Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

domingo, 12 de julho de 2009

Atitudes para Desenvolvimento da Terceira Inteligência

No Post sobre inteligência espiritual foram colocadas algumas perguntas para as quais não soube responder, por ser um tema fascinante e como não gosto de deixar perguntas sem respostas, tentei encontrá-las, nessa busca encontrei, pelo menos uma aproximação da resposta à pergunta nº 6: Existe(m) forma(s) de se desenvolver um pouco mais o Qs nos indivíduos que não são inatos?

"Atitudes para Desenvolvimento da Terceira Inteligência:

1- Não queira ganhar sempre. Você é muito bom no que faz, mas certamente não é o melhor. 2- Assuma consigo mesmo o compromisso de, pelo menos uma vez por dia, fazer alguém sentir-se importante.

3- Algumas vezes permita-se permitir que o outro pense que aquela maravilhosa idéia é dele. Por motivos diferentes, ambos ficarão felizes com isso.

4- Ninguém é perfeito, onipotente e onisciente. Aprenda a dizer, sem culpa: “Não sei”, mas procure aprender.

5- Quando sentir que é justo, peça desculpas.

6- Mude de idéia algumas vezes. Este é um bom exercício para manter-se atualizado e flexível. 7- Habitue-se a regularmente conversar com o Deus do seu coração, sobretudo para agradecer. Isso pode ser feito a qualquer momento, em qualquer lugar, e em qualquer posição. O respeito é uma postura interior – e não física – e está diretamente ligado à sua fé. 8- Habitue-se a encarar a vida de uma forma serena, otimista e bem-humorada. Tristeza, pessimismo e mau humor criam mais problemas do que resolvem.

9- Tenha a coragem de sonhar acordado.

10- Dê paz ao seu corpo. Descubra a maneira pessoal mais eficaz para relaxar e pratique-a com regularidade. Para algumas pessoas, uma caminhada funciona; para outras, dormir é melhor.

11- Dê paz ao seu espírito. Limpe a mente de quaisquer pensamentos ou sentimentos desagradáveis, negativos ou não-construtivos. Aqui também o método varia de pessoa para pessoa: alguns preferem ler, outros escolhem ouvir música relaxante; outros preferem fazer meditação, orar, entoar mantras. O importante é que você descubra e escolha a maneira mais eficaz para você.

12- Pratique com freqüência a empatia, ou seja, habitue-se a se colocar no lugar do outro, sobretudo em situações de constrangimento, sofrimento, solidão e depressão. Pergunte-se como estaria se sentindo se estivesse no lugar dele (a). Tente verificar o que pode ser feito para amenizar esse sentimento negativo ou ajudar a solucionar esse aparente problema.


As pessoas que possuem “inquietude existencial” são as mais propensas a desenvolverem a Terceira Inteligência, uma vez que elas costumam perguntarem-se com freqüência:

- Que papel tenho na vida?

- Quem sou, realmente em essência?

- O que quero, o que busco, aonde quero chegar?

- Qual é minha missão pessoal?

- Que condições e critérios devo seguir?

- Pelo que acho que vale a pena lutar e viver? "



Além dessas atitudes encontrei uma teoria (o da não localidade ), que vem fundamentar muito do que já refleti, inclusive descrito em alguns posts anteriores, e que constantemente tenho experimentado, comunicação mesmo a longas distâncias sem nenhum recurso material veiculando a mesma:


"...Que a consciência é à base da existência, não a matéria. Ao dar valor primordial à consciência, podemos aprender todas as suas qualidades e experiências, não só as experiências materiais, sensoriais, mas também o que pensamos, sentimos e intuímos. Essa intuição é um fenômeno que se explica pelo conceito de não-localidade, uma comunicação onde não há troca de sinais, explicada pela física quântica. É um fenômeno em que moléculas, elétrons e pessoas se comunicam mesmo a longas distâncias. Isso é a evolução do nosso conceito de inteligência, porque previamente o argumento era que inteligência era a maneira como usamos nosso computador cerebral.

Lógico que existe um componente no seu DNA que explica como você usa seu cérebro, mas inteligência também é criatividade, como você vai além da mente, além do conhecido. Quando integramos a intuição, a criatividade, à nossa razão, aí ocorre a transformação que tanto precisamos.

Uma crise pessoal muitas vezes detona um processo de revisão de valores. Por exemplo, há uma crise ecológica acontecendo no planeta, e muitos céticos sobre a questão do aquecimento global estão se abrindo para visões alternativas. E a tradição da ciência é formular teorias e realizar experimentos para verificar essas teorias. Um novo conceito em ciência, por exemplo, o da não-localidade, foi verificado. Cinco experimentos independentes provaram que pessoas podem se comunicar, que seus cérebros podem se comunicar, sem estar presentes no mesmo local. Existe uma comunicação não-local entre nossos cérebros, que é a interconexão com o que chamamos de consciência...".






Nenhum comentário: