Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

sábado, 17 de janeiro de 2015

Faxina mental...visão ampliada!


A poderosa energia que o mar transmite  quando  o contemplamos, nos faz entrar em sintonia com o nosso eu interior e através dele com o Universo, a partir daí surgem as respostas as nossas perguntas, dúvidas, inquietações e questionamentos, bem como ensinamentos preciosos, um desses é que uma mente ocupada com "lixo" impede o nosso raciocínio, a nossa memória, a nossa concentração e até o nosso sistema de alerta dos perigos que nos ronda a todo instante, por isso deveríamos, de tempos em tempos, fazer uma "faxina mental", limpar todo o "lixo", pequenos nada que acumulamos  no dia-a-dia e não nos apercebemos, para temos uma visão ampliada da realidade que nos cerca e ficarmos vigilantes, alertas aos perigos que nos rondam e as armadilhas ou armações que montam, preparam para nós. Após seguir esse ensinamento, 2 dias depois do mar o ter "relembrado", ou seja ter feito uma "faxina mental", se bem que ligeira, a visão da realidade ficou ampliada, o sentido de alerta ficou de prontidão, conseguindo perceber alguns dos perigos que estão a espreita e algumas das ciladas que armaram e estão armando no novo serviço, a imagem que surge na mente é estar no centro rodeado por cascavéis, tentando desviar dos botes delas:


Diante desta imagem que alternativas? 
1- Ficar encolhido imóvel, inativo paralizado pelo medo, não só serviria para ser uma presa fácil
2- Partir para o ataque, "bater de frente", não, seria uma uma batalha inglória, que só serviria para desgastar e ter que redobrar a atenção, porque os botes seriam mais subtis, o que elevaria o nível de stress e tensão para níveis mais altos do que costuma a ser no dia-a-dia podendo trazer consequências nefastas para a saúde, porque o nível de stress de ligeiro a moderado é essencial para a vida, faz com que o instinto de sobrevivência esteja alerta  e o organismo preparado para literalmente correr do perigo, enfrentá-lo ou para superar obstáculos ou ultrapassar limites, vencer batalhas, mas de moderado a grave passa a ser prejudicial para a saúde pondo em risco a própria vida. 
3- Definir metas, manter-se fiel aos princípios e critérios organizacionais pré estabelecidos para o desempenho das atribuições e funções laborais, independente das pressões, intimidações, ameaças, armadilhas ou armações que estejam por trás de todas as situações conflituosas, é sem dúvida a  melhor alternativa, mantém o nível de stress dentro do necessário para encontrar as soluções ou estratégias para resolver, superar ou superar "os botes", sem por em risco a saúde, principalmente, a mental.
Aqui entra outro "ensinamento" do mar, que poderá ajudar, mas mais difícil ainda de ser aplicado "agir ao invés de reagir", quando reagimos enfraquecemos e aumentamos o problema ou fortalecemos quem está por trás da situação, quando agimos nos fortalecemos e enfraquecemos o problema ou quem está por  detrás da situação . 
E ainda outro "ensinamento" para ajudar "falar menos e ouvir mais" quanto mais falamos, mais vulneráveis ficamos porque damos espaço para que conheçam nossas intenções e antecipam-se às nossas ações, ao contrário quando ouvimos mais conseguimos antecipar as ações ou evitar as consequências das ações dos outros em cada situação.
Um outro "ensinamento" que também pode ajudar "viver o momento no momento" , que engloba  resolver os conflitos, mal- entendidos, ou os problemas (pelo menos equacioná-los) no momento e com isso os outros ensinamentos são aplicados simultâneamente.

Nenhum comentário: