Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Pensamentos negativos... quebra da magia do Amor!

Hoje descobri que sou o maior e implacável inimigo de mim mesmo, auxiliado pelos meus próprios pensamentos.


Só hoje tomei total consciência de que a maravilhosa energia e a mágica sintonia despertada pelo amor, apesar de ser forte e poderosa capaz de nos transportar, desenvolver o que de melhor existe em nós, derrubar barreiras, transpor obstáculos, vencer distâncias, é vulnerável, sucumbe ou se quebra diante dos nossos pensamentos negativos, do nosso egocentrismo, do nosso egoísmo que nos faz olhar só para o nosso umbigo, fazendo com que julguemos apressadamente as ações e atitudes dos outros, em consequência fazendo com que fiquemos ressentidos, até mesmo frustrados, porque não veio de encontro ao que gostaríamos, mesmo que não expressemos isso, só o fato de ter pensado já é o suficiente para notarmos a diferença dentro de nós.


Ter pensamentos negativos é difícil de ser evitado, mas todas as vezes que percebermos que a energia maravilhosa ou a mágica sintonia que sentimos ou sentíamos, diminuiu, devemos logo pensar aonde que erramos, porque com toda a certeza foi um pensamento negativo que tivemos e não uma atitude do outro, ao tomarmos consciência disso, devemos formular mentalmente um pedido de desculpas e automaticamente ou gradativamente voltaremos a sentir com a mesma intensidade essa maravilhosa energia e mágica sintonia do amor que está espalhada pelo Universo.

Ano Bissexto...regresso ao passado: Feliz Aniversário "SM0KER"!

O nosso "baú" de emoções, o coração, sem mais nem mais menos se abre e liberta emoções que ficaram no passado, mas não esquecidas.

Hoje por ser um dia especial que só acontece de 4/4 anos, as lembranças de alguém que fora importante no passado, nascido nesse dia, retornam com toda a força, apesar de no presente nossos caminhos se terem descruzados e de forma pouco agradável, os momentos bons e felizes vividos ficaram gravados e em nada foram ou serão alterados, só me pergunto porque neste ano e não nos outros Anos Bissextos anteriores, visto estarem mais próximos dos momentos vividos, é que essas lembranças surgiram, sem mais nem menos. Será porque por alguma razão houve um "flash" da forte sintonia que existiu quando nossos caminhos se cruzaram? Será que por ter havido uma ligação profunda, apesar de virtual, ele estivesse atravessando um período difícil e mentalmente pedira ajuda (consciente ou inconscientemente) como em outras alturas mencionou fazer e que recebera a ajuda? pelo sim e pelo não, fiz o que estava ao meu alcance, enviei Reiki à distância ( não iria telefonar ou mandar mensagem, depois de tantos anos sem comunicação e partindo de uma suposição). Será um "ataque de nostalgia"? esta está fora de questão definitivamente, o coração está preenchido por alguém especial, maravilhoso, pela alma gêmea complementar real, os períodos de nostalgia que possam existir dizem respeito a este, quando as saudades apertam, mas não por outro alguém.

Seja como for, lembrando os tempos felizes e emocionantes em que nossos caminhos se cruzaram no passado, aproveito para desejar:

Feliz aniversário "SM0KER"!

Que você tenha deixado o caminho das trevas e que Deus te ilumine a trilhar novamente o caminho correto, o do bem, para que você possa voltar a ter o brilho e ser o "SM0KER" especial, fascinante que fora um dia, que tive o privilégio de conhecer.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

"Nada é permanente neste mundo nem mesmo os problemas"...Então:

 Recados Para Orkut ...Então:SORRIA
Sorria, embora seu coração esteja doendo
Sorria, mesmo que ele esteja partido
Quando há nuvens no céu
Você sobreviverá...Se você apenas sorri
Com seu medo e tristeza
Sorria e talvez amanhã
Você descobrirá que a vida ainda vale a pena se você apenas...
Ilumine sua face com alegria
Esconda todo rastro de tristeza
Embora uma lágrima possa estar tão próxima
Este é o momento que você tem que continuar tentando
Sorria, pra que serve o choro?
Você descobrirá que a vida ainda vale a pena
Se você apenas...Se você sorri"
Charles Chaplin
...Então: "Sorri quando a dor te torturar
E a saudade atormentar
Os teus dias tristonhos vazios
Sorri quando tudo terminar
Quando nada mais restar
Do teu sonho encantador
Sorri quando o sol perder a luz
E sentires uma cruz
Nos teus ombros cansados doridos
Sorri vai mentindo a sua dor
E ao notar que tu sorris
Todo mundo irá supor
Que és feliz!

Charles Chaplin


...Então:"Não fique triste quando ninguém notar o que fez de bom Afinal...O sol faz um enorme espetaculo ao nascer,e mesmo assim, a maioria de nós continua dormindo".
Charles Chaplin


...Então:"Bom mesmo é ir a luta com determinação, abraçar a vida com paixão, perder com classe e vencer com ousadia,pois o triunfo pertence a quem se atreve...A vida é muita para ser insignificante".
Charles Chaplin


...Então: Aproveite para refletir nas palavras de Charles Caplin:"Hoje levantei cedo pensando no que tenho a fazer antes que o relógio marque meia noite. É minha função escolher que tipo de dia vou ter hoje. Posso reclamar porque está chovendo ou agradecer às águas por lavarem a poluição. Posso ficar triste por não ter dinheiro ou me sentir encorajado para administrar minhas finanças, evitando o desperdício. Posso reclamar sobre minha saúde ou dar graças por estar vivo. Posso me queixar dos meus pais por não terem me dado tudo o que eu queria ou posso ser grato por ter nascido. Posso reclamar por ter que ir trabalhar ou agradecer por ter trabalho. Posso sentir tédio com o trabalho doméstico ou agradecer a Deus. Posso lamentar decepções com amigos ou me entusiasmar com a possibilidade de fazer novas amizades. Se as coisas não saíram como planejei posso ficar feliz por ter hoje para recomeçar. O dia está na minha frente esperando para ser o que eu quiser. E aqui estou eu, o escultor que pode dar forma. Tudo depende só de mim".
Charles Chaplin
...Então: sorria, porque fará feliz a quem espera um sorriso seu para ser feliz!

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Dia de São Valentin

São Valentim (ou Valentinus em latim), segundo a Wikipédia, é um santo reconhecido pela Igreja Católica e igrejas orientais que dá nome ao Dia dos Namorados em muitos países, onde celebram o Dia de São Valentim. O nome refere-se a pelo menos três santos martirizados na Roma antiga.
O imperador Cláudio II, durante seu governo , proibiu a realização de casamentos em seu reino, com o objectivo de formar um grande e poderoso exército. Cláudio acreditava que os jovens, se não tivessem família, alistar-se-iam com maior facilidade. No entanto, um bispo romano continuou a celebrar casamentos, mesmo com a proibição do imperador. Seu nome era Valentim e as cerimónias eram realizadas em segredo. A prática foi descoberta e Valentim foi preso e condenado à morte. Enquanto estava preso, muitos jovens jogavam flores e bilhetes dizendo que os jovens ainda acreditavam no amor. Entre as pessoas que jogaram mensagens ao bispo estava uma jovem cega, Astérias, filha do carcereiro, a qual conseguiu a permissão do pai para visitar Valentim. Os dois acabaram apaixonando-se e, milagrosamente, a jovem recuperou a visão. O bispo chegou a escrever uma carta de amor para a jovem com a seguinte assinatura: “de seu Valentim”, expressão ainda hoje utilizada. Valentim foi decapitado em 14 de Fevereiro de 270.
O Dia dos Namorados ou Dia de São Valentim é uma data especial e comemorativa na qual se celebra a união amorosa entre casais sendo comum a troca de cartões e presentes com simbolismo de mesmo intuito, tais como as tradicionais caixas de bombons. No Brasil, a data é comemorada no dia 12 de Junho.
A história do Dia de São Valentim remonta a um obscuro dia de jejum tido em homenagem a São Valentim. A associação com o amor romântico chega depois do final da Idade Média, durante o qual o conceito de amor romântico foi formulado. Considerado mártir pela Igreja Católica, a data de sua morte - 14 de Fevereiro - também marca a véspera de lupercais, festas anuais celebradas na Roma antiga em honra de Juno (deusa da mulher e do matrimônio) e de Pan (deus da natureza). Um dos rituais desse festival era a passeata da fertilidade, em que os sacerdotes caminhavam pela cidade batendo em todas as mulheres com correias de couro de cabra para assegurar a fecundidade. O festival consistia numa lotaria, onde os rapazes tiravam à sorte de uma caixa, o nome da rapariga que viria a ser a sua companheira durante a duração das festividades, normalmente um mês. A celebração decorreu durante cerca de 800 anos, em Fevereiro, até que em 496 d.c., o Papa Gelásio I decidiu instituir o dia 14 como o dia de São Valentim, para que a a celebração cristã absorvesse o paganismo da data.
Outra versão diz que no século XVII, ingleses e franceses passaram a celebrar o Dia de São Valentim como a união do Dia dos Namorados. A data foi adotada um século depois nos Estados Unidos, tornando-se o The Valentine's Day. E na Idade Média, dizia-se que o dia 14 de fevereiro era o primeiro dia de acasalamento dos pássaros. Por isso, os namorados da Idade Média usavam esta ocasião para deixar mensagens de amor na soleira da porta do(a) amado(a).
Atualmente, o dia é principalmente associado à troca mútua de recados de amor em forma de objetos simbólicos. Símbolos modernos incluem a silhueta de um coração e a figura de um Cupido com asas. Iniciada no século XIX, a prática de recados manuscritos (exemplo disso são os Lenços dos Namorados=O lenço dos namorados é um lenço fabricado a partir de um pano de linho fino ou de lenço de algodão, bordado com motivos variados. É uma peça de artesanato e vestuário típico do Minho, norte de Portugal, sendo usado por mulheres com idade de casar.Era hábito a rapariga apaixonada bordar o seu lenço e entregá-lo ao seu amado quando este se fosse ausentar. Nos lenços poderiam ter bordados versos, para além de vários desenhos, alguns padronizados, tendo simbologias próprias. Era usado como ritual de conquista. Depois de confeccionado, o lenço acabaria por chegar à posse do homem amado, que o passaria a usar em público como modo de mostrar que tinha dado início a uma relação. Se o namorado (também chamado de conversado) não usasse o lenço publicamente era sinal que tinha decidido não dar início a ligação amorosa. É provável que a origem dos "Lenços de Namorados", também conhecidos por "Lenços de Pedidos" esteja intimamente ligada aos lenços senhoris dos séculos XVII - XVIII, que posteriormente foram adaptados pelas mulheres do povo, adquirindo os mesmos, consequentemente, um aspecto mais popular) deu lugar à troca de cartões de felicitação produzidos em massa. Estima-se que, mundo fora, aproximadamente mil milhões (Portugal) (um bilhão no Brasil) de cartões com mensagens românticas são enviados a cada ano, tornando esse dia um dos mais lucrativos do ano. Também se estima que as mulheres comprem aproximadamente 85% de todos os presentes no Brasil.
O dia de São Valentim era até há algumas décadas uma festa comemorada principalmente em países anglo-saxões, mas ao longo do século XX o hábito estendeu-se a muitos outros países (EUA, Itália e Canadá,Holanda, Tailândia, China, Portugal, Austrália, Dinamarca, Japão, aqui só as mulheres presenteiam, dão caixa de bombom, Rússia).

Apesar de estar associado ao amor romântico/Eros, o dia de São Valentin é o dia do Amor no seu sentido mais amplo englobando todo o tipo de Amor, inclusive entre amigos.

Feliz dia do Amor!

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Pare o mundo que eu quero descer...

Pare o mundo que eu quero descer... jogar para fora tamanha repugnância, nojo, revolta que estou sentindo neste momento... até onde chega o ser humano quando contrariado nas suas pretensões? ofende, calunia, lança uma nódoa na reputação pessoal e profissional de outros seres humanos, no local aonde exercem a sua atividade profissional, inclusive colegas de trabalho que presenciam o lamentável, reprovável incidente, mas quando solicitados a serem testemunhas, esquivam-se, negam ter ouvido o que quer que seja, quando a pessoa em questão falou-lhes diretamente, encolhem-se como ratos, assim como quase todos (felizmente 2 pessoas confirmaram ter ouvido.) que estavam presentes negaram ter ouvido as calúnias proferidas, uma delas posteriormente confessa ter ouvido, mas nada disse porque o marido não queria confusão. É caso para dizer novamente que vão todos "pra tonga da mironga do cabuletê"...

Meu pai dizia "não há pior ladrão do que aquele que rouba a moral do outro", os bens materiais o dinheiro compra outros, mas e a moral como se limpa quando esta foi manchada, atirada à lama?

É claro que não pode haver outra medida se não a participação da ocorrência em termos judiciais, isso acarretará chatices, aborrecimentos, como o foi um outro lamentável incidente, onde alguém para conseguir as suas pretensões priva o profissional de sua liberdade, no próprio local de trabalho, trancando-se junto com o profissional, retirando a chave da porta do gabinete deste e conservando-a em seu poder até chegar a autoridade policial. Entretanto será necessário para que a verdade seja reposta e não paire nenhuma dúvida sobre a moral do profissional em questão.

A que estamos sujeitos no exercício de nossa profissão?

Que mundo é este em que vivemos? Está uma pessoa tentando desempenhar correta e responsavelmente as suas funções da melhor forma que sabe ou pode e chega alguém que acha que o profissional deve atender suas pretensões, mesmo que não seja correto, quando isso não acontece passa a manchar a reputação do profissional pronunciando calúnias sobre ele, profissional, em público em alto e bom som para quem quiser ouvir, isso fica na cabeça das pessoas, mesmo que a verdade seja reposta, irá sempre pairar uma dúvida na cabeça daqueles que ouviram e para quem eles transmitiram.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

2:56- Hora de uma sensação estranha

A nossa mente nos submete a momentos que por vezes são estranhos como o ser despertado durante a madrugada com a sensação de estar no meio de uma relação prestes a atingir o clímax, o corpo reagindo dessa forma, mas a razão não tendo essa percepção, como que estivesse entorpecida, sendo guiada e comandada por uma força exterior alheio a nossa vontade, desejo e percepção da consciência, exatamente como que tivesse tido essa relação e tivesse adormecido no exato momento de atingir o clímax e portanto este tenha acontecido sem que a consciência o percebesse e ao despertar estaríamos no ponto exato onde interrompemos ao adormecermos sem sentir. Será que não passou de um sonho sem que lembremos do sonho e ao despertarmos ainda estamos meio adormecidos e sentimos no corpo como se na realidade estivesse acontecendo?

Talvez seja o mesmo mecanismo que acontece quando se toma algum ansilítico do tipo benzodiazepínico que pode gerar amnésia para os acontecimentos recentes do tipo entrar num avião e lembrar do momento em que tomou esse ansiolítico e depois despertar no quarto do hotel, sem lembrar como desembarcou e chegou ao hotel com a sua bagagem tudo normal, sem que tivesse sido auxiliado por alguém.

Tudo isso é muito estranho, difícil de compreender a luz da nossa razão, o que demonstra mais uma vez o quanto a mente humana é complexa e levanta questionamentos do tipo:O prazer é uma sensação real física ou uma criação da mente do imaginário tendo como ponto de partida o físico?

O prazer é consequência de uma estimulação direta dos sentidos (visão, audição, tato, paladar e olfato) e portanto uma ação reflexa ou reflexo condicionado sem que passa pela mente ou é um mecanismo de resposta da informação processada a nível mental? ou os dois dependendo da fonte de origem?

Essa perguntas são fruto do momento vivido, uma reflexão mais emocional do que racional (porque esta apontaria para a complexidade das ligações existentes entre a região responsável pelas emoções, o sistema límbico, especialmente o hipotálamo que recebe as aferências sensitivas e de onde partem as eferências motoras, etc. como há muito tempo já foi descrito noutro post, neste mesmo "cantinho"e como tal dependendo das respostas anteriores pode-se tirar as seguintes elações ou hipóteses (deixando o lado racional, técnico e científico de lado, apenas deixando fluir os pensamentos e reflexões livremente):

Se o prazer puder ser "fabricado" pela nossa mente , então teremos dificuldade em discernir o que é real do que é imaginário e isso poderá acarretar uma ruptura com a realidade e por em risco a sanidade mental.

Se o prazer depender da resposta do processamento da informação a nível mental, então sentir prazer poderá ser um ato voluntário, cabendo a pessoa decidir se sentirá ou não prazer independentemente do estímulo recebido a nível físico ou dos sentidos.

Se o prazer depender exclusivamente do estímulo dos sentidos então quando se tem prazer sem que haja esse estímulo poderá ser um alerta de que a sanidade mental está alterada ou um excesso de imaginação e fantasia o que em última instância poderá comprometer a sanidade mental porque poderá originar alienação da realidade.

Se os sonhos não são realidade, o prazer que sentimos ao despertar de um sonho será uma alienação da realidade, um desejo reprimido ou o processamento da resposta mental que não fez a distinção entre a realidade e a fantasia.

O prazer podendo ser criado pela mente justificaria ou fundamentaria o sexo virtual onde através dos outros sentidos que não o tato, paladar e olfato, a informação seria processada na mente e esta desencadearia no corpo a resposta exatamente como se tivesse sido realizado sexo real sem que houvesse auto estimulação das zonas erógenas.

Mais tarde retornarei a estas questões mas tentando que seja com fundamentos técnicos e científicos, por agora ficam estas, tolices para alguns, para outros e nestes me incluo, dúvidas lançadas pela curiosidade e interesse em descobrir o fascinante mundo da mente humana, das emoções e comportamentos do ser humano, para tentar descortinar a minha própria mente e quem sabe o sentido da minha própria existência, a partir de viver uma experiência fantástica, mas estranha, de acordar sentindo um prazer surgido do nada como se o sonho fosse uma realidade e esta a continuação de um sonho não sonhado conscientemente, talvez sob influência do que acabara de escrever e descrever antes de adormecer.

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Delícia...uma sensação para além da razão!

Delícia! uma palavra que ficou gravada na mente! Também pudera com o seu significado (prazer intenso.Sensação agradável ou deleitosa.Encanto, gozo, deleite). Evoca um dos sentidos, o paladar, mas também evoca sensações para além do físico ou da razão.

Este fim de semana essa palavra foi relembrada com mais força, na sexta feira pela sobremesa comida "delícia de chocolate" como não poderia deixar de ser, simplesmente D E L I C I O S A! (pudera já tem o nome com ela e associada ao "manjar negro dos deuses" como eu chamo ao chocolate...hummm! Divina! é um semi frio de chocolate (sorvete de chocolate) e bolacha coberto com raspas de chocolate, infelizmente não consegui a receita), depois ocasionalmente ouvi várias vezes a música do Michel Teló, mas curiosamente só na parte que ele canta "delícia"! com uma intonação que desperta uma sensação agradável...

Talvez em função disso e das recordações de vários momentos de grande emoção, surgiram momentos onde a palavra "delícia" foi repetida uma infinidade de vezes, desencadeando emoções que atingiram o rubro de intensidade.

Bem vamos aguçar um dos sentidos (visão), através das receitas tiradas da Internet para um dia as experimentar, já que no momento não dá para as apreciar com o paladar, mas... "com os olhos e com a imaginação também se come" ...

1-Torta delícia=Ingredientes:Base750g de chocolate ao leite750g de biscoitos de chocolate, sem recheio, moídos350g de creme de leite sem soroRecheio1,750 quilo de chocolate meio-amargo bem picado750g de chocolate ao leite bem picado1,250 quilo de creme de leite sem soro15 gotas de essência de amêndoas500g de amêndoas sem pele picadas ( Derreta o chocolate ao leite em banho-maria, conforme as instruções da embalagem. Misture o biscoito moído. Quando estiver bem homogeneizado, acrescente o creme de leite e misture. Com essa base, forre o fundo e a lateral de 5 fôrmas de 20cm de diâmetro. Coloque acetato na fôrma ou unte com margarina e polvilhe açúcar).Recheio Disponha o chocolate meio-amargo e o chocolate ao leite em tigela grande. Aqueça o creme de leite e misture aos chocolates. Junte a essência de amêndoas. Espere alguns minutos e misture até ficar homogêneo. Acrescente as amêndoas, misture e distribua o recheio sobre as tortas. Leve à geladeira por 6 horas ou ao freezer por 2 horas;Decoração50g de cobertura fracionada de chocolate meio-amargo picado100g de amêndoas laminadas torradas50g de biscoitos de chocolate, sem recheio, moído100g de cobertura hidrogenada marfimVocê vai precisar de5 fôrmas redondas (20 centímetros de diâmetro)cone de papel-manteiga10 moldes para miniovosPara forrar ou untaracetato ou use margarina e açúcar Miniovos na decoração Derreta a cobertura de chocolate meio-amargo em banho-maria, conforme as instruções da embalagem, e encha um cone de papel manteiga. Faça traços em 10 moldes para miniovos de Páscoa. Derreta a cobertura hidrogenada marfim e preencha os moldes para metades de miniovos que foram riscados com o chocolate escuro. Leve à geladeira por 5 minutos ou até secar. Desenforme e reserve os miniovos. Montagem Desenforme as tortas. Disponha as amêndoas laminadas sobre a torta, preenchendo a borda. Disponha duas metades de miniovos no centro de cada torta.

2-Delícia de Chocolate =Receita do livro base da Bimby [com algumas alterações no peso do açúcar e da margarina].Ingredientes: 6 Ovos [gemas e claras separadas] 180 gr. de Açúcar 150 gr de Margarina 250 gr. de Chocolate Negro em Barra 50 gr. de FarinhaPreparação:No copo da Bimby, coloque a borboleta na lâmina, deite as claras e programe 6 min., vel. 3.Retire para uma taça e reserve. Retire a borboleta e deite no copo o açúcar, as gemas e a margarina.Programe 5 min., temp. 70º, vel 4.Adicione o chocolate, espere que se funda e misture 20 seg., vel 5.Junta-se a farinha e mistura-se 10 seg., vel. 5.Por fim adicionam-se as claras em castelo reservadas e envolve-se delicadamente com a espátula.Deite numa forma de aro, untei com o spray da Espiga.Leva-se ao forno pré-aquecido a 200ºC durante cerca de 10 min.Verifica-se a cozedura, assim que o rebordo começar a ficar cozido retira-se.Não se deve deixar no forno mais de 15 minutos, mas claro que todos os fornos são diferentes, convém controlar.Deixa-se arrefecer totalmente e desenforma-se.Decorei com chocolate em pó e confetis do flo de Tavira.

3- Delícia de Chocolate =Ingredientes:150 gr chocolate culinária120 gr açúcar1 ovo50 ml natas1 saq. açúcar baunilhadoPreparação:Ligar o forno a 160º / 170º.Fazer a massa areada, e estender com um rolo. Aplicar numa forma de fundo amovível.Derreter o chocolate em banho-maria. Entretanto bater o ovo com o açúcar até obter um preparado espumoso e macio. Adicionar as natas e a baunilha.Depois do chocolate derretido e arrefecido, adicioná-lo ao preparado das natas, açúcar e ovo. O creme deverá fcar homogéneo e macio.Na forma, por cima da massa, deitar o creme com chocolate.Estender a restante massa para cobrir a tarte.Levar ao forno cerca de 30 minutos.

4-Delícia de chocolate =-Ingredientes:Bolo:200 gr de açúcar 6 ovos40 gr de fécula de batata40 gr de cacau em pó,140 gr de farinha
60 gr de manteiga 1 pacote de natas batidas em chantilly aromatizado com licor de laranja (facultativo)
carambolas Preparação:Misturar os ovos com o açúcar num recipiente que possa ir ao lume e levar a aquecer em banho maria até atingir os 45º (cerca de 10 minutos), mexendo lentamente. Depois de retirar do lume, com uma batedeira eléctrica bater durante 10 minutos até obter um creme esbranquiçado. Em seguida peneirar os ingredientes secos. A farinha, a fécula, e o cacau. Aquecer um pouco a manteiga e juntar à mistura de açúcar mexendo com a vara de arames.Em seguida adicionar os ingredientes secos.
Levar ao forno a 180º numa forma bem untada e polvilhada de farinha, durante 15-20 minutos. Desenformar e deixar arrefecer sobre uma grelha. Cortar em três partes iguais e rechear uma com creme de chocolate e outra com chantilly aromatizado com licor de laranja. Cobrir com o restante recheio de chocolate e decorar de acordo com a imaginação.
Creme de chocolate: Leve meio pacote de natas com 2 colheres de sopa de margarina e 2 colheres de sopa de açúcar ao lume até ficarem quentes, mas não deixe ferver. Acrescente metade de uma tablete de chocolate cortada em pequenos pedaços e misture. Com um batedor de varas, mexa muito bem, até obter um creme liso e brilhante. Deixe arrefecer um pouco antes de utilizar.
Folhas de chocolate:Derreter um pedaço de chocolate para culinária no microondas até ficar completamente liquido e pincelar sobre folhas escolhidas a gosto. Esta é de hortênsia. Deixar arrefecer à temperatura ambiente mas se estiver calor levar ao frio. Depois solta-se com cuidado e surgem como por magia bonitas folhas de chocolate.
5- Delícia gelada
Calda:3 colheres de chocolate,3 colheres de água
Bolo:3 ovos (clara e neve separadas),1 lata de leite condensado1 lata de leite,2 colheres de açúcar,1 lata de creme de leite,Calda:
Leve os ingredientes para ferver e depois leve para congelar em uma forma de pudim
Bolo:
Bata no liquidificador as gemas, o leite condensado e o leite
Depois coloque em uma panela e leve ao fogo até engrossar ou levantar fervura, desligue e deixe esfriar completamente
Bata as claras em neve até ficar bem firme e coloque 2 colheres de açúcar, bata mais
Depois coloque 1 lata de creme de leite sem soro e mexa com uma colher, pois não pode bater na batedeira
Juntar os cremes branco com amarelo
O amarelo deve estar bem frio, misture bem levemente
Coloque a mistura dos 2 cremes na forma onde está a calda
Coloque no congelador umas 2 horas ou até ele ficar durinho, servir gelado


Hummm....que delícia! apesar de ser uma sensação ditada pelo virtual e não pelo real!

Os selvagens à Selva

O vandalismo está tão vulgarizado, mas mesmo assim ao deparar com um vaso de planta de ferro de grande dimensões tombado, fruto de um ato de vandalismo noturno e associado às notícias de crimes hediondo com requintes de crueldade cometidos contra o ser humano, uma pergunta surgiu: Qual a medida punitiva/reparadora que será aplicada? se for preso, julgado, condenado irá para uma prisão por algum tempo, mas quem paga essa "estadia"? em que isso repara ou impede que outros crimes dessa natureza voltem a existir na sociedade praticados até pelo mesmo que agora os praticou? ficar privado da liberdade de ir ou vir neste caso será pouco, não ensinará nada, ficar confinado entre 4 paredes com outros indivíduos igualmente sem formação ético moral e religiosa, sem sentimentos, que não tem amor no coração, será reincidir, porque enquanto está ali está abrigado dos intempéries da natureza, tem o que comer, quando muitos que não cometeram nenhum crime não tem, que estão na rua, morrendo de fome, a merecer da caridade ou generosidade alheia. Então a solução surgiu, se há atos de selvageria é porque são selvagens e como tal não devem estar no seio da sociedade e sim na selva junto dos animais selvagens, esse pensamento tomou forma, a ponto de pensar como seria isso: seria preso , julgado condenado, só que ao invés de ir para a prisão, seria levado para a selva e deixado lá por um período, com mantimentos e água somente por 1 semana, para ter tempo de se "familiarizar", a partir daí estaria junto com os seus "pares" de igual para igual, aprenderia a valorizar a vida e saber o quanto custa a luta pela vida, a lutar para sobreviver e a se defender (e aqui estaria em vantagem em relação às suas vítimas, teria oportunidade de se defender, porque estaria sempre alerta pois sabia que a qualquer momento surgiria um animal selvagem, coisa que as suas vítimas não tiveram, foram pegas de surpresa, não contavam em ser atacado por um ser humano animal selvagem em plena civilização) com as armas que Deus lhe deu : raciocínio, inteligencia, visão, audição, meios de locomoção, mãos para criar seus próprios utensílios e armas para se defender dos ataques dos seus "pares" que matam para sobreviver e não por judiaria, maldade ou crueldade. Passado o tempo estipulado seria resgatado (caso tenha sobrevivido) e aí sim conduzido para terminar de cumprir a pena na prisão ( teria oportunidade de refletir sobre os seus atos, seu estágio de sobrevivência e de valorização da vida) e dependendo do seu aprendizado, manifesto pelo seu comportamento, a pena poderia ser reduzida e ser reintegrado na sociedade.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Confronto de gerações...

Mais uma pétala de reflexão colhida no Jardim Internet intitulada:"desabafo"
"Na fila do supermercado o caixa diz uma senhora idosa que deveria trazer suas próprias sacolas para as compras, uma vez que sacos de plástico não eram amigáveis ao meio ambiente. A senhora pediu desculpas e disse: “Não havia essa onda verde no meu tempo.”
O empregado respondeu: "Esse é exatamente o nosso problema hoje, minha senhora. Sua geração não se preocupou o suficiente com nosso meio ambiente. "
"Você está certo", responde a velha senhora, nossa geração não se preocupou adequadamente com o meio ambiente.
Naquela época, as garrafas de leite, garrafas de refrigerante e cerveja eram devolvidos à loja. A loja mandava de volta para a fábrica, onde eram lavadas e esterilizadas antes de cada reuso, e eles, os fabricantes de bebidas, usavam as garrafas, umas tantas outras vezes.
Realmente não nos preocupamos com o meio ambiente no nosso tempo. Subíamos as escadas, porque não havia escadas rolantes nas lojas e nos escritórios. Caminhamos até o comércio, ao invés de usar o nosso carro de 300 cavalos de potência a cada vez que precisamos ir a dois quarteirões.
Mas você está certo. Nós não nos preocupávamos com o meio ambiente. Até então, as fraldas de bebês eram lavadas, porque não havia fraldas descartáveis. Roupas secas: a secagem era feita por nós mesmos, não nestas máquinas bamboleantes de 220 volts. A energia solar e eólica é que realmente secavam nossas roupas. Os meninos pequenos usavam as roupas que tinham sido de seus irmãos mais velhos, e não roupas sempre novas.
Mas é verdade: não havia preocupação com o meio ambiente, naqueles dias. Naquela época só tínhamos somente uma TV ou rádio em casa, e não uma TV em cada quarto. E a TV tinha uma tela do tamanho de um lenço, não um telão do tamanho de um estádio; que depois será descartado como?
Na cozinha, tínhamos que bater tudo com as mãos porque não havia máquinas elétricas, que fazem tudo por nós. Quando embalávamos algo um pouco frágil para o correio, usamos jornal amassado para protegê-lo, não plástico bolha ou pallets de plástico que duram cinco séculos para começar a degradar.
Naqueles tempos não se usava um motor a gasolina apenas para cortar a grama, era utilizado um cortador de grama que exigia músculos. O exercício era extraordinário, e não precisava ir a uma academia e usar esteiras que também funcionam a eletricidade.
Mas você tem razão: não havia naquela época preocupação com o meio ambiente. Bebíamos diretamente da fonte, quando estávamos com sede, em vez de usar copos plásticos e garrafas pet que agora lotam os oceanos. Canetas: recarregávamos com tinta umas tantas vezes ao invés de comprar uma outra. Abandonamos as navalhas, ao invés de jogar fora todos os aparelhos 'descartáveis' e poluentes só porque a lámina ficou sem corte.
Na verdade, tivemos uma onda verde naquela época. Naqueles dias, as pessoas tomavam o bonde ou de ônibus e os meninos iam em suas bicicletas ou a pé para a escola, ao invés de usar a mãe como um serviço de táxi 24 horas. Tínhamos só uma tomada em cada quarto, e não um quadro de tomadas em cada parede para alimentar uma dúzia de aparelhos. E nós não precisávamos de um GPS para receber sinais de satélites a milhas de distância no espaço, só para encontrar a pizzaria mais próxima.
Então, não é risível que a atual geração fale tanto em meio ambiente, mas não quer abrir mão de nada e não pensa em viver um pouco como na minha época?