Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Paixão no prato...explosão de emoção!

A confecção dos bolos de aniversário está cada vez mais aprimorada. É  a 3ª vez que uma paixão,o Voley, é o motivo do bolo de aniversário: 

A primeira que também foi a primeira festa de aniversário surpresa, foi quando os amigos, surgidos no Voley, prepararam uma festa surpresa, planejaram durante 1 mês, quando havia jogos de Voley, a dificuldade foi fazer os planos sem que a aniversariante percebesse, que só percebeu quando, os 2 amigos que aceitaram o seu convite (fazia parte do plano só dois aceitarem para que não desconfiasse) pediram para mostrar aonde ficava a casa das irmãs amigas do Voley e quando se  dirigiam ao local foi avistado o carro de um dos amigos virando a esquina, então houve a desconfiança e a tentativa de dar meia volta, mas os amigos agarram cada um nos braços e carregaram literalmente até a casa onde estava organizada a festa, onde todos os amigos estavam lá,  no violão um amigo tocou a música do Milton Nascimento:

Maria, Maria,
É um dom,
Uma certa magia
Uma força que nos alerta
Uma mulher que merece
Viver e amar
Como outra qualquer
Do planeta

Maria, Maria,
É o som, é a cor, é o suor
É a dose mais forte e lenta
De uma gente que rí
Quando deve chorar
E não vive, apenas aguenta

Mas é preciso ter força,
É preciso ter raça
É preciso ter gana sempre
Quem traz no corpo a marca

Maria, Maria,
Mistura a dor e a alegria
Mas é preciso ter manha,
É preciso ter graça
É preciso ter sonho sempre
Quem traz na pele essa marca
Possui a estranha mania
De ter fé na vida...


Todos cantaram-na e entregaram um buquet de rosas vermelhas (o 1º que recebera) e depois levaram para ver, a mãe das meninas fizera um bolo que era uma quadra de  Voley com rede e jogadores com uma bola, uma emoção tão grande que as lágrimas rolaram solta.
A segunda vez foi para assinalar um ano em particular e para isso imaginado (e levado para chocolataria confeccionar) o bolo em que mostrasse os marcos dos anos: Trevo dividido ao meio por uma rede de Voley em chocolate, de um lado e do outro discos  de chocolate com imagens dos marcos e das "paixões" do passado, todo em chocolate preto mesclado de branco, a final o chocolate também é uma paixão e foi um aliado, assim como o Voley, para superar um momento de profunda dor e sofrimento.
A terceira esta, a bola de Voley Nike com um sorriso (uma lua de chocolate) e os olhos (era para ser um sol, mas na confeitaria não conseguiram, talvez não tivesse entendido a idéia) também de chocolate, o miolo do bolo, não poderia ser outro, de chocolate com recheio de morango e chantili,  foi para assinalar o regresso ao Voley, depois de 14 meses de afastamento e com 2 equipes completas, o que não acontecia nos últimos anos. Ao lado,o primeiro cheesecake confeccionado, não ficou muito com o aspecto desejado, porém ficou delicioso (experiência a partir da receita do Edu Guedes, com a diferença que foi com morangos somente e portanto as quantidades da calda não foram iguais podendo influenciado no resultado final). 
Parece que a "paixão no prato" atraiu bons fluídos foi uma explosão de emoção: O abraço emocionado do pai (o melhor presente, já houve outros abraços, mas este foi especial, principalmente por ele estar presente e recuperado em termos de saúde, Graças a Deus, o ano passado estava no pós operatório imediato de uma cirurgia melindrosa e que dias antes estivera "patinando", pelo grau de gravidade de uma doença que se instalou), SMS nos primeiros minutos do dia, os votos recebidos daqueles que são importantes, cada um contribuindo para um crescente vulcão de emoções, até chocolate em livro de receitas e em bebida (Baileys de chocolate para o brinde, contrariando o que é normal, com coca-cola ao invés de bebida alcoólica) teve para que houvesse uma explosão de emoção, que só não foi total e completa pela ausência de uma das estrelas guia da família que partiu neste preciso mês, há 7 anos atrás.

terça-feira, 20 de maio de 2014

Ansiedade é sofrer por antecipação...deixar-se arrastar pelos estímulos


Se você tem Deus no coração, tem tudo o que precisa - Recados e Imagens para orkut, facebook, tumblr e hi5


Ó Deus ! 
Deus que consola os corações! 
Senhor confesso ! Meu coração anda agitado! Afobado! Ansioso!
 Senhor me ajude a vencer esta ansiedade que insiste em ficar em meu coração! 
Pai o Senhor sabe o motivo de minha ansiedade! 
Transforme esta ansiedade em paz, transforme o desespero em esperança! 
Coloco diante de Ti a minha causa e lanço sobre o 
Senhor essa ansiedade que está destruindo a minha fé! 
Em nome de Jesus Cristo eu ordeno, ANSIEDADE SAI DA MINHA VIDA! 
Pai te agradeço e creio que o Senhor está me ajudando, 
 no momento certo e na hora certa o Senhor o milagre vai se materializar! 
Muito obrigado Senhor! 
Em nome do Pai do Filho e do Espírito Santo.
 Amém  
http://www.oracaodas11.com.br/do-dia/oracao-contra-ansiedade



Ansiedade é sofrer por antecipação ou preocupar-se desnecessariamente com coisas que ainda não aconteceram. Nesse sentido, poderiamos dizer que a ansiedade é o oposto da depressão. Desde a visão védica, uma emoção ou um pensamento que nos leve à agitação ou à ansiedade são considerados rajásicos, enquanto que pensamentos paralisantes como aqueles que conduzem ao estado de depressão são considerados tamásicos. Respectivamente, as palavras rajas e tamas significam em sânscrito ação e imobilidade.


Se a ansiedade é a dificuldade para lidar com o excesso de aprêmios no cotidiano, a depressão é a falta mais absoluta de horizontes, estímulos ou inspiração para agir. Se você for ansioso, fique feliz, pois a presença da ansiedade indica que você está longe da depressão, já que estas duas situações, ansiedade e depressão, estão em extremos opostos dentro da ordem psíquica.

Assim, se quisermos ficar distantes desses dois extremos, devemos encontrar o caminho do meio entre um e o outro. Isso é chamado sattva. Esse termo quer dizer harmonia, equilíbrio e paz. Assim, devemos considerar que existe esse caminho do meio, o equilíbrio entre deixar-se arrastar pelos estímulos, ou tornarse absolutamente indiferente a eles. Assim, a ansiedade parece estar vinculada com algumas situações pontuais, como as seguintes:

1) a vontade de que o tempo pare, ou ande mais depressa, 
2) a vontade de que as pessoas ajam de forma diferente, 
3) a vontade de que as coisas aconteçam de maneira distinta e,
4) a impotência sentida ao perceber que não se está no controle.


Três passos para dizer adeus à ansiedade.

O primeiro passo para se livrar da ansiedade é assumir-se como alguém que tem ansiedade. De nada adianta ficar de costas para esse sentimento. Ignorá-lo equivale a varrer o problema para baixo do tapete, ou fingir que ele não existe. O segundo passo é deixar de considerar a ansiedade um problema! O terceiro e último passo é começar a olhar para si mesmo como alguém cuja tranquilidade e felicidade não dependem do resultado das ações e que, portanto, de nada adianta se preocupar antecipadamente com elas, assim como de nada serve se lamuriar quando os frutos delas ficam aquém dos nossos desejos.

O deus Krishna diz para o príncipe Arjuna, naquele diálogo imortal que é a Bhagavad Gita, que os problemas que tanto sofrimento lhe produzem são, em verdade, insignificantes. Porém, a situação de Arjuna é grave, por onde olharmos para ela: ele se vê na contingência de guerrerar contra a própria família. A enigmática e contundente resposta de Krishna ao desespero do príncipe é: “Estás te lamentando por quem não deves lamentar-te, embora tuas palavras sejam sábias. O homem realmente sábio não tem lágrimas, nem para os vivos, nem para os mortos” (II:11). O grande professor Hermógenes já disse o mesmo, com outras palavras: “Não se preocupe com ninharias. Tudo é ninharia!”

Seja qual for o caso, cabe lembrarmos que há coisas que, inevitavelmente, estão fora da nossa alçada, que não poderemos mudar, transformar ou melhorar, por maior que seja o esforço que façamos. Como diz aquele ditado português, aquilo que não tem remédio, remediado está. Por outro lado, algumas ações que realizamos no intuito de transformar ou melhorar alguma situação, nem sempre produzem os resultados esperados. Como diz aquele outro ditado, não adianta chorar sobre o leite derramado. Se o resultado ficou aquém das expectativas, pois relaxamos, respiramos fundo, viramos a página e começamos de novo.


Veja a ansiedade como uma aliada, não como um obstáculo.

Então, se tivesse que colocar a maneira de lidar com a ansiedade na forma de uma receita de bolo diria que, canalizada positivamente, a ansiedade pode ser uma importante força de realização, colocada à serviço do seu próprio crescimento pessoal. Podemos fazer com que ela trabalhe em nosso próprio benefício. Lembre que você não é a ansiedade, nem os pensamentos que a produzem, nem as emoções que a seguem. Lembre que você é tranquilidade e paz, independentemente de estar vivendo situações de instabilidade ou incerteza.

Talvez, o principal antídoto contra a ansiedade, afora os três passos acima mencionados, seja ver a si mesmo como alguém pleno e realizado, cuja felicidade não depende da execução de quaisquer ações ou da presença de quaisquer situações ou pessoas para ser feliz. Você não pode se tornar feliz ou pleno, pois você já é plenitude e felicidade! Se Krishna disse diálogo citado acima que o “sábio não tem lágrimas, nem para os vivos, nem para os mortos”, foi para lembrar a seu amigo e aluno que existe uma ordem, e que todos nós somos parte dela.

Não somos “uma porção” de plenitude, pois concluir isso é ilógico e incorreto. Somos a própria plenitude, àquela à qual nada pode ser acrescido, e da qual nada pode ser tirado. Quando olhamos dessa forma para nós mesmos, desaparece aquela pressão, aquela insegurança, aquela vontade de que o tempo voe ou pare, aquela vontade de controlar situações ou pessoas. Assim, aceitamos com gratidão o que recebemos e temos para viver a cada dia.

O autor destas linhas, por exemplo, sempre deixa a tarefa de escrever esta coluna para o último dia do prazo combinado com as editoras. Mas, ao invés de ficar me preocupando com o tema a ser abordado, ou com o fato de perceber que os dias vão passando e o texto não está pronto, simplesmente vou surfar e/ou faço meu trabalho, enquanto espero que a inspiração venha.

Às vezes, ela aparece num relâmpago e o texto fica pronto em meia hora. Outras vezes, fico até tarde na noite do último dia para terminar no prazo. Mas, em nenhum momento me estresso com isso. Hoje mesmo surfei por três horas antes de assumir que estava na hora de começar (e terminar!) este texto. E, agora, concluo calmamente, esperando que você, amigo leitor, o desfrute, da mesma forma que eu desfrutei ao escrevê-lo. 

Namaste!
http://bemzen.uol.com.br/noticias/ver/2014/05/18/2685-yoga

                                      Concedei-nos Senhor serenidade, coragem e sabedoria. - Recados e Imagens para orkut, facebook, tumblr e hi5

domingo, 4 de maio de 2014

Uma visita inesperada...um momento emocionante!



 No ano passado  uma imagem emocionante, uma pomba branca pousada no Papa Francisco, que demonstra agir da mesma forma que São Francisco de Assis agia,  que  também  tem uma imagem semelhante, aliás ele é considerado o santo protetor dos animais,  em vida os animais o procuravam,  por isso quando vejo um animal abandonado numa estrada invoco-o para que o proteja e o alimente. 
A pomba branca é envolta  de grande simbolismo: Símbolo do Espírito Santo (como está descrito na Bíblia por altura do Batismo de Jesus Cristo) Símbolo da paz.

O momento em que uma pomba branca entrou na varanda e depois no salão da casa com um a vontade tão grande como se estivesse no seu ambiente natural, foi emocionante, ainda mais  quando ela se aproximou e comeu o milho da mão,  uma bênção sentir a confiança depositada. Depois saiu para a varanda e ficou aninhada, parecia que precisava de mais alguma coisa, após receber Reiki foi-se embora, deixando uma sensação de paz e ao mesmo tempo perplexidade com o que tinha acontecido, veio logo a lembrança da história de São Francisco e dos animais que estavam precisando de ajuda procurarem-no, também veio a lembrança da descrição do  Espírito Santo descer sobre Jesus na figura de uma pomba branca, foi simplesmente mágico, por mais que desejasse que isso alguma vez me acontecesse, jamais acreditei que fosse possível. Mas aconteceu, felizmente tinha a câmara fotográfica para registrar esse momento emocionante único, inesquecível .