanto é poderoso, além do Gabriel tocá-la no meu violão para mim. Também a cantarolei diversas vezes, como se as vibrações dela pudessem chegar até ao principe encantado, alma gêmea complementar ) Confessar Sem medo de mentir Que em você Encontrei inspiração Para escrever...Você é pessoa que nem eu Que sente amor Mas não sabe muito bem Como vai dizer...Te dou o meu coração Queria dar o mundo Luar do meu sertão Seguindo no trem azul...Toda vez que for assoviar A cor do trem É da cor que alguém fizer E você sonhar...Não faz mal Não ser compositor Se o amor valeu Eu empresto um verso meu Prá você dizer...Só me dará prazer Se viajar contigo Até nascer o sol Seguindo no trem azul...Te dou o meu coração Queria dar o mundo Luar do meu sertão Seguindo no trem azul...Vai lembrar De um cara como eu Que sente amor Mas não sabe muito bem Como vai dizer...Só me dará prazerSe viajar contigoAté nascer o solSeguindo no trem azulUh! Uh! Uh!...Te dou o meu coração Queria dar o mundo Luar do meu sertão Seguindo no trem azul Seguindo no trem azul...


4-Maria, Maria (música tocada no violão e cantada por todos os amigos do volley na festa surpresa que eles fizeram para mim, ao mesmo tempo que entregaram um ramo de flores vermelhas, o primeiro que recebi, um deles dançou uma valsa comigo tocada ao violão e depois me levaram para ver o bolo, uma quadra de volley, moção a mais , as lágrimas rolaram soltas) Maria,Maria É um dom, uma certa magia Uma força que nos alerta Uma mulher que merece viver e amarComo outra qualquer do planeta..Maria,Maria É o som, é a cor, é o suorÉ a dose mais forte e lenta De uma gente que ri quando deve chorarE não vive, apenas agüenta...Mas é preciso ter força É preciso ter raça É preciso ter gana sempre Quem traz no corpo a marca Maria, Maria Mistura a dor e a alegria...Mas é preciso ter manha É preciso ter graça É preciso ter sonho sempre Quem traz na pele essa marca Possui a estranha mania De ter fé na vida ...Mas é preciso ter força É preciso ter raça É preciso ter gana sempre Quem traz no corpo a marca Maria, Maria Mistura a dor e a alegria...Mas é preciso ter manhaÉ preciso ter graçaÉ preciso ter sonho sempre Quem traz na pele essa marca Possui a estranha mania De ter fé na vida



5- Linda (Novamente lembranças do momento com o Rô onde aconteceu uma sintonia fascinante, no momento em que estava gravando esta música e escrevendo para lhe enviar dizendo que era a música que cantava para ele, só que mudando o a pelo o, ele mandava a letra dizendo que era o que ele sentia em relação a mim) Linda...Só você me fascina....Te desejo...Muito além do prazer...Vista...Meu futuro em teu corpo...E me ama...Como eu amo você...Vem...Fazer diferente...O que mais ningiém faz...Faz parte de mim...Me inventa outra vez...Vem...Conquistar meu mundo...Dividir o que é seu ...Mil beijos de amor...Em muitos lençóis...Só eu e você...Linda...conte a mim seus segredos...Em teus sonhos...Diga quem é você...Livre...Nunca mais tenha medo...Pois quem ama...Tudo pode vencer

6-Anjo (novamente a lembrança do Gabriel tocando esta música no meu violão na minha casa, O Gabriel estava a minha espera a saída do bloco operatório, onde as dores eram tantas que a lágrima rolava sem que eu pudesse controlar ou me queixasse e ele segurou na minha mão e a apertou com força mais tarde diria "não sabia o que fazer, via a tua dor, embora tu não dissesses nada, para aliviar a tua dor, por isso segurei na tua mão" e foi um momento muito reconfortante, Obrigada! meu amigo, penso que nunca te agradeci por isso) Se você vê estrelas demaisLembre que um sonho não volta atrás Chega perto e diz: "Anjo!"Se você sente o corpo colarSolte o seu medo bem devagar Chega perto e diz: "Anjo!"Bem mais perto diz: "Anjo!"...Se uma coisa louca sai do seu olhar Fique em silêncio, deixe o amor entrar Prá que tanta pressa de chegar?Se eu sei o jeito e o lugar Se eu sei o jeito e o lugar
Se você vê estrelas demais Lembre que o sonho não volta atrásChega perto e diz: "Anjo!"Se você sente o corpo colarSolte o seu medo bem devagarChega perto e diz: "Anjo!"Bem mais perto e diz: "Anjo!"...Se uma coisa louca sai do seu olharFique em silêncio, deixe o amor entrarPrá que tanta pressa de chegar?Se eu sei o jeito e o lugarSe eu sei o jeito e o lugar...Oh! Oh! Oh! Yeah!Anjo! Anjo! Anjo!Oh! Oh! Anjo!!!!


7- Ando meio desligado (música que traduz o estado de "flutuar" que o Rô me fazia sentir e que o "príncipe encantado" me faz sentir, só que com intensidade muito maior) Ando meio desligado Eu nem sinto meus pés no chão Olho e não vejo nada Eu só penso se você me quer Eu nem vejo a hora de lhe dizer Aquilo tudo que eu decorei E depois, o beijo que eu já sonhei Você vai sentir Mas por favor não leve a malEu só quero que você me queira Não leve a mal Ando meio desligado...Eu nem vejo a hora...Eu nem vejo a hora...Não leve a mal...


8-Andança (momentos de intensa explosão de emoção, vivida com o "príncipe encantado" quando este a enviou após os momentos deliciosos proporcionados por ele, que deixaram por longo tempo flutuando, "sem sentir os pés no chão") Vim tanta areia andeiDa lua cheia eu sei, uma saudade imensaVagando em verso eu vim vestido de cetinmNa mão direita rosas vou levar...Olha a lua mansa a se derramar(me leva amor)Ao luar descansa meu caminhar(amor) Seu olhar em festa se fez feliz (me leva amor)Lembrando a seresta que um dia eu fiz(Por onde for quero ser seu par)...Já me fiz da guerra por não saber(me leva amor) Que esta terra encerra meu bem querer (amor) E jamais termina meu caminhar (me leva amor) Só o amor me ensina onde vou chegar (Por onde for quero ser seu par)
Rodei de roda andei, dança da moda eu sei Cansei de ser sozinha Verso encantado usei, meu namorado é rei Nas lendas do caminho Onde andei...No passo da estrada só faço andar (me leva amor) Tenho a minha amada a me acompanhar(amor) Vim de longe léguas cantando eu vim(me leva amor)Vou não faço tréguas sou mesmo assim (Por onde eu for Quero ser seu par)
Já me fiz a guerra por não saber (me leva amor) Que esta terra encerra meu bem querer (amor)E jamais termina meu caminhar (me leva amor) Só o amor ensina onde vou chegar (Por onde eu for Quero ser seu par)


10-Felicidade (música cantarolada inicialmente para o RÔ, depois cantada com mais força e emoção para o "príncipe encantado"como se fosse uma declaração para ele) Do meu coração desertoVocê fez uma cidade Veloz, um amor esperto Total na cumplicidade Quando o raio do amor nos feriu A felicidade então nos sorriu Eu quero só você Longe, perto ao lado Eu só penso em estar com você Eu quero só você Sonho as noites acordado Só pensando em você Eu só penso estar com você Que seja descomplicado Feroz e na hora exata Que não exista certo e errado Na lua, na noite prata Quando o raio do amor nos feriu A felicidade então nos sorriuEu quero só você...



11-Amanheci Sozinho ( passou a ser tema que expressava o vazio deixado pela ausência de comunicação do "príncipe encantado" quando este tivera que aumentar a distância e na altura a pergunta era "será que eu disse ou fiz alguma coisa errada"? e a música retrata isso, porque não conseguia entender que ele precisava de maior espaço para para ele e o ritmo de sua vida atribulada e preenchida. Ainda hoje, quando as saudades aumentam ou quando o tempo de afastamento é maior, isso é esquecido novamente e vem a tortura "foi porque fiz ou disse algo que não gostara, mas a razão põe fim a essa tortura e por vezes o próprio acaba por indiretamente, sem saber, acabar com ela) Amanheci sozinho , na cama um vazio Meu coração que se foi sem dizer se voltava depois Sofrimento eu não vou agüentar Se a mulher que nasci para viver não me quer mais...Sempre depois das brigas nós nos amamos muito Dia e noite a sós o universo era pouco pra nós O que aconteceu pra você partir assim...Se te fiz algo errado perdão volta pra mim Essa paixão é meu mundo Um sentimento profundo Sonho acordado um segundo que você vai ligar O telefone que toca, eu digo alô sem resposta Mais não desliga escuta o que eu vou te falar...REFRÂO Eu te amo e vou gritar pra todo mundo ouvir Ter você é meu desejo de viver,Sou menino e teu amor é que me faz crescer E me entrego corpo e alma pra você...Sempre depois das brigas nós nos amamos muito...Essa paixão é meu mundo Um sentimento...profundo Sonho acordado um segundo que você vai ligar O telefone que toca, eu digo alô sem resposta Mais não desliga escuta o que eu vou te falar...2x Refrão


12-A Viagem (lembra os "voos" ao paraíso com o "príncipe encantado/ "alma gêmea complementar)"Há tanto tempo que eu deixei você Fui chorando de saudade Mesmo longe não me conformei Pode crer Eu viajei contra a vontade...O teu amor chamou e eu regressei Todo amor é infinito Noite e dia no meu coração Trouxe a luz Do nosso instante mais bonito...Na escuridão o teu olhar me iluminava E minha estrela-guia era o teu riso Coisas do passado São alegres quando lembram Novamente as pessoas que se amam...Em cada solidão vencida eu desejava O reencontro com teu corpo abrigo Ah! Minha adorada Viajei tantos espaços Prá você caber assim no meu abraço...Te amo!

13-Começo, meio e fim (a música que foi tema na novela felicidade em que tocava fundo, uma melancolia inexplicável, que só se tornou compreensível, quando o amor foi vivido em sua plenitude, hoje quando a escuto, já não sinto melancolia e sim emoção porque surge os momentos de grande emoção vividos com o encontro da alma gêmea complementar)A vida tem sons que pra gente ouvir Precisa entender que um amor de verdade É feito canção, qualquer coisa assim, Que tem seu começo, seu meio e seu fim...A vida tem sons que pra gente ouvir Precisa aprender a começar de novo. É como tocar o mesmo violão E nele compor uma nova canção ...Que fale de amor Que faça chorar Que toque mais forteEsse meu coração...Ah! Coração!Se apronta pra recomeçar.Ah! Coração!Esquece esse medo de amar de novo.


14-Chuva de prata (momentos com o Marcelo, o primeiro príncipe encantado, porque uma vez estava treinando Water Polo, saiu da piscina para me cumprimentar com um beijo no rosto " beijo molhado", como uma amiga chamou ao ouvir o relato, como um simples beijo no rosto pode deixar uma marca tão profunda que o tempo não apaga da memória a forte emoção sentida)Se tem luar no céu Retira o véu e faz chover Sobre o nosso amor
Chuva de prata que cai sem parar Quase me mata de tanto esperar Um beijo molhado de luz Sela o nosso amor...Basta um pouquinho de mel prá adoçar Deixa cair o seu véu sobre nós Oh, lua bonita no céu molha o nosso amor...Toda vez que o amor disser: Vem comigo!Vai sem medo de se arrepender Você deve acreditar no que é lindo Pode ir fundo, isso é que é viver Cola seu rosto no meu, vem dançar Pinga seu nome no breu pra ficar Enquanto se esquece de mim Lembra da canção...Toda vez que o amor disser: Vem comigo! Vai sem medo de se...arrepender Você deve acreditar no que eu digo Pode ir fundo, isso é que é viver...Chuva de prata que cai sem parar Quase me mata de tanto esperar Um beijo molhado de luz Sela o nosso amor Enquanto se esquece de mim Lembra da canção Oh, lua bonita no céu Banha o nosso amor...


Uau! quanta emoção! fazia tanto tempo que eu não me deixava abandonar ao sabor de uma música, inclusive dançando as músicas com maior ritmo, como o "Show de Rock..." Este momento de libertação foi que fez com que pudesse enfrentar a carga negativa que se seguiu após o almoço, quando um familiar sem mais nem porque resolveu criar "banzé", entrando em conflito, palavras de acusação dirigidas de forma descontrolada a mim, sem nenhuma razão, saindo em seguida sem terminar a sobremesa, pesando o clima, justamente no dia consagrado a Paz! e onde até minutos antes reinava a harmonia e um clima ameno.


Obrigada ao "Roupa Nova" pelas músicas que marcaram alguns dos momentos mais emocionantes da minha vida , obrigada aos amigos do Volley (UERJ), ao Marcelo (UFRJ), ao Gabriel (ACM), ao Rô (MIRC), ao "príncipe encantado/alma gêmea complementar", por essas emoções, que foram revividas, num emocionante flashBack, hoje no primeiro dia do Ano Novo!


1º dia do Ano, Dia de Paz...mas nem sempre!



O primeiro dia do Ano Novo foi consagrado ao dia Mundial da Paz! Porém nem sempre a Paz acontece no seio da família. Foi o que aconteceu este ano, repetição de outros anos com o mesmo familiar, que sistematicamente do nada aproveita para gerar conflito e criar um clima de mal-estar, tensão, energia negativa, quebrando a harmonia e a paz que até então reinava, isso durante o almoço de Ano Novo. Tão sem sentido ou nexo que lhe foi perguntado o que motivou tal comportamento e a resposta foi por coisas do passado, que todos os anos menciona como se recente fosse, tanto é que lhe foi dito "ano novo música velha, porque estás com isso, o que motivou se estávamos em harmonia e nada se passou que pudesse perturbar e gerar essa atitude", além de criar o clima desagradável, ainda refere "o pivô disso tudo és tu" e sai porta afora, deixando um clima péssimo no ar, passado alguns momentos o outro familiar sai numa atitude semelhante, por ficar do lado de quem criou a situação.

É triste e lamentável que membros de uma família que tem ao longo dos anos provocado e semeado a discórdia, climas desagradáveis de conflito, que manipulam outros membros da família, deixando-os divididos (se ficam do lado dessa pessoa, magoam outros elementos da família, se não fica do lado, está causando mágoa nessa pessoa que mais tarde arranja um jeito de o punir), mas que se acham as próprias vítimas.

É difícil manter a harmonia, a paz no seio da família, quando existem pessoas que têm atitudes erradas, mas atribuem culpas a quem não as tem, por um lado se fazemos a verdade surgir, estamos magoando alguém, se a verdade não surge ou calamos para não aumentar o conflito e o clima desagradável, na tentativa de promover a concórdia, a paz, a harmonia no seio da família, somos nós que saímos magoados porque somos acusados injustamente e por vezes alvo de ingratidão, quando passamos por cima dessas atitudes e tratamos como se essa atitude não existisse, nomeadamente no que tange a continuar dando presentes no aniversário e nas ocasiões como Natal, Páscoa, exatamente como é feito para os demais familiares.

Como se pode almejar a Paz mundial, se no seio da própria família por vezes essa paz não existe? ou quando no nosso próprio coração não há paz?