Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Natal renovação da vida...por vezes, nem sempre é assim!

O Natal é a renovação da vida, mas este ano ao invés de renovação foi o aflorar mais uma vez do que parece ser algo impossível de ser controlado, o de "ferver em pouca água", reduzindo a esperança da renovação interior.
Os anos vão passando e a sensação de estagnação ou mesmo de regressão, principalmente em termos de evolução espiritual, vai aumentando. É tão frustrante e decepcionante quando se almeja muito alcançar um estado de evolução espiritual que nos faça ultrapassar as situações adversas, as provocações, as injustiças sem nos afetarmos e conseguirmos manter o equilíbrio, a paz de espírito e a consciência tranquila, quando temos a bênção de ter Deus sussurrando no nosso ouvido o caminho a seguir e pensamos que finalmente conseguiremos vencer a "fera irracional" que existe dentro de nós e que nos afasta de Deus, por ter aprendido os Seus ensinamentos através das ondas do mar, eis que num ápice tudo desmorona, basta ocorrer uma pequena injustiça, um pequeno mal entendido ou uma pequena contrariedade e a fera sai abruptamente, sem que tenhamos tempo se quer de respirar  fundo ou ter consciência, provocando um descontrole total com uma enxurrada de palavras ofensivas, agressivas, que geram um clima pesado carregado de energia negativa, as trevas instauram-se, como ocorreu na véspera do dia de Natal, envolvendo parte da família, gerado por "ferver em pouca água" (aceitando e revidando provocações, reagindo às injustiças, às "alfinetadas"com total descontrole) para piorar a dor de cabeça que estava "em cima do muro" entre melhorar ou agravar, manifesta-se de forma desesperadamente insuportável, aí o "caldo ficou entornado", quanto mais descontrole, mais culpa e revolta interior por ser assim e consequentemente maior descontrole e irritabilidade e agravamento da dor de cabeça, por momentos pensava que só queria que chegasse ao final do dia de Natal,para que as atividades e responsabilidades, o trabalho para que nada faltasse para a família terminasse e pudesse estar sozinha sem ter que tentar disfarçar ou responder as perguntas, de tão desesperada que estava, depois,contrariando as leis da física, o negativo atrai mais negativo, surge uma sucessão de situações desagradáveis, como tempestade com  falta de luz, pela manhã, impedindo de sair de casa para completar os preparativos para a noite e o dia de Natal e a preocupação do que fazer para almoço da família se o que estava programado dependia da eletricidade, na hora que ia começar a preparar uma alternativa a luz voltou, mas a meio da confecção do almoço torna a faltar; o preparado não saiu como o esperado embora a família dissesse que estava bom, mas porque perceberam a chateação,  a dor de cabeça impediu que almoçasse, mas ainda permitiu  continuar com os preparativos (depois de lavar e arrumar a louça do almoço), apanhar as encomendas para a ceia/jantar de Natal (apesar da intensa chuva, mas felizmente a afilhada conduziu o carro) e jantar (a comadre preparou junto com a afilhada) um pouco só para estar com a família, mas assim que terminaram a cama foi o destino, (abençoado irmão que sugeriu que o fizesse, pois ele próprio cuidaria da louça)  para poder dar seguimento ao amigo oculto/secreto conforme delineado previamente (se bem que desprovido do mesmo entusiasmo inicial, por um dos elementos, sem mais nem porque fazer uma crítica destrutiva injusta e ainda mencionar não ser o único a pensar assim), 1 hora depois o pai foi perguntar se não estaria em condição de ir fazer o que tinha planejado, com esforço disse que estava e seguiu-se novo clima de tensão, o irmão pensando que ajudava disse que não ia fazer o amigo oculto naquele momento e sim no dia seguinte, as filhas deram razão ao pai, houve exaltação, mas por fim o clima tenso deu lugar a risos e descontração provocados pela entrega do amigo oculto: cada um pegou no gorro de Papai Noel que estava dentro de 2 caixas (idênticas as do "Kit holístico") cada gorro tinha um papel com nome e a dica para pegar no Kit Holístico na cor do signo do amigo oculto, dentro do saco de Papai Noel que estava junto da árvore de Natal e entregá-lo junto com o respectivo presente ao seu amigo oculto, quis o destino que o membro mais novo da família, 4 meses, fosse o amigo secreto do membro mais idoso, 80 anos (bisneto-bisavô), assim que o último kit foi entregue, esgotou-se a força, o desespero venceu e a cama foi o destino, ( sem dizer nada a ninguém a não ser gesticular para o irmão colocar a gota no pai), pela primeira vez sem ir à Missa do Galo, como sempre fez ano após ano, apesar dos planos de realizar o amigo oculto antes, justamente para que pudesse ir à Missa  quem quisesse e não obrigar os outros que não quisessem a esperarem.
E pensar que imaginara que seria um Natal Harmonioso, sereno, repleto de amor ajudado pela energia positiva do Kit personalizado criado/desenvolvido que fora carregado com energia Cósmica/Divina para que transmitisse proteção, saúde, paz, pelo equilíbrio da energia vital, à cada um, pensando em dar uma pequena contribuição para que fossem felizes, por estar profundamente grata a Deus pela recuperação do pai e pela vinda do membro mais novo da família, achando que tinha atingido um estado de evolução espiritual próximo do que almejara...Assim o que era para ser uma renovação que geraria paz interior e harmonia na família foi antes uma guerra interior desgastante que conduziu ao descontrole, perda da paz interior  e por momentos falta de harmonia e um clima tenso na família.
Contudo, Graças a Deus, o dia de Natal começou com uma energia boa (como gostaria que tivesse sido assim na véspera,ou que hoje fosse ontem, para poder ser diferente, estar mais tempo com a família, quem sabe se não terá sido o último Natal em que todos estiveram juntos, mas o tempo não volta atrás), um amigo que tem o dom de espalhar felicidade com a sua presença, mandou um SMS de Natal, a dor de cabeça manteve-se em níveis suportáveis, o almoço ficou encaminhado antes de ir à missa e ficou ao agrado de todos, um outro amigo telefonou e sem saber disse o que estava precisando ouvir no momento para apagar a imagem horrível do dia anterior e fez renascer a esperança de alcançar a tão almejada evolução espiritual que se traduz por deixar de ser "pavio curto" e de "ferver em pouca água" e demonstrar que somos uno com Deus e por isso a "fera incontrolável" deixa de existir.

Nenhum comentário: