Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Conto de fadas e a fantasia...formas de viver a realidade

Um prazer, mesmo que fugaz pode ser reconfortante, principalmente quando está rodeado de magia que nos deixa sem perceber se foi uma fantasia, um conto de Fadas ou um sonho, para tentar entender, nada como um passeio pelo Jardim Internet:

Um conto de fadas é um sonho em forma de realidade, e a fantasia é a realidade em forma de sonho. Colocando de outra maneira, um sonho é a independência da possessão inflexível de uma visão de mundo. Um sonho é como se perder em um labirinto, com a decisão de nunca voltar. Edogawa Ranpo, Izumi Kyouka, Kafka, Delvaux, Bellmer, Ooshima Yumiko... todos esses, todos esses escritores que escolheram viver na fantasia, que não poderiam definir conto de fadas. Se nós traduzirmos fantasia como "ilusão", então conto de fadas também pode permitir-se traduzir como "ilusão"? O trabalho de Ooshima Yumiko, "Plenata de Algodão" (Wata no Kuniboshi), sobre chibineko (gatos minúsculos) que reconstruíram o mundo em um simples relance, é o que o shoujo mangá se tornou. No instante em que um sistema para contos de fadas foi escrito, isso leva ao fundamento de "Um estranho conto da ilha Panorama" de Edogawa Ranpo, sobre uma utopia escondida de grande vontade. Por causa da poesia, o mundo todo havia feito uma transição através de uma estética chamativa. O conto de fadas contido no gato protagonista de Ooshima tinha igual habilidade, mas em um estilo diferente, o que eu penso que seja uma mistura de fantasia já estabelecida sem a mesma qualificação. Hello Kitty e Miffy podem se tornar tanto conto de fadas quanto fantasia. A escolha é sua. Mas se você achar Hello Kitty insanamente linda, e apesar da técnica manufaturada áspera, no estilo Andy Warhol, você ainda grita "kawaii", então Hello Kitty provavelmente se tornou sua fantasia. Quanto a mim, eu acho que as bonecas Rika são adoráveis, eu acho que as bonecas de Yotsuya Simon são adoráveis, eu acho as ilustrações de Tenniel de Alice no País das Maravilhas adoráveis, e eu também acho que as fotografias de cadáveres de Joel Peter Witkin são adoráveis. Quando uma jovem segue alguém no suicídio por sua própria vontade, parece um sonho. Mas ela não pode acordar duas vezes, essa donzela em florescência que chegou ao fim.Original: Novala Takemoto em "Soleilnuit"http://victoriasdolls.multiply.com/journal/item/65/65
E se pensarmos no mundo da ficção científica, este será uma fantasia, um sonho ou um Conto de Fadas? Talvez seja uma mistura dos 3 reunidas num só espaço, para mim a ficção científica de hoje será a realidade de amanhã, portanto partiu de uma fantasia baseado num Conto de Fadas que um dia alguém sonhou e que no futuro alguém concretizará. Como um ensaio ou uma antevisão do futuro.

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Pequenos milagres...Pétalas de ternura colhida no Jardim Internet

Pequenos milagres...Pétalas de ternura colhida no Jardim Internet (recebido por correio eletrônico, sem assinatura do "jardineiro"):
Nós nem percebemos, mas pequenos milagres acontecem a toda hora. O estímulo de uma palavra amiga, a cumplicidade de um sorriso, a sutileza de um gesto... Essas são pequenas coisas que podem mudar o nosso dia e a nossa vida. E sem sentir, a gente também acaba fazendo milagres por aí também.
Sabe aquele conselho, aquele toque no amigo que precisa de ajuda? Pois é, parece bobagem, mas a gente pode transformar o humor de alguém com um simples carinho. E quantas vezes nós mesmos não experimentamos pequenos milagres? O elogio inesperado de um colega no trabalho. O telefonema do filho que está longe. O resultado feliz de um exame de saúde. O doce bom na sobremesa. A folga para ir à praia. O caminho sem engarrafamento.
Pequenos milagres são porções de alegria que a gente vai ganhando ou doando todos os dias. São pedacinhos de cor que enfeitam a alma. São trechos de música que acalmam o coração.
Por menores que sejam os resultados, por mais anônimos que sejam os sucessos... Os pequenos milagres existem e precisam acontecer.

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Ramo 152-Fantasia

Duas frases surgem no horizonte no dia em que começou com a fantasia trazida à bordo do"Samba do Avião":"Um sonho morre para que a realidade possa nascer"- (personagem Victor Valentin na novela Ti-Ti-Ti)

"Conhecimento real é saber a extensão da própria ignorância”(Confúcio) esta última fez com que medisse a extensão da minha própria ignorância em relação a fantasia, logo fez surgir a necessidade de torná-la menos extensa, principalmente na vertente relacional, encontrando num dos ramos da frondosa árvore Internet:
De acordo com vários teóricos, existem pelo menos três significados distintos para o termo fantasia: sonho, imaginação e devaneio. Em se tratando de sexo, toda fantasia é uma espécie de devaneio. Em muitos casos observamos que o baixo desejo sexual pode ser decorrente de pouca ou de nenhuma fantasia sexual em nossas vidas. A terapia com enfoque na sexualidade ajuda a incentivar o desenvolvimento das possibilidades de criar, de imaginar e de brincar sobre situações prazerosas com liberdade e segurança. Fantasiar sobre sexo nada mais é do que um recurso natural para alcançar o prazer sexual combinando, corpo, mente e sentimentos. Não podemos separar o corpo da mente, então podemos dizer que toda fantasia sexual é considerada uma reação psicossomática. Mas, afinal de contas, qual é o sentido das fantasias sexuais? A fantasia sexual possui vários objetivos distintos: Aumentar o prazer da atividade sexual; Funcionar como substituto da experiência real (muitas vezes inacessível); Induzir à excitação ou ao orgasmo; Funcionar como 'ensaio mental' para experiências sexuais posteriores; Fornecer um meio seguro e controlado de experimentar o sexo sem culpa ou constrangimentos. As fantasias sexuais mexem com inúmeros sentidos. Não sendo apenas um dos caminho para encontrar o prazer, as fantasias estimulam todos os sentidos, da visão ao olfacto, provocando sensações eloquentes. Essas sensações podem ser originárias ou consequência de medo, mistério ou prazer para quem as experimenta. O problema é que muitas pessoas continuam ainda a retraí-las e a guardá-las para si, com receio de serem mal interpretadas pelo seu companheiro ou por outras pessoas a quem as divulguem.
Ao analisarmos bem a situação, reparamos que as fantasias não fazem apenas parte do mundo do sexo. Desde que somos pequenos que vivemos rodeados de fantasias, quer seja em histórias que nos contam, livros que lemos, ou mesmo em personagens que encarnamos em determinadas situações, como é o caso do Carnaval. Tudo é fantasia, e tudo tem uma função estimuladora para a nossa existência e prazer pessoal. A única diferença é que na altura dessas histórias infantis estamos na idade da inocência, e agora estamos na idade adulta.
Quer seja para se fugir de uma realidade, quer seja para nos sentirmos por momentos ‘aquela’ pessoa, o ser humano tem necessidade de fantasiar personagens e situações distintas. Lógico que das fantasias de infância às da idade adulta vai uma grande diferença, até porque o próprio conteúdo do momento é totalmente diferente e os objectivos são também eles distintos. Uma fantasia, seja ela de que âmbito for, implica sempre um jogo, um faz de conta, através do qual nos divertimos. Portanto, porque não usá-las também no sexo?
(Kátia Horpaczky)

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Ramo 151- As 2 forças do Ser Humano:Masculina e Feminina

A frondosa árvore Internet possui ramificações interessantes interligadas, complementares como é o caso das emoções geradas pela "magia sexual":

Àquele que ama, tudo é permitido, diz Santo Agostinho.
A sexualidade, na ótica multidimensional, representa a força motriz que encadeia o desenvolvimento do ser. Desde suas origens, o ser humano possui as duas forças: a masculina e a feminina, uma traduzindo os impulsos de domínio, força e gerenciamento da razão nas ações de aprendizado e experimentação, enquanto a outra amplia no ser a noção de afetividade, doçura, encantamento e receptividade. Quando estas forças estiverem integralizadas, se manifestando de maneira equilibrada no ser, esta criatura terá ultrapassado os limites da reencarnação, não necessitando mais de entrar no mundo corpóreo, podendo existir tão somente nas regiões etéreas.

Os angélicos caminhos do amor puro se iniciam nas ações do sexo primitivo, desde a aglutinação dos cristais, passando pela polinização nas plantas, no domínio da cópula voraz dos animais.Na verdade, a sexualidade não está nos órgãos nem no corpo, mas na alma, como força motriz da criatividade divina de que todo ser é dotado pelo Criador. E ela transcende os umbrais da morte física, manifestando-se no espaço extrafísico.

Ranieri, no livro O Sexo Além da Morte, descreve cenas e seres dantescos, cuja manifestação sexual beira as raias da animalidade mórbida, enquanto a exuberante pena mágica de Chico Xavier, manejada mentalmente por Emmanuel, nos premia com cenas de pura afeição e de entrega absoluta na obra Renuncia, onde Alcione é o anjo que incendeia o peito oprimido de um sacerdote, adestrando-o na Arte de Amar. Sob o ponto de vista energético, podemos dizer que os relacionamentos resultam em interações de corpo vital, etérico e astral. Quando dois seres interagem sexualmente, por algum tempo há uma intercessão entre os corpos de ambos, estabelecendo laços que não são rompidos com facilidade, permeando as ações dos dois até que dissolvam todos os pontos de identificação. Há relacionamentos em que a ligação dos corpos vitais é tanta que ao deixar o corpo um dos companheiros, o outro se desvitaliza, permanecendo descompensado por um período. Esse processo pode criar obstáculo em novos relacionamentos. Há casos em que a relação permaneceu apenas no corpo vital, sem qualidade espiritual, não atingindo os níveis etéreos e astrais, o que pode causar situações adversas. Uma delas, é que descompensada, a criatura transcende a dimensão física, buscando através do sonho ou de devaneios, relacionar-se com aquele que se foi para a outra vida. Este tipo de busca pode enquadrar as duas criaturas no universo perigoso dos íncubos e súcubos, onde seres de pouca moralidade se satisfazem sexualmente, imiscuindo-se no universo dos que habitam a Terra para sugar suas energias. No entanto, se na relação predominou a interação dos corpos etéreos e astrais, com os sentimentos monitorando o interesse físico, então o padrão energético será superior, facilitando o desligamento quando ocorrer a morte de um deles. (Wilson Francisco) http://somostodosum.ig.com.br/conteudo/conteudo.asp?id=04628

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Ramo 150- Magia do sexo

Dia de céu cinzento de um lado, clareiras de céu claro com nuvens brancas e raio de sol, chegando a formar 2 lindos corações em momentos diferentes; Ao meio da manhã granizo, alternando com chuva; Uma tarde gelada, vento forte chuva, granizo (14:30_14:50) alternando com clareiras de céu azul e sol (15 hs), prenúncio de uma madrugada quente de emoções e sensações que envolve a magia do amor na vertente Eros. Disso resulta num aprofundar no tema há muito conhecido no oriente, a magia sexual ou Tantra:


A Magia Sexual, conhecida no Oriente como Tantra, é a prática ritualística desenvolvida através das energias canalizadas do corpo físico, da mente e do espírito humano. O ato de criar outras vidas através de relações sexuais e instituir uma força, ou um vínculo energético entre as pessoas envolvidas, é visto como místico e sagrado.
Como outras modalidades de Magia, a Magia Sexual também é um recurso usado como fonte do poder que fortalece as cerimônias ritualísticas e para obter o auto-conhecimento através da exploração do próprio corpo, psique e alma. A Magia Sexual é uma das faces mais importantes da Magia moderna.

Segundo afirmam:

Existem dois canais de energia no corpo humano que estão associados ao sistema nervoso central e à medula espinhal, conhecidos no Ocidente como Lunar e Solar ou Feminina e Masculina (receptiva/negativa e ativa/positiva). Geralmente, entre os não-praticantes da Magia Sexual, apenas uma das correntes de energia está aberta e fluindo. Entre as mulheres, apenas a corrente lunar flui desimpedida. Entre os homens, apenas o canal solar está realmente livre. No caso dos homossexuais, essa situação está invertida. Em todas as situações, este fato causa um desequilíbrio e influencia negativamente várias esferas da vida humana.
Portanto, segundo este raciocínio, o estado sexual natural é a bissexualidade, em que ambas as correntes fluem juntas em harmonia.
A alma que habita o corpo físico não é masculina nem feminina. Desse modo, o sexo é meramente uma circunstância física. O fluxo harmonioso das correntes no corpo é simbolizado pelo antigo símbolo do Caduceu.
http://www.spectrumgothic.com.br/ocultismo/magia/magia_sexual.htm


Segundo alguns: Sexo é energia criativa

Infelizmente, a maioria dos seres humanos tem uma relação de amor e ódio com o sexo, que é reflectida de muitas maneiras. Ex.: promiscuidade, perversões auto-destrutivas, intolerância religiosa, negações, abusos, estupro, etc...
Religiões têm feito muito para suprimir nossa natureza sexual, e têm mantido as pessoas ignorantes em relação ao uso desta nossa energia divina. A magia é, segundo Novalin, a arte de influir, conscientemente, sobre o mundo interior. Escrito está, com carvões acesos, no livro extraordinário da vida, que o amor entre varão e fêmea opera magicamente. Hermes Trimegisto, o três vezes grande Deus Íbis de Thot, disse em sua Tábua Esmeraldina: "Dou-te o amor, no qual está contido todo o summum da Sabedoria."Todos temos algo de forças elétricas e magnéticas em nós e exercemos, como um magneto, uma força de atração e repulsão... Entre os amantes é especialmente poderosa essa força magnética e sua ação chega muito longe.
A Magia Sexual (Sahaja Maithuna), entre marido e mulher, fundamenta-se nas propriedades polares que, certamente, têm seu elemento potencial no sexo. Não são hormônios ou vitaminas patenteadas que se necessita para a vida, senão autênticos sentimentos de tu e eu e, portanto, o intercâmbio das mais seletas faculdades afetivas, eróticas entre o homem e a mulher. A ascética medieval da fenecida Idade de Peixes rechaça o sexo, qualificando-o como tabu, ou pecado.A nova ascética revolucionária de Aquário se fundamenta no sexo; é claro que nos mistérios do Lingam-Yoni se acha a chave de todo o poder. Da mescla inteligente da ânsia sexual com o entusiasmo espiritual, surge, por encanto, a Consciência Mágica.
Continuando no tema uma passagem pelo "Cristo Cósmico"

Cristo no evangelho de Krishna é muito semelhante ao de Jesus de Nazaré. Entre os Egípcios, Cristo é Osiris e todo aquele que O encarnava era de fato um Osirificado. Entre os Chineses é Fu-Hi, o Cristo Cósmico, que compôs o "I-King/Ching", livro das leis, e nomeou Ministros Dragões. Entre os Gregos. o Cristo chamava-se Zeus, O Pai dos Deuses. Assim, poderiamos citar o Cristo Cósmico em milhares de livros arcaicos e velhas tradições que vêm de milhões de anos antes de Jesus. Tudo isso convida-nos a aceitar que Cristo é um Princípio Cósmico contido nos princípios substanciais de todas as Religiões.Todo pecado será perdoado, menos o pecado contra o Espírito Santo. A força sexual é a energia criadora do Terceiro Logos. O Terceiro Logos é o Espírito Santo. O Terceiro Logos irradia sua energia no vórtice fundamental de toda nebulosa, no centro do Átomo Ultérrimo e em tudo aquilo que vem à vida. No ser humano, a energia do Terceiro Logos é o poder criador do sexo.
Um grande filósofo, disse: "Se as autênticas forças procriadoras, as anímicas e espirituais, se acham situadas no fundo da nossa Consciência, encontramos, precisamente no simpaticus, com sua rede irradiadora de sensíveis malhas de gânglios, o mediador e condutor à realidade interior que não só influi sobre os órgãos da Alma, senão que, também, governa, dirige e controla os centros mais importantes no interior do corpo; guia, de maneira igualmente misteriosa, a maravilhosa percepção até o nascimento do novo ser, assim como os fenômenos do coração, rins, glândulas supra-renais, glândulas geradoras, etc.""Em troca de toda a sensibilidade e espiritualidade da vida ritmada, ele intenta, como autêntico 'spiritus creator' do corpo e mediante a direção da corrente molecular e a cristalização de raios cósmicos, balancear, no ritmo do universo, todos os elementos psíquicos e físico que lhe estão subordinados.""Este nervus simpaticus é, em realidade, também um nervus ideoplasticus; deve ser compreendido como mediador entre nossa vida institiva inconsciente e a moderação da viva imagem impressa em nosso espírito desde eternidades; é o grande equilibrador médio que pode apaziguar e reconciliar a perpétua polaridade, as alvuras e crepúsculos do sol da alma, as manifestações de negro e branco, amor e ódio, Deus e diabo, exaltação e descenso."

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Pai-Nosso...numa versão contemporânea!

No campo fértil da Internet foi cultivado esta versão do Pai Nosso que chegou no correio eletrônico no formato PPT:
Pai Nosso que estais no céu, na terra, em todos os mundos espirituais. Santificado e Bendito seja sempre o Vosso Nome, mesmo quando a dor e a desilusão ferirem nosso coração. Bendito Sejas.
O pão nosso de cada dia, dai-nos hoje. Pai, dai-nos o pão que revigora as forças físicas, mas dai-nos também o pão para o espírito.
Perdoai as nossas ofensas, mas ensinai-nos antes a merecer o Vosso perdão, perdoando aqueles que tripudiam sobre nossas dores,
espezinham nossos corações e destroem nossas ilusões.
Que possamos perdoá-los, não com os lábios e sim com o coração.
Afastai de nosso caminho todo sentimento contrário a caridade..
Que este Pai Nosso seja dadivoso para todos aqueles que sofrem como
espíritos encarnados ou desencarnados.
Que uma partícula deste Pai Nosso vá até os cárceres onde alguns sofrem merecidamente,
mas outros pelo erro judiciário.
Que vá até os hospícios iluminando os cérebros conturbados
que ali se encontram.
Que vá até os hospitais, onde muitos choram e sofrem sem o consolo da palavra amiga.
Que vá a todos aqueles que neste momento transpõem o pórtico da vida terrena para a espiritual, para que tenham um guia e o Vosso perdão.
Que este Pai Nosso vá até os lupanaranes e erga as pobres e infelizes criaturas que para ali foram tangidas pela fome, dando-lhes apoio e fé.
Que vá até o seio da Terra onde o mineiro está exposto ao fogo do grizu e que ele, findo o dia, possa voltar ao seio de sua família.
Que este Pai Nosso vá até os dirigentes das nações para que evitem a guerra e cultivem a paz.
Tende piedade dos órfãos e viúvas. Daqueles que até esta hora não tiveram uma côdea de pão Tende compaixão dos navegadores dos ares. Dos que lutam com os vendavais no meio do mar bravio.
Tende piedade da mulher que abre os olhos do ser à vida.
E que a Paz e a Harmonia do Bem fiquem entre nós e estejam com todos.
Assim seja.
“ Que todos os seres deste mundo sejam felizes ”
Autoria: “ Um Ser de Luz ”
Diante de tão maravilhosa oração só resta dizer:
Amém!

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Ramo 149 ...Elixir do amor

Da frondosa árvore Internet um título despertou logo o interesse em aprofundar:



Neurocientistas tentam desenvolver elixir do amor


Os investigadores comprovaram que a ligação entre os seres humanos resulta basicamente de uma descarga de oxitocina. Esta substância favorece os comportamentos maternais, mas precisa de outro neurotransmissor, a dopamina, da qual resulta a recompensa e a motivação de determinado comportamento.

Os cientistas observaram que algumas regiões do cérebro relacionadas com a dopamina se ativam quando alguém vê a imagem do parceiro.

Os cientistas comprovaram também que uma mutação do gene faz variar a qualidade das relações amorosas. Segundo as conclusões do estudo, os homens portadores dessa variante têm o dobro das probabilidades de ficar solteiros e, quando se casam, de terem rapidamente uma crise conjugal.

Por ajudar a compreender os mecanismos genéticos do amor, este trabalho abre a possibilidade de medicamentos capazes de provocar sentimentos de amor ou desamor, tornando menos fictício o conceito de um “elixir do amor”, pronto a desatar paixões em corações desavisados.


Interessante pensar que possa existir um "Elixir do Amor", assim o amor seria difundido e todos poderiam ter o privilégio de viver a plenitude do amor, mas isso poderá acabar com todo o romantismo e naturalidade do Amor Eros, se comercializado tenderá a ser artificial, provocando alteração justamente na química nele existente que o mantém envolto em magia e mistério

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Sabias que...

A árvore Internet é ampla, a frondosa árvore do conhecimento e da informação tem imensa ramificação, alguns florescem e frutificam outros nem por isso, aqui está um ramo enviado pelo correio eletrônico para que possa ser colhido, interiorizado e multiplicado pelo mundo:

Sabias que...

Sabias que quando invejas alguém, é porque na verdade gostas dessa pessoa?

Sabias que aqueles que parecem ter um coração muito forte, são na verdade fracos e mais susceptíveis?

Sabias que aqueles que passam o seu tempo protegendo os outros são aqueles que na verdade precisam que alguém os proteja a eles?

Sabias que as três coisas mais difíceis de dizer são: Amo-te,desculpa e ajuda-me?
As pessoas que dizem isto realmente sentem necessidade disto ou sentem-no, e são aqueles que realmente precisas de valorizar, porque o disseram.

Sabias que aquelas pessoas que se ocupam servindo de companhia para alguém ou ajudando os outros, são aqueles que realmente precisam de companhia e ajuda?

Sabias que aqueles que se vestem de vermelho são os que têm mais confiança em si próprios?

Sabias que aqueles que se vestem de amarelo são aqueles que apreciam a sua própria beleza?

Sabias que aqueles que se vestem de preto, são aqueles que querem passar despercebidos e precisam da tua ajuda e compreensão?
Sabias que quando ajudas alguém, que a ajuda retorna a ti a duplicar?

Sabias que aqueles que necessitam mais da tua ajuda são aqueles que menos o mencionam?

Sabias que é mais fácil dizeres o que sentes escrevendo do que dizê-lo cara a cara? Mas sabias que tem mais valor quando o dizes na cara?

Sabias que o mais difícil para ti de fazeres ou dizeres é mais valioso de que algo que vale muito dinheiro?

Sabias que se pedires algo com muita fé, os teus desejos estão garantidos?

Sabias que podes tornar os teus sonhos realidade, tal comoapaixonares-te, tornares-te rico, saudável, se o pedires com fé, ese realmente souberes, ficarás surpreso com aquilo que consegues fazer.

Mas não acredites em tudo que te digo, até que o tentes por ti mesmo, se souberes de alguém que precisa de algo que mencionei, e souberes que podes ajudar, verás que serás recompensado a duplicar.

SABIAS QUE PODERÁS SEMPRE CONTAR COMIGO???... NO MOMENTO, TEMPO E LUGAR QUE ME NECESSITARES, EU ESTAREI LÁ PARA TI!!!!!

'Um dia, nós mudaremos o mundo... ou já o estamos a fazer' A BOLA DA AMIZADE ESTÁ AGORA NO TEU CAMPO... Se o mundo acabasse daqui a 24 horas,todas as linhas telefónicas, chat rooms e e-mails estariam saturados de pessoas enviando mensagens aos outros, dizendo'Arrependo-me de te ter Magoado', 'Perdoa-me', 'Amo-te', 'Tenho-te em grande estima','Toma conta de ti' e também, 'Eu sempre te amei, mas nunca to disse'.
Tomara que este ramo frutifique!

Asilo...depósito de idosos!

O asilo, lar da terceira idade ou dos idosos é um lugar deprimente, muito triste, por mais que tenham funcionários atenciosos que tentem dar condições ou satisfazerem as necessidades dos idosos que lá residem, não o conseguem de forma eficaz porque não sabem dos hábitos e gostos pessoais de cada um que refletem no seu comportamento, sem estar relacionado com uma doença ou com a demência.
Ficar alguns minutos, na sala de convívio ou de estar, observando o comportamento dos idosos causa um choque na nossa sensibilidade, origina uma profunda tristeza e amargura:Quase todos sentados, mudos, de olhos fechados ou olhando para o vazio, como se fossem um vegetal, ou como se estivessem a espera de fechar os olhos para sempre, pessoas que foram ali depositadas, que tem um passado onde acumularam experiências, conhecimento, histórias fascinantes, somatório de conquistas e derrotas, de amores e desamores, de afeto e carinho, de realizações, de sonhos e esperanças. Pessoas que constituíram famílias, algumas passaram sacrifícios para poder criar e educar os filhos ou sustentar a família, muitos poderão ter passados privações e tribulações, porém, tudo isso parece deixar de existir, somente vemos um grupo de cadeiras ou sofás com algo em cima, por acaso seres humanos que mostram as marcas do tempo, se fosse um objeto qualquer, não se notaria diferença. Maior tristeza e inquietação é pensar que amanhã talvez seremos nós a estar ali, pousados sobre uma cadeira como se fossemos parte da mobília ou objeto de decoração. Mas será que tem mesmo que ser assim?

Por coincidência (será mesmo?) li este texto que fala justamente do abandono dos pais pelos filhos, quando estes recebem a herança daqueles em vida:


Consulta Por Ingrid Birnfeld, advogada. (visto no site http://webmail.clix.pt/mail/parse.pl?redirect=http://www.espacovirtual.com.br) O experiente advogado atende, em seu escritório em Brasília, um casalde idosos, recomendados por um conhecido em comum. Desejam repartir para os filhos, em vida, os bens adquiridos com trabalho e sacrifício.Tinham ouvido falar que poderiam economizar tributos, aumentando,assim, o patrimônio que deixariam aos seus herdeiros, mas não sabiam como.Escutando com atenção, o advogado percebe que os clientes estão sequiosos por uma solução tecnicamente genial, muito provavelmente em virtude da recomendação que os levara até ali, dada a grande reputação profissional de que desfrutava.Com a clara intenção de causar efeito, mas com evidente sinceridade, etalvez para decepção dos seus consulentes, o suposto tributarista, sem abrir nenhum código, diz: Não façam nada, absolutamente nada. Surpresos, os clientes perguntam o motivo de tal orientação, pois,afinal, já tinham tomado a decisão.

- Visitem o Lar dos Velhinhos que existe no Núcleo Bandeirante. Lá, poderão conhecer e conversar com pais e mães que fizeram exatamente o que desejam fazer. Doaram seus bens, em vida, para os seus filhos, mas eles os abandonaram. Velhos, aquelas que foram suas crianças não mais precisavam deles, porque o tempo os transformou em pesados fardos, e aí só restou o asilo para os abrigar. Atônitos com a inusitada orientação, o casal ainda tenta questionar o advogado, dizendo que tinham filhos queridos e generosos, incapazes de fazer tamanha ingratidão. Ao que sentenciou o causídico, dando por encerrada a consulta:


- Eu nada lhes disse. Nem os agourei. Apenas sugeri que visitem o Lar dos Velhinhos.

O prejuízo...uma pétala de sabedoria colhida no jardim eletrônico

Uma pétala de sabedoria colhida no jardim correio eletrônico:

O prejuízo
É comum esquecermos, com muita rapidez, dos benefícios recebidos. Basta que o amigo ou alguém que sempre nos estendeu a mão, certo dia nos diga não.
É o que basta para considerarmos que aquela pessoa é má, indiferente, e todos os outros adjetivos ruins que nossa memória possa lembrar.
Da mesma forma, pessoas que temos em bom conceito, rapidamente se modificam, sob nosso ponto de vista.
Por algo que tenham feito, um pequeno deslize cometido, deixam de merecer nossa consideração. Por vezes, são de forma repentina, alijadas do nosso convívio. São pessoas com as quais não desejamos mais ter contato.
Esse tipo de comportamento nos recorda de um fato acontecido, há muito tempo.
Existiu entre os anos 1870 e 1911 uma empresa chamada Standard Oil Company. Seu diretor era John D. Rockfeller.
Certo dia, um executivo da companhia tomou uma decisão errada, que custou à empresa mais de dois milhões de dólares.
No dia que a notícia vazou, a maior parte dos executivos procurou todos os meios para evitar Rockfeller.
Todos temiam que a sua ira se abatesse sobre as suas cabeças. Todos, menos um dos sócios da companhia.
Edward Bedford tinha uma reunião agendada com Rockfeller e a manteve.
Dirigindo-se para a sala, ficou imaginando que longo discurso ouviria contra o homem que cometera o erro.
Quando entrou na sala, o diretor do império Standard Oil estava com a cabeça curvada sobre a mesa e fazia anotações.
Bedford ficou esperando, parado, em silêncio. Depois de alguns minutos, sua presença foi percebida. Rockfeller olhou para ele e disse calmamente: Você ouviu a respeito do prejuízo?
E ante a resposta afirmativa, continuou: Estive pensando sobre o assunto e fiz algumas anotações antes de chamar o homem para conversar.
O diretor mostrou o que escrevera. No topo da página estava escrito: Pontos a favor do senhor fulano de tal.
Seguia-se uma longa lista das virtudes do homem. Inclusive uma breve descrição de três ocasiões distintas em que ele havia tomado a decisão correta, gerando lucros.
Os lucros somados superavam em muitas vezes o valor do prejuízo recente..
Conta Bedford que nunca se esqueceu daquela lição, que lhe serviu para a vida.
Todas as vezes que foi tentado a dispensar alguém, ele fazia o que fizera Rockfeller.
Sentava e escrevia uma lista com o maior número de qualidades possíveis dessa pessoa.
Confessa que, todas as vezes, ao terminar o levantamento, conseguia ver a questão sob outro ângulo, dominando seu impulso inicial.
Segundo ele, tal hábito lhe evitou cometer o mais dispendioso erro para um executivo: perder o autocontrole.
Se cada um de nós agisse de igual forma com os amigos, conhecidos, parentes que nos rodeiam, manteríamos em melhores condições nossos relacionamentos inter-pessoais.
No mínimo, deixaríamos de ser injustos, em nossa precipitação. Também não precisaríamos pedir tantas desculpas, posteriormente.
Nem nos sentiríamos envergonhados pelas tantas vezes que nos mostramos ingratos.
Nem sofreríamos tanto, por mágoa, inútil e tola.
Pensemos no exemplo e, quando tivermos vontade de romper com alguém, de lhe dizer impropérios, de lhe lançar em rosto "muitas verdades", estanquemos a vontade.
Consultemos os arquivos da memória e lembremos quantas vezes aquela pessoa foi nosso sustentáculo, nosso apoio.
Quantas vezes nos ajudou, quantas alegrias colocou em nossas vidas, quanto nos serviu.
Com certeza nos surpreenderemos descobrindo que a soma dos benefícios recebidos supera em muito a do momento atual.
Então, manteremos a amizade, lembraremos de agradecer pelo tanto que representa em nossa vida.
Finalmente, nós mesmos haveremos de reconhecer como nossa vida se tornaria insípida sem aquela criatura que Deus colocou em nosso caminho.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

148- Salmo de Louvor a Deus

Hoje amanheci sentindo uma enorme inclinação para Louvar e agradecer a Deus por ter vivido emoções maravilhosas durante o sono, não sei definir se foram frutos de um sonho, de uma sintonia ou da imaginação e fantasia. Por coincidência (será?) foi colhido no Jardim Internet esta flor:

A Bíblia constantemente exorta o povo de Deus a louvar o Senhor. O AT emprega três palavras básicas para conclamar os israelitas a louvarem a Deus: a palavra barak (também traduzida "bendizer"); a palavra balal (da qual deriva a palavra "aleluia", que literalmente significa "louvai ao Senhor"); e a palavra yadah (às vezes traduzida por "Dar Graças" )



Salmo 148
Cântico das criaturas
Ao que está sentado no trono e ao Cordeiro,
a bênção, a honra, a glória e o poder pelos séculos dos séculos (Ap 5,13).
Louvai ao Senhor do alto dos céus,
* louvai-O nas alturas.
*Louvai-O, todos os seus anjos,
* louvai-O, todos os seus exércitos.
*Louvai-O, sol e lua,
* louvai-O, todos os astros luminosos.
*Louvai-O, céus dos céus, e águas que estais acima dos céus.
*Louvem todos o nome do Senhor, porque às suas ordens todos foram criados. Ele os fixou para sempre, deu-lhes uma lei que jamais passará.
*Da terra, louvai o Senhor, monstros marinhos e todos os abismos; ogo e granizo, neve e neblina, vento de tempestade que realiza a sua palavra; montanhas e colinas, árvores de fruto e todos os cedros; feras e animais domésticos, répteis e pássaros que voam;
*reis e povos do mundo, † príncipes e todos os juízes da terra, jovens e donzelas, velhos e crianças, louvem todos o nome do Senhor, porque o seu nome é sublime. A sua majestade está acima do céu e da terra, e exaltou a força do seu povo.
*Louvem-n’O todos os seus fiéis, os filhos de Israel, seu povo eleito

MÉTODOS DE LOUVOR
Há várias maneiras de se louvar a Deus.
*O louvor é algo fundamental na adoração coletiva prestada pelo povo de Deus (Sl.100:4 )
*Tanto na adoração coletiva como noutros casos, uma maneira de louvar a Deus é cantar salmos, hinos e cânticos espirituais (Sl.96:1,4; 147:1; Ef 5:19,20; Cl 3:16,17). O cântico de louvor pode ser com a mente (em idiomas humanos conhecidos) ou com espírito ( em línguas; 1Co 14:14-16 ).
*O louvor mediante instrumentos musicais. Neste particular o AT menciona instrumentos variados, de sopro, como chifre de carneiro e trombetas (1 Cr 15.28: Sl 150.3), flauta (1Sm 10.5; Sl 150.4), instrumentos de cordas, como harpa e lira ( 1 Cr 13.8: Sl 149.3; 150.3), e instrumentos de percussão, como tamborins e címbalos (Êx 15.20; Sl 150.4,5).
*Podemos, também, louvar a Deus, ao falar ao nosso próximo das maravilhas de Deus para conosco, pessoalmente. Davi, por exemplo, depois da experiência do perdão divino, estava ansioso para relatar aos outros, o que o Senhor fizera por ele ( 51.12,13.15 ). Outros escritores bíblicos nos exortam a declarar a glória e louvor de Deus, na congregação do seu povo ( 22.22-25;111.1;Hb 2.12 ) e entre as nações
( 18.49;96.3,4; Is 42.10-12 ). Pedro conclama o povo de Deus " para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz " ( 1 Pe 2.9 ). Noutras palavras, a obra missionária é um meio de louvar a Deus.
*Finalmente, o crente que vive a sua vida para a glória de Deus está a louvar ao Senhor. Jesus nos relembra que quando o crente faz brilhar a sua luz, o povo vê as suas boas obras e glorifica e louva a Deus ( Mt 5.16;Jo 15.8 ). De modo semelhante, Paulo também mostra que uma vida cheia de frutos da justiça louva a Deus ( Fp 1.11 ).

MOTIVOS PARA LOUVAR A DEUS
Por que o povo louva ao Senhor:
1-Uma das evidentes razões vem do esplendor, glória e majestade do nosso Deus, aquele que criou os céus e a terra ( 96.4-6;145.3;148.13 ), aquele a quem devemos exaltar na sua santidade ( 99.3; Is 6.3 ).
2-A nossa experiência dos atos poderosos de Deus, especialmente dos seus atos de salvação e de redenção, é uma razão extraordinária para louvarmos ao seu nome ( 96.1-3; 106.1,2; 148.14;
150.2; Lc 1.68-75; 2.14,20 ); deste modo, louvamos a Deus pela sua misericórdia, graça e amor imutáveis ( 57.9,10; 89.1,2; 117; 145.8-10; Ef 1.6 ).
3-Também devemos louvar a Deus por todos os seus atos de livramento em nossa vida, tais como livramento de inimigos ou cura de enfermidade (9.1-5; 40. 1-3; 59.16; 124; Jr 20.13; Lc 13.1; At3.7-9 ).
4-Finalmente, o cuidado providente de Deus para conosco, dia após dia, tanto material como espiritualmente, é uma grandiosa razão para louvarmos e bendizermos o seu nome ( 68.19; 103; 147; Is 63.7 ).
Rogério F. Barros



Louvor e Graças Vos dou meu Deus por todos os dias ter oportunidade de viver e ter sensações emocionantes; de aprender, crescer espiritualmente, pessoalmente e profissionalmente, de poder ajudar, aliviar, consolar ou ser útil a alguém; Por ter um teto para me abrigar, roupa para me agasalhar, pão para matar a fome, água para saciar a sede, brisa para me refrescar no calor, um emprego para prover as minhas necessidades e as de quem me é próximo; por ter amigos, por ter encontrado a minha Alma-Gêmea complementar e ter tido o privilégio e a bênção de viver momentos emocionantes maravilhosamente mágicos ditados pelo amor, por saber ler e escrever, por ter saúde e um corpo perfeito, por poder jogar volley, poder dispor de todos os sentidos para apreciar e desfrutar as belezas e prazeres da vida, do espírito, da natureza e do Universo; por ter imaginação, criatividade e sensibilidade sob a supervisão da razão, para manutenção da sanidade mental.
Obrigada meu Deus porque estás sempre junto de mim, mesmo quando minhas ações são contrárias a sua vontade ou quando eu cometo erros usando o meu livre arbítrio para decidir ou ainda quando injustamente me deixo levar pela revolta ditada pela frustração e decepção de querer algo e não conseguir, sem pensar que talvez não fosse o melhor para mim.

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Imaginação...o limiar entre a razão e a loucura do amor

A nossa imaginação é muito fértil, principalmente nas pessoas tímidas, introvertidas e/ou românticas, anda de mãos dadas com a criatividade e com a genialidade, mas também está presente em algumas doenças mentais, quando se distanciam muito da realidade, embora nem sempre por estar fora da realidade seja um distúrbio mental, às vezes está fora do contexto do momento, mas pode estar bem inserida num outro contexto no amanhã, pois a ficção científica de hoje poderá ser a realidade ou o futuro do amanhã.
Segundo o fruto colhido no pomar Internet:

AS MODALIDADES DE IMAGINAÇÃO
Partindo da diferença entre imaginação reprodutora e imaginação criadora, podemos distinguir várias modalidades de imaginação:
1-imaginação reprodutora propriamente dita, isto é, a imaginação que toma suas imagens da percepção e da memória;
2-imaginação evocadora, que presentifica o ausente por meio de imagens com forte tonalidade afetiva;
3-imaginação irrealizadora, que torna ausente o presente e nos coloca vivendo numa outra realidade que é só nossa, como no sonho, no devaneio e no brinquedo. Esta imaginação tem forte tonalidade mágica;
4-imaginação fabulosa, de caráter social ou coletivo, que cria os mitos e as lendas pelos quais uma sociedade, um grupo social ou uma comunidade imaginam sua própria origem e a origem de todas as coisas, oferecendo uma explicação para seu presente e sobretudo para a morte. Aqui, a imaginação cria imagens simbólicas para o bem e o mal, o justo e o injusto, o puro e o impuro, o belo e o feio, o mortal e o imortal, o tempo e a Natureza pela referência às divindades e aos heróis criadores; explica os males desta vida por faltas originárias cometidas pelos humanos [o pecado original, por exemplo] e promete uma vida futura feliz, após a morte. É a imaginação religiosa;
5-imaginação criadora, que inventa ou cria o novo nas artes, nas ciências, nas técnicas e na Filosofia. Aqui, combinam-se elementos afetivos, intelectuais e culturais que preparam as condições para que algo novo seja criado e que só existia, primeiro, como imagem prospectiva ou como possibilidade aberta. A imaginação criadora pede auxílio à percepção, à memória, às idéias existentes, à imaginação reprodutora e evocadora para cumprir-se como criação ou invenção.
http://www.discursus.hpg.ig.com.br/javanes/imaginac.htm


É lógico que, na óptica da Razão, se toco sua pele, te sinto... É REAL!Mas a Loucura vai mais além e diz: Nossos corações nos momentos de minhas loucuras fantasiosas, pulsam forte... É REAL!
O AMOR foi feito para ser vivido, não pensado e menos ainda analisado...É o maior de todos os sentimentos e merece um colorido especial que vem da loucura e suas fantasias... A Razão, na maioria das vezes desconhece a loucura que é o verdadeiro AMOR!A RAZÃO não conhece todas as armadilhas da loucura, ela se opõe a imaginação da LOUCURA, buscando raciocínio em tudo. Sempre preocupada com o que vai acontecer, ponderando as situações, planejando cada instante.


A LOUCURA EM SUAS FANTASIAS É ADRENALINA, É COMBUSTÍVEL,É A MAIS PURA RAZÃO QUE AGRADA AO CORAÇÃO E FAZ BEM À ALMA
O limite da Razão não é loucura é o tempero exato, sempre que a razão se deixa levar pelas imprudências exageradas é ai que a loucura se instala.Então, VIVA A LOUCURA! Porque é ela quem faz seu coração pulsar mais forte...É em nome dela que os amantes saem cantando na chuva, fazendo serenatas, gritando ao mundo sua paixão... Sem medo, sem vergonha!!!!A Loucura no Amor é nada mais que as fantasias, os sonhos, os desejos...A Razão é centrada, 100% ajuizada e sensatez demais estraga. Por isso a necessidade vital das fantasias vindo do íntimo dos desejos com grande imaginação...Maria Barros e José Araújo dos Santos
O Amor Lírico É Ilusão e Loucura Abundam na literatura as referências ao carácter louco do amor. «Aquele que tiver o amor dentro de si, é louco», diz Sófocles. E, na mesma linha, Shakespeare: «Amantes e loucos têm cérebros tão fervilhantes, tão cheios de fantasias, que superam tudo o que a fria razão pode entender.» Ou William Congreve: «Se não é amor, é loucura, logo é perdoável». Insensatez, declarações impensáveis, embriaguez sentimental, visão colorida da realidade. Ilusão. É sobre isso que também Marcel Proust escreveu: «Quando o amor é muito grande, é inimaginavelmente pequeno o papel da mulher real.». Ou: «O amor é um exemplo flagrante do pouco que a realidade é para nós». Mas há outra perspectiva, em que ele deixa de ser loucura. O amor pode ser poesia extrema, enamoramento, capacidade de ver a vida e o ser amado à luz do maravilhoso. «O sol chamejante mostra que sobre todos, ó Amor, tu és o único governante», diz Eurípedes. «A vida mundana é um reflexo insignificante do que se passa no amor», diz Proust. «O amor é a suprema poesia da natureza», diz Novalis. «Ficar apaixonado corresponde ao desejo de ver o mundo com outros olhos», diz Alberoni. O problema, e a verdadeira loucura, estão noutro tipo de amores: no amor ao dinheiro e ao poder, no amor ao superficial, no amor deslocado ao eu (egoísmo), no amor a certas ideias de Deus (fonte de actos terroristas como o 11 de Setembro)…


Citações:


1-"O Amor é Louco Os limites de uma parede são incapazes de conter o amor, e o que o amor pode fazer, o amor não deixa de ousar".
William Shakespeare, 1564-1616, poeta e dramaturgo inglês, Romeu e Julieta
2-Sabíamos que as paixões podiam alucinar, mas convém também dizer que podem iluminar".

E. Morin, sociólogo e filósofo francês, Método V; edição portuguesa: Europa-América
3- "Amantes e loucos têm cérebros tão fervilhantes, tão cheios de fantasias, que superam tudo o que a fria razão pode entender".
William Shakespeare, 1564-1616, poeta e dramaturgo inglês, Sonho de Uma noite de Verão
4- "O louco, o enamorado e o poeta são filhos da imaginação. Um vê mais demónios do que aqueles que o inferno pode conter: é o louco. O apaixonado, igualmente frenético, vê a beleza de Helena num frontispício egípcio; o olhar do poeta, esse, animado por um belo delírio, transporta o céu para a Terra e a Terra para o céu.
William Shakespeare, 1564-1616, poeta e dramaturgo inglês, Sonho de uma noite de Verão
5- "O desejo do amor enfeitiça e enlouquece o coração da vítima sobre a qual se lança. Enfeitiça os leões caçadores da montanha, os animais do mar, o homem, e todas as criaturas que a Terra alimenta".
Eurípedes, 480-406 a. C., poeta e dramaturgo grego, Hipólito
http://www.loveessaysbook.com/Amor-Romantico/Amor-Loucura.htm

Diário de um Cão…

Porque gosto muito de cães transcrevo este "diário" na esperança de tocar o coração e a consciência de quem passe por aqui, para que os animais não sejam maltratados:
"Hoje, eu nasci…Tão frágil… Tão pequenino… Que impressão!
Completo hoje uma semana de vida. Estou feliz por ter chegado são e salvo a este mundo!
1º Mês:A minha mãe cuida tão bem de mim!
2 Meses: Hoje separaram-me da minha mãe. Olhei para ela, estava inquieta. Com o seu olhar, disse-me “adeus”.
Espero que a minha nova família humana goste de mim e me trate tão bem como a minha mamã o fez!
4 Meses: Cresci rápido! Tudo me chama a atenção. Há várias crianças na casa. São como “irmãozinhos” para mim! Estamos sempre a brincar: eles puxam-me o rabo e eu mordo-os, mas sem os aleijar, claro! É só a brincar!
5 Meses: Hoje deram-me uma “bronca”. A minha dona ficou aborrecida comigo porque eu fiz “pipi” dentro de casa. Mas nunca ninguém me ensinou onde podia fazê-lo… Além disso, durmo no hall de entrada. Estava tão aflitinho que não deu para aguentar…
8 Meses: Sou um cão feliz! Tenho o calor de um lar, sinto-me tão seguro, tão protegido… Acho que a minha família humana me ama e permite que eu faça muitas coisas! O pátio é todinho para mim e, por vezes, entusiasmo-me e cavo a terra toda tal como os meus antepassados, os lobos, quando escondiam a comida. Nunca me educam. Acho que devo estar a fazer tudo direitinho!
12 Meses: Hoje completo um ano. Sou um cão adulto!
Os meus donos dizem que cresci mais do que eles estavam à espera. Devem estar mesmo orgulhosos de mim!
13 Meses: Hoje acorrentaram-me… Quase não me posso movimentar. Mal consigo procurar um raio de sol ou abrigar-me à sombra, se o calor for demasiado. Dizem que vão estar de olho em mim e que sou um ingrato. Não faço ideia do que poderá estar a acontecer…
15 Meses: Já nada é como dantes. Moro na varanda sozinho. Sinto-me muito só… A minha família já não me quer! Às vezes, esquecem-se de que tenho fome e sede. E quando chove, nem sequer tenho um tecto que me abrigue…
16 Meses: Hoje desceram-me da varanda. Estou certo de que me perdoaram! Fiquei tão contente que saltitei de alegria. Até o meu rabo parecia um ventilador. Além disso, vão levar-me para passear com eles!
Fomos para a estrada e, de repente, os meus donos pararam o automóvel. Abriram a porta e eu desci, feliz, a pensar que íamos passar o dia em família, no campo. Não compreendo por que fecharam a porta e se foram embora sem mim…
-“Ouçam, esperem!”, lati vezes sem conta.
Esqueceram-se de mim… Corri com todas as minhas forças atrás do carro. A minha angústia crescia ao perceber que não paravam e que estava a perder o fôlego. Esqueceram-se mesmo de mim… Como poderá ter acontecido?
17 Meses: Procurei, em vão, encontrar o caminho de volta para casa. Estou e sinto-me perdido! No meu caminho existem pessoas de bom coração que me olham com tristeza e me dão alguma coisa para comer. Agradeço-lhes com o meu olhar, do fundo da minha alma. Quem me dera que alguma me adoptasse… Seria leal como ninguém. Mas apenas murmuram: “Pobre cãozinho! Deve ter-se perdido!”
18 Meses: Hoje passei perto de uma escola e vi muitos jovens e crianças que me lembraram os “irmãozinhos” que ganhei na minha família adoptiva. Aproximei-me, e um grupo deles, rindo, atirou-me com pedras só para ver quem tinha “melhor pontaria”. Uma dessas pedras atingiu-me num olho e desde então que não vejo dele.
19 Meses: Como as coisas mudam… Parece mentira! Quando era mais bonito, as pessoas tinham compaixão de mim. Agora estou muito fraco, o meu aspecto mudou. Perdi o meu olho e as pessoas mostram-me logo um pau ou uma vassoura quando tento deitar-me um pouco à sombra.
20 Meses: Quase não consigo mexer-me! Hoje, quando estava para atravessar a estrada, fui atropelado por um carro. Eu ainda estava num lugar a que seguro a que chamam “passeio”, à espera, e nunca esquecerei o olhar de satisfação do condutor, que até se vangloriou por me ter acertado. Mais valia que me tivesse matado ali. A dor é terrível! É praticamente insuportável!
As minhas patas traseiras não me obedecem. Não mexem… Com grande dificuldade, arrastei-me até à relva ali perto.
Há 10 dias que estou ao sol, ao frio, à chuva, sempre sem comer. Já não sou capaz de me mexer. A dor é insuportável! Sinto-me muito mal. Estou num lugar húmido e até o meu pêlo está a cair…
Algumas pessoas passam e nem me vêem. Outras dizem apenas “Não chegues perto!”
Já estou quase inconsciente mas algo estranho me dá força para abrir os olhos. A doçura da voz fez-me reagir: “Pobre cãozinho, olha como te deixaram…”
Junto dela estava um senhor de bata branca. Começou a tocar em mim, e por fim disse: “Sinto muito, senhora, mas já não há nada a fazer. É melhor que páre de sofrer.”
A gentil senhora, com as lágrimas no rosto, concordou. Como pude, mexi o rabo e olhei-a, agradecendo-lhe por me ajudar a descansar. Senti apenas a picada da injecção e adormeci para sempre, a pensar em por que tive de nascer se ninguém me queria…
Ajude a abrir as consciências dos ignorantes e, assim, acabar com os maus tratos aos animais, nomeadamente com o problema dos gatos e cães de rua.
Obrigada!
"
(Recebido por correio eletrônico no formato PPT:Adaptação de documento brasileiro. SB.)

A aceitação do inevitável amplia o nosso horizonte

Num "passeio" pelo mundo da Internet a descoberta de um texto que veio acrescentar mais um ponto de reflexão para estar mais próximo do encontro com o Eu interior, porque descreve uma experiência pessoal vivida em tempos, anterior ao relato encontrado, quando diante de uma decisão conflituosa a ser tomada, sentimentos de revolta, indignação, ressentimento, frustração tornavam a decisão difícil de ser tomada e que fosse a correta, somente após a aceitação do inevitável, igual a cena de Jesus na Cruz "Pai em Tuas mãos entrego o meu espírito", é que a decisão foi tomada, nesse momento a serenidade tomou conta do espírito e tudo se modificou, toda a ira, medos, revolta, frustração, transformou-se numa força e energia necessária para vencer os obstáculos que seriam encontrados eque apontou o rumo a seguir.

A c e i t a ç ã o =>O início da transformação
A primeira impressão que temos quando ouvimos ou pensamos em aceitar, seja uma pessoa, um fato ou uma circunstância é de que estaremos nos submetendo ou nos subjugando, desistindo de lutar, sendo fracos.
De verdade, se quisermos modificar qualquer aspecto da nossa vida e de nós mesmos, devemos começar aceitando.
A aceitação é detentora de um poder transformador que só quem já experimentou pode avaliar
É difícil aceitar uma perda
material ou afetiva; uma dificuldade financeira; uma doença; uma humilhação; uma traição
Mas a aceitação é um ato de força interior, sabedoria e humildade, pois existem inúmeras situações que não estão sob o nosso controle
As pessoas são como são, dificilmente mudam.
Não podemos contar com isso. A única pessoa que podemos mudar, somos nós mesmos, portanto, se não houver aceitação, o que estaremos fazendo é insensato, é insano.
Ser resistente, brigar, revoltar-se, negar, deprimir, desesperar, indignar-se, culpar, culpar-se são reações emocionais carregadas de raiva. Raiva do outro, raiva de si mesmo, raiva da vida. E a raiva destrói, desagrega.
A aceitação é uma força que desconhecemos porque somos condicionados a lutar, a esbravejar, a brigar.
Aceitar não é desistir, nem tão pouco resignar-se. Aceitar é estar lúcido do momento presente e se assim a vida se apresenta, assim deve ser.
Tudo está coordenado pela Lei da ação e reação.
No instante em que aceitamos, desmaterializamos situações que foram criadas por nós, soluções surgem naturalmente através da intuição ou fatos trazem as respostas e as saídas para o problema.
Tudo é movimento. Nada é permanente.
A nossa tendência “natural” é resistir, não aceitar, combater tudo o que nos contraria e o que nos gera sofrimento. Dessa forma prolongamos a situação. Resistir só nos mantém presos dentro da situação desconfortável, muitas vezes perpetuando e tornando tudo mais complicado e pesado.
Quando não aceitamos nos tornamos amargos, revoltados,frustrados, insatisfeitos, cheios de rancor e tristeza, e esses padrões mentais e emocionais criam mais dificuldades, nunca trazem solução.
Aceitar é expandir a consciência e encontrar respostas, soluções, alívio. Aceitar é o que nos leva à Fé. É fundamental entender que aceitar não significa desistir e seguir adiante com otimismo.
Ter muitos propósitos a serem atingidos é nossa atitude saudável diante da vida
Aceitar se refere ao momento presente, ao agora.
No instante que você aceita, você se entrega ao que a vida quer-lhe oferecer. Novas idéias surgem para prosseguir na direção desejada, saindo do sofrimento. (Ana Cristina Pereira )
http://karinizumi.wordpress.com

Diante de uma situação menos favorável, o primeiro passo é realmente aceitar o inevitável, a partir daí abre-se uma janela, amplia-se o nosso horizonte e vislumbramos o caminho a ser trilhado.

Respeitar a vida e seguir em frente ...semente de felicidade!

A felicidade é a meta a ser alcançada por todos, mas a felicidade precisa ser cultivada, respeitar a vida é a semente que dará o fruto da felicidade, como mostra a mensagem recebida por correio eletrônico:
Curve-se diante da beleza da vida. Respeite-a. Ame-a.
Cale a voz negativa. Renda sua homenagem ao Criador de tudo. Ele merece.
Um poder infinito, um amor sem fronteiras, tudo fez. Imagine-se dentro desse contexto maravilhoso.
Vibre com a vida.
Dobre-se diante da grande beleza.
O deslumbrante espetáculo da vida é construído pelo mesmo Deus que habita em você.
( Do Livro "Sementes de Felicidade", 45, de Lourival Lopes )

Diz-se que, mesmo antes de um rio cair no oceano, ele treme de medo.
Olha para trás, para toda a jornada: os cumes, as montanhas, o longo caminho sinuoso através das florestas, através dos povoados, e vê a sua frente um oceano tão vasto que entrar nele nada mais é do que desaparecer para sempre.
Mas não há outra maneira. O rio não pode voltar. Ninguém pode voltar. Voltar é impossível na existência. Você pode apenas ir em frente.
O rio precisa se arriscar e entrar no oceano. E somente quando ele entra no oceano é que o medo desaparece, porque apenas então o rio saberá que não se trata de desaparecer no oceano. Mas tornar-se oceano.
Por um lado é desaparecimento e por outro lado é renascimento.
Assim somos nós. Voltar é impossível na existência. Você pode ir em frente e se arriscar . Coragem!
Torne-se OCEANO !!!

Osho

LAVANDO A CONSCIÊNCIA...uma lição a aprender!

As ações e decisões tem que serem efetuadas no momento, quando passa o momento, já não há nada a fazer a não ser tentar "lavar a consciência" como mostra esta história recebida no correio eletrônico:
O ano era 1727. Em uma pequena cidade no interior da Inglaterra.
Chovia muito naquele dia. Na livraria, a única da cidade, um senhor em avançada idade, entre crises de tosse, pois sofria de asma, colocava livros em algumas caixas e ajeitava outros nas estantes, preparando a loja para ser aberta. No balcão um jovem com 18 anos, rosto redondo, lia compenetrado. Tão compenetrado estava que, ao menos assim parecia, sequer notava as seguidas crises de tosse do velho senhor. - Sammuel, - disse o senhor - hoje é dia de feira. Você poderia ir em meu lugar. Pelo menos uma vez.
O jovem Sammuel, parecia realmente tão absorto em sua leitura que não mostrou nenhuma reação. Então, o velho senhor continuou, entre muita tosse, o seu trabalho de ajeitar os livros. Alguns nas caixas, outros nas estantes.
- Sammuel, - o senhor voltou a falar - a chuva está muito forte. Com toda a certeza será prejudicial à minha saúde. Pelo menos hoje você poderia levar os livros à feira.
E Sammuel, continuou sua leitura.
Mais uma vez o velho, já colocando a caixa de livros à porta, pediu ao jovem, - Sammuel, está na hora do cocho. Por favor, vá à feira em meu lugar.
E mais uma vez não obteve resposta. Apanhou a pesada caixa e partiu.
O ano era 1777. Em uma pequena cidade no interior da Inglaterra.
Chovia muito naquele dia. Próximo à feira, estaciona uma elegante carruagem e dela desembarca um senhor. Elegante, rosto redondo, sem se proteger caminha até uma abandonada barraca, e ali permanece. Passam-se horas. As pessoas que circulam estranham aquele excêntrico senhor, imóvel junto à uma abandonada barraca, sem nenhuma proteção, debaixo daquela insistente chuva.
Ao final da manhã, o homem recoloca o chapéu na cabeça e caminha, à lentos passos, de volta à carruagem.
Ao chegar à hospedaria, a senhora que o recebe lhe indaga, - Dr. Sammuel, que idéia foi essa? Segundo eu soube o senhor ficou todo este tempo na feira, debaixo desta chuva...
- Minha senhora, há exatos cinqüenta anos, meu pai morreu, vitimado por uma crise de asma. Eu, displicente e preguiçoso, nada fiz que pudesse ter lhe ajudado. Espero que com esta humilhação pública eu consiga lavar minha consciência, livrando-a deste enorme e pesado fardo.
Eu ouvi esta história há alguns dias. Infelizmente não me recordo do nome de quem a narrou.
É a história de Sammuel Johnson (1709-1784). Escritor, novelista, dramaturgo, biógrafo e editor.

Esta história nos faz refletir que o momento de decidir ou de agir é no agora, porque "águas passadas não movem moinho", o depois ditado pela preguiça ou displicência pode acarretar consequências nefastas e desastrosas na nossa vida e por mais que nos castiguemos nunca conseguiremos "lavar a nossa consciência" ou redimirmos de nossas culpas e responsabilidades.

Pedra na Estrada...Lição para lidar com os obstáculos

A vida coloca obstáculos ao longo do caminho, a forma como se lida com esses obstáculos mostra o grau de empenho na resolução dos mesmos. Uma mensagem recebida por correio eletrônico dizia:
Havia um sábio que não poupava esforços para ensinar bons hábitos a seu povo. Frequentemente fazia coisas que pareciam estranhas e inúteis; mas tudo que fazia era para ensinar o povo a ser trabalhador e cauteloso...ele dizia:
"Nada de bom pode vir a uma nação cujo povo reclama e espera que outros resolvam seus problemas. Deus dá as coisas boas da vida a quem lida com os problemas por conta própria".
Uma noite, enquanto todos dormiam, ele pôs uma enorme pedra na estrada. Depois foi se esconder atrás de uma cerca, e esperou para ver o que acontecia.
Primeiro veio um fazendeiro com uma carroça carregada de sementes que ele levava para moagem na usina. - Quem já viu tamanho destino? - disse ele contrariadamente, enquanto desviava sua carroça e contornava a pedra.
- Por que esses preguiçosos não mandam retirar essa pedra da estrada? E continuou reclamando da inutilidade dos outros, mas sem ao menos tocar, ele próprio, na pedra.
Logo depois, um jovem soldado, veio cantando pela estrada. Ele pensava na maravilhosa coragem que mostraria na guerra e não viu a pedra.Tropeçou nela e se estatelou no chão poeirento. Ergue-se, sacodiu a poeira da roupa, pegou a espada e enfureceu-se com os preguiçosos que insensatamente haviam largado uma pedra imensa na estrada. Ele também se afastou, sem pensar uma única vez que ele próprio poderia retirar a pedra.
Assim correu o dia. Todos que por alí passavam reclamavam e resmungavam por causa da pedra colocada na estrada, mas ninguém a tocava.
Finalmente, ao cair da noite, a filha do moleiro por lá passou. Era muito trabalhadora, e estava cansada, pois desde cedo andava ocupada no moinho. Mas disse a si mesma:
- Já está quase escurecendo, alguém pode tropeçar nesta pedra à noite e se ferir gravemente. Vou tirá-la do caminho. E tentou arrastar dalí a pedra.
Era muito pesada, mas a moça empurrou, e empurrou, e puxou, e inclinou, até que conseguiu retirá-la do lugar. Para sua surpresa, encontrou uma caixa debaixo da pedra. Ergueu a caixa. Era pesada, pois estava cheia de alguma coisa. Havia na tampa os seguintes dizeres: "Esta caixa pertence a quem retirar a pedra." Ela abriu a caixa e descobriu que estava cheia de ouro.
A filha do moleiro foi para casa com o coração feliz.
Quando o fazendeiro e o soldado e todos os outros ouviram o que havia ocorrido, juntaram-se em torno do local na estrada onde a pedra estava. Revolveram o pó da estrada com os pés, na esperança de encontrar um pedaço de ouro.
Então o sábio falou:- Meus amigos, com frequência encontramos obstáculos e fardos no caminho. Podemos reclamar em alto e bom som enquanto nos desviamos deles se assim preferirmos, ou podemos erguê-los e descobrir o que eles significam. A decepção é normalmente o preço da preguiça. "Que os Anjos iluminem seus caminhos"