Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Anjos Encarnados, PAS ou Empata?




Anjos encarnados um tema que só hoje despertou o interesse, já tinha visto o Filme “a cidade dos anjos”, onde o tema era justamente este, os filmes do gênero envolvendo anjos, céu, espírito, sempre foram fascinantes e um foco de especial atenção, porém sem que houvesse a tentativa de aprofundamento. Recentemente a Ka questionou se sabia fazer a leitura da Aura, porque haviam lhe dito que ela era uma “empata”, na altura a resposta foi que tinha interesse no tema, mas que depois foi deixado de lado porque achava que não faria falta, no tratamento com o Reiki, o mais importante não é o diagnóstico e sim desbloquear os canais energéticos para que a energia vital circule livremente em equilíbrio. A procura do diagnóstico pode levar a que o Reikiano acredite que possa estar no comando, ser ele o curador, o que não seria verdade, ele é mero canal por onde a energia cósmica dispersa passa e se dirigida para o ser vivo que está sendo “tratado” e assim reequilibrar a sua energia vital afetada, se assim não fosse não era necessário pedir autorização ao Bem Superior deste a autorização para aplicação ou envio à distância. Entretanto despertou algum interesse o termo, pelo menos para saber de que se tratava, apesar de muito cedo ter aprendido o que era empatia, que muitas vezes é usada, erroneamente, como sinônimo de simpatia, porém sem fazer a relação com a espiritualidade. Três dias atrás, procurando dados sobre astrologia para inserir no projeto do Natal de 2015, houve o direcionamento para o PAS (pessoa altamente sensível) onde surgiu a possível resposta do porque desde sempre parecer que falava uma linguagem diferente dos outros: “parece que falo japonês, grego, chinês, as pessoas não entendem o que eu digo, gera sempre interpretações erróneas que acabam originando conflitos e confusões”. O termo é novo, mas o ter a noção de ser hiper sensível já é um dado adquirido intuitivamente, mas nessa pesquisa houve a confirmação e a constatação de forma racional e lógica de possíveis respostas para outras sensações:
“estar certa quando todos estão errados”, chegando mesmo a duvidar que fosse possível isso acontecer usando a razão;
idealizar projetos que a priori são sem sentido, que os outros criticam, interferem, lançam dúvidas, mutas vezes levados até ao fim quase que por teimosia e ás vezes até incompleto ou alterado pela influência dos outros, mas que depois se verificam ter todo o sentido e até teria sido um êxito total se fosse aplicado na íntegra, um exemplo disso foi as Bodas de Ouro/Bodas de Prata, vozes criticas levantaram-se, para todos os passos um “bota abaixo” sempre, na celebração religiosa, quando desistiu-se de implementar, deixando a critério dos interessados, inclusive comunicando ao padre “ser voto vencido”, acabou sendo implementado, porém sem que fizesse as alterações que estavam idealizadas, aproveitando modelo (o padre nunca tinha feito a cerimônia de Bodas de Ouro), mas sem as alterações que seriam feitas que fossem pertinentes à ocasião, as leituras ficaram descontextualizadas. Entretanto, apesar dos pesares, foi do agrado de todos, principalmente da pessoa mais importante e que fora destinado para ela, Houve alguém que disse que estava tudo bem organizado e atribuíra a autoria do evento, mas que tentou-se desviar, para não parecer que estava “contando vantagem”;
“Abrir caminhos” em terrenos áridos e depois ser seguido pelos outros sem que enfrentem as mesmas dificuldades, barreiras, obstáculos que tiveram que ser superados para conseguir esse caminho aberto, quer no terreno profissional, quer no terreno da vida em geral.
“Estar no mundo errado”, “ser certinho num mundo incerto”, muitas vezes pensar “para o mundo que eu quero descer para vomitar” diante de tanta maldade, injustiça, falta de amor, traição, crueldade, jogos de poder, corrupção, violência, guerras, terrorismo, massacres em nome de uma religião e supostamente em nome de Deus. Mas que tudo isso poderia desaparecer se os Homens cumprissem a parte que lhe compete, agissem verdadeiramente tendo Deus no comando, usando o seu livre arbítrio em pró do amor, da fraternidade, do respeito pela vida, pela natureza, pelo Universo, para construir a paz, para desenvolvimento tecnológico e científico visando o Bem da Humanidade e aproximação a Deus, não para o seus interesses pessoais.
Ser eu e o mundo, ou o mundo e eu, as pessoas e eu,  não estar inserida, não fazer parte, ter sempre o mundo contra mim, sozinho na multidão.
Ter ideias e ao expor-las sofrer duras críticas, mas depois os outros porem-na em prática também ou passam a imitá-las.
Falta de tolerância com mentiras, falsidades, com os erros dos outros e o próprios erros
"ser um patinho que cai em todas as armadilhas ou arapucas.
Os “melindres” sentido por perceber um tom mais áspero empregue pelas pessoas, principalmente pelas mais próximas, pelas injustiças recebidas ou pelas injustiças cometidas contra os menos favorecidos inclusive os animais que não tem quem os defenda.
“ser anormal, inadaptada na sociedade, indefesa como uma criança, ingênua, sem malícia para a vida, apesar dos anos avançarem”
Os sons muito altos ou os cheiros forte são incomodativos
“Ser uma espécie de eremita” não gostar de multidões, convívios familiares, reuniões sociais, nas poucas existentes, uma postura de falar quando interpelada, evitar puxar assunto, chegando mesmo a estar “desligada” do mundo, porém não anti social, apenas preferir o "meu mundo"
E para colaborar com essas sensações uma timidez acentuada, uma sensualidade praticamente inexistente, pouco consumista em termos de roupa e acessórios de moda.

De empata a PAS, para começar a descobrir, se não for um delírio de grandeza/ surto psicótico, um “anjo encarnado”, nas pesquisas, por ora nada científica, os termos podem ser equivalentes, até mesmo sinônimos, mas como é um terreno pantanoso, cheio de armadilhas, é preciso ir mais devagar, com cautela e prudência, por agora é melhor ficar por aqui.

3 comentários:

Pedro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pedro disse...

Olá Céu!

Começou este seu texto, aludindo ao filme «L.A. - A Cidade dos Anjos». :)

Há uns tempos atrás, tomei conhecimento de alguns livros:
«Anjos nos meus cabelos», «Escadarias para o Céu» e «Uma mensagem de Esperança dos Anjos» - da senhora irlandesa Lorna Byrne que alega que, desde a sua infância, vê e fala com Anjos (os livros estão traduzidos em português e cujas leituras são bastante interessante. Enche-nos o Espírito (pelo menos, falo por mim). O site desta senhora é www.lornabyrne.com e está em inglês. :)

Existe, também, um outro livro, de uma outra escritora - Suzanne Ward - com seu livro publicado «Matthew, fala-me do Além». Um relato no qual a autora consegue sintonia com o seu filho que já está do outro lado da Existência!

Perdoe-me Céu, mas fiquei com dúvidas. Afinal o que é um empata? Penso que percebi o conceito de PAS, pois, certa forma, identifico-me com um dos exemplos que descreve!

Nasmatê! :)

Céu disse...

Obrigada Pedro pelo seu comentário! Ainda não tive oportunidade de ver os livros que indicou, mas agradeço pela partilha, que será ótimo para aprofundar o tema.
Quanto a sua pergunta do que é empata, transcrevo um trecho que encontrei numa das pesquisas que fiz, em outra altura, menos conturbada, aprofundarei o tema.
:"Ser um empata significa que ter a capacidade de perceber e ser afectado pelas energias de outras pessoas e ter uma capacidade inata de sentir e perceber intuitivamente outros. A sua vida é inconscientemente influenciada pelos desejos dos outros, desejos, pensamentos e estados de espírito. Ser um empata é muito mais do que ser altamente sensível e não está limitado apenas às emoções. ..."https://serunico.wordpress.com/2014/07/28/30-tracos-de-um-empata-como-saber-se-voce-e-uma-pessoa-mestre-em-empatia/