Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

2:56- Hora de uma sensação estranha

A nossa mente nos submete a momentos que por vezes são estranhos como o ser despertado durante a madrugada com a sensação de estar no meio de uma relação prestes a atingir o clímax, o corpo reagindo dessa forma, mas a razão não tendo essa percepção, como que estivesse entorpecida, sendo guiada e comandada por uma força exterior alheio a nossa vontade, desejo e percepção da consciência, exatamente como que tivesse tido essa relação e tivesse adormecido no exato momento de atingir o clímax e portanto este tenha acontecido sem que a consciência o percebesse e ao despertar estaríamos no ponto exato onde interrompemos ao adormecermos sem sentir. Será que não passou de um sonho sem que lembremos do sonho e ao despertarmos ainda estamos meio adormecidos e sentimos no corpo como se na realidade estivesse acontecendo?

Talvez seja o mesmo mecanismo que acontece quando se toma algum ansilítico do tipo benzodiazepínico que pode gerar amnésia para os acontecimentos recentes do tipo entrar num avião e lembrar do momento em que tomou esse ansiolítico e depois despertar no quarto do hotel, sem lembrar como desembarcou e chegou ao hotel com a sua bagagem tudo normal, sem que tivesse sido auxiliado por alguém.

Tudo isso é muito estranho, difícil de compreender a luz da nossa razão, o que demonstra mais uma vez o quanto a mente humana é complexa e levanta questionamentos do tipo:O prazer é uma sensação real física ou uma criação da mente do imaginário tendo como ponto de partida o físico?

O prazer é consequência de uma estimulação direta dos sentidos (visão, audição, tato, paladar e olfato) e portanto uma ação reflexa ou reflexo condicionado sem que passa pela mente ou é um mecanismo de resposta da informação processada a nível mental? ou os dois dependendo da fonte de origem?

Essa perguntas são fruto do momento vivido, uma reflexão mais emocional do que racional (porque esta apontaria para a complexidade das ligações existentes entre a região responsável pelas emoções, o sistema límbico, especialmente o hipotálamo que recebe as aferências sensitivas e de onde partem as eferências motoras, etc. como há muito tempo já foi descrito noutro post, neste mesmo "cantinho"e como tal dependendo das respostas anteriores pode-se tirar as seguintes elações ou hipóteses (deixando o lado racional, técnico e científico de lado, apenas deixando fluir os pensamentos e reflexões livremente):

Se o prazer puder ser "fabricado" pela nossa mente , então teremos dificuldade em discernir o que é real do que é imaginário e isso poderá acarretar uma ruptura com a realidade e por em risco a sanidade mental.

Se o prazer depender da resposta do processamento da informação a nível mental, então sentir prazer poderá ser um ato voluntário, cabendo a pessoa decidir se sentirá ou não prazer independentemente do estímulo recebido a nível físico ou dos sentidos.

Se o prazer depender exclusivamente do estímulo dos sentidos então quando se tem prazer sem que haja esse estímulo poderá ser um alerta de que a sanidade mental está alterada ou um excesso de imaginação e fantasia o que em última instância poderá comprometer a sanidade mental porque poderá originar alienação da realidade.

Se os sonhos não são realidade, o prazer que sentimos ao despertar de um sonho será uma alienação da realidade, um desejo reprimido ou o processamento da resposta mental que não fez a distinção entre a realidade e a fantasia.

O prazer podendo ser criado pela mente justificaria ou fundamentaria o sexo virtual onde através dos outros sentidos que não o tato, paladar e olfato, a informação seria processada na mente e esta desencadearia no corpo a resposta exatamente como se tivesse sido realizado sexo real sem que houvesse auto estimulação das zonas erógenas.

Mais tarde retornarei a estas questões mas tentando que seja com fundamentos técnicos e científicos, por agora ficam estas, tolices para alguns, para outros e nestes me incluo, dúvidas lançadas pela curiosidade e interesse em descobrir o fascinante mundo da mente humana, das emoções e comportamentos do ser humano, para tentar descortinar a minha própria mente e quem sabe o sentido da minha própria existência, a partir de viver uma experiência fantástica, mas estranha, de acordar sentindo um prazer surgido do nada como se o sonho fosse uma realidade e esta a continuação de um sonho não sonhado conscientemente, talvez sob influência do que acabara de escrever e descrever antes de adormecer.

4 comentários:

Céu disse...

Pedro disse...(transcrevo o comentário, que me enviou por mail, por não ter conseguido postar direto)

...Olá Céu! Bem disposta?

Li este seu artigo há já uns dias atras, mas só agora me foi possível comentar!

Desconfio que o prazer é sentido no cérebro como sendo o reflexo do estímulo dos 5 sentidos. O meu conhecimento acerca da neurociência é muito limitado, contudo, penso que toda a actividade que nos proporciona bem-estar, invoca, através dos impulsos eléctricos endereçados ao cérebro uma “sopa” de elementos químicos (como por exemplo, a dopamina, serotonina, a oxitocina, entre outros, que, segundo se consta, são neurotransmissores … (que a Céu que corrija se eu estiver a dizer asneiras)), que desencadeiam no nosso cérebro essa sensação agradável que dá pelo nome de prazer.

Recordo-me de há uns anos atras ter assistido na televisão uma entrevista do famoso sexólogo e psiquiatra, Dr. Júlio Machado Vaz, referir-se à desconfiança de alguns profissionais e investigadores na área de que o ao orgasmo (enquanto limite máximo supremo de prazer) manifestar-se apenas no cérebro.

Por outro lado, e considerando que todo o ser humano tem fantasias, sejam elas de natureza erótica e/ ou épicas, geram prazer, sem que haja estímulo dos 5 sentidos.

Repare-se, ainda, que, enquanto sonhamos, (e por mim apenas falo), surgem nos cenários oníricos (isto é, dos sonhos) situações que prossupunham serem prazenteiras, mas que no entanto, por se processarem no domínio dos sonhos, estão desprovidas de prazer (ou muito pouco prazer). E se os sonhos são uma alienação da realidade, que ainda assim, nos proporcionam algum eventual prazer, surge uma dúvida: será que a mente tem a capacidade/ habilidade/ função de tornar real esse prazer?

Enquanto escrevo este comentário, invade-me um pensamento de última hora que vou “lançar” em jeito de provocação, que entretanto pesquizei na net (e que por falta de disponibilidade, pontual, não me permitiu aprofundar mais): as denominadas ondas (cerebrais) alpha e beta como se comportam em função do prazer quando este ocorre e qual a intensidade com que se manifestam?

Para terminar este meu comentário, deixo uma observação irónica ao mundo da ciência: o Homem, que através dos olhares mais analíticos e voyeurs dos super telescópios permite-se alcançar aos confins do Universo, e no entanto, o nosso cérebro humano manifesta-se insondável e misterioso, capaz de nos desafiar nossa natureza humana!


Muito obrigado!

Beijinhos!

Pedro

Céu disse...

Obrigada Pedro pelo seu comentário,já faz muito tempo que você não abrilhanta este cantinho com seus sempre interessantes comentários ( como você disse não ter conseguido postá-lo eu o transcrevi).
Em outra oportunidade comento alguns pontos e a "provocação" que fez (achei muito interessante, um desafio que aceito, mas não neste exato momento.
Namastê!

anareis disse...

Querida(o) amiga(o). Estou fazendo uma Campanha de doações pra ajudar os jovens rapazes que estão internados no Centro de Recuperação de Dependentes Químicos onde meu filho está interno também.Lá tem jovens que chegam só com a roupa do corpo,abandonados pela família. Eles precisam de tudo:roupas masculinas,calçados,sabonetes,toalhas,pasta de dentes,escovas de dentes,de um freezer, Roupas de cama,alimentos. O centro de recuperação sobrevive de doações,são mais de 300 homens internos.Eles merecem uma chance. Quem puder me ajudar pode doar qualquer quantia no Banco do Brasil agência 1257-2 Conta 32882-0

Céu disse...

Anareis que você consiga alcançar aquilo que almeja quer para o filho, quer para todos que se encontram na mesma situação.
Que Deus ajude a todos que entraram no caminho das trevas que possam encontrar o caminho de volta para a luz!