Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

terça-feira, 1 de maio de 2012

Desafio superado... o presente agradou!

Este texto teve início em  3/4/2012 (mas só hoje houve possibilidade de ser concluído) está relacionado com a experiência das várias sensações que temos quando oferecemos algo a alguém, principalmente se for por quem nutrimos um profundo afeto:
Essas sensações começam desde quando idealizamos o que vamos oferecer, temos presente a pessoa, seus gostos ou o que achamos que conhecemos dos seus gostos e preferências, o tempo todo iniciamos um diálogo mental com esse alguém e as idéias vão surgindo, principalmente quando queremos oferecer e não sabemos o quê, fazemos um "brainstorn" até que optamos, entretanto, achamos que a pessoa merece algo mais ou que é "pouco" aí pensamos o que podemos fazer para torná-lo "muito" ou "mais do que pouco", aí a criatividade começa a fluir, algo que desafie a curiosidade, motivem, despertem emoções (como mensagens encriptadas, tarefas a cumprir como palavras cruzadas, caça ao tesouro, forca, puzzles, mensagens ocultas que só a pessoa identifique, envelopes sequenciais etc..), terminada a fase de elaboração, vem a fase da ação, um desafio a nossa habilidade e destreza, não só para executar  como o de encontrar o que idealizamos. Terminada a fase da ação, surge a fase da entrega, se for através do correio, entra a fase da ansiedade "será que vai receber? vai chegar a tempo? Será que vai gostar? Qual será a reação?
Se não chega  ou se não chega a tempo vem a decepção e o desânimo "tanto trabalho em vão, não conseguimos o objetivo: o despertar do sorriso daquele que gostamos, um momento de alegria e descontração, um bálsamo refrescante para aliviar a tensão do dia", por outro lado recorda-se das emoções vividas durante o preparo e nos sentimos recompensados "valeu a pena sim, só há que lamentar que o outro  não tenha tido a oportunidade de apreciar o pedacinho de nós que enviamos junto e vem a conformação "se não recebeu ou se não chegou a tempo é porque não estava destinado a ser por alguma razão.
No entanto se chega depois do dia que gostaríamos que chegasse já não sentimos grande emoção, mas quem recebe poderá sentir (ou não) uma grande emoção porque  já não contava ou esperava e quando expressa o seu agrado, dentro de nós surge uma grande satisfação, principalmente quando era um desafio para nós mesmos, "desafio superado! valeu a pena cada esforço, cada trabalho que tivemos, só para despertar, mesmo  por breves momentos, o sorriso de quem amamos".

Nenhum comentário: