Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

domingo, 18 de outubro de 2015

Campanha LLLL...Onda solidária através de um livro!

Bárbara Aslan, autora do livro :   Escolheu o mês de Setembro 2015, nas suas férias, para assinalar o início de outro projeto para distribuir os exemplares deste seu livro que não foram comercializados ( a editora propusera a devolução dos livros que não foram vendidos, conforme estava estipulado no contrato, para o autor ou doá-los, esta foi a opção seguida, uma vez que ainda restam alguns livros que ficaram na posse do autor) de forma gratuita, que pudesse ser útil a quem precise e dar oportunidade às pessoas mostrarem o quanto a leitura de um livro, pode fazer a diferença em termos de generosidade e solidariedade, deixando de ser  um gesto meramente egoísta (relaxamento, aquisição de conhecimento, prazer individual, um encontro consigo mesmo) para ser um gesto altruísta (um encontro do outro, uma boa-ação, que acaba retornando para o próprio traduzido pela sensação de bem-estar interior e de gratidão por ter a bênção de poder estar ajudando quem precise e não ser quem esteja precisando de ajuda).
O projeto, isto é, uma campanha solidária em movimento, inspirada nas histórias envolvendo mensagens colocadas dentro de uma garrafa e lançada ao mar, aproveitando as férias na Costa da Caparica, desdobrada em 2 estratégias:

1- Pelo Mar  (revelou-se um fracasso, por falta de planejamento, por timidez, por falta de convicção na hora de lançá-lo): livro com capa protetora, dentro de uma bolsa de de congelar alimentos, dentro de um envelope de polietileno (era para se uma bolsa insuflável e a prova de água, porém não fora encontrada na altura) com o seguinte recado:



Alguém pegou no conjunto que estava na areia, retirou do envelope e logo atirou para areia sem o condicionar como estava, óbvio que deve ter ficado destruído. Talvez porque a Bárbara tenha ficado cerca de 200 metros do local fazendo exercício ao mesmo tempo que disfarçadamente observava o que aconteceria, porém  a praia estava praticamente deserta, o que tenha suscitado desconfiança por parte de quem pegara e jogasse de novo na areia por receio que fosse alguma espécie de cobrança golpe, armadilha, "pegadinha" ou algo do gênero, ou  simplesmente não "entrou no espírito" da proposta.
2- Por terra: Com capa protetora dentro do envelope de polietileno com o seguinte recado:


 
Pousado no  livro da estátua em homenagem a um médico:




Este parece que poderá resultar, passado 3 horas a Bárbara constatou que o livro já não estava onde fora deixado. 
Imaginar que o livro possa estar contribuindo para que alguém ou instituição venha a receber o valor comercial do livro, através de um gesto solidário de quem possa doar ao encontrar o livro, cria uma certa aura de magia, duplamente gratificante para a autora, o livro lido e uma onda de solidariedade desencadeada.
Que Deus permita que assim seja!