Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

sábado, 29 de outubro de 2011

Queria ser...

...AMANHECER: Para fazer um dia a mais de felicidade na Terra.

AMOR: Para unir as pessoas e lhes dizer que sou apenas uma delas!CANTO: Para alegrar os que vivem na tristeza.
CHUVA: Para correr toda a terra e molhar os campos devastados e secos.
DOR: Para amargar no peito dos infiéis.
FLOR: Para enfeitar os jardins no outono.
FORÇA: Para fugir dos que a utilizam para o mal.
GRITO: Para gritar a dor dos que sofrem em silêncio.
LÁGRIMA: Para fazer chorar os corações insensíveis.
LUAR: Para brilhar na noite dos amores incompreendidos. LUZ: Para iluminar os que vivem na escuridão.
NOITE: Para acalentar os que lutam durante o dia.
OLHOS: Para fazer enxergar os cegos de verdade.
SILÊNCIO: Para fazer calar as vozes que atordoam o coração do homem.
SINO: Para repicar nos Natais dos que possuem recordações amargas.
SOL: Para fazer brilhar os que não têm lua.
SONHO: Para colorir o sono dos realistas petrificados.
SORRISO: Para encantar os lábios dos amargurados.
VIDA: Para fazer nascer os que estão morrendo.
VEÍCULO: Para trazer de volta os que partiram deixando saudades.
VOZ: Para fazer falar os que sempre se calaram.



Gostaria de poder expressar meu agradecimento ao autor deste lindo texto, que traduz tudo aquilo que um dia eu queria ser, mas que não conseguirei ser, porém não encontrei o autor, entretanto na busca que realizei encontrei o "amanhecer"de Chico Xavier, que é uma proposta a ser seguida no presente, para poder preparar o futuro e quem sabe possa mudar o tempo verbal do passado "queria ser..." para o futuro "serei..."


"Quero nascer de novo cada dia que nasce.
Quero ser outra vez novo, puro, cristalino.
Quero lavar-me, cada manhã, do homem velho, da poeira velha, das palavras gastas, dos gestos rituais.
Quero reviver a primeira manhã da criação, o primeiro abrir dos olhos para a vida.
Quero que cada manhã, a alma desabroche do sono como a rosa do botão e, surja como a aurora do oceano, ao sorriso dos teus lábios, ao gesto de tua mão.
Quero me engrinaldar para a festa renovada com que cada dia nos convidas a desdobrar as asas como a águia em demanda do sol.
Quero crer, a cada nova aurora, que esta é a definitiva, a do encontro com a felicidade, a da permanência assegurada, a de teu sim definitivo."
(Chico Xavier)

Rezar em situação de perigo é um ato de Fé ou de desespero?

As fortes chuvas que provocam enchentes, deixam ruas alagadas autênticos rios. Esta imagem nos impressiona, embora causem uma certa angústia, principalmente quando imaginamos se fosse connosco. Mas quando somos os protagonistas, sentimos uma crise de profunda ansiedade, de pânico, até terror, como aconteceu no dia 26/10/2011, 2 horas sob chuvas torrenciais, visibilidade zero, velocidade 10 km/h, um elevado nível de Stress e tensão, umas não sei quantas Ave-Marias e Pai-Nosso foram rezados nesse trajeto do trabalho para casa, num carro velhinho (que todos dizem que já devia estar aposentado) ao chegar a uma distância de 3 km de casa a larga avenida transformada em lago, a água chegava na metade da porta, quando os carros passavam corriam ondas e ainda por cima um estúpido de um motorista bate na traseira do carro, passa pela direita e insulta dizendo que fora ao contrário que o carro é que bateu no dele, como isso seria possível se estava com o pé no freio, o freio de mão puxado, ele estava no final de uma descida (se não havia o lago que estava, o embate provocado suscitou o efeito "chicote" típico das batidas sofridas por trás quando estamos parados, onde a cabeça vai para frente e volta para trás bruscamente) por fim ainda diz "não sabe conduzir fica em casa" e depois passa a frente numa atitude provocadora, não faltava mais nada, momentaneamente fica-se paralisado, já estávamos aterrorizados pelo pânico de poder sofrer acidente, ou do carro ficar avariado no meio de tanta água, ainda chega alguém culpado que atira as suas culpas para nós. Mas foi melhor assim, não ter reação, porque mesmo que estivesse com a razão (e estava) de que serviria discutir e até quem sabe o outro puxar de uma arma e nos acertar. O desespero era tanto que quando passava sob um viaduto que por frações de segundos não via a água era uma sensação de alívio, este último incidente foi a "gota d'água" só pensava em parar o carro e ficar abrigada da chuva, desviei o caminho para ir para um shopping esperar passar a chuva e as ruas desafogarem, entretanto surge uma rua a meio do caminho (que também conduziria à casa) que estava sem acumulo de água e a visibilidade tornara-se melhor, uma "luz no fundo do túnel", entretanto tornou-se mais um dado para aumentar o nível ainda mais de tensão, engarrafamento, com o agravante que os ônibus todos estavam vindo por ela, rua estreita de duplo sentido, com carros estacionados de um lado estreitando-a ainda mais, 1 hora para chegar desde essa rua até em casa, que normalmente se faria em menos de 5 minutos, mas serviu de conforto porque o pensamento "se o carro parar ou qualquer coisa deixo o carro e vou a pé", felizmente não foi necessário 3 três horas depois de sair do trabalho conseguia chegar á casa (o que normalmente levaria 30 minutos), o "velhinho" portara-se muito bem, ao contrário de muitos carros novos que foram vistos ao longo do trajeto parados, avariados no meio da água.


Disso tudo houve a constatação de que as orações que foram realizadas ao longo do trajeto foram apenas uma tentativa de aliviar a pressão, foram rezadas com desespero, mas sem fé, porque caso contrário, provocaria uma sensação de alívio, confiança, serenidade, sem insistência o que não ocorreu, muito pelo contrário era uma oração repetida desesperadamente autômata.


Se rezamos insistentemente, incessantemente, é porque não confiamos e não acreditamos por isso não esperamos o resultado ou estamos tentando "forçar a barra" como se déssemos uma ordem a Deus e como não víamos o resultado, voltamos a insistir várias vezes, até que seja cumprida.


A partir disso revi a forma de rezar ou orar em situação de elevada tensão, terror ou até mesmo em pânico, se rezar não provocar uma sensação de paz e serenidade, significa que não estou rezando com fé e não estou me entregando nas mãos de Deus, porque tudo acontece se tiver que acontecer, não aceitar isso é querer mandar em Deus. Orar ou rezar não é fazer com que Deus faça aquilo que queremos e sim que nos ensine, nos ampare e dê forças para suportarmos o que não conseguimos evitar de acontecer.Porque está dentro de um plano superior, que transcende o nosso querer ou vontade.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Receitas de Felicidade...

Receitas de Felicidade
1-Toquinho
Pegue uns pedacinhos de afeto e de ilusão;


Misture com um pouquinho de amizade;

Junte com carinho uma pontinha de paixão

E uma pitadinha de saudade.
Pegue o dom divino maternal de uma mulher

E um sorriso limpo de criança;

Junte a ingenuidade de um primeiro amor qualquer

Com o eterno brilho da esperança.
Peça emprestada a ternura de um casal

E a luz da estrada dos que amam pra valer;

Tenha sempre muito amor,Que o amor nunca faz mal.

Pinte a vida com o arco-íris do prazer;

Sonhe, pois sonhar ainda é fundamental

E um sonho sempre pode acontecer.


2-"Culinária"-Simone Luzzi

Ingredientes:
1 xícara de serenidade

3 colheres de sopa de paciência

2 xícaras de caridade

4 colheres de compreensão

1 dose de respeito a mesma medida de tolerância

1 dúzia de amor

1/2 litro de carinho

3 copos de alegria

1 kl. de fé

2 kls. de pensamento positivo

1 pitada de inteligência e muita humildade para semear.
Preparo:
Misture tudo, coloque dentro do seu coração aquecido para aproximadamente tempo infinito.
Rendimento:
Para todos que buscam a felicidade.

ou


Ingredientes:

FAMÍLIA: é aqui que tudo começa;

AMIGOS: nunca deixe faltar;

RAIVA: se acontecer, que seja pouca;

DESESPERO: pra que?

PACIÊNCIA: o máximo possível;

LÁGRIMAS: enxugue todas;

SORRISOS: os mais variados;

PAZ: em grande quantidade;

PERDÃO: à vontade;

ESPERANÇA: não perca jamais;

CORAÇÃO: quanto maior melhor;

AMOR: pode abusar;

CARINHO: essencial.

Modo de preparo:Reúna sua FAMÍLIA e seus AMIGOS. Esqueça os momentosde RAIVA e DESESPERO. Use toda sua PACIÊNCIA,substitua as LÁGRIMAS por SORRISOS. Junte a PAZ e oPERDÃO, depois ofereça aos seus desafetos. Deixe a ESPERANÇA crescer em seu CORAÇÃO. Viva sempre com muito AMOR e CARINHO.


Rendimento:Uma vida maravilhosa.



O "stress" por vezes interfere na felicidade, por isso 4 técnicas para aliviar o "stress"
As melhores técnicas para lidar com o "stress" são muito simples de aprender e praticar. E devem ser. Afinal, se fossem complicadas, nos deixariam mais estressados, não é mesmo? As técnicas abaixo irão ajudá-lo a controlar o excesso de "stress", a se tornar mais saudável e alegre.
1- Evite a companhia de quem estimula o "stress"
Quem não conhece pessoas que não apenas são estressadas, mas que parece que "exalam" e«"stress" para todo o ambiente? Quando você menos se dá conta, está infectado com o "stress" deles. Se você é o tipo de pessoa que costuma se deixar influenciar pelo "stress" alheio, evite essas pessoas. Pelo menos quando se sentir mais suscetível.

2-Aprenda a respirar profundamente
A respiração influencia diretamente o estado do corpo e da mente. Note que quando estamos estressados, a respiração tende a ser mais curta e rápida. Ao contrário, quando estamos relaxados, tende a ser mais longa e demorada, como a respiração de um bebê. Esta é a maneira correta de respirar, que nos deixa relaxados e calmos. Que tal reaprender a respirar assim?
Deite-se de costas no chão, sobre um colchonete ou edredon dobrado, com os olhos fechados e os braços estendidos ao longo do corpo. Inspire lentamento pelo nariz e visualize os seus pulmões se enchendo de ar e expandindo. Quando estiverem cheios, prenda a respiração por um instante e expire devagar, também pelo nariz, esvaziando os pulmões completamente.
Mantenha esta respiração pelo tempo que desejar ou que precisar para ficar bem relaxado.

3-O sorriso interior
Esta é uma antiga e eficiente técnica taoísta para o controle do "stress". Uma maneira simples de fazer isso é fechar os olhos e sorrir pensando em algo que costume lhe agradar. Preste atenção na sensação que isso causa em você. Mentalmente, faça esta sensação "viajar" por todo o seu corpo, começando pelo rosto. Depois vá descendo pelo pescoço, pulmões, coração e abdômen. Você pode prosseguir espalhando esta sensação por todo o seu corpo. A técnica é simples e, para quem ainda não tentou, pode parecer até um pouco tola, mas é muito eficiente! Não deixe de experimentá-la. Você será recompensado.

4-Espreguice-se
O ato de espreguiçar relaxa os músculos do corpo e gera uma agradável sensação de bem-estar. Já que é tão simples, que tal fazer isso com mais freqüência? Não se deixe ficar imóvel diante da tela do computador por horas a fio. Faça pausas de tempos em tempos para esticar o corpo e respirar profundamente.

Como vê, estes exercícios são simples de aplicar e fáceis de integrar à sua rotina diária. Muitas vezes, ficamos estressados simplesmente porque ficamos tão obstinados com os problemas do dia a dia e esquemos de atos tão simples que podem nos trazer bem-estar
.

domingo, 9 de outubro de 2011

"Morrer em vida é fatal"

Recados para Orkut Recados para Orkut


Recebi esta mensagem, logo pensei em compartilhar, inserindo em cor diferente alguns textos compilados de Marcial Salaverry, porque configura bem um dos temas inquietantes quando os anos vão passando e percebemos que nos aproximamos cada vez mais da velhice e aponta o caminho para saber envelhecer:
Nunca esqueci de uma senhora que, ao responder por quanto tempo pretendia trabalhar, respondeu com toda a convicção: “Até os 100 anos”.
O repórter, provocador, insistiu:
“E depois?”.
“Ué, depois vou aproveitar a vida”.
É de se comemorar que as pessoas aparentem ter menos idade do que realmente têm e que mantenham a vitalidade e o bom humor intactos – os dois grandes elixires da juventude.
No entanto, cedo ou tarde (cada vez mais tarde, aleluia), envelheceremos todos.
Não escondo que isso me amedronta um pouco.
Ainda não cheguei perto da terceira idade, mas chegarei, e às vezes me angustio por antecipação com a dor inevitável de um dia ter que contrapor meu eu de dentro com meu eu de fora.
Rugas, tudo bem. Velhice não é isso, conheço gente enrugada que está saindo da faculdade.
A velhice tem armadilhas bem mais elaboradas do que vincos em torno dos olhos.
Ela pressupõe uma desaceleração gradativa: descer escadas de forma mais cautelosa, ser traída pela memória com mais regularidade,
ter o corpo mais flácido, menos frescor nos gestos, os órgãos internos não respondendo com tanta presteza, o fôlego faltando por causa de uma ladeira à toa, ainda que isso nem sempre se cumpra: há muitos homens e mulheres que além de um ótimo aspecto, mantêm uma saúde de pugilista. A comparação com os pugilistas não é de todo absurda: é de briga mesmo que
estamos falando. A briga contra o olhar do outro. Muitos se queixam da pior das invisibilidades: "Não me olham mais com desejo”. Ouvi uma mulher belíssima dizer isso num programa de tevê, e eu pensei: não pode ser por causa da embalagem, que é tão charmosa.
Deve estar lhe faltando ousadia, agilidade de pensamento, a mesma gana de viver que tinha aos 30 ou 40. Ela deve estar se boicotando de alguma forma, porque só cuidar da embalagem não adianta, o produto interno é que precisa seguir na validade.
Quem viu o filme “Fatal” deve lembrar do professor sessentão, vivido por Ben Kingsley, que se apaixona por uma linda e jovem aluna (Penélope Cruz) e passa a ter com ela um envolvimento que lhe serve como tubo de oxigênio e ao mesmo tempo o faz confrontar-se com a própria finitude.
No livro que deu origem ao filme (O Animal Agonizante, de Philip Roth), há uma frase que
resume essa comovente ansiedade de vida: "Nada se aquieta, por mais que a gente envelheça”. essa é a ardileza da passagem do tempo: ela não te sossega por dentro da mesma forma que te desgasta por fora. O corpo decai com mais ligeireza que o espírito, que, ao contrário, costuma rejuvenescer quando a maturidade (a arte de saber envelhecer o físico sem envelhecer a alma) se estabelece. (Devemos dentro do possível, manter nossos hábitos, acomodando-os com a nova realidade do organismo. Se não podemos mais correr na praia, passemos a caminhar acelerado enquanto der, diminuindo a marcha conforme o organismo for pedindo. O que não podemos, é parar).
Como compensar as perdas inevitáveis que a idade traz? Usando a cabeça: em vez de lutarmos para não envelhecer, devemos lutar para não emburrecer. (É exatamente essa flama interna que nos conserva vivos, que nos permite achar que estamos fazendo jús ao lugar que ocupamos no mundo. Do contrário, passaremos a ser meros objetos decorativos para colecionadores de mau gosto).
Seguir trabalhando, viajando, lendo, se relacionando, se interessando e se renovando. Porque se emburrecermos, aí sim, não restará mais nada.

Martha Medeiros

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

A ORAÇÃO QUE CAUSOU CONTROVÉRSIA....  

Oração de abertura no senado de Kansas.


Talvez você queira ler esta oração que foi feita em Kansas na sessão de inauguração da 'Kansas House of Representatives.'
Quando se pediu ao reverendo Joe Wright que fizesse a oração de abertura no Senado de Kansas, todos esperavam uma oração ordinária, mas isto foi o que todo escutaram:
"Senhor, viemos diante de Ti neste dia, para Te pedir perdão e para pedir a tua direcção. Sabemos que a tua Palavra disse: 'Maldição àqueles que chamam "bem" ao que está "mal“, e é exactamente o que temos feito. Temos perdido o equilíbrio espiritual e temos mudado os nossos valores.
Temos explorado o pobre e temos chamado a isso "sorte". Temos recompensado a preguiça e chamámo-la de "Ajuda Social". Temos matado os nossos filhos que ainda não nasceram e temo-lo chamado “a livre escolha". Temos abatido os nossos condenados e chamámo-lo de "justiça".
Temos sido negligentes ao disciplinar os nossos filhos e chamámo-lo “desenvolver a sua auto-estima”. Temos abusado do poder e temos chamado a isso: "Política". Temos cobiçado os bens do nosso vizinho e a isso temo-lo chamado "ter ambição". Temos contaminado as ondas de rádio e televisão com muita grosseria e pornografia e temo-lo chamado "liberdade de expressão".
Temos ridicularizado os valores establecidos desde há muito tempo pelos nossos ancestrais e a isto temo-lo chamado de "obsoleto e passado". Oh Deus!, olha no profundo dos nossos corações; purifíca-nos e livra-nos dos nossos pecados.


Amen.


A reacção foi imediata.
Um Parlamentar abandonou a sala durante a oração. Três outros criticaram a oração do Padre classificando a oração como “uma mensagem de intolerância”.
Durante as seis semanas seguintes, a Igreja 'Central Catholic Church‘ onde trabalha o sacerdote Wright recebeu mais de 5.000 chamadas telefónicas, das quais só 47 foram desfavoráveis
Esta Igreja recebe agora petições do mundo inteiro, da Índia, África, Ásia, para que o pároco Wright ore por eles. O comentarista Paul Harvey difundiu esta oração na sua emissão de rádio ' The Rest of the Story ', (O Resto da História), e recebeu um acolhimento muito mais favorável por esta emissão, que por qualquer outra.
Com a ajuda de Deus, gostaríamos que esta oração se derramasse sobre a nossa nação, e que nasça em nossos corações o desejo de chegar a ser uma ''Nação debaixo do olhar de Deus".
Se não temos o valor de nos mantermos firmes nas nossas convicções, então caíremos diante de qualquer outro argumento, ou inimigo.


Ainda bem que de tempos em tempos surgem pessoas, como esse reverendo (com a oração que proferiu causadora de controvérsia) que através das suas atitudes, gestos ou palavras, nos fazem parar e repensar na forma como estamos na vida, que abalam a nossa estrutura interna, que nos dão uma sacudidela para acordarmos para a realidade que nos cerca e reflitamos qual a nossa parcela de culpa ou responsabilidade pela sociedade em que vivemos, estar do jeito que está, pela crise global não só financeira que é a que deixa todos transloucados, mas principalmente a crise de valores humanos e princípios ético, moral e cristão, a ausência destes, permite toda a erva daninha que mina a dignidade humana, como a ganância, a inveja, a cobiça, a sede de poder não importando o preço que se tenha que pagar (para muitos "os fins justificam os meios"), a corrupção espalhada pelos quatro cantos do mundo, a brutalidade e violência com que os seres humanos são tratados, oprimidos e "esmagados" por quem detém o poder (político, econômico, militar ou armado), como mostra a história, o mais marcante desse repudiável, vergonhoso e lamentável, exemplo é o Holocausto que ocorreu há mais de 60 anos com 2ª Guerra Mundial, mas no presente temos exemplos igualmente reprováveis, como os terroristas informáticos, que além de invadirem a privacidade, quebrarem a segurança, tornando público o que é de domínio privado, espalham o "terror" com os vírus que disseminam por toda a Internet, causando estragos pessoais, ou comprometendo todo o trabalho de milhões de pessoas, ou ainda lesando entidades quer a nível financeiro , quer a nível de credibilidade.


Porque será que algumas pessoas privilegiadas dotadas de inteligência e capacidade fora de série, não se dedicam a prática do bem comum, pelo contrário, optam por destruir ao invés de construir? talvez porque nunca ninguém lhes tenha ensinado, ou tenham aprendido, que a maior riqueza que uma pessoa possa ter não está nos bens materiais, estes são facilmente destruídos e sim nos bens espirituais, que nunca serão destruídos, acompanharão a pessoa aonde ela for, nada e ninguém nunca conseguirá removê-los nem mesmo a morte.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

A vida é um espelho...é o reflexo do que lhe apresentamos

A VIDA É UM ESPELHO


Perguntaram a Mahatma Gandhi quais são os fatores que destroem o ser humano. Ele respondeu assim:

A Política sem princípios.

O Prazer sem compromisso.

A Riqueza sem trabalho.

A Sabedoria sem caráter.

Os Negócios sem moral.

A Ciência sem humanidade.

E a Oração sem caridade.

A vida me tem ensinado que as pessoas são amáveis, se eu sou amável; que as pessoas estão tristes, se eu estou triste; que todos me querem, se eu os quero; que todos são maus, se eu os odeio; que há faces sorridentes, se eu lhes sorrio; que há caras amargas, se estou amargo; que o mundo está feliz, se eu estou feliz; que as pessoas são terríveis, se eu sou terrível; que as pessoas são agradecidas, se eu sou agradecido. A vida é como um espelho: Se sorrio, o espelho me devolve o sorriso. A atitude que tomo frente à vida, é a mesma que a vida tomará diante de mím.


"Quem quer ser amado, que ame".

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

O milagre do IPÊ

Há imagens que nos fazem parar e levar a refletir, esta é uma delas:

Na guerra pelo progresso, o homem não mede esforços e as conseqüências dos seus atos. O importante é avançar. Numa batalha desigual, destrói insanamente os recursos naturais, essenciais à sobrevivência. A resposta da natureza pode até demorar, mas não falha. Às vezes, é imediata, intrigante ou mesmo desafiadora. Só precisamos interpretá-la.Num ato silencioso e inusitado, ela respondeu aos afiados machados e às violentas motosserras, maiores formas do desrespeito destruidor. Insistiu e exigiu seu espaço para expor a beleza de suas flores e a generosa sombra de sua copada, numa grande demonstração de energia e desejo de viver.Derrubado e transformado em poste para suporte dos fios da rede elétrica, o Ipê amarelo não se entregou. Com uma reação estupenda, recuperou sua pompa e reinado de árvore símbolo nacional. Rebelou-se à condenação injusta, criou suas raízes no solo e voltou a reinar absoluto, esbanjando alegria e beleza com sua identidade marcante.Reconsiderando o seu ato, o homem decidiu transferir a rede elétrica a um poste de concreto instalado ao lado. Agora o Ipê reina livre dos fios.Este Ipê que pode ser honrado com “I” maiúsculo, é uma atração pública em Porto Velho, capital de Rondônia, distante 3.500 quilômetros de Porto Alegre.Doce privilégio dos moradores do bairro, a exemplo do fotógrafo amador Leandro Barcellos, gaúcho de Passo Fundo que reside em Porto Velho nos cede a imagem para saboreio dos eletricitários gaúchos.Com forte herança dos povos latinos, durante algumas décadas, Rondônia exerceu forte poder de atração sobre sulistas e nordestinos para exploração mineral, extrativismo e agricultura, desenvolvendo uma nova cultura miscigenada.

"Não aceitando a imposição do homem, o ipê fincou pé e readquiriu a vida. O poste que floriu fica como uma homenagem à Primavera". (Foto: Leandro Barcellos )
O MILAGRE DO IPÊ 
Silvestre Gorgulho
O Primeiro Ato é mais que conhecido:
- Esta árvore é minha! Vocifera o bronco.
Vai me trazer o conforto merecido.
Este pé de ipê é de excelente porte.
Tira-lhe os galhos... Raspa-lhe o tronco,
Pois que está condenado à morte!

Vem, a seguir, o Segundo Ato:
- Tudo tem que estar pronto ao fim do dia.
Não há espera. Árvore é no mato!
Prendem-lhe fios, arames e pregos
Para que a modernidade em energia
Chegue a todo bairro em imediato!

O Terceiro Ato é mais que previsível.
- Morreu como um crucificado!
É forte? Madeira de lei? É invencível?
Que nada! Estarei no meu sofá sentado
E este pé de ipê me dará alívio
Ao trazer luz, tevê e ar condicionado.
Como fez o Cristo no Calvário.

O Ipê - no Quarto Ato - foi divino:
Abriu em belíssimo cenário
Pra ressurgir florido à espera
De ofertar flores ao assassino.
Exuberante! Lindo! Uma quimera!
Respondeu com paz, o solitário,
E saudou com vida a Primavera!

Silvestre Gorgulho
21 de Setembro de 2011