Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

domingo, 29 de abril de 2012

Cupcakes ...mais uma experiência na cozinha

Este ano está marcado por várias "voltas ao passado", desta vez com a culinária, há muitos anos atrás, durante algum tempo, as experiências na cozinha iam se somando, gerando prazer por criar receitas e dar nomes a elas, inclusive escrevê-las num caderno próprio de receitas, que recebera de presente de uma tia, entretanto fora extraviado (juntamente com toda a bagagem, um roubo logo quando chegara na nova cidade onde moraria por alguns anos), desde essa época que as experiências na cozinha ficaram esquecidas, entretanto desde  a Pascoa,  aquando houve a  experiência de fazer bombons, agora surgiu  a tentativa de realizar cupcakes, na Páscoa a sobrinha havia comentado que começou a fazê-los e fez uma breve explanação de como eram feitos, o que aguçou a curiosidade, logo começou a "saga dos cupcakes", isto é a pesquisa na Internet, logo por sorte o primeiro site aberto através do motor de busca "Google" estava repleto de receitas de cupcakes, foram guardas várias para serem testadas posteriormente.
Hoje a primeira experiência com cupcakes foi realizada, o escolhido foi nozes e chocolate (pensando no aniversário do meu pai que se aproxima,testar se fica aprovado, para ser feito no dia),  a receita original (retirada do site http://mdemulher.abril.com.br/) era para o Natal:

Preparo: Médio (de 30 a 45 minutos)
Rendimento: 16 unidades
Dificuldade: Médio
Categoria: Bolo


Ingredientes
 2 xícs. (chá) de farinha de trigo
. 1 col. (chá) de fermento em pó
. 1 col. (chá) de bicarbonato de sódio
. 2 xícs. (chá) de açúcar mascavo
. 3 cols. (sopa) de chocolate em pó
. 4 ovos
. ½ xíc. (chá) de óleo
. 1 xíc. (chá) de nozes picadas

Para decorar
. 300 g de pasta americana branca
. Confeitos de açúcar natalinos
Modo de preparo
Numa tigela, misture a farinha de trigo, o fermento, o bicarbonato, o açúcar e o chocolate em pó. Aos poucos, acrescente os ovos batidos, o óleo e as nozes picadas. Distribua a massa em pequenas forminhas de papel (nº 0), dentro das formas próprias para a confecção de cupcakes. Coloque-as numa assadeira e asse no forno preaquecido a 200 °C por, aproximadamente, 30 minutos.
Espete um palito de dente na massa - se o palito sair limpinho, o bolinho está pronto. Deixe esfriar. Em seguida, faça uma bolinha com a pasta americana e, com as próprias mãos, achate-a em formato arredondado. Coloque-a sobre o cupcake, pressionando levemente para fixar. Com um cortador em forma de pinheiro, recorte a pasta americana verde com cuidado.
Cole o pinheiro e os confeitos (bolinhas da árvore e estrelinhas) com uma gotinha de clara de ovo. Por fim, embale cada um dos bolinhos numa caixinha transparente, dessas que são próprias para cupcake, e amarre cuidadosamente com um laço de fita natalino.
Porém em casa, no momento, não havia alguns ingredientes (açúcar mascavo, bicarbonato de sódio, pasta americana, confeitos de açúcar natalinos e mesmo porque não é altura do Natal), também não havia formas de papel própria e a quantidade de forma de alumínio era aquém do necessário, por isso foi improvisado com as formas de silicone e com e com outras próprias para bolinhos. Além disso tinha um pacote de amêndoas ao forno que estava preste a perder a validade, portanto foram adicionadas às nozes (estas não foi uma xícara e sim "2 mãos"), outro improviso teve que ser feito, a cobertura, que foi um "quase" brigadeiro , ficou com uma consistência  mais líquida do que o desejado (a intenção era que ficasse mais fluído do que o ponto de brigadeiro para poder ser utilizado no saco confeiteiro, daí ter ficado menos tempo no fogo, mas os cálculos falharam e ficou muito muito fluído para se conseguir o efeito esperado).Já que o improviso imperava, com o resto do "quase brigadeiro" gerou uma sobremesa que foi "batizada" : "Delícia de Côco, onde foi acrescentado mais coco ralado sem levar ao fogo colocado numa taça de sobremesa e por cima colocado "top" de chocolate e levado à geladeira:

Esta experiência ressaltou a rebeldia em seguir uma receita exatamente como ela é, talvez seja o querer dar, consciente ou inconscientemente, um toque pessoal, neste caso o acréscimo de 3 ingredientes (amêndoa, leite condensado e coco) a substituição de um dos ingredientes, o açúcar, o que fez com que surgisse um novo cupcake: noz, chocolate, amêndoa e côco e uma nova sobremesa, pode ser até que não seja novo e já exista, porém  este não seria nenhum plágio, porque surgiu hoje por contingências do momento que levaram ao improviso.

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Estratégia é tudo... Um pensamento a reter


Um pensamento, uma ideia, uma experiência, uma frase, uma história, quando encerra alguma lição deve ser partilhada, por isso partilho esta mensagem que chegou via correio eletrônico, porque mostra que a estratégia é fundamental para a resolução de problemas:
Um senhor vivia sozinho em Minnessota. 
Ele queria virar a terra de seu jardim para plantar flores, mas 
era um trabalho muito pesado.
Seu único filho, que o ajudava nesta tarefa,estava na prisão. 

O homem então escreveu a seguinte carta ao filho:
 'Querido Filho, estou triste, pois não vou poder plantar meu jardim este ano. Detesto não poder fazê-lo, porque sua mãe sempre adorou flores e esta é a época certa para o plantio. 
Mas eu estou velho demais para cavar a terra. Se você estivesse aqui, eu não teria esse problema, mas sei que você não pode me ajudar, pois estás na prisão. 
Com amor, Seu Pai.' 
 Pouco depois, o pai recebeu o seguinte telegrama:
 'PELO AMOR DE DEUS, Pai, não escave o jardim! Foi lá que eu escondi os corpos'
 Como as correspondências eram monitoradas na prisão, às quatro da manhã do dia seguinte, uma dúzia de agentes do FBI e policiais apareceram e cavaram o jardim inteiro, sem encontrar qualquer corpo. 
 Confuso, o velho escreveu uma carta para o filho contando o que acontecera. 
 Esta foi a resposta:
 'Pode plantar seu jardim agora, amado Pai. Isso foi o máximo que eu pude fazer no momento.' 
 Estratégia é tudo!!! 
 Nada como uma boa estratégia para conseguir coisas que parecem impossíveis. 
 Assim, é importante repensar sobre as pequenas coisas que muitas vezes nós mesmos colocamos como obstáculos em nossas vidas. 
Ter problemas na vida é inevitável ser derrotado por eles é opcional'

domingo, 22 de abril de 2012

Alegria...Dicas para praticar risoterapia




recados, poemas, Recados de sorriso para orkut
Continuando com a alegria, ou melhor com a expressão da alegria do momento, a compilação agora vai para a fisiologia da alegria, o efeito do riso no organismo e a dicas para praticar a risoterapia.
Riso

O riso (O riso é nossa resposta natural ao humor. Muitos pesquisadores acreditam que o propósito do riso é fazer e fortalecer as relações humanas. Quando rimos, 15 músculos faciais se contraem e o nosso lábio superior se levanta. Neste mesmo momento, nossa respiração é interrompida pela glote (parte de trás da garganta) fechando um pouco a laringe, deixando-nos ofegante. Em casos extremos, os canais lagrimais também são ativados. Estudos realizados sobre a estrutura sônica do riso revelam que todas as risadas humanas consistem numa série de notas curtas, parecidas as vogais e repetidas a cada 210 milésimos de segundos. É essa repetição que gera o som ha,ha ou ho,ho), cujo dia internacional é 18 de Janeiro, está presente nos diversos aspectos do comportamento humano:
  • No campo psicológico-afetivo, pode ser provocado por um sentimento íntimo de alegria, de felicidade, de satisfação ou prazer. É uma reação involuntária;
  • No campo linguístico, pode ser provocado por uma piada ou outro recurso humorístico. É uma reação involuntária;
  • No campo sócio-cultural, pode ser uma ação voluntária do indivíduo, com o objetivo de expressar algum sentimento ou opinião dentro de um determinado grupo;
  • No campo fisiológico, é uma reação involuntária. Pode ser provocado por uma ação mecânica(cócegas, por exemplo), por processos biológicos (feridas em fase final de cicatrização, por exemplo), ou ainda pelo consumo de alguma droga.O estudo do humor, do riso e de seus efeitos psicológicos e fisiológicos no corpo humano é denominado gelotologia ( Gelotologia ou Gelotology é a disciplina que estuda o riso e o humor, bem como os seus efeitos sobre o corpo, a partir de uma perspectiva científica, médica, psicológica e fisiológica. Seus proponentes defendem muitas vezes a indução de risos por motivos terapêuticos. A palavra vem do grego “gelos” que significa riso, em homenagem à “Ghelos” o deus do Riso).
O Dr. Fry afirma ainda que o riso é um excelente exercício aeróbico que ventila os pulmões, relaxa e aquece os músculos e os nervos, acelera as batidas do coração, aumenta a pressão ar­terial, melhora a respiração e a circulação, estimula a inala­ção e a exalação do ar. Suas pesquisas mostram que uma gargalhada, além de tudo, exercita os grupos musculares dos ombros, dos braços, do abdome, do diafragma e das pernas. Fazendo uma comparação, ele destaca que uma média de cem a duzentas risadas por dia equivalem a aproximadamente dez minutos de remo ou de corrida.
Alguns artigos correlacionando o riso como promotor da homeostasia: 
1) Herbert Spencer, filósofo inglês do século XIX, foi um dos primeiros cientistas a mencionar os efeitos massageadores do riso, em trabalho realizado em 1860, chamadoThe physioíogy of laughter [A fisiologia do riso]. Ele se convenceu de que o riso é um mecanismo essencial para se restabelecer o conforto físico e o equilíbrio biológico e interior.
2) O psicólogo E. L. Lloyd mostra a relação entre o riso e a respiração em seu artigo "O mecanismo respiratório do riso", publicado em 1938 no Journal of General Psychology[Revista de Psicologia Geral]. Essa ação de "respirar com alegria", que é a combinação de inalação profunda e exa­lação total, leva a uma excelente ventilação, ao relaxa­mento e ao descanso.
Efeitos do riso
*Fortifica o sistema imunológico (o riso ajuda o sistema a aumentar o número de células que auxiliam contra a infecção, as células T, no sangue).
*Estimula as funções cardiovasculares 
*Libera endorfinas que combatem a dor
*Relaxa as tensões. 
*Retarda o aparecimento das rugas
Quando rimos, movimentamos 12 músculos faciais; ao dar gargalhadas, movimentamos 24 músculos faciais; quando conversamos e gargalhamos ao mesmo tempo, são 84 músculos. Esse exercício facial retarda o aparecimento de rugas. Mas o riso não exercita só o rosto; ele mexe com o corpo inteiro:
- Cérebro: o hipotálamo, centro de controle atuando na base do cérebro, libera no organismo endorfina – hormônio com propriedades analgésicas e calmantes;
- Nariz e garganta: o ar que vem dos pulmões bate nas cordas vocais que emitem sons variados. As glândulas salivares e lacrimais aceleram sua produção;
- Rosto: os músculos do rosto se contraem;
- Coração: bate mais rápido; as artérias, após terem se estreitado, se dilatam provocando sensação de bem estar; 
- Tórax: os pulmões expelem enormes quantidades de ar em grande velocidade; o diafragma se move, provocando fortes contrações respiratórias, ajudando a respirar melhor; 
- Ventre: os músculos abdominais se contraem com força, o que é bom para a vesícula;
- Pernas: os músculos se relaxam e a pessoa se curva de tanto rir; 
- Pés: os dedos dos pés se agitam
Fisiologia do riso
O riso inicia uma cadeia de reações fisiológicas:
Primeiro, ele ativa o sistema cardiovascular, então a freqüência cardíaca e pressão arterial aumentam. As artérias então se dilatam, levando, portanto, a uma queda da pressão. Contrações fortes e repetidas dos músculos da parede torácica, abdomen e diafragma aumentam o fluxo sanguíneo nos órgãos. A respiração forçada (o ha! ha! ha! do riso) eleva o fluxo de oxigênio no sangue. A tensão muscular diminui e nós podemos temporariamente perder controle dos nossos membros, como na expressão "ficar fraco de tanto rir". Pessoas que sofrem de raiva crônica têm alta incidência de pressão sanguínea elevada, níveis mais altos de colesterol e ataques card;iacos. Enquanto a raiva, a depressão e frustração perturbam a função de muitos sistemas fisiológicos, incluindo o sistema imune, o riso ajuda estes sistemas a funcionarem melhor. Por exemplo,  O riso também pode promover mudanças hormonais benéficas. Cientistas especulam que o riso libera transmissores neuroquímicos chamados endorfinas, os quais reduzem a sensibilidade à dor e promovem sensações prazeres e de bem estar.
Risoterapia
 É uma terapia que usa o processo fisiológico do riso para libertar as emoções dolorosas de dor e medo. Risoterapia, também chamada de terapia de riso ou yoga do riso é importante e eficaz para crianças, jovens, adultos, idosos, casais, famílias, escolas, hospitais, etc.O yoga do riso, igualmente chamado de risoterapia ou terapia do riso usa o riso para lidar com as diversas emoções que o ser humano enfrenta diariamente. Especificamente o método de yoga do riso foi desenvolvido, em 1995, por Madan Kataria, um médico indiano que estudou os benefícios do riso.
Dicas para praticar a risoterapia
baseadas no livro “A Terapia do riso” , de Eduardo Lambert. Este livro menciona 10 dicas para praticar a risoterapia ( também chamada de terapia do riso ou yoga terapia)  no dia a dia e assim beneficiar desta técnica.risoterapia e qualidade de vida andam a par, isto porque rir faz bem:
Ame-se, estime-se e valorize-se.
Cultive sempre o bom humor.
Viva com paz na consciência.
Viva o presente com entusiasmo.
Cultive e pratique o bem.
Fale de assuntos alegres, conte piadas sadias.
Dê um sentido positivo e de qualidade à vida.
Tenha sempre atitudes positivas perante tudo.
Use sempre o diálogo, pois é conversando que as pessoas se entendem.
Ame o próximo como a si mesmo.
Semeie boas sementes para colher bons frutos.
Tenha qualidade de vida.
Ame a natureza e o planeta.
O optimismo gera simpatia.
Olhe-se no espelho e sorria para si próprio.


recados, poemas, Recados de sorriso para orkut

Anatomia da alegria


Os dias tem sido tão corridos, cansativos com a realização e elaboração de alguns projetos, neste período várias reflexões surgiram motivando a colocação no "papel", porém embora começadas, não foram acabadas, uma das quais foi o resgate da sabedoria popular antiga "rir é o melhor remédio" porque nesses dias houve a oportunidade de comprovar nas situações do dia-a-dia que realmente a alegria faz com que todos os problemas parecem ser contratempos e oportunidades do que realmente problemas. Esse resgate originou duas recordações: Algum tempo no passado sentia alegria quando conseguia fazer alguém sorrir e realmente fazia por conseguir que, quem cruzasse o meu caminho, esboçasse um sorriso, mas que não sei quando e nem porque deixei de proceder assim, inclusive deixei de prestar atenção se as pessoas sorriam.Nesta Páscoa inexplicavelmente senti que a família estava precisando sorrir  e por isso surgiu o desejo de tentar fazer sorrir a quem amo, recomeçar o que ficara interrompido no passado. A outra lembrança foi a promessa que fiz a mim mesma de responder a um amigo que deixara uma pergunta quando fez um comentário no post sobre prazer e como promessa é dívida e eu cobro, porque cumpro, saí em "campo" pesquisando para poder dar uma resposta fundamentada, entretanto ainda não vai ser agora que cumprirei a promessa, porque prazer está intimamente ligado com alegria e sensação de bem-estar e esta com o riso, daí "ficar perdida" nessa imensidão que é a Internet, encontrei tanta coisa interessante que resolvi compilar (no final tem os sites de onde foram compilados os temas com as respectivas imagens), ficou tão extenso que dividirei em 2 partes:  Este post "Anatomia da alegria" e outro "fisiologia da alegria e risoterapia" 

Circuito neuronal
A indução de alegria – resposta à identificação de expressões faciais de felicidade, à visualização de imagens agradáveis e/ou à indução de recordações de felicidade, prazer sexual e estimulação competitiva bem-sucedida– provoca a ativação dos gânglios basais, incluindo o estriado ventral e o putâmen (os gânglios basais recebem uma rica inervação de neurônios dopaminérgicos do sistema mesolímbico, intimamente relacionados com a geração do prazer e do sistema dopaminérgico do núcleo estriado ventral). A dopamina age de modo independente, utilizando receptores opióides e GABAérgicos no estriado ventral, na amígdala e no córtex orbitofrontal (relacionado a estados afetivos,como prazer sensorial, enquanto outros neuropeptídeos estão envolvidos na geração da sensação de satisfação por meio de mecanismos homeostáticos.
O primeiro cientista que identificou parte desses grandes circuitos foi Papez, em1937. Papez observou alguns pacientes que morriam de hidrofobia, e percebeu que muitas vezes experimentavam acessos de extrema fúria e terror nas horas que antecediam suas mortes. Ele tinha a percepção de que essa patologia era transmitida através da saliva de cães portadores do vírus da raiva, assim  deduziu que o vírus atingia o encéfalo dos doentes. Ao dissecar o sistema nervoso de alguns pacientes vitimados pela raiva, Papez percebeu que alguns aglomerados de neurônios que formavam um grande "C" no meio do encéfalo tinham sido atingidos pelo vírus. Como os pacientes apresentavam violentos acessos emocionais, o cientista Papez hipotetizou que as estruturas límbicas deveriam estar relacionadas com o comportamento emocional humano. A partir desse achado histórico, a ciência começou a entender de uma forma mais apurada a participação de cada um dos componentes do grande sistema límbico (Giro do cíngulo, giro para-hipocampaI e hipocampo perfazem os componentes corticais. Corpo amigdalóide ou amígdala, área septal, núcleos mamilares, núcleos anteriores do tálamo e núcleos habenulares compõem as estruturas subcorticais).
Neuroanatomia
O cérebro humano é constituído por  3 unidades cerebrais constituindo um único cérebro
1 - O arquipálio ou cérebro primitivo, constituido pelas estruturas do tronco cerebral - bulbo, cerebelo, ponte e mesencéfalo, pelo mais antigo núcleo da base - o globo pálido e pelos bulbos olfatórios. Corresponde ao cérebro dos répteis , também chamado complexo-R, pelo neurocientista Paul MacLean 
2 - O paleopálio ou cérebro intermediário(dos velhos mamíferos), formado pelas estruturas do sistema límbico. Corresponde ao cérebro dos mamíferos inferiores.

3 - O neopálio, também chamado cérebro superior ou racional (dos novos mamíferos), compreendendo a maior parte dos hemisférios cerebrais ( formado por um tipo de córtex mais recente, denominado neocórtex) e alguns grupos neuronais subcorticais. É o cérebro dos mamíferos superiores, aí incluídos os primatas e, consequentemente, o homem.  No dizer de MacLean, elas são três computadores biológicos que, embora interconectados, conservam, cada um, nas palavras do cientista, "suas próprias formas peculiares de inteligência, subjetividade, sentido de tempo e espaço, memória, motricidade e outras funções menos específicas"
 A unidade primitiva é responsável pela auto preservação. É aí que nascem os mecanismos de agressão e de comportamento repetitivo. É aí que acontecem as reações instintivas dos chamados arcos reflexos e os comandos que possibilitam algumas ações involuntárias e o controle de certas funções víscerais (cardíaca, pulmonar, intestinal, etc), indispensáveis à preservação da vida.3 - O neopálio, também chamado cérebro superior ou racional (dos novos mamíferos), compreendendo a maior parte dos hemisférios cerebrais ( formado por um tipo de córtex mais recente, denominado neocórtex) e alguns grupos neuronais subcorticais. É o cérebro dos mamíferos superiores, aí incluídos os primatas e, consequentemente, o homem.  No dizer de MacLean, elas são três computadores biológicos que, embora interconectados, conservam, cada um, nas palavras do cientista, "suas próprias formas peculiares de inteligência, subjetividade, sentido de tempo e espaço, memória, motricidade e outras funções menos específicas".
O desenvolvimento dos bulbos olfatórios e de suas conexões tornou possivel uma análise precisa dos estímulos olfativos e um aprimoramento das respostas orientadas por odores, como aproximação, ataque, fuga e acasalamento. No curso da evolução, parte dessas funções reptilianas foram sendo perdidas ou minimizadas (em humanos, a amígdala e o córtex entorrinal são as únicas estruturas límbicas que mantêm projeções para o sistema olfatório). É também aí, no complexo-R, que se esboçam as primeiras manifestações do fenômeno de ritualismo, através do qual o animal visa marcar posições hierárquicas no grupo e estabelecer o próprio espaço em seu nicho ecológico (delimitação de território).
Em 1878, o neurologista francês Paul Broca observou que, na superfície medial do cérebro dos mamíferos, logo abaixo do cortex, existe uma região constituída por núcleos de células cinzentas (neurônios), a qual ele deu o nome de lobo límbico (do latim limbus, que traduz a idéia de círculo, anel, em torno de, etc), uma vez que ela forma uma espécie de borda ao redor do tronco encefálico (em outra parte desse texto escreveremos mais sobre esses núcleos). Esse conjunto de estruturas, mais tarde denominado sistema límbico, surgiu com a emergência dos mamíferos inferiores (mais antigos). É ele que comanda certos comportamentos necessários à sobrevivência de todos os mamíferos. Que também cria e modula funções mais específicas, as quais permitem ao animal distinguir entre o que lhe agrada ou desagrada. Aquí se desenvolvem funções afetivas, como a que induz as fêmeas a cuidarem atentamente de suas crias, ou a que promove a tendência desses animais a desenvolverem comportamentos lúdicos (gostar de brincar). Emoções e sentimentos, como ira, pavor, paixão, amor, ódio, alegria e tristeza, são criações mamíferas, originadas no sistema límbico. Este sistema é também responsável por alguns aspectos da identidade pessoal e por importantes funções ligadas à memória. E, com a chegada dos mamíferos superiores ao planeta, desenvolveu-se, finalmente, a terceira unidade cerebral : o neopálio ou cérebro racional, uma rede complexa de células nervosas altamente diferenciadas, capazes de produzirem uma linguagem simbólica, assim permitindo ao homem desempenhar tarefas intelectuais como leitura, escrita e cálculo matemático. O neopálio é o gerador de idéias ou, como diz Paul MacLean - " ele é a mãe da invenção e o pai do pensamento abstrato".
Segundo a teoria Cannon-Bard : quando o indivíduo se encontra diante de um acontecimento que, de alguma forma, o afeta, o impulso nervoso atinge inicialmente o tálamo e aí, a mensagem se divide. Uma parte vai para a córtex cerebral, onde origina experiências subjetivas de medo, raiva, tristeza, alegria, etc. A outra se dirige para o hipotálamo, o qual determina as alterações neurovegetativas periféricas (sintomas). Ou seja, por esta teoria, as reações fisiológicas e a experiência emocional são simultâneas. O erro essencial da teoria Cannon-Bard foi considerar a existência de um "centro" inicial (o tálamo) para a emoção.

Anatomia da alegria/riso
Os músculos responsáveis pelo sorriso verdadeiro não podem ser controlados por 95% das pessoas, sendo o orbicular ocular um deles, que fica ao redor dos olhos, e que, quando ele se contrai, formam-se pe­quenas rugas do tipo pé-de-galinha, o olhar ganha um leve brilho, as bochechas se elevam e pequenas bolsas se formam embaixo dos olhos. Essas são as características do sorriso es­pontâneo, aquele que os bebês dirigem à mãe nos primeiros meses de vida
Músculos da Face
Os Músculos da Face
A face possui 44 músculos, sendo que alguns são denominados superficiais, de expressão facial ou miméticos.
Enquanto a maior parte dos músculos do corpo humano possuem suas origens e inserções (seus pontos de apoio) nos ossos, os músculos superficiais da face, frequentemente, estão ligados a outros músculos ou até mesmo à pele, o que permite a produção dos movimentos e expressões da face.
A peculiaridade da musculatura facial é a íntima ligação dos músculos que faz com que a movimentação de um músculo cause os movimentos de outros músculos, isso  é o que proporciona a grande diversidade de expressões faciais que podemos produzir consciente e não conscientemente, o que está diretamente relacionado com a capacidade humana de demonstrar emoções e de interagir no contexto social. possibilidade de expressar emoções pela face é um elemento fundamental para o estabelecimento da reciprocidade entre as pessoasSe você, por exemplo, sorrir para uma pessoa, é bem provável que receba um sorriso como resposta. Apesar disso não se constituir em regra, pois existem outros fatores que interferem na comunicação não verbal, é razoável esperar a reciprocidade. 
Fig 2 - Livro Pioneiro de DarwinA primeira abordagem moderna sobre esse tema foi realizada por Charles Darwin, em 1872, que divulgou suas pesquisas no seu livro As Expressões das Emoções no Homem e nos Animais. Nesse trabalho, entre muitas contribuições, ele levantou indícios de que determinadas expressões faciais, e os músculos que as produzem, poderiam estar relacionados à ocorrência de determinadas emoções. Depois desse trabalho, que serviu de marco inicial e inspiração para diversos outros pesquisadores, muito se avançou no estudo do tema.
Os músculos envolvidos na expressão de alegria estão representados nas duas imagens. As imagens indicadas com a letra A representam um sorriso de mera cortesia, enquanto as marcadas com a letra B indicam um sorriso verdadeiro. A diferença entre elas é a ação do músculo orbicular do olho e do Zigomático maior no levantamento das bochechas que é realizado como ação secundária de músculos que levantam o lábio superior(músculo zigomático maior é um músculo da boca. Se estende do osso zigomático até o ângulo da boca. Na contração, puxa o ângulo da boca súpero-lateralmente, dando a expressão facial de alegria, sorriso).
Ficheiro:Gray381.pngO médico William Fry Jr., conhecido como Dr. Humor, tendo pesquisado o riso por mais de trinta anos, declarou em 1991 que "o humor transforma as pessoas. E o efeito não pára na garganta... A alegria mexe com o corpo todo, tanto no as­pecto físico quanto no biológico". Ele chama esse efeito de "massagem interna", pois primeiro nosso corpo é movimen­tado e exercitado e depois relaxa e se tranquiliza.

segunda-feira, 16 de abril de 2012

O homem sem sapato...uma lição a reter

O cotidiano da vida está repleto de lições a aprender e a reter, como esta que recebi por mail:

Um homem já de certa idade entrou no ônibus. Enquanto subia, um de seus sapatos escorregou para o lado de fora. Mas a porta se fechou e o ônibus saiu, e não foi possível recuperá-lo.

Tranquilamente, o homem retirou seu outro sapato e jogou-o pela janela.Um rapaz, vendo o que acontecera, perguntou: notei o que o senhor fez. Por que jogou fora seu outro sapato? Eu agi de forma que quem o encontrar seja capaz de usá-los. Provavelmente, apenas alguém necessitado dará importância a um sapato usado encontrado na rua. E de nada lhe adiantará apenas um pé de sapato. Assim, o homem mostrava ao jovem que não vale à pena agarrar-se a algo simplesmente por possuí-lo, nem por que você não deseja que outro o tenha.

Perdemos coisas o tempo todo. A perda pode nos parecer penosa e injusta inicialmente, mas a perda só acontece de modo que mudanças, na maioria das vezes positivas, possam ocorrer em nossa vida.

Como o homem da história, nós temos que aprender a nos desprender. Alguma força decidiu que era hora daquele homem perder seu sapato:

Talvez isso tenha acontecido para iniciar uma série de outros acontecimentos bem melhores para o homem do que aquele par de sapatos.

Talvez a procura por outro par de sapatos tenha levado o homem a um grande benfeitor.

Talvez uma nova e forte amizade com o rapaz do ônibus.

Talvez aquele rapaz precisasse presenciar aquele acontecimento para adotar uma ação semelhante.

Talvez a pessoa que encontrou os sapatos tenha, a partir daí, a única forma de proteger os pés.

Seja qual for a razão, não podemos evitar perder coisas. A propósito, algumas perdas são até necessárias… O homem sabia disso. Um de seus sapatos tinha saído de seu alcance. O sapato restante não mais o ajudaria, mas seria um ótimo presente para uma pessoa desabrigada, precisando desesperadamente de proteção do chão. Acumular posses não nos faz melhores nem faz o mundo melhor.

Todos temos de decidir constantemente se algumas coisas devem manter seu curso em nossa vida, ou se é melhor seguir sem elas.

domingo, 15 de abril de 2012

Preparativos... Páscoa...uma doce experiência!...(cont...)

Dando continuidade, partilho as receitas tiradas da Internet confeccionadas nesta Páscoa, que são deliciosas e deram certo (nem sempre as receitas funcionam quando somos nós a fazê-las, mas estas resultaram na perfeição, toda a família gostou e comentaram "está brincando não foi você que fez, está bonito e muito gostoso"):
1-Bolo de amêndoas e natas

Ingredientes: 1 Copo de Natas
4 ovos
1 Copo de açúcar(medida do copo de Natas)
2 Copos de farinha
1 Pacote de fermento(ou 5 c/chá)
-Cobertura de Amêndoa
200g de manteiga
1 pacote de amêndoas laminadas
1/2 copo de açúcar Bater as natas em castelo, a parte misture os ovos com o açúcar depois de bem batido adicione as natas em castelo e por ultimo a farinha com o fermento. Vai a cozer em tabuleiro de ir ao forno barrado com manteiga e polvilhado de farinha durante 10 min. a 200graus.Entretanto derreta as 200g de manteiga com o 1/2 copo de açúcar e as amêndoas laminadas,barrar esta massa sobre a outra cozida e vai mais 10 min ao forno.


2- Bolo de noz

Ingredientes
250 gr de miolo de noz
250 gr de açúcar

2 colheres de chá de farinha com fermento

6 ovos

açúcar em pó

Num recipiente coloque a farinha, as nozes previamente triturados, as gemas, o açúcar e misturar tudo muito bem.
Noutra tigela bata as claras em castelo e junte pouco a pouco a mistura e mexa tudo até ficar uma massa homogénea.
Colocar agora a massa numa forma previamente untada e leve ao forno durante 30 minutos a 180º.
Desenformar o bolo de nozes e polvilhar com açúcar em pó.


3- Bolo Folhado misto
-Para a massa do bolo
Ingredientes:
5 ovos caseiros
o peso de 3 ovos em açúcar
o peso de 2 ovos em farinha
1 colher de chá de fermento em pó
1 placa de massa folhada (usei congelada)
Preparação:Estender a massa folhada e picar com um garfo. Levar a cozer ao forno pré-aquecido,180%,conforme as instruções (demorou uns 20 minutos cada placa).
Entretanto, misturar as gemas com o açúcar e bater muito bem até ficar um creme fofo .
Bater as claras em castelo e reservar.
Envolver com cuidado e alternadamente as claras em castelo e a farinha com o fermento (previamente peneirados).
Levar ao forno a cozer.
-Para o recheio e cobertura creme de pasteleiro:
Ingredientes:
250 ml leite
250 ml água
2 ovos e 2 gemas caseiros
200 g açúcar
80 g farinha de trigo.
Preparação:Juntar a farinha, o açúcar, os ovos e as gemas e mexer bem.Levar ao lume a mistura de leite e água (pode-se aromatizar, ex: pau de canela, casca de limão, café forte, etc) até ferver.
Juntar esta mistura à massa e mexer bem com a vara de arames.
Levar ao lume e deixar cozer até obter a consistência desejada, mexendo sempre.
Transferir o creme para outro recipiente para parar a fervura e não ganhar grumos.
Depois é só montar o bolo: Cortar o bolo em 3 camadas. No prato de servir colocar uma camada de bolo e barrar com o creme. Por cima colocar a massa folhada e voltar a barrar com o creme. Repetir esta operação até terminar com uma camada de bolo. Por fim barrar com o restante creme e decorar a gosto (coloquei a receita da ganache do bolo de chiffon e raspas de chocolate branco por cima)


4-Bolo de Chiffon branco
8 gemas
1 xícara de chá de água
¾ de xícara de óleo
1 colher de baunilha
Bate na batedeira (as gemas, o óleo, a água e a baunilha) até ficar espuma

xícara de chá de farinha de amido

1 colher de sobremesa de fermento em pó

2,5 xícaras de açúcar (metade)

8 claras em neve (até triplicar o tamanho) colocar metade do açúcar (das 2,5 xícaras)

2 xícaras de chá de farinha de trigo

Adicionar à espuma da gema a farinha de trigo, a metade do açúcar, o fermento e a farinha de amido, mistura do centro para as laterais. Depois acrescenta a espuma das claras. Colocar na assadeira (aro 30, 4 dedos de altura) e levar ao forno assar a 189 graus. Por 50min. aproximadamente.
-Recheio (creme de baunilha)
2 gemas

1 ovo

2 colheres de manteiga

1 pitada de sal

½ fava de baunilha (ou 1 colher de chá de essência de baunilha –Colocar só no final se usar a essência)

½ litro de leite

4 colheres de sopa de açúcar

2 colheres de sopa de amido
Ferva o leite com a metade do açúcar (2 colheres), a pitada de sal e a fava de baunilha. Em um tigela misture as gemas, o ovo, o amido e o restante do açúcar. Despeje um pouco do líquido quente sobre a mistura da tigela e mexa bem, volte tudo ao fogo e cozinhe até abrir fervura. Retire do fogo, adicione a manteiga e passe na peneira.Deixe esfriar para usar.

-Calda:200gr de açúcar, 400 ml de água, ½ fava de baunilha =>levar ao fogo até ferver
-Ganache de chocolate
½ Kg de chocolate amargo
250gr de creme de leite (ferver e colocar sobre o chocolate derretido)
Montagem:Corte o bolo ao meio e humedeça com a calda. Espalhe o creme de baunilha em uma camada única bem farta. Coloque a segunda metade e humedeça novamente. Cubra com a ganache

5- Pão de ló

Aproveitei a receita do Chiffon branco sem o recheio, a calda e ganache. Foi uma sugestão da cunhada, quando viu o aspecto do bolo assado, antes de ser montado.


Com estes 5 deliciosos bolos terei cometido o pecado da gula em plena Páscoa? Penso que não porque só os provei, a intenção foi proporcionar a família uma Páscoa feliz (tirando o pão de ló), todos os outros levaram (na cobertura ou nos enfeites) o "manjar negro dos deuses", o chocolate, que segundo dizem contém ou estimula a libertação do neurotransmissor serotonina, responsável pela alegria e sensação de bem estar)

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Preparativos para a Páscoa...uma doce experiência!

Os preparativos para a Páscoa sempre foram acompanhados de uma sensação de pesar, diferente do Natal , visto ser o recordar da Paixão de Cristo e com ela recordar que cada um de nós cristãos contribuímos para o sofrimento de Cristo na Cruz.

Entretanto este ano foi diferente, talvez porque vários membros da família estão atravessando períodos de maior tensão, preocupações e problemas, surgiu a idéia de promover momentos de relaxamento e descontração, assim pensando foi criado uma espécie de Peddy Paper (para o Sábado de Aleluia) que foi intitulado "mens sana in corporo sano", sem percurso, mas com várias estações (7), onde para chegar até elas as equipes tinham que decifrar uma pista e em cada estação deveriam cumprir uma tarefa (sopa de letras; palavras cruzadas de animais; encontrar com a boca um "smartie" num prato com arroz cru; responder a advinhas e perguntas de conhecimento geral; de olhos vendados ser guiado pela equipe ate encontrar a maçã dependurada e depois morder sem tocar com a mão; construir um castelo com cartas; encontrar um dálmata no meio de pintas brancas e pretas; decifrar uma mensagem encriptada; descobrir várias imagens dentro de uma imagem única; lançar o dardo no centro do alvo; encher um balão de ar com a boca até rebentar; a dança das cadeiras). Cada participante recebeu uma medalha, a equipe vencedora ganhou um troféu que foi sorteado entre os participantes para ver com quem ficaria.

Sempre no Domingo de Páscoa recebemos ovos de chocolate, quando éramos jovens recebíamos o ovo da Galak, mesmo depois de adultos, a nossa querida mãe sempre tinha o ovo para nós, a partir de quando comecei a trabalhar passei a retribuir dando também um ovo para ela, e toda a família, nos últimos anos como uma das sobrinhas dissera que preferia bombons ao invés de ovos, passou a ser bombons, como surgiu uma loja que fazia bombons diversos, os bombons passaram a ser encomendados de forma personalizada, no ano passado além de ser com letras formando o respectivo nome teve um pirulito de chocolate com a inicial de cada um. Este ano encontrei por acaso (quando procurava informações sobre a técnica de biscuit) um site que ensinava a fazer bombons, logo surgiu a idéia de fazer em casa os bombons para oferecer a família, aí começou a "saga dos bombons": Pesquisa na Internet de receitas, visualização de vídeos mostrando a técnica, procura das formas (em especial com formas de coração, por acaso a primeira encontrada já era a última, parecia que estava a minha espera, tinha vários formatos dentro dos corações; depois com letras, seguiram-se outras, de repente um "arsenal" de formas variadas, umas próprias outras adaptadas das curvetes de gelo), confecção (durante a semana anterior todas as noites eram dedicadas a confeccionar os bombons, cada dia era uma experiência diferente, os erros detectados eram resolvidos e um novo tipo de bombom era experimentado (branco maciço com letras, recheio de coco, recheio de brigadeiro de morango, cookies, maciço mesclado) embrulho individual, preparo da "cestinha" contendo os bombons.

Com a procura das receitas dos bombons, foram encontrado receitas de bolos , daí a decisão de confeccionar os bolos ao invés de encomendar como fazia até então: Bolo de noz; bolo de amêndoas com natas; Pão de ló; Folheado misto (que acrescentei ganache de chocolate ao leite e raspas pequenas de chocolate branco); Chiffon branco. (noutro post partilharei as receitas).

Na época em que se deve fazer jejum, foi a época em que mais estive envolvida na cozinha, para além dos bombons, bolos, teve os assados.Dessa "aventura culinária" resultou o aprendizado de alguns "macetes" (talvez "descobrir a pólvora sem fazer barulho", ou seja o que todos sabem, mas que eu não sabia):

1-A mais prática e funcional técnica de temperagem do chocolate é a que se derrete 2/3 da quantidade do chocolate e adiciona-se 1/3 da quantidade de chocolate sem ser derretido. Entretanto se as quantidades não forem exatas pode não resultar tão bem e neste caso a do banho-maria invertido funciona melhor.

2-Quando se pretende fazer bombons recheados deve se preparar o recheio com antecedência, se for de brigadeiro, deve se formar bolinhas e colocar no prato untado com manteiga e só no dia seguinte, ou algumas horas depois preparar os bombons.

3- Para que os bolos fiquem fofinhos, a clara em neve deve ser adicionada em alternância com a farinha ir misturando delicadamente à mão (até então eu adicionava a farinha, mas continuava a bater na batedeira, os bolos não ficavam fofos).

4-Os assados em forma de barro ficam melhor, mais macios, menos ressecados (como disse o marido da sobrinha "ficam mais apurados") do que no tabuleiro do forno.

5-A carne de porco (nomeadamente a pá) fica mais suculenta e tenra se levar uma fervura prévia e dourada se o tempero for com vinho branco (até então eu fazia com tinto e a carne ficava escura, desta vez experimentei com o vinho branco, mas esqueci de dar uma fervura antes, resultado ficou dourada mas seca e pouco tenra).

6- Para o arroz de forno ficar bem cozido, só deve ser tirado do forno quando estiver totalmente sem água, o calor do forno deve ser uniforme, se abrir a porta sem que ele esteja cozido ou ainda com água, nunca mais se coze, torra, mas não fica cozido. Também não pode ser mexido, caso contrário fica "unidos venceremos"(não fica soltinho).

7-Quando se cozinha para um número grande de pessoas se todos estiverem envolvidos fazendo alguma coisa tudo sai bem e há harmonia (foi a primeira vez que houve o envolvimento de grande parte da família na confecção das refeições e a harmonia reinar desde o preparo até a comida estar na mesa).

8- Para tirar o cheiro do ovo que fica na louça utilizada para fazer os bolos, antes deve-se passar por água fria e só depois lavar normalmente com o detergente.


Para não ficar muito extenso (lembrando das palavras do Igor relativos a um post que estava extenso, que ele sugeria que fosse desmembrado) é melhor escrever outro post...


Cont...