Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

quarta-feira, 2 de março de 2011

Ramo 154-Sonho...realização de um desejo

Percorrendo a "frondosa árvore" em busca de encontrar algumas respostas as inquietações a cerca de sonho, observei num dos seus ramos que:
"...Para Freud (neurologista "pai" da Psicanálise), a função do sonho é fundamentalmente a de ser um "guardião do sono". Na carta de 9/6/1899, durante o período de escrita de A interpretação dos sonhos, Freud escreve a Fliess: "Invariavelmente, o sonho visa a realizar um desejo que assume diversas formas. É o desejo de dormir! Sonhamos para não ter que acordar, porque queremos dormir. "O desejo de dormir é, segundo Freud não aquilo que determina a operação do sonho como uma necessidade de dormir, mas sim como um desejo de dormir. Sonho, ao realizar de modo alucinatório o desejo e o desejo é sempre sustentado pela fantasia, está a serviço do adormecimento, e é precisamente naquele momento em que algo do real tenta imiscuir-se no sonho, como no sonho de angústia, que o sujeito acorda. Paradoxalmente, o sujeito acorda, para prosseguir dormindo, isto é, fantasiando. Às vezes, durante o próprio sonho de angústia, dizemos para nós mesmos a fim de evitar o despertar que se insinua: "Afinal de contas, isto é apenas um sonho!"
Há uma relação íntima entre o sonho e a fantasia. Se todo sonho é a realização de um desejo, a fantasia é o suporte do desejo. "Nossos sonhos nada mais são do que fantasias" Freud frisa isto no artigo "O poeta e o fantasiar" (1908/1996, p.131) , que sofreram a ação da censura e emergiram deformadas e distorcidas. A mesma ação da fantasia inconsciente, em torno da qual o sonho e o devaneio (fantasia consciente) se constroem, irá constituir para o sujeito, na vida de vigília, sua relação com a realidade, ou, melhor dizendo, sua própria realidade, uma vez que a realidade é, em essência, realidade psíquica. http://sinalizando.blogspot.com/2007/04/fantasia-delrio.html


Para Regis Mesquita (Psicólogo): Sono é repouso e um momento especial para o corpo se "reorganizar". O sonho é uma parte do sono, uma parte que ajuda o todo a atingir seus objetivos. Vejamos como: quando estamos acordados passamos por inúmeras experiências e experimentamos várias situações diferentes. Estes acontecimentos moldam nossa vida e nossa personalidade. Durante o sono, principalmente, temos o enorme trabalho de organizar todas estas memórias em nossa mente. Assim o sono é, também, um "grande funcionário público que fica arquivando memórias". É aí que entra os sonhos, pois durante os sonhos o inconsciente age fortemente sobre estas memórias fazendo com que elas sejam arquivadas (organizadas) sob uma perspectiva diferente. E isto é de fundamental importância para nossa vida e nossa saúde mental, pois neste momento o inconsciente está ajudando a consciência a superar falhas (na psicologia chamamos de unilateralidade) que poderiam vir a causar muito sofrimento para a pessoa. Deus reconheceu que a nossa consciência é estreita e limitada, por isto ele nos brindou com estratégias para não ficarmos apenas restritos a este estreito limite. A principal estratégia é o sonho, que temos de 4 a 6 por noite.
(Publicado originalmente no Jornal Viva!-sobre valores humanos)
Ainda não foi desta que encontrei as respostas a inquietação: Quando antes de adormecer experimentamos a sensação de estar vivendo um sonho, adormecemos sem sentir e acordamos lembrando o momento do que parecia ser um sonho como se tivéssemos realmente vivido aquele momento, como poderia ser classificado então esse momento: sonho desfasado do sono? o libertar de um desejo sob a forma de uma fantasia? Um delírio? Uma alucinação? Uma experiência Metafísica?

Nenhum comentário: