Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Evolução...resposta à pergunta: "como surgiu?"

Evolução, uma palavra que ficou martelando na cabeça, suscitando perguntas tolas, infantis, de como surgiu pela primeira vez:
1- A Palavra => De sons, espécies de grunhidos ou rugidos imperceptíveis até discursos inflamados percebidos por milhares de pessoas. Como surgiram
1- As letras?
2- O abecedário?
3- A palavra oral e escrita? Qual delas foi primeiro?
4- O primeiro dialeto?
5- Os diversos idiomas ou línguas faladas no mundo que conhecemos?
6- O ensino e a Educação formal?

2- A família => De um grupo de pessoas vivendo no mesmo espaço territorial até a formação de unidades familiares:
1- Como surgiu a designação: Marido, esposa, pai, mãe, filhos, irmãos tios, primos, sobrinhos, avós, bisavós ?
2- As regras de funcionamento?
3- Os princípios norteadores?
4- As tradições e a educação?

3- Uma Nação ou País => De um pedaço de chão (deserto arenoso, deserto rochoso floresta) habitados pelos seres vivos das mais variadas espécies) até a configuração territorial existente: Como surgiu:
1- A primeira organização territorial?
2- A escritura dos imóveis?
3- Os impostos?
3- A organização político-partidária?
4- Os Símbolos da Nação (Hino, Bandeira, Moeda, Selo)?
5- O poder?

4- A Economia => da troca de bens e a troca de bens por sal, até a compra e venda á dinheiro. Como surgiu:
1- A moeda de troca?
2- O dinheiro (moeda e notas) de cada nação?
3- O valor do dinheiro?
4- As promissórias?
5- O banco?
6- Os Cheques?
7- A criação do “Livro-Caixa”?

5- A faculdade => da preceptora que ia à casa ensinar as crianças até ao ensino universitário, da teoria a práctica profissional, como surgiu:
1- O professor?
2- A escola. O material escolar e didático?
3- A estrutura do ensino, académico, técnico e profissional?
4- A faculdade?
5- A Pós graduação?
6- A Universidade?
7- A Cátedra no ensino?



6- A Medicina => Dos bruxos e curandeiros ao médico especialista, como surgiu
1- O conhecimento das propriedades terapêuticas das ervas?
2- O estudo do corpo humano (anatomia macro e microscópica, fisiologia, patologia, semiologia e propedêutica médica, microbiologia?
3- O instrumental médico e cirúrgico?
4- O médico?
5- O ambulatório médico e o centro de saúde ou posto médico?
6- O hospital?
7. O ensino médico formal?
8- As especialidades?
9- Os fármacos?
10- A indústria farmacêutica?
11- O laboratório de análises clínicas?
12- A imagiologia?

13- A medicina holística/alternativa?


Puxa quanta pergunta! É melhor ficar por aqui, a lista de perguntas é interminável (faltam perguntas no campo do cinema, fotografia, arte de representar, jogos de salão ou de pavilhão e entertenimento, religião, Universo, exoterismo, paranormalidade, sobrenatural, forças ocultas, etc). E a resposta terá sempre a evolução no meio.

Talvez isso tudo seja um mecanismo de defesa, para não pensar na evolução pessoal, evitando haver decepção ou frustração, mas isso vai ficar para outro momento, estas globais já são complexas, embora possam ser consideradas pueris ou infantis, o que implicaria a realização de uma pesquisa exaustiva, que no momento está posta de parte, a pessoal implicaria o "vasculhar" da mente (e não apenas a memória) que por si só já é extremamente complexa, cheia de labirintos e terrenos pantanosos e o momento não é o mais propício para fazê-lo.

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Evolução ou adaptação ?

Darwin postulou sobre a seleção natural onde sobrevive os mais adaptados às condições do meio ambiente. Nos dias de hoje o consumo de químicos industrializados é a tônica da sociedade, os organismos têm que se adaptarem para procederem ao seu metabolismo. Seguindo a lógica de Darwin, então os organismos que têm mais contactos com químicos, são aqueles que melhores estariam adaptados ao meio e teriam maior chance de sobrevivência ou será ao contrário?

A alteração do funcionamento do organismo em face aos químicos ingeridos acaba tornando esse organismo evoluído ou um organismo adaptado? Ou será que neste caso evolução é sinônimo de adaptação?

Quem estará mais adaptado aquele que por tudo e por nada ingere um medicamento ou aquele que só o faz em último recurso, protelando ao máximo o seu uso? Que organismo estará mais preparado, aquele que ao menor sinal de dor toma um analgésico, ou aquele que dá condição do organismo de fabricar o seu analgésico interno e só mesmo quando este se torna incapaz ou ineficiente é que o ajuda ingerindo um analgésico? Será que no primeiro caso o alívio imediato do sofrimento não estará "cultivando" um sofrimento maior, porque terá necessidade de doses cada vez maiores de analgésico e mais potentes, porque o organismo vai se adaptando e aumentando a tolerância ou habituação ao fármaco, tornando-se um quimicodepentente?

A sensação é de que as pessoas estão cada vez mais doentes e consumindo mais e mais químicos, quer seja por auto medicação ou por prescrição médica, muitos deles "naturais", por exemplo as frutas são fontes de vitaminas e ricas em fibras, porém algumas pessoas vivem ingerindo suplemento vitamínicos vendidos nas farmácias ou nas hervanárias e/ou lojas de produtos naturais, mas não comem uma peça de fruta. Quantas pessoas trocam a água por sucos "naturais" industrializados, cheio de químicos, se bem que as águas estão recebendo aditivos para ter água com sabor a limão, abacaxi, ou com adição de substância supostamente rica em fibras para "manter a forma física" e com isso mais químico para dentro.

Por outro lado antes era do senso comum que as crianças quanto mais protegidas, mais alergias tinham e estavam sempre doentes, ao contrário daquelas menos protegidas que brincavam livremente, que corriam, saltavam, brincavam na terra, justamente porque aquelas não criavam as defesas necessárias, quando entravam em contacto com um agressor, por algum descuido, pela primeira vez, por mais ligeiro que fosse, geravam reações acentuadas, em comparação com estas que raramente adoeciam, pois o organismo delas estavam sujeitos as agressões do meio e por isso vão fabricando as defesas para se proteger.
Tudo isto acaba sendo um paradoxo. Este caminho não conduzirá a uma involução do Homem ao invés da sua evolução?

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Vida após o Crepúsculo da Vida!

Alguns livros tratam de temas tão interessantes que nos deixam fascinadamente envolvidos, o mais recente livro que li “A luz do além” de Raymond A. Moody, Jr. E Paul Perry é um desses, trata de um tema muito polémico, controverso e contraditório, a morte, ou melhor as experiências daqueles que cruzaram a fronteira Vida/Morte, mas que regressaram à vida, porque ainda não era chegada a sua hora de partir. Esses que experimentam a chamada EQM (experiência quase morte) revelam pontos em comum, como o vislumbre de uma escuridão com a luz ao fundo e muitos se sentem tão bem que não gostariam de regressar ou sair do próprio corpo e observar do teto o que se passa em torno do corpo. Por coincidência durante o tempo em que estava lendo o livro foi passado num canal televisivo o filme “Espírito do Amor” em que o personagem morre assassinado e tenta proteger a mulher que ama, através de uma médium que inicialmente desconhecia ser médium, no fim vê-se uma luz ao fundo, o próprio personagem fica revestido de luz e afirma “o amor que vivemos dentro de nós nos acompanha sempre”.
Esse tema é fascinante, mas gera muita polémica em cima, por um lado a ciência racional como é precisa reproduzir o fenómeno para poder provar a sua existência cientificamente, mas como provar esse fenómeno, que instrumentos poderiam ser utilizados para captar e mensurar tal fenômeno? Talvez se inventasse uma câmara fotográfica que pudesse ser introduzida no cérebro da pessoa para registrar tudo que se passa com a mente. Se isso fosse viável aonde seria colocada? Em que parte do cérebro ocorreria tais fenómenos?
Outras perguntas surgem: Qual é a finalidade de se reproduzir esse fenómeno? Ou de se provar cientificamente a sua existência? Seria em última instância provar cientificamente a existência de Deus? Se fosse conseguido provar e reproduzir tais fenómenos, o Homem não acabaria por transformá-lo numa poderosa e potente arma para utilizar contra o próprio Homem, pondo em risco toda a Humanidade?
Mais questionamentos: Provar, conhecer o mecanismo originador da experiência quase morte e reproduzi-lo, não representará um grande salto na evolução da Humanidade? Não representará um avanço na escala evolutiva “dos corpos do Homem”, ultrapassando o 5º Corpo, como é descrito por alguns como sendo o nível que conseguimos atingir voluntariamente?
Estes questionamentos reportam aos outros questionamentos outrora feitos sobre a consciência, o estado modificado da consciência, para as quais ainda não consegui respostas, associando-se a outro particularmente inquietante para mim, supondo que as experiências quase morte, sejam um vislumbre do que acontecerá quando o crepúsculo chegar pondo fim a existência terrena na dimensão física e terem em comum o fato de serem positivas, promotoras de paz interior, alívio do sofrimento, então porque o último olhar de minha mãe foi de pavor, terror e não de serenidade?

No momento só interrogações talvez no amanhã as respostas surjam.


terça-feira, 15 de junho de 2010

A felicidade é uma caixinha!

Hoje estou feliz, apesar de fisicamente abalada por uma terrível e irritante dor de cabeça, mas que por breves instantes deu uma trégua, (assim que o coração foi inundado pela energia maravilhosa contida no mail enviado por um amigo querido) motivo pelo qual aproveito para transcrever esta mensagem recebida do portal do Padre Marcelo Rossi, que vem de encontro a um post colocado no blog "Linha de Consciência" e ao comentário nele deixado e que nos deve fazer repensar na nossa "caixinha da felicidade"
Felicidade é uma caixinha
A Felicidade é uma caixinha pequena, que insistimos em guardar escondida, para um dia podermos usá-la.Todos os dias acordamos pertinho dessa caixa, mas com nossos sonhos mais loucos vamos guardando-a caixinha nos lugares mais altos, cada vez mais longe de nossas mãos. Algumas pessoas andam com essa caixinha nas mãos diariamente e quando encontram o primeiro obstáculo amassam a caixinha com reclamações e choro de quem nem ao menos tentou lutar.
Outras pessoas carregam a caixinha da felicidade na bolsa, usam como arma.Na empresa, na escola e na rua com os amigos, descarregam a caixinha mostrando seu melhor sorriso, mas quando chegam em casa, na hora do convívio com a família, guardam a caixinha e fecham à cara, o mau-humor é a sua marca registrada em casa.
Existem pessoas que carregam a caixinha de felicidade e nem sabem que a possuem, são os verdadeiros amigos,a pessoa amada, filhos, ou o emprego que elas não se cansam de reclamar. Só percebem que possuíam a caixinha da felicidade quando a perdem, quando conseguem afastar todos de sua vida porque passaram o tempo todo correndo atrás do "ouro dos tolos".
E tem aqueles que buscam encher a sua caixinha com um monte de tranqueiras numa corrida desesperada para encontrarem algum bem material, a sua paz.Essas pessoas colocam na caixinha carros de luxo, apartamentos que nunca vão utilizar por completo, casas e mais casas que nunca vão morar, bebidas caríssimas, roupas que valem 500 cestas básicas, anéis e colares que nem cabem na caixinha. Acabam indo para o "caixão" sem poder levar nada de bom, nada de eterno...
E você? Onde você guarda a sua caixinha da felicidade?
Ela anda sempre com você, ou você a coloca sempre nos lugares mais distantes?

terça-feira, 8 de junho de 2010

Deus Pode... mas preferiu contar com você!

Uma verdade para quem é cristão: Deus é onipotente, mas em seu infinito amor fez o Homem a sua semelhança, logo deu-lhe poder em forma de dons. Transcrevo uma mensagem que recebi no correio eletrônico que ressalta exatamente isso:



"Só Deus pode criar
Mas você pode valorizar o que Ele criou

Só Deus pode dar a vida
Mas você pode transmiti-la e respeitá-la

Só Deus pode dar a fé
Mas você pode dar o seu testemunho

Só Deus pode dar a paz
Mas você pode semear a união

Só Deus pode dar a força
Mas você pode apoiar quem desanimou

Só Deus pode infundir esperança
Mas você pode restituir a confiança ao irmão

Só Deus pode dar o amor
Mas você pode ensinar seu irmão a amar

Só Deus pode dar a alegria
Mas você pode sorrir a todos

Só Deus é o caminho
Mas você pode indicá-lo aos outros

Só Deus é a luz
Mas você pode fazê-la brilhar

Só Deus é a vida
Mas você pode dar aos outros a alegria de viver

Só Deus pode fazer o impossível
Mas você sempre poderá fazer o que é possível

Só Deus pode fazer milagres
Mas você pode fazer sacrifício

Só Deus pode fazer a semente do bem germinar
Mas você pode plantá-la no coração humano

Só Deus se basta a Si mesmo
Mas Ele preferiu contar com você, comigo, conosco!"



Será que Deus pode contar comigo? Será que eu estou de costas voltadas ao invés de estar vigilante para perceber quando Ele está precisando mim, dos meus olhos, das minhas mãos, dos meus ouvidos? Ou será que eu estou tão ocupado comigo mesmo que não noto quando Ele está a espera de mim para realizar a sua obra? Parando um pouco para refletir nessas perguntas, eis que de repente uma revelação pouco confortável, surge: Quero Deus sempre pronto para me atender, mas passo praticamente o tempo todo indisponível para Ele, ocupada comigo, com os meus problemas, medos, angústias, preocupações, fazendo queixas, cobranças, lamúrias, pedidos, falando com Ele, mas não O ouvindo. Acusando-O dos meus fracassos, erros, das decisões erradas que eu tomei, mesmo que conscientemente não formule uma acusação direta.

sábado, 5 de junho de 2010

Reflexões de Carlin para refletir

Na sequência da verdade, transcrevo um texto de George Carlin, que acabei de receber de um amigo e que partilho para reflexão sobre a verdade lançada por ele, nesta "reflexões",:
"Nós bebemos demais, gastamos sem critérios.
Dirigimos rápido demais, ficamos acordados até muito mais tarde, acordamos muito cansados, lemos muito pouco, assistimos TV demais e raramente estamos com Deus.
Multiplicamos nossos bens, mas reduzimos nossos valores.
Nós falamos demais, amamos raramente, odiamos freqüentemente. Aprendemos a sobreviver, mas não a viver; adicionamos anos à nossa vida e não vida aos nossos anos.
Fomos e voltamos à Lua, mas temos dificuldade em cruzar a rua e encontrar um novo vizinho. Conquistamos o espaço, mas não o nosso próprio.
Fizemos muitas coisas maiores, mas pouquíssimas melhores.
Limpamos o ar, mas poluímos a alma; dominamos o átomo, mas não nosso preconceito; escrevemos mais, mas aprendemos menos; planejamos mais, mas realizamos menos.
Aprendemos a nos apressar e não, a esperar.
Construímos mais computadores para armazenar mais informação, produzir mais cópias do que nunca, mas nos comunicamos cada vez menos.
Estamos na era do 'fast-food' e da digestão lenta; do homem grande, de caráter pequeno; lucros acentuados e relações vazias. Essa é a era de dois empregos, vários divórcios, casas chiques e lares despedaçados. Essa é a era das viagens rápidas, fraldas e moral descartáveis, das rapidinhas, dos cérebros ocos e das pílulas 'mágicas'.
Um momento de muita coisa na vitrine e muito pouco na dispensa.
Uma era que leva essa carta a você, e uma era que te permite dividir essa reflexão ou simplesmente clicar 'delete'.
Lembre-se de passar tempo com as pessoas que ama, pois elas não estarão aqui para sempre. Lembre-se dar um abraço carinhoso em seus pais, num amigo, pois não lhe custa um centavo sequer.
Lembre-se de dizer 'eu te amo' às pessoas que ama, mas, em primeiro lugar, se ame...se ame muito.
Um beijo e um abraço curam a dor, quando vêm de lá de dentro. Por isso, valorize sua família e as pessoas que estão ao seu lado, sempre.!!! "
Há um dado curioso a ressaltar, ele usa a expressão "...raramente estamos com Deus..." que contrasta com a irreverência e provocação do título do seu livro "Quando é que Jesus traz as costeletas" (como ele próprio afirma a respeito do título:"Porque consegue ofender ao mesmo tempo cristãos, muçulmanos, judeus e vegetarianos") e do seu texto "A Religião convenceu as pessoas de que existe um homem invisível a viver no Céu, que observa tudo o que fazemos durante cada minuto de cada dia. E o homem invisível tem uma lista de dez coisas específicas que não quer que vocês façam. E se fizerem as coisas que o homem invisível não quer que façam, ele envia-vos para um sítio especial de fogo e fumo e tortura e angústia e grito e sofrimento para todo o sempre e até ao fim dos tempos. Mas ele ama-vos. Ele ama-vos e precisa do vosso dinheiro". George Carlin

Se Carlin quis ofender a todas as religiões provavelmente ele não teria nenhuma religião, mas ao mesmo tempo demonstra crer em Deus, então de onde virá essa crença?

Oração pelo amigo

glitters

Recebi esta mensagem linda de uma amiga, através do site "Sorria,com.br" que partilho com você:

Você está recebendo uma mensagem da Sorria.com.br Olá Ceu, Marilza visitou nosso site e lembrou de você ! clique aqui para ver sua mensagem http://www.sorria.com.br/mensagem/4/como-deus-criou-o-amigo-(a).html

Como Deus criou o amigo (a)
Deus na sua extrema sabedoria observando o homem,percebeu que ele além da esposa,dos pais e dos filhos precisava de mais alguém para completar a sua felicidadee então Ele resolveu criar alguém muito especial.E para isso Ele resolveu juntar algumas boas qualidades para formar esta pessoa muito especial.

Ele juntou a paciência,a compreensão,o carinho,e o amor que são típicos da mãe.

Colocou um pouco de determinação,de força,de decisão,tirados do pai.

E percebendo que ainda faltava alguma coisa, misturou a tudo issoa pureza, a espontaneidade, a alegria, a irreverênciae a sinceridade das crianças.

P ara dar o retoque final Ele acrescentou a paciência e a moderação dos avós.

Disso tudo surgiu um alguém muito especial, importante e fundamental na vida de todos nós.

E de toda essa mistura de boas qualidadese de tudo que é bom, surgiu você meu querido amigo(a).
Depois de ler a mensagem no mesmo site pode ser encontrada esta oração, uma adapatação da Oração de são Francisco de Assis, que transcrevo:



Oração ao Amigo
Pai Eu lhe peço que abençoe meu amigo que estiver lendo esta mensagem. Faça-lhe uma nova revelação de Seu amor e poder.

Espírito Santo, peço-Lhe que ministre o espírito dele neste momento.

Onde houver dor, conceda-lhe Sua paz e misericórdia.

Onde houver dúvida, renove-lhe a confiança na Sua capacidade de operar através dele. Onde houver cansaço ou exaustão, peço-lhe que lhe dê compreensão, paciência e força enquanto aprende a se submeter a Sua direção.

Onde houver estagnação espiritual, peço-lhe que o renove revelando Sua proximidade e atraindo-o para maior intimidade com o Senhor.

Onde houver medo, revele Seu amor e incuta-lhe Sua coragem.

Onde houver o obstáculo de algum pecado, revele-o e quebre o poder que estiver exercendo sobre a vida dele.

Abençoe suas finanças, conceda-lhe maior visão, levante líderes e amigos para dar-lhe apoio e encoraje-o.

Dê a ele discernimento para reconhecer as forças negativas que o rodeiam e revele o poder que tem no Senhor para derrotá-las. Obrigado meu Pai...

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Missão do Homem na Terra

Todos vêm ao mundo, nesta dimensão terrena, com uma missão: Amar, servir, pregar, ensinar, curar, libertar, esta é a missão confiada por Deus a todos nós seus seguidores.
Além dessa missão global existe uma missão individual, que é própria de cada um, é a razão da nossa existência na Terra. Alguns conseguem intuir qual seja, outros só descobrem quando estão próximos do crepúsculo da vida, outros cumprem-na sem dela ter consciência e muitos outros não aceitam-na.

Como saber se estamos no caminho certo de cumprir a nossa missão terrena? Através do cumprimento da missão global, da observação dos mandamentos da Lei de Deus, se assim fizermos conseguiremos avaliar se estamos no caminho certo para cumprirmos a nossa missão terrena.

Devemos ter o cuidado de perceber que nem sempre o caminho que escolhemos é o caminho que deveríamos tomar, pode ser o correto para as nossas aspirações, mas estas podem não estarem relacionadas com a nossa missão determinada por Deus e por isso muitas vezes “damos murro em ponta de faca” ou “quebramos a cabeça” justamente por estarmos fora do caminho que conduzirá a realização da nossa missão na Terra.