Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

terça-feira, 1 de julho de 2008

Amor e Loucura

O amor é o mais nobre dos sentimentos, capaz de levar pessoas a cometerem "loucuras", por vezes inofensivas:

Como comprar lembranças, presentes, mimos para o ser amado, guardando-os numa gaveta, ou armazenar em pasta todos os contactos escritos dos encontros realizados, após o ser amado ter partido, mantendo viva a lembrança. o amor não termina quando o ser amado parte e nem tão pouco termina quando a distância física se interpõe. O amor só termina quando não é cuidado e renovado, quando é pautado numa ilusão e não na realidade.

Como dedicar todos os seus pensamentos ao ser amado, como se nada mais existisse na vida a não ser ele, ser amado e a mágica sintonia que os unem, que só o amor é capaz de oferecer.
Como travar diálogos, em pensamento, com o ser amado.


Como "sentir" o perfume / o cheiro do ser amado ou a sua proximidade, sem que este esteja presente fisicamente.
Como atingir o máximo do prazer apenas com a lembrança, a imaginação ou o pensamento no ser amado em qualquer lugar ou momento.

O amor não tem explicação lógica, vai mais além da beleza física, da aparência, ou da razão, simplesmente, sente-se.

Por vezes as pessoas são acometidas de "loucuras doentias" que as levam a tirar a vida do ser amado e a própria vida, ou cometerem crimes hediondos, bárbaros e chocantes em nome do amor, como o relato de um homem que esfaqueou a mulher que dizia amar, assistindo a sua agonia, não se comovendo com seu sofrimento e pedido de socorro, virando-lhe as costas, deixando-a morrer, sem dó nem piedade, isto jamais poderá ser considerado amor, não o amor com "A" maiúsculo, pois este não suporta ver ou sentir o sofrimento do ser amado.

Um texto de como o amor se tornou cego e a loucura sua companhia:
"Loucura resolveu convidar os amigos para tomarem um café em sua casa.Todos os convidados foram. Após tomarem o café a loucura propôs:
- Vamos brincar de esconde-esconde?
O que é isso? - perguntou a curiosidade. Esconde-esconde é uma brincadeira que eu conto até cem e vou procurar, o primeiro a ser encontrado será o próximo a contar. Todos aceitaram, menos o medo e a preguiça.
- 1,2,3..., a loucura começou a contar. A pressa escondeu-se primeiro, em qualquer lugar. A timidez, tímida como sempre escondeu-se na capa da árvore.
A alegria correu para o meio do jardim, já a tristeza começou a chorar pois não achava um local apropriado para se esconder. A inveja acompanhou o triunfo e escondeu-se perto dele, debaixo de uma pedra. A loucura continuava a contar e os seus amigos iam-se escondendo.
O desespero ficou desesperado ao ver a loucura que já estava no noventa e nove, cem... Gritou a loucura:- Vou começar a procurar.
O primeiro a aparecer foi a curiosidade já que não aguentava mais querendo saber quem seria o próximo a contar. Ao olhar para o lado a loucura viu a dúvida em cima do muro sem saber em qual dos lados se escondia melhor. E assim foram aparecendo, a alegria, a tristeza, a timidez ... Quando estavam todos reunidos a curiosidade perguntou: -Onde está o amor?
Ninguém o tinha visto. A loucura começou a procurar. Procurou em cima da montanha, nos rios, debaixo das pedras e nada do amor aparecer. Procurando por todos os lados a loucura viu uma roseira, pegou num pauzinho, começou a procurar entre os galhos, quando de repente ouviu um grito. Era o amor, gritando por ter furado o olho com o espinho. Loucura não sabia o que fazer. Pediu desculpas, implorou pelo perdão do amor e até prometeu servir-lo para sempre.
O amor aceitou as desculpas. Desde então e até hoje..... "o amor é cego e a loucura sempre o acompanha".
(Retirado de uma apresentação em Powerpoint, recebida por correio eletrônico, de autor desconhecido)

Nenhum comentário: