Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

sexta-feira, 29 de maio de 2015

Amor sob novo prisma ...mais uma reflexão!


Momentos difíceis, sentimentos confusos, contraditórios, opostos levam a observar o amor sob um novo prisma e chegar a uma triste e frustrante conclusão: Quanto mais se conhece o Amor, mais desconhecido ele se torna. Quando se pensa que viveu e se vive o Amor, logo se descobre que apenas viveu uma ínfima parte dele, então  quando se pensa no amor total ou incondicional, aí essa fasquia consegue ser menor, como se consegue...
Amar os  inimigos?
Amar quem nos fere?
Amar quem nos trai ?
Amar quem é responsável por transformar os dias em autêntico pesadelo, um verdadeiro inferno?
Amar quem a todo instante está  "puxando o tapete"?
Amar  quem tira a vida das pessoas?
Amar quem nos calunia, difama, injuria ou qualquer tipo de ofensa à nossa honra?
Isso em relação ao que acontece nesta selva de pedra em que se transformou a sociedade e se for para a selva onde existem os animais selvagens, este nem tanto até conseguem despertar algum amor, mas e os animais peçonhento, como amar as cobras?
Por outro lado, quando se pensa no amor a dois, recorda-se os vividos, únicos, alguns eternos enquanto durou, outros eternos que atravessaram e atravessam a barreira do tempo,  revive-se a sublime sensação de flutuar no paraíso e aí tudo fica baralhado o véu da ilusão torna a encobrir a realidade e volta-se a acreditar nas palavras relativas ao amor: "o amor tudo perdoa" "o amor é paciente", "o amor é cego", "o amor desperta o melhor que há em nós", "o amor é confiança", "o amor eleva ao paraíso", "o amor é libertação", "o amor é generoso", "o amor é altruísta", "o amor é compreensivo", "o amor não fere" "o amor não mata", "o amor promove a justiça", "o amor promove a paz e a serenidade" e por momentos esquecemos das injustiças que nos acontecem e ocorrem a nossa volta, das ofensas, traições e "crocodilagem" de que somos vítimas no dia-a-dia na vida profissional, das guerras, do terrorismo, do vandalismo, da violência doméstica, das chacinas, dos abusos sexuais até no seio da família, da pedofilia,  do bulling nas escolas, do assédio moral ou sexual no local de trabalho, da corrupção espalhada pelo mundo a fora, dos homicídios que a todo instante é divulgado  pela comunicação social, da busca desenfreada pelo poder a qualquer preço, sem ligar para as pessoas que são derrubadas, pisadas ou deixadas para trás,ou seja a falta de amor que parece reinar na Humanidade pelos quatro cantos do mundo. 

Nenhum comentário: