Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

sábado, 28 de junho de 2008

Horizonte da Mente


O ser humano possuiu uma complexa unidade, a mente, intocável por nossas mãos, cujo o mecanismo do seu funcionamento ainda é um mistério por desvendar, porém comanda todo o organismo: "mens sana in corpóreo sano", por mais que um corpo seja próximo da perfeição (próximo porque a perfeição não existe, sempre que se atinge o patamar que seria a perfeição, logo vislumbramos no horizonte outro patamar de perfeição) anatômica e funcionalmente falando, saudável, se não tiver uma mente igualmente saudável, este organismo acaba por adoecer.
Quando o horizonte da mente está iluminado por raios de sol, onde a amizade e/ou o amor resplandece, tendo como base sólida a confiança que deixa marcada a linguagem única comum existente, onde os sonhos e a fantasia florescem dando lugar a uma mágica sintonia nesse maravilhoso relacionamento estabelecido.
Porém, uma mente que apresente em seu horizonte nuvens negras, atormentada pelas dúvidas, medos, receios, geram desconfiança, acabando por "minar" e abalar um relacionamento, quebrando a sintonia existente, provocando um distanciamento, mas de tal forma ardilosa que acaba por atribuir ao outro a responsabilidade desse afastamento, quando na verdade foi gerada pela própria.
Qual o mecanismo que faz com que de repente a magia de uma sintonia seja abalada?
Será que foi uma dúvida, não esclarecida, surgida por um gesto, por uma palavra que ficou envenenando o espírito e levou à quebra de sintonia, até mesmo o levantamento de uma barreira no relacionamento?
Ou foi uma sensibilidade em captar a quebra dessa sintonia, sem conseguir entender o que a motivou e daí surgirem interrogações e questionamentos sobre a quem imputar a responsabilidade dessa ruptura, gerando a desconfortável sensação de se estar perdido, sem saber como agir, o que dizer o que fazer, como que "pisando em ovos" e com isso vão surgindo barreiras, pois a cada palavra ou gesto pode desencadear reações no outro, impedindo o restabelecimento da mágica sintonia existente outrora no relacionamento.
Tanto num como no outro caso o passo deve ser dado no sentido de esclarecer a dúvida ou se realmente a sensação está correta, porque às vezes temos sensações que achamos corresponder à verdade, porém, quando confrontamos com a realidade, não passam de erros dos "sensores" que "captaram mal a mensagem", por motivos vários, até um simples cansaço físico pode levar a que os nossos"sensores"captem erradamente uma "mensagem" vinda do outro, mas se não formos conferir, acabamos sendo nós próprios o responsável pela quebra da magia ou afastamento, deixando de falar a mesma linguagem única e comum que gerou a sintonia, porém atribuindo ao outro essa responsabilidade, que acaba por não entender o que de concreto aconteceu.

quarta-feira, 25 de junho de 2008

O prazer do amor


Ahhh o amor.... como é belo! Quanta magia e encanto espalha no horizonte de quem tem a felicidade de o sentir e vivê-lo em toda a sua magnitude!
Ahhh o amor...capaz de despertar a mais bela e maravilhosa das sensações, o da leveza do espírito, de flutuar no espaço, tamanha plenitude que proporciona.
Ahhh o amor...quanto prazer pode proporcionar, principalmente se vivido a dois com a mesma intensidade e entrega total de ambos ao momento das inebriantes sensações que esse encontro proporciona. Prazer esse que difere do prazer fugaz obtido apenas pela união dos corpos, na busca intencional do prazer através do instinto sexual, que é efêmero.
O prazer obtido pelo amor é duradouro, porque são duas almas gêmeas que se encontram e se tocam, ficando, por isso mesmo, marcado nas entranhas dos seres envolvidos, de tal forma tão intenso e profundo esse sentir, que basta uma simples palavra, um simples gesto de carinho, ambos desprovidos de qualquer intenção ou alusão ao sexo, a não ser o de fazer o outro feliz, ou somente a proximidade do outro, para desencadear uma cascata de emoções, gerando uma reação química com resposta automática de intensa vibração do corpo, conduzindo ao êxtase, ao clímax do prazer, sem que seja necessário estimular os órgãos sensoriais ou as zonas erógenas localizadas na superfície corporal.
A diferença mais marcante entre o prazer sexual e o prazer do amor (com ou sem união dos corpos) é que naquele busca-se o próprio prazer e neste busca-se o prazer do outro, daí o primeiro ser efêmero (pode ser até mais intenso no momento, porém passa e não fica marcado no ser, como se de uma aventura se tratasse, principalmente se necessitou de estímulos externos, como álcool ou outra droga que intensificasse esse prazer, nos dias que se seguem pouco resta do momento) e o segundo ser eterno (porque foram dois mundos que se uniram, corpo e alma, num universo único, onde os espíritos caminharam livres de mãos dadas, daí a sensação de plenitude, de leveza do ser, como se o corpo flutuasse, quando o universo volta a se transformar nos dois mundos de antes, porque os espíritos voltam para dentro dos respectivos corpos, por isso nos dias que se seguem as emoções e sensações permanecem).

terça-feira, 17 de junho de 2008

Admiração


Admiração (do latim admirari), segundo pesquisa na wikipédia, é um sentimento (são informações que seres biológicos são capazes de sentir nas situações que vivenciam) de surpresa ou espanto diante de uma situação.
Pode-se dizer que é a razão da emoção. Embora, muitas vezes admiramos ou somos fãs de outra pessoa através da imagem que formamos dessa pessoa, mas que nem sempre corresponde à realidade e ficamos decepcionados, quando a imagem que fazemos na realidade não passa de uma miragem ou de uma ilusão de óptica. Ninguém nos decepciona, nós próprios causamos a decepção em nós, quando criamos expectativas elevadas partindo não da realidade, mas sim da nossa interpretação da realidade.
Partindo do princípio de que este é um sítio dedicado a emoção x a razão, está na hora de acrescentar um pouquinho do conhecimento a cerca do local onde a emoção e os sentimentos são processados, ou seja no sistema límbico, uma parte do cérebro, constituído por:
*Amígdalas (localizadas no lobo temporal anterior) => quando destruídas o animal torna-se: dócil, indiscriminativo sexualmente, descaracterizado afetivamente, indiferentes ao perigo ou situações de risco; Quando estimuladas eletricamente provocam crises violentas de agressividade. No Homem se estiverem lesionadas, este perde a capacidade de saber se gosta ou não da pessoa conhecida que está vendo.
* Hipotálamo (relação estreita com as amígdalas)=> centro identificador do perigo, nele é gerado o medo e ansiedade que leva ao animal a ficar em alerta pronto para fugir ou lutar. Além de regular o comportamento, contolam as funções vegetarivas do encéfalo como temperatura, o impulso para comer e beber, etc... e desempenha função nas emoções (nas porções laterais prazer e raiva, na porção mediana : aversão, desprazer tendência ao riso incontrolável /"gargalhada"). Quando os sintomas físicos da emoção aparecem, a ameaça que produzem, retorna, via hipotálamo, aos centros límbicos e, destes, aos núcleos pré-frontais, aumentando, por um mecanismo de feed-back negativo, a ansiedade, podendo até chegar a gerar um estado de pânico.
* Hipocampo => Onde se processa o armazenamento da memória de longa duração, quando destruído totalmente nada mais é gravado na memória. Se intacto possibilita comparar as condições de uma ameaça atual com experiências passadas similares, permitindo optar pela melhor opção para garantir a sua preservação.
* Tálamo=>reação da reatividade emocional do Homem e dos animais.
* Giro cingulado=> Situado na face medial do cérebro, feixe nervoso que liga os 2 hemisférios cerebrais. A sua porção frontal coordena odores, e visões com memórias agradáveis de emoções anteriores, da reação emocional à dor e da regulação do comportamentto agressivo. Sua A ablação em animais selvagens, domestica-os totalmente. A simples secção de um feixe desse giro interrompendo a comunicação neural do circuito de Papez, reduz o nível de depressão e de ansiedade pré-existentes.
*tronco cerebral=> Região responsável pelas reações emocionais. Possui uma massa concentrada de neurônios secretores de norepinefrina que participam nos mecanismos de alerta , vitais para a sobrevivência, mas também da manutenção do ciclo vigília-sono; Um grupo de neurônios secretores de dopamina. A descarga espontânea ou a estimulação elétrica dos neurônios dessa região produzem sensações de prazer, algumas delas similares ao orgasmo. Indivíduos que apresentam, por defeito genético, redução no número de receptores das células neurais dessa área, tornam-se incapazes de se sentirem recompensados pelas satisfações comuns da vida e buscam alternativas "prazeirosas" atípicas e nocivas como, por exemplo, alcoolismo, cocainomania, compulsividade por alimentos doces e pelo jogo desenfreado.
* Septo=> A estimulação de diferentes partes desse septo pode causar muitos efeitos comportamentais distintos.
* Área septal => situada anteriormente ao tálamo, onde estão localizados os centros do orgasmo (quatro para mulher e um para o homem). Certamente por isto, esta região se relaciona com as sensações de prazer, mormente aquelas associadas às experiências sexuais.
**Área pré-frontal=> Não faz parte do Lobo límbico tradicional, mas suas intensas conexões com o tálamo, amígdala e outras sub-corticais, explicam o importante papel que desempenha na expressão dos estados afetivos. Subdividida em dorsolateral ( relacionada com o raciocínio, permite a integração de percepções temporalmente descontinuas em componentes de acção dirigidos a um objectivo); Orbitofrontal ( interface entre os domínio afectivo/ emocional e a tomada de decisões centradas nos domnios pessoal e social). E dorsolateral, funciona como um "secretário de direcção" da área dorsolateral, ao dirigir a atenção. As três áreas contribuem para o que se designa de "Funções Executivas". Quando é lesado , o indivíduo perde o senso de suas responsabilidades sociais (lesões orbitofrontais), bem como a capacidade de concentração e de abstração (lesões dorsolaterais). Em alguns casos, a pessoa, conquanto mantendo intactas a consciência e algumas funções cognitivas, como a linguagem, já não consegue resolver problemas, mesmo os mais elementares. Quando se praticava a lobotomia pré-frontal para tratamento de certos distúrbios psiquiátricos, os pacientes entravam em estado de "tamponamento afetivo", não mais evidenciando quaisquer sinais de alegria, tristeza, esperança ou desesperança. Em suas palavras ou atitudes não mais se vislumbravam quaisquer resquícios de afetividade.

sexta-feira, 13 de junho de 2008

Encontro de almas-Gêmeas é….


…Liberdade do espírito aprisionado
…Entrega total do corpo e da alma
…Voo direto ao paraíso
…Fusão de corpos e união dos espíritos
…Entrar na “bolha” e voar livremente nas asas do sonho e da fantasia
…Dar e receber prazer livremente

…Um ser que se entrega totalmente ao outro

…Liberdade total e irrestrita do ser

…Partilhar a vida livremente

…Ser feliz tornando ou vendo o outro feliz

Encontro de Almas-gêmeas:Liberdade do Espírito


O encontro de almas gêmeas complementares acontece para que uma delas ou ambas possam dar liberdade ao espírito acorrentado ao longo da jornada pela vida fora, pelos desejos não realizados, pelos sonhos que ainda não se tornaram realidade ou foram desfeitos, pelos traumas sofridos, pela ausência e pela distância do ente querido, pelas frustrações que ficaram gravadas no interior, pelos complexos, pela omissão, pela falta de coragem de correr riscos, por culpas infundadas ou não, pela partida do ser amado, pelo ideal não alcançado, por um amor reprimido, não vivido ou não correspondido, pelas experiências negativas que impedem a auto realização ou o expressar da própria natureza do ser.
Esse encontro é planejado e autorizado numa dimensão elevada que escapa a compreensão da razão e do raciocínio lógico, muitas vezes, a libertação do espírito aprisionado ocorre sem que as almas gêmeas disso se apercebam, apenas sentem uma transformação no seu interior, que extrapola para o dia a dia, fazendo com que se sintam felizes, sem que tenham nenhum motivo racional, concreto para estarem assim, espalhando uma onda de energia positiva que é percebida pelos que lhes rodeiam.
O fantástico desse encontro e dessa liberdade de espírito, é que a partir daí , essas almas estarão unidas para sempre, mesmo que os caminhos voltem a se descruzar, porque o espírito, agora em liberdade e cheio de gratidão, alcançará o seu libertador, esteja ele onde estiver, tome o rumo que tomar na vida.

terça-feira, 10 de junho de 2008

Ouvir o Coração...


Ouvir o que o nosso coração nos diz é muito complicado! Sendo a sede das emoções fica difícil distinguir se estamos ouvindo a mensagem dele ou se estamos ouvindo o nosso desejo.
Fazer essa distinção é muito difícil porque o nosso desejo parte do nosso corpo e o coração faz parte do nosso corpo.
Ouvimos dizer "ouça o que o seu coração lhe diz" quando temos uma decisão difícil de tomar, mas como conseguimos realmente saber se a mensagem que estamos "ouvindo" partiu do coração e não do nosso desejo? por exemplo se estamos a espera do contacto de uma pessoa, que não chegou, vamos dormir e ouvimos a "mensagem": "levanta e vai ligar porque a pessoa vai entrar em contacto" essa mensagem veio do conhecimento do coração ou partiu do nosso desejo de encontrar a pessoa?
Como então é possível "ouvir" o que o coração tem para nos dizer, se o nosso querer ou nosso desejo constantemente está influenciando nesse ouvir?
Talvez a "fórmula" seja "O.S.A.E." ("ouvir" com atenção, silenciar a nossa razão e pensamento, agir de acordo com o que "ouvir" e por fim esquecer), esta "fórmula"é um dos muitos"ensinamentos do mar" (sempre que se está sozinho diante do mar conseguimos "ouví-lo" (não apenas som das ondas que rebentam na areia) estabelecemos uma comunicação que vai direta ao coração e daí "ouvimos " a "mensagem" que ele nos envia.
Se ficarmos tentando achar uma lógica ou ficarmos "fazendo um filme" dos acontecimentos, imaginado as cenas do nosso agir no futuro, isso já passa a ser o nosso desejo ou o nosso querer "agindo" ao invés de ser o nosso coração "falando", porém às vezes temos que ir checar ou conferir "a mensagem" porque muitas vezes pode ser o nosso querer ou os nossos" diabinhos interiores" (sim porque não existe um ser humano 100% bom ou 100% mau, temos dentro de nós em equilíbrio"anjinhos" os "guardiãs do espírito" e "diabinhos/anjinhos rebeldes", estes estão sempre a espreita, esperando um cochilo daqueles para fazer as suas diabruras e destilar algum "veneno" no nosso coração ou espírito).
A distinção entre o som do coração e o som do desejo é muito difícil, mas não é impossível, porém requer atenção, concentração, sem a idealização de "cenas do filme" a executar, requer que tenhamos a mente aberta, livre de pensamentos negativos, repetitivos, requer ainda que derrubemos todas as pedras do muro que construimos dentro de nós que nos impedem de chegarmos a nós mesmos (essas pedras representam as frustrações, os medos, a insegurança, decepções, mágoas, revoltas, complexos, ódios, cobranças, as máscaras que criamos e todas as energias negativas que vamos acumulando durante a nossa existência), só então, é que conseguiremos "ouvir" o que o nosso coração tem para nos dizer.

terça-feira, 3 de junho de 2008

Sorriso Feliz



Sorriso feliz pode parecer redundância, mas não é.
Este sorriso representa a expressão de felicidade plena, aquela que só é possível oriunda das profundezas do ser.
Um sorriso assim surge quando o coração é tocado pelo mais sublime dos sentimentos, o Amor.
Um coração inundado de Amor, transborda de felicidade revestindo todo o ser com o brilho da Luz Divina, que torna o rosto com um olhar e um sorriso iluminado, sempre que haja uma manifestação desse Amor, a troca de um beijo gostoso, terno e apaixonado , um carinho, uma palavra de ternura, sentir que o ser amado é feliz , enfim tudo que "fala mais alto ao coração". Quando "ouvimos" ou "falamos" com o coração (emoção) e não com o cérebro (razão) sentimos toda a magia que o Amor encerra, acabamos muitas vezes por ficar perplexo e fascinados com o desenrolar de alguns acontecimentos ou sensações em nós próprios e no ser amado, mesmo que ambos estejam afastados fisicamente, separados por uma grande distância, conseguem uma sintonia maravilhosa que permite que ambos sintam emoções semelhantes, há o estabelecimento de uma comunicação que transcende a compreensão pela razão ou pela lógica, as palavras tornam-se desnecessárias, porque a linguagem do coração é silenciosa, mas percebida por outro coração que esteja no mesmo comprimento de onda gerado pela emoção, desencadeando, assim um sentir mútuo das mesmas emoções, estabelecendo uma ligação direta de coração para coração, sem que a razão compreenda, esclareça ou nos faça entender o momento dessa magia.
Sempre que o ser humano desfruta da magia do Amor, o sorriso feliz surge de forma permanente, deixando transparecer o estado sublime de plenitude que o seu espírito está vivendo, porque seu coração está simplesmente abrigando o Amor. Mesmo que alguma situação faça o sorriso, momentaneamente, desaparecer dos lábios, basta a lembrança do momento mágico vivido, ou simplesmente pensar no ser amado pra que o sorriso feliz surja, iluminando novamente todo o rosto, numa explosão incontrolada de felicidade.
Um brinde ao responsável pelo eclodir de um Sorriso Feliz que ilumina todo o ser.

domingo, 1 de junho de 2008

Dualidade do Coração


Será possível a coexistência de uma dicotomia no coração emocional de qualquer pessoa? será que essa pessoa pode ter um coração negro pela tristeza mas ao mesmo tempo vermelho de alegria de forma tão bem delimitada?
Será que os signos têm influência nessa dicotomia? só as pessoas nativas do signo de gêmeos onde o próprio símbolo já é a própria dicotomia ou uma dualidade têm bem delimitado essa dicotomia: Tristeza/alegria?
Seria mais lógico que houvesse uma sequência, no momento de tristeza todo o coração está triste, no momento de alegria todo o coração está alegre. Onde houver tristeza a alegria não entra e onde houver alegria a tristeza não entra, porém não é assim que acontece, parece haver uma fronteira bem definida a separar essas 2 metades, de um lado o coração é pesado, acorrentado, chora de tristeza por várias razões, mas tendo um ponto de partida num acontecimento, por outro é leve, livre para voar nas asas das emoções, sorri por tudo, tendo como ponto de partida o amor.
Essa fronteira é uma porta "vai-vem", dependendo dos acontecimentos, das lembranças, ela se abre para o lado negro, deixando as trevas saírem e todo o ser chora ou se abre para o lado cololorido, deixando a luz sair, fazendo com que todo o ser sorria e flutue.
O impressionante disso é que a delimitação é tão perfeita, que no momento que uma das partes é libertada basta chegar na fronteira para a outra ser libertada, se não houver aproximação da fronteira, a parte libertada é a que predomina.
Esta dicotomia acaba por representar a própria dualidade que cada ser humano carrega: Razão x Emoção, onde a razão seria a metade frenadora, carcereira e a emoção a outra metade libertadora, aquela traça o rumo e a meta e esta dá sentido à existencia da vida.
Esta dualidade pode ainda representar outra dualidade marcante no ser humano. realidade x fantasia, tanto uma como outra poderia ser indistintamente uma e outra metade, porque nem sempre a realidade é negra, castradora e nem sempre a fantasia é colorida e libertadora, porém a razão personifica a realidade e a emoção a fantasia.
Ao falar de razão e emoção a imagem que melhor representa essa dualidade é o cérebro do ser humano dividido por um sulco em 2 hemisférios: esquerdo e direito, onde o esquerdo aloja a razão e o direito aloja a emoção, pela teoria da dominância dos hemisférios os seres humanos que apresentam o hemisfério esquerdo dominante, são aqueles que têm vocação para a ciência, para a matemática, física, engenharia porque são predominantemente racionais ou movidos pela razão, já aqueles que têm o hemisfério direito dominante, teriam vocação para as artes (música, dança, pintura, escultura, dramaturgia, escritores) porque são predominantemente emocionais, porém , o ideal é que haja o equilíbrio entre os hemisférios, mas isso depende de cada um . As células nervosas não se regeneram, nem se renovam, porém existe a teoria da plasticidade neuronal, os neurônios vão formando uma rede de ligações entres os outros neurônios de acordo com o estímulos que vão recebendo. Em função disso há uma corrente de pensamento que refere a importância de se fazer "ginástica mental/cerebral" ou seja mudar os hábitos, por exemplo, se for destro, tentar escrever por vezes com a esquerda, quem diz isso diz muitas outras situações, isso obriga a que o cérebro faça ginástica, porque o lado direito do corpo está representado no hemisfério esquerdo e o lado esquerdo do corpo no hemisfério direito, o objectivo dessa ginástica é fortalecer o cérebro, mantendo-o activo, o que levaria a retardar os efeitos do seu envelhecimento.
Agora retorno ao início havendo essa dualidade a nível cerebral também pode haver a dicotomia a nível do coração emocional, porém tão delimitada assim é possível que nem todos tenham, talvez realmente seja mais encontrada nos que nasceram sob a constelação do zodíaco gemini .
PS:Segundo a wikipédia (Gemini, os Gêmeos, é uma constelação do zodíaco. O genitivo, usado para formar nomes de estrelas, é Geminorum. Eles representam Castor (α) e Pólux (β), irmãos de Helena de Tróia, na mitologia grega. O planeta-anão Plutão foi descoberto próximo a Wasat, δ Gem, em 1930, por Clyde Tombaugh.
As constelações vizinhas, de acordo com as fronteiras modernas, são Lynx, Auriga, Taurus, Orion, Monoceros, Canis Minor e Cancer.