Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

domingo, 1 de março de 2015

Emoções no Esporte...Toque do Passado no Presente



As emoções continuam a aflorar na paixão: Os últimos treinos foram intensos 2 deles  proporcionou tornar o passado presente,  houve excesso de participantes com formação de 3 equipes, enquanto a equipe aguardava para entrar, um colega topou aquecer jogando "squashvolley" ( termo criado para "cortar" para o chão e ricochetear na parede e o outro fazer a mesma coisa, baseado no Squash, só que com a bola de Volley e sem raquete) foi espetacular, felizmente  foi o colega que desistiu primeiro, já que estava começando a cansar e seria difícil admitir isso (enquanto rola a bolinha não há cansaço, a paixão gera energia extra, mas o corpo tem limites); Noutro treino mesma situação mas com o "príncipe do Volley" que propôs  outro  tipo de aquecimento: "volley'sreflexos" (termo criado para toques rápidos à curta distância incluindo manchete que obrigava a ir próximo do chão, engraçado que nos treinos anteriores havia pensado em fazer com o "príncipe do Volley "com malícia para testar reflexos" -como fazia quando o parceiro se tornava constante e havia uma sintonia, tal e qual uma dança onde o par está envolvido num clima de cumplicidade, deslizando na pista ao som da melodia, num mundo a parte (a última vez que isso aconteceu foi há 2 anos com o colega de treino,  psicólogo), só que  a melodia é substituída pelo som da bola- mas na primeira tentativa não aconteceu, desta vez aconteceu espontaneamente, talvez porque o "príncipe do Volley" cumprimentara com um aperto de mão, um abraço e um beijo no rosto, o que foi uma surpresa, foi a primeira vez que aconteceu durante um treino e tenha gerado um clima de maior aproximação, sintonia e cumplicidade), emocionante, nem as "medalhas" recebidas acabaram com esse clima, pelo contrário ainda acentuaram mais com a expressão de preocupação que o rosto dele transmitia. Para que o passado ficasse totalmente presente só faltou o aquecimento "Basquetevolley" (termo criado para o aquecimento de "incestar" na tabela  de Basquete ao 3º toque com a bola de Volley, aprendido no 1º ano da 2ª faculdade, embora quase tivesse acontecido num desses treinos) de tal forma que as recordações afloraram, servindo como inspiração para escrever sobre outro dos fundamentos, o toque. Mas as emoções continuaram, nesses últimos 4 treinos, um colega que começou recentemente a frequentar os treinos, usou o termo "gata borralheira" fazendo uma analogia  por sair antes da meia-noite, para poder tomar banho após o treino, uma sintonia de pensamento, já que esse termo já tinha sido formulado, num momento de recaída no romantismo,  por instante surgiu o pensamento de que ele pudesse ter lido post publicado recentemente, mas logo  descartado, permanecendo a comunhão de pensamento diante  uma situação que evocou o Conto de Fadas. A  equipe ganhou 2 sets, num desses sete consegui fazer 8 pontos seguidos.
O fantástico é que todas essas emoções maravilhosas ocorreram nas  noites  dos  dias mais terríveis que aconteceram este ano, no novo local do  trabalho, extremamente desgastantes, desmotivantes, estressantes, com discussões, foi justamente há 3 dias que ocorreu um dos dias mais terríveis, onde um funcionário conflituoso, complicado, faltou com o respeito, foi calunioso e por fim disse não confiar, quando na verdade ele é que não é confiável, criando situações difíceis, armando sempre conflito, não ouve as orientações, quer mandar onde tem que obedecer, mas também foi quando a emoção da paixão atingiu o rubro devolvendo a paz ao espírito e a serenidade interior que ficara muito abalada.

Abençoado Volleyball, abençoado seja o "Príncipe do Volley" e os colegas que geraram emoções que cortaram os efeitos nefastos dos dias terríveis  vividos no trabalho.