Sua visita me deixou muito feliz...

Sua visita me deixou  muito feliz...

domingo, 27 de abril de 2014

Domínio da Razão...a realidade despida da ilusão

A realidade despida de ilusão torna-se por vezes difícil de encarar, mais ainda quando temos a percepção de que somos  perfeitos desconhecidos de nós mesmos e quando somos apresentados a nós mesmos, não conseguimos dizer "muito prazer em conhecer", talvez este seja a base da depressão que acomete milhares de pessoas no mundo inteiro. Muitos dirão que a depressão não surge dessa constatação ,  dirão antes que a depressão faz com que a pessoa tenha uma noção ou percepção negativamente exagerada  da realidade, aumentando o seu sofrimento, acentuando o estado de humor depressivo, quer uma  teoria, quer outra podem ser verdadeiras e complementares, serem causa-efeito uma da outra, em alguns casos, mas também podem passar ao lado em outros casos.
 Perante uma mesma realidade as pessoas tem maneiras diferente de encará-las: De forma otimista = vendo sempre um lado positivo e por isso com esperança, mesmo que se apresente desfavorável; De forma negativa = olhando sempre os pontos negativos, mesmo que não seja desfavorável; ou neutra/realista = vendo exatamente como se apresenta, sem super valorizar, nem sub valorizar, apenas constata.
A percepção da realidade é muito subjetiva, principalmente quando estamos nos auto avaliando, depende do momento interior que estamos vivendo, do grau de importância e de afetação da nossa vida, da forma como enquadramos, entre outros fatores. Considerando um cristal branco na forma de pirâmide, como sendo a realidade, se fizermos incidir um foco de luz (a nossa visão/ informação que processamos no cérebro) vamos ter vários raios de tonalidades diferentes (a nossa percepção depois da informação processada) dependendo da posição em que estejamos (do nosso momento interior, do predomínio da razão ou da emoção, etc..)
Na busca do auto conhecimento houve momentos de encontro com a realidade, mas houve momentos de ver além e aquém da realidade, porém nunca chegando a nenhuma conclusão ou certezas, muito pelo contrário, só dúvidas e incertezas. Quando parecia ser a realidade era uma ilusão, quando parecia ser uma ilusão era a realidade, quando parecia auto conhecimento a realidade mostrou o reverso da moeda. Quando pensava ter aproximado ao eu espiritual desenvolvido, a realidade mostrava que era uma miragem, na verdade estava mais próximo ao eu espiritual inferior, originando um desalento ao ver que ainda não foi conseguido o caminho da evolução espiritual , além de revelar algo que surpreende desagradavelmente e não deixa dizer "prazer em conhecer" ao olhar o espelho.

sábado, 26 de abril de 2014

Razão sobrepondo a Emoção...auto avaliação!

A tentativa de encontrar o Eu Absoluto passa por fazer uma (ou várias) auto avaliação, aproveitando como ponto de partida a avaliação de um aspecto da vida, "paixão" pelo Voley:
 Passado 2 meses de retorno ao Voley, está na altura de fazer a 1ª avaliação da atuação/desempenho/evolução dessa nova fase, nos quesitos atitude e posicionamento em quadra, aplicação correta dos fundamentos do Voley (Sac, recepção,defesa,  passe, remate, bloqueio),  a razão suplantou a emoção:
Atitude = 4 (embora com atenuantes: relógio no pulso - pela falta de bolso na calça, necessidade de controlar a saída - atitude parada , falta de agilidade- falta de confiança na equipe, pelo "roubo" das bolas, condicionando atitude de cautela e prudência para evitar acidentes e lesões)
Posicionamento = 4 ("colada" ao chão, falta de acompanhamento da bola, mau posicionamento na defesa do ataque e na cobertura do bloqueio)
Sac = 5 (pouca força, fácil de ser defendido,  só por baixo ou balanceado, porém direcionado)
Toque = 5 (muito afastado da rede,  com preferência de uma das mãos ao invés de ser as duas em simultâneo, sem ajuda dos membros inferiores)
Remate = 3 (só  no aquecimento - quando não vem um passe "abacaxi"- no ataque e defesa, só arriscando quando há confiança de que vai passar, poucos passes intencionais e sinalizados - Geralmente é sempre para o outro atacante - passos incorretos, pouca impulsão, sem velocidade, sem tempo de bola, sem bater de cima, sem estar de frente para a bola e sim em baixo  dela , sem visão de quadra na hora do  remate)
Manchete = 5 (mau posicionamento, bola "arestado", recepção de serviço em pé, "pés com raízes" a espera  que a bola caia nas mãos, sem "domínio das emoções"-recepção de serviço ou cortada "bomba" sem amortecer a força, e zunido a bola)
Bloqueio = 0 (sem bloqueio e sem cobertura de bloqueio, sem cobertura das "pingada"/amorti nas linha dos 3 metros")

Avaliação global = 4

Nessa sequência vão surgindo outras auto avaliações, todas com pontuação negativa, começando pelo profissional, a escolha do curso foi sem pestanejar, confundiu-se sonho com escolha (única  sem múltiplas escolhas de uma suposta vocação), passados alguns anos  a  triste descoberta a partir de um diálogo casual:
- "o que faz?"
Uma resposta evasiva -"prefiro não dizer" (para evitar coscuvilhice)
- "nós aqui temos orgulho do nosso curso" e a resposta mais desconcertante e desconfortante: -"Já tive orgulho no meu", resposta automática, mas que expressava  a realidade , um "lampejo" de consciência que se fez no momento que se fez luz: os acontecimentos que foram se somando no exercício da profissão, foram moldando esse orgulho, a ponto de considerar que talvez não seja benéfico a ausência de múltiplas escolhas na hora de decidir por um curso, porque pode haver gosto, mas não é garantia de ter vocação, nem sempre o que desejamos  para nós significa que tenhamos talento ou que seja o melhor para nós.
Avaliação do exercício profissional = 4 (capacidade aquém do desejado, esperado ou exigido, insatisfação das pessoas, alvo do trabalho, manifestada ou sentida, embora por vezes injustamente ou que não correspondem à realidade, pouca satisfação no final de um dia de trabalho, a atuação em nada  se assemelha ao sonhado ou idealizado-atenuante: Talvez modificação da percepção e conhecimento do ser humano como um todo, para além do que se aprende na faculdade e nos livros da ciência ). 
Este resultado leva a perguntar, qual o"eu" da personalidade, na sequência  do post anterior o ID, o Ego ou o Superego, ou do 3 "eu" físico -desejo- mental -razão- ou o espiritual -vocação- terá influenciado na escolha da profissão? e na "paixão" pelo Voley, já que ambas receberam pontuações iguais, negativas , demonstrando que na prática não existe vocação? Estas perguntas só vem confirmar que encontrar o Eu Absoluto é improvável, inatingível e talvez impossível.

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Encontro com o Eu absoluto


A busca do auto conhecimento leva a encontros e desencontros do Eu Absoluto ou Total =somatório do eu exterior ou físico, eu interior ou espiritual e eu personalidade ou psíquico, a História nos revela que é muito difícil  encontrar o Eu Absoluto, ou Homem Total, quando encontrou-se um, o que os Homens fizeram? ao invés de absorver seus ensinamentos e os porem em prática, prenderam-no, humilharam-no, crucificaram-no como se de um criminoso se tratasse. Ao longo dos tempos outros foram surgindo, embora nenhum se assemelhe ou seja 100%., conseguir atingir o equilíbrio entre os "eus" não é fácil, cada eu está subdivido em vários outros, para se ter uma ideia, o  "pai da Psicanálise", Freud, imaginava a constante luta dentro da personalidade quando o ego é pressionado pelas forças contrárias insistentes. O ego deve tentar retardar os ímpetos agressivos e sexuais do id, perceber e manipular a realidade para aliviar a tensão resultante, e lidar com a busca do superego pela perfeição. E, quando o ego é pressionado demais, o resultado é a condição definida por Freud como ansiedade. [Id: fonte de energia psíquica e o aspecto da personalidade relacionado aos instintos, isto é, o reservatório de energia psíquica, onde se localizam as pulsões de vida e de morte. As características atribuídas ao sistema inconsciente. É regido pelo princípio do prazer (Psiquê que visa apenas o prazer do indivíduo); Ego: aspecto racional da personalidade responsável pelo controle dos instintos. É o sistema que estabelece o equilíbrio entre as exigências do id, as exigências da realidade e as ordens do superego. A verdadeira personalidade, que decide se acata as decisões do Id ou do Superego; Superego: o aspecto moral da personalidade, produto da interiorização dos valores e padrões-das proibições, dos limites e da autoridade- recebidos dos pais e da sociedade, nestes se enquadram a doutrina cristã, o credo religioso,  fica sempre censurando e dizendo: Isso não está certo, não faça aquilo, não faça isso, ou seja, aquela que dói quando prejudicamos alguém, é o nosso "freio"].
A vida inteira busquei encontrar o Eu Absoluto, mas a sensação  é de estar sempre rondando quando parece estar perto de encontrar mais distante se torna, olhando para o passado parece que já estive muito perto, mas a cada dia que passa me afasto mais e mais, são atitudes, pensamentos, decisões que levam a reconhecer que o auto conhecimento está longe de se concretizar e o quão distante parece se encontrar o Eu Absoluto.

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Páscoa ...Encontro do Eu!

Páscoa significa passagem, tem origem no termo hebraico Pessach. É a celebração religiosa mais importante  para os cristãos.
A Páscoa O "Domingo de Páscoa" celebra a Ressurreição de Jesus Cristo (a Páscoa já era comemorada antes da época de Jesus Cristo. Tratava-se da comemoração do povo judeu por terem sido libertados da escravidão no Egito, que durou cerca de 400 anos. Segundo a Bíblia o próprio Jesus participou de várias celebrações pascoais, quando tinha doze anos foi levado pela primeira vez pelos seus pais José e Maria para comemorar a Páscoa, tendo participado sempre, nos anos seguintes. A mais famosa participação relatada na bíblia foi a "Última Ceia" onde Jesus participou da comunhão do corpo e do sangue, simbolizados pelo pão e pelo vinho). A data é comemorada após a primeira lua cheia que ocorre no início da primavera, no hemisfério Norte,daí o coelhinho ser o símbolo dessa quadra festiva, porque é quando aparecem no campo no início da primavera. A data é sempre entre os dias 22 de março e 25 de abril.é uma festa móvel, varia o dia a cada ano, a data é sempre comemorada entre os dias 22 de março e 25 de abril. A Páscoa é comemorada em vários países. Os espanhóis chamam a data de Pascua, os italianos de Pasqua e os franceses de Pâques.
Quaresma período que precede a Semana Santa (Domingos de Ramos que lembra a entrada de Jesus em Jerusalém, em que as pessoas cobriam a estrada com folhas da palmeira, para comemorar sua chegada- Sexta Feira Santa, é o dia em que os cristãos revivem a morte de Jesus na cruz-Domingo de Páscoa, Ressurreição de Jesus e sua primeira aparição entre seus discípulos) que começa na 4ª Feira de Cinzas (onde somos recordados que viemos do pó e ao pó voltaremos, enquanto matéria/corpo físico mortal), durante esses 40 dias  os cristãos se dedicam à penitência para lembrar os 40 dias passados por Jesus no deserto e os sofrimentos que ele suportou na cruz. 
Mesmo sem pensar voluntariamente em penitência,  há 7 anos que essa altura é marcada  por  situações que levam a que seja um período de penitência, onde a fé é posta à prova: só nos 4 últimos anos, num ano houve uma privação da liberdade, na forma de cárcere privado dentro da sala do trabalho, sendo necessário a intervenção da polícia, abertura de processo crime (mas que posteriormente foi retirado por pena do agressor ter a mãe doente) e a seguir mudança de local de trabalho sem direito a opção para trabalhar no mesmo lugar com o colega que provocou uma situação de conflito em que foi ofensivo; no ano a seguir ofensas e injúrias no local de trabalho que mancharam a honra profissional, por esse motivo obrigou a participação crime (posteriormente retirado a queixa por pena pelo falecimento do marido da arguida); no ano seguinte doença na família, pela primeira vez sem confissão nessa altura, como sempre foi feito; Este ano esse período foi  marcado por um desgaste acentuado vindo da Internet (vários mails de alguém obsessivo, que ficou descompensado por não gostar de ver algo escrito num blog pediu para retirar do post, foi retirado, mas permaneceu no motor de busca, foi uma saga desgastante pesquisar como tirar, dar todos os passos, responder aos mails (que demonstravam sofrimento e ao mesmo tempo incompreensão, comportamento intimidativo e apelativo, injusto) e dar todos os passos para que fosse retirado para amenizar a ansiedade/angústia da pessoa,  entretanto, em vão, pois  permaneceu no motor de busca, somado ao trabalho e tempo gasto, ainda por cima um mail final ofensivo, quando foi alertado que seria o último mail sobre o assunto visto que tudo foi feito que o resultado viria com o tempo. Tudo isso foi extremamente stressante, roubou parte da paz de espírito, mas não ao ponto de perdê-la.
O que sobra disto tudo? o repensar na vida, na fé, nos nossos valores e princípios. Todos esses fatos aconteceram na Quaresma  não foi por acaso, em última instância, foi para promover o encontro do Eu interior e ao encontrá-lo, automaticamente encontramos a Deus, porque diminuíram as distâncias que nos separavam Dele, em resumo, Páscoa significa o encontro do Eu absoluto.